Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

FERNANDO RAMOS

Minha Poesia

FERNANDO RAMOS

Minha Poesia

20
Jul18

852 - CHORO CONSUMIDO

Fernando Ramos

852 (2).jpg

 

 CHORO CONSUMIDO

Dos valentes regista a história

A sua heróica postura

Da guerra de triste memória

Resta apenas raiva e loucura

 

E com mágoas se relembra

A Guerra que nunca é nula

Porquê, porquê tal contenda

Rica de ambição, desprezo e gula

 

Um louco na história apareceu

Na Europa que se julgava de bem

Matou esperanças mas não venceu

E o mundo apelou à razão, sua mãe

 

Agora longe desse tempo

Ainda se aguarda melhoras

E neste passar tão lento

Vai na memória más horas

 

Mil lágrimas caídas

Dessa máscara tão nocturna

Muitas vidas foram sumidas

Por negra repelente figura

 

Dessa guerra sem sentido

Uma geração foi perdida

No seu choro consumido

Gritava-se paz, então conseguida

 

Do homem fica o pesadelo

Do seu acto vil e feroz

Pacifista precisa saber sê-lo

Para não voltar a ferida tão atroz

 

De: Fernando Ramos

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D