Minha Poesia

04
Dez 19

 

8 1 (1).jpg

 

A ARCA DA MINHA AVÓ

 Na arca da minha avó
Recordações velhas lá andarão

Talvez tristezas da vida
Coisas boas não sei se serão

Quando eu abrir a arca
Tudo sairá cá para fora
É que a arca já não se abre
Desde os tempos de outrora

A arca é muito bonita
Mas está suja de pó
Lá tem tanta magia
Já dizia a minha avó

A arca não é muito grande
E até, tem um senão
Tem de se ter muito cuidado
Quando eu abrir, com a mão

Já minha avó me dizia,
Para abrir a arca bem cedo
É que se levo muito tempo
um dia iria ter medo

Então lá abri a arca
Coisa de pasmar encontrei
Eram flores de papel de marca
Quantas lá estavam não sei

Olha lá, ó minha querida avó
Tanta curiosidade me causaste
Que faço das flores cheias de pó
Porque da arca não me desfaço

fernando ramos

publicado por Fernando Ramos às 14:41

Dezembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
14

16

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO