Minha Poesia

28
Dez 17

741 (2).jpg

  

  • CAOS
  •  
  • Difícil este mau tempo que passa
    Onde o destino, a alguns traça a miséria
    Que é o extermínio que os enlaça
    Sejam eles Brancos, ou outra cor
  • Que grassa neste planeta fértil
  • De pérfidos contrastes
    Onde apenas importa, a sórdida ambição 
    De senhores, que não passam de trastes
    É gente sem dó, nem coração
  • Chafurdando na mentira que mata
  •  
  •  
  • Em volta de mim olho, e o que vejo!
    Caos, violência, decadência sem razão
    Tenho apenas, um puro e simples desejo
    De não viver nesta triste confusão
    Já a mitologia, a história ou a lenda
    Nos relata este mesmo percurso passado
    Mas agora, não se sara a fenda
    Dum pobre mundo tão mal venerado
  •  
  • Onde no seu luxuoso Palácio da vida 
  • Alguns, na posse do ouro se tornam sinistros
  • Para quem sofre, e acalenta a esperança
    Suplicando que o mundo gire em sistemas mistos
    Para que piadosamente apenas recebam
  • A felicidade como herança
  •  
  • De: Fernando Ramos
publicado por Fernando Ramos às 14:14

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


Dezembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

12

22




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO