Minha Poesia

22
Mar 17

 

 

LOBOS NÃO COMEM LOBOS

Um grande capitalista conhecido
Vestido de fraque e cartola
Grita pró criado desconhecido
Que lhe traga sua valiosa sacola

O pobre do empregado
Não percebeu o que ele queria
Pensou e disse: “Estou desgraçado
Como vou atender sua Senhoria”

O empresário gordo e matreiro
Percebeu aquela aflição
De novo gritou pró tarefeiro
Que era um incompetente, e ladrão

Ele me chamou ladrão?
Diz o trabalhador já zangado
Lá por ele ser meu patrão
De mim não pode estar desconfiado

Esta gente rica de dinheiro
Que tem tudo e umas botas
Julgam que o mundo é deles por inteiro
Só porque tem muitas notas

Tratam os outros com desdém
Julgando que somos uns bobos
Apesar de não termos vintém
Sei que lobos não comem lobos

Porque se protegem uns, aos outros
E deles não sou leal conselheiro
Nem se quer, quero ver seus rostos
Bem podem guardar todo dinheiro

E o empregado foi embora
Deixando o patrão apeado
Pois já estava na hora
De abandonar aquele emproado

de: Fernando Ramos

publicado por Fernando Ramos às 16:00

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


Março 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO