Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

FERNANDO RAMOS

Minha Poesia

FERNANDO RAMOS

Minha Poesia

516 - PESCA DA TAINHA

Fernando Ramos, 04.01.22

  

516.jpg

  • PESCA DA TAINHA
  •  
  • O pescador vai na sua arte à tainha
    Lançando a linha na onda de vai e vem
    No horizonte alguém se presta à Sardinha
    Naquele mar aberto em que se está bem
  •  
  • No brando balouçar de seu barco
    Entretem-se na sua artesanal pesca
    A tainha é o seu fiel prato
    Que à mesa, a quer sempre fresca
  •  
  • E vem nuvens celestiais de água
    Para esse mar de parco peixe
    No pescador aparece uma mágoa
    Indo embora, e ali, sua arte deixe
  •  
  • Caem bátegas de chuva num barco
    Que no horizonte pesca a sardinha
    A faina por ali, não tem sido farto
    E o pescador já não leva a tainha
  •  
  • E por lá, ficou sua pesca por fazer
    Deixando a tainha e outros peixes mais 
    Novo chamamento do mar irá ter 
    Observando agora, a outra faina, do cais
  •  
  • De: fernando Ramos
  •