Minha Poesia

12
Nov 21

  

 

  • FALA-ME DE AMOR
  •  
  • Meu amigo, 
    se morreres antes de mim
    pergunta no céu se há lugar 
    para um condenado, 
    que, por de trás destas grades 
    cumpre pena p´lo crime consumado
  •  
  • De lá, fala-me de amor,
    desse amor que me faltou
    quando meu crime cometi
    Hoje mitigo a esperança de liberdade 
    que anseio para meu coração,
    e pelo fim dos meus remorsos 
    pela maldade cometida
    Este crime, leva-me à tortuosa 
    loucura que só termina
    com a chegada da minha morte
  • Hoje, como companheiro, 
    tenho o silêncio do Diabo, nada mais
    Não passo de um indigno ser humano 
    que não merece perdão
    e a bondade de Deus

  • Nasci só para amar e não para matar
    Ai no céu fala-me de amor, e mais nada, 
    porque de ódio, já as minhas entranhas 
    teve quanto baste no meu suplicio
    que se encontra no cimo 
    da colina de minha vida,
    fala-me apenas só de amor
  •  
  • Num momento de loucura 
    Matei, matei quem mais amava,
    E por quem eu dava a vida
    Mas o álcool maldito
  • não tolerou meu amor
    Agora cumpro a pena do assassino
    que se funde na luz que entra 
    por grades de ferro intransponíveis,
    que só as passarei quando meu corpo 
    for p´ra tumba da minha liberdade
  •  
  • Amigo, quando estiveres com o Criador
    diz-lhe que fale de amor a meu coração
    e que me solte deste cansaço
    e desta pena que mereço,
    mas que nunca pedi
    O meu sentimento agora é morrer, 
    morrer em solidão, e encontrar a chave 
    que irá abrir o meu céu, 
    para receber a luz em meu espirito
    que me vai fazer esquecer 
    esta triste maldição
  •  
  •  
  • de: fernando ramos

publicado por Fernando Ramos às 16:22

Novembro 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO