Minha Poesia

02
Fev 21

 

 

O MUNDO DE MÃE PRETA


No bairro há uma lixeira

E também mortos e vivos

Para as crianças é uma brincadeira

Mas seus futuros são ali perdidos

 

Mãe preta vive lá

Com sua família também

A lixeira ali, é coisa má

P´ra todos e para a mãe

 

Ela vive muito triste

No meio daquele horror

Se é que Deus existe

Acabe com esse terror

 

Vive ali tanta gente

Que não tem bom futuro

Não há ninguém contente

Porque ali não é seguro

 

A lixeira do seu país

Deve ser a pior do mundo

Toda gente é infeliz

Naquele lugar nauseabundo

 

Aqui é tudo gente séria

Fala mãe preta no seu juízo

Ninguém termina esta miséria

Diz no seu belo sorriso

 

Isto não é terra de brancos

Disse numa boa gargalhada

Também não são assim tantos

Por isso não tem esta bicharada

 

As flores lá nem crescem

Porque dava um jardim imundo

O que por ali florescem

São as misérias do mundo

 

Mãe preta gostava de mudar

Se todos assim quiserem

Mas se nada se alterar

É porque os homens querem

 

Se fecharem a lixeira

A Deus, todos os dias louvo

Tratem mas é de ter maneira

De dar essa alegria ao povo

 

Mãe Preta ainda diz mais

Os mortos nada teem a perder

Mas as crianças e seus pais

Deus não os deixes aqui morrer

Vamos lá mundo louco

Acabar com esta miséria

De nós não façam mais pouco

Porque a pobreza é coisa séria

  

de: fernando ramos


publicado por Fernando Ramos às 15:18

Fevereiro 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
13

15
17
19

21
23
25
27



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO