Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

FERNANDO RAMOS

Minha Poesia


10.01.22

  

522 (1).jpg

  • POBRE MULHER
  •  
  • Pobre mulher,
    que já foste feliz
    Tiveste sonhos, e homens
    que teus a pés se deitavam
  •  
  • Pobre mulher,
    que foste soberba
    Tiveste a beleza
  • da natureza como aliada
  •  
  • Pobre mulher,
    que a vida por ti passou
    Tiveste o amor,
    A formesura e o dinheiro
  •  
  • Pobre mulher,
    que tiveste tudo
    Hoje restam lembranças,
    e a sabedoria da vida, 
    apenas isso
  •  
  • de: fernando ramos
  •  


09.01.22

  

521.jpg

  • VÊ...
  •  

    Vê o sol que passa
    Por teu rosto cansado
    Vê o coração que sofre
    Por um amor que partiu

    Vê a lágrima sofrida
    Caída na imensidão
    Vê a vida que se some
    Numa dor sem cura

    Vê o mundo que se perde
    Numa guerra sem razão
    Vê a paz que não acontece
    Trazendo tristeza e desilusão

    Vê teu irmão que chora
    P’lo emprego que perdeu
    Vê os povos sem futuro
    Pela intolerância do homens

    Vê o voar da pomba branca
    Buscando felicidade e amor
    Vê a criança que brinca
    Num jardim em flor

    Mas vê, vê com olhos de ver
    Porque esta é a realidade
    Uns pensam em apenas ter
    E não ver a verdade

    De: fernando ramos
     


08.01.22

  

520 fr (1).jpg

  • LUA CURIOSA
  •  
  • No universo das nossas noites de vigília
    vemos se abrirem portas na lua nova, 
    que nos espreita
    Lua essa, que traz a calmaria,
    de bem amar, embriagando-nos   
    com sua cálida luz
  •  
  • Temo-la como testemunha
    dos abraços, das caricias, dos ais
    e dos nossos murmúrios nocturnos
    Ela nos observa num céu 
    de tantos encantos,
    dando brilho a teus cabelos
    como se estrelas douradas fossem 
    Eles que se movem sobre meu peito,
    onde os afago
  •  
  • E por tuas costas 
    deslizam suavemente meus dedos,
  • explorando impunemente
    teus segredos, e subtilmente 
    entramos num jogo de prazer sublime
    que nos deixa um dentro do outro
    E a nossa lua de curiosidade
  • absoluta e rara beleza,
  • colhe o mel do nosso gozo,
    como um poema cristalino,
    de pura declaração de vida,
    de esperança e de amor 

    Silenciosamente em meu corpo
    deixas beijos que me fascinam, 
    fazendo desejar-te cada vez mais,
    e que, entendes bem no fundo de ti
  • E a lua, uma musa curiosa
  • lá está parindo claridade
    com seu brilho fascinante,
    como que, a sorrir para nós
  • brindado ao que sentimos
  • e ao que vivemos
  •  
  • de: fernando ramos
  •  


07.01.22

  

519.jpg

  • SE A ROSA...
  •  
  • Se a rosa não envelhece
    Meu amor por ti, também não
    O coração, do teu padece
    E te deseja sem ilusão
  •  
  • Se a rosa não mais viver
    Deito lágrimas no momento
    Teu amor vou perder
    Esta vida, eu lamento
  •  
  • Se a rosa chorar
    Sofrerei sem pudor
    Mas eu não vou deixar 
    Cair lágrimas ao amor
  •  
  • Se a rosa um dia sonhar
    Terei no peito uma paixão
    Que por ti irá arfar
    Querendo só teu coração
  •  
  • Se a rosa por mim for beijada
    Muita ternura vais ter
    És uma mulher desejada 
    P’lo meu ser, que te vai querer
  •  
  • de: fernando ramos
  •  


06.01.22

  

518 (1).jpg

  • ADVINHAR O AMOR
  •  
  • Quase sempre se advinha o amor
    P’lo sorriso, ou pelo afagar dum olhar
    São momentos de enorme esplendor
    Deles, nos queremos regalar
  •  
  • Então, sentimos o coração 
    Serpenteando apressadamente 
    Num bom caminho de sofreguidão
    Fazendo-nos amar estupidamente
  •  
  • Nossos sentidos vão perceber
    Que em nossa alma ficou tatuada
    Um sorriso, que nunca vamos esquecer
  •  
  • Ele, nos ligará em exuberância 
    Numa bela longa vida amada
    Como lindas pétalas em abundância
  •  
  • De: fernando ramos
  •  


05.01.22

 

517.jpg

  • SAUDADE DA PARTIDA
  •  
  • Saudade, palavra triste e exótica
    A sinto com emoção e beleza
    Recorda minha vida caótica
    De um tempo tido, em dureza
  •  
  • A saudade fica gravada na vida
    Quando a despedida chega
    De alguém que foi de partida
    Que meu coração aconchega
  •  
  • Saudade, foi o que restou
    Depois dessa partida precoce
    Minha tristeza ai começou
    Meu peito, dela tomou posse
  •  
  • A saudade irá num cavalo a galope
    Para as belas pradarias sem fim
    Só lhe desejo boa sorte
    Se ela não voltar p´ra mim
     
  • E a saudade, irá acabar
    E minha nostalgia também
    Porque quem partiu vai voltar 
    E meu coração ficará bem
  •  
  • De: fernando ramos
  •  


04.01.22

  

516.jpg

  • PESCA DA TAINHA
  •  
  • O pescador vai na sua arte à tainha
    Lançando a linha na onda de vai e vem
    No horizonte alguém se presta à Sardinha
    Naquele mar aberto em que se está bem
  •  
  • No brando balouçar de seu barco
    Entretem-se na sua artesanal pesca
    A tainha é o seu fiel prato
    Que à mesa, a quer sempre fresca
  •  
  • E vem nuvens celestiais de água
    Para esse mar de parco peixe
    No pescador aparece uma mágoa
    Indo embora, e ali, sua arte deixe
  •  
  • Caem bátegas de chuva num barco
    Que no horizonte pesca a sardinha
    A faina por ali, não tem sido farto
    E o pescador já não leva a tainha
  •  
  • E por lá, ficou sua pesca por fazer
    Deixando a tainha e outros peixes mais 
    Novo chamamento do mar irá ter 
    Observando agora, a outra faina, do cais
  •  
  • De: fernando Ramos
  •  


03.01.22

  

515 1 (1).jpg

  •  FADISTA APAIXONADA
  •  
  • Arrasta a voz com tanta emoção
    Nas difíceis palavras de desamor
    Bem choradas no silêncio do coração
    Tão cruas, vestidas em rigor
  •  
  • Sua rouquidão atravessa a madrugada
    E nos ombros ajeita o xaile de cetim 
    Uma mágoa, p’ra ela vai destinada
    Num fado, de memórias sem fim
  •  
  • E no absoluto silêncio de cumplicidade
    Escuta-se a fadista que rói a saudade 
    Seu fado murmura a verdade
    Da separação ocorrida na cidade 
  •  
  • Naquela tasca, ouvem seu grito
    Sumindo na voz de infelicidade
    Na mesa, alguém se sente aflito
    P’lo sentimento de tanta intensidade
  •  
  • Ela canta, e sua tristeza engrandece
    E a guitarra sofrida a quer acarinhar
    Buscando amor, p’ra quem tanto padece
    De paixão, que no peito se foi desalojar
  •  
  • Suas lágrimas, são pétalas de flores
    Caindo p´lo rosto apaixonado
    Perdeu um amor de mil sabores
    Vacilando o coração tão despedaçado
  •  
  • E no poema cantado em esplendor
    Correa a branda nostalgia do momento
    Por ter perdido o seu grande amor
    Canta a vida, do seu sofrimento
  •  
  • De: fernando ramos
  •  

 


02.01.22

  

514 (1).jpg

  • RUGIDO DE ENCANTO
  •  
  • A leoa, anda bela e vigorante
    Vagueando entre capim e folhagem
    Seduz seu macho possante
    Satisfazendo ali, sua libertinagem
  •  
  • Inquietos, cumprindo seu cio
    Os animais se unem como amantes
    Dá-lhes prazer cómodo e sem frio
    Que várias vezes, os deixam ofegantes
  •  
  • E em rugidos de grande encanto
    Se entregam, há animalesca vontade
    Os leões, seu mel saboreiam tanto 
    No gozo total de sua intimidade
  •  
  • Nesses dias irrequietos, de sem medo
    Nada os fazem parar na sua postura
    Satisfazendo-se de um prazer soberbo
    Onde rugem por gozar tanta doçura
  •  
  • Acabando prostrados na relva
    Termina ali, sua total ternura
    Continuando seus destinos p’la selva
    Até outro cio, p’ra nova loucura
  •  
  • De: fernando ramos
  •  


01.01.22

513.jpg

  • MUNDO ENTRE PORTAS
  •  
  • Entre nós, existe um mundo
    Onde portas se fecham, e abrem
    Por lá, se vai vivendo ao segundo
    E tantos seu futuro não sabem
  • Vai-se morrendo sem dó nem piedade
    Nesse mundo de parco viver
    Alguns entregam por caridade
    O pão, que uns poucos vão comer
  •  
  • Lá, por vezes não é importante 
    Saber qual o amanhã que vai chegar
    Ele virá triste e desconfortante
    Até um final, não ser possível adiar
  •  
  • Quem vive nesse mundo entre portas
    Que p´ra muitos estão abertas ou fechadas
    Suas esperanças, dentro delas estão mortas
    E curtas vidas desencontradas
  • O povo, que desse mundo não pode sair
    Resta-lhes apenas um sonho preciso
    P’ro infinito, rapidamente querem partir
    Onde Deus os espera, em Santo Paraíso
  •  
  • De: fernando ramos
  •  

Pág. 3/3

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D