Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

FERNANDO RAMOS

Minha Poesia

FERNANDO RAMOS

Minha Poesia

481 - NOSSO TEMPO

Fernando Ramos, 30.11.21

  

  • NOSSO TEMPO
  •   
  • A vida faz-se percorrendo trilhos
    mais ou menos sinuosos, 
    e entre passos que damos neles,
  • eles nos vão levando sempre 
    ao mesmo final
    Temos momentos que se contam
    por sorrisos ou por tristezas,
    e ao fim de algum tempo,
    tudo junto, e com ruga após ruga, 
    aparece a nossa história de vida, 
    que fica como memórias 
    no nosso passado
  •  
  • Homens ou mulheres que somos,
    dobramos sempre a esquina dos anos
    Onde pacientemente e sorrateiramente
    a idade avançada nos espera, 
    e se hospeda eternamente 
    nos secretos de nós
    Com um bom ou mau passado
    Passado esse, que por vezes 
    até com mágoas e dor, 
    nos trazem sofrimento 
    Ou alegrias, prazer, felicidade 
    que nos enchem de euforia

  • Assim, nossos dias vão caminhando 
    um após outro, na melodia da vida
  • Nossa vida é mesmo assim, 
    com altos e baixos,
    onde por vezes nos leva 
    a empurrar pedras do impossível,
    que teimamos levar a um fim
    tanto ou quanto bizarro 
    e pouco consistente
    Quando tudo é muito mais simples,
    porque o bom, o bom
  • que algumas vezes sonhamos
  • está mesmo aqui a nosso lado

  • Então, não compliquemos a nossa existência, 
    porque o nosso tempo passa rapidamente, 
    e o seu final, é já ali bem próximo
  •  
  • de: fernando ramos

480 - DOCE GRATIDÃO

Fernando Ramos, 29.11.21

  

 

  • DOCE GRATIDÃO
  •   
  • Em tua sensualidade
    me deleito num absurdo
    puro silêncio
    Deslizando minhas mãos 
    por tua pele em busca 
    de teus segredos 
    mais recônditos
    Meus lábios nos teus 
    descobrem desejos 
    que almejam infinitos sentimentos
    E de olhos nos olhos, 
    lemos o prazer do fino contacto 
    de nosso corpo uno 
    que saboreia o manjar do momento
    numa caricia quente 
    e nua de receios, 
    que num vai vem
  • de doce inspiração 
    nos amamos perdidamente,
  • na plenitude do amor 
    que nos preenche de gratidão
  •  
  • de: fernando ramos

479 - CAMÉLIAS COM AMOR

Fernando Ramos, 28.11.21

 

 

CAMÉLIAS COM AMOR

  

Louvamos à vida em alegria
Beijando as Camélias com amor
Cuidamo-las, à sombra do dia
Porque a vida sem elas, traz dor

 

Com exuberância exalam perfume
Vagueando p´la mitiga esperança
Suas fragrâncias no ar se sume
Levadas p’lo vento, sua aliança

 

Várias Camélias de cores e gostos
Embelezam meu jardim de prazer
Acariciando suas pétalas em meu rosto
Vem a certeza de com elas o bom viver

 

Minhas Camélias que do bem és capaz
Contigo a vida tem outro sabor
Dás ao mundo tua beleza e paz
Brotando futuro de enorme esplendor

 

 

De: fernando ramos

478 - POBRES MENDIGOS

Fernando Ramos, 27.11.21

 

  • POBRES MENDIGOS
  •  
  • Vou vivendo dormindo ao frio, e à chuva
    Na companhia de outros irmãos mendigos
    Na cidade, na estrada ou numa curva
    Somos vidas de passados incompreendidos
  •   
  • O céu de dia, ou de noite, é nosso telheiro
    Andamos rotos, descalços, e em desalinho
    Temos a doença e fome, como companheiro
    Esperando p’la morte que chega de mansinho
  •  
  • Andamos por aí, sem enganos
    Procurando a beata deitada fora
    Contemplamos a natureza que amamos
    Vivendo connosco a toda a hora

    Cruzamos gentes, que não nos olha 
    E p’ra elas, nem sequer falamos 
    Somos um livro que não se desfolha
    Guardado em baús há muitos anos
  •  
  • Não passamos de uns pobres mendigos
    Em busca de amor, por aqui, e ali
    Temos a dor que dói, entre amigos
    E só distribuímos o bem, vagueando por aí
  •  
  • Os degraus das Igrejas são o nosso trono
    Oferece-nos as noites gélidas como retiro
    Deitados em velhos cartões, fazemos o sono
    Até que Deus um dia, pare nosso suspiro
  •  
  • De: fernando ramos

477 - DIVINA SANTA LUZIA

Fernando Ramos, 26.11.21

 

 

  • DIVINA SANTA LUZIA
  •  
  • Na velha calçada que pisei
    Prós os lados de Santa Luzia
    Rezei à Virgem tudo que sei
    Até os pecados na Mouraria
  •  
  • A penitência será dura e sem Lei
    Cumprida no miradouro Santa Luzia
    Lá vou sofrer porque abandonei
    Um coração, que muito me queria
  •  
  • Hoje caem lágrimas salgadas
    Deste amor que fui afastar
    Lembranças não são abençoadas
    Porque dela andei a troçar
  •  
  • Depois das oportunidades me dadas
    Ela, tenho de voltar a conquistar
    À Divina, imploro paixões sonhadas
    P’ra seu coração eu agarrar
  •  
  • Minha Santa Luzia peço perdão
    Por tal imprudência cometida
    Agora quem sofre, é meu coração
    Por ter castigado a paixão perdida
  •  
  • E por minha mente passa a união
    Que por ela nunca foi conseguida
    Na Igreja vou encontrar a razão
    Da tristeza que perdura na vida
  •  
  • De: fernando ramos

476 - AMIGA, MEU AMOR

Fernando Ramos, 25.11.21

  

  • AMIGA, MEU AMOR
  •  
  • Minha amiga é aquela,
  • Que vem lá no horizonte
    Parece cansada, mas vem bela
    Seu sorriso bonito, ela esconde
  •   
  • Vem cá minha doce amiga
    Dou-te um abraço de conforto
    Meu peito teu rosto abriga,
    Vejo que trazes um desgosto

    Ela mais tranquila ficou
    Diz que sou sua paixão
    Logo ali meu coração fraquejou
    Perante tão singela confissão

    Por seus encantos ando perdido,
    Mas esta atitude me surpreendeu 
    Tenho agora um amor correspondido,
    Agradeço a Deus, o bem que me deu

    De amiga, passou a meu amor
    E a terei por toda a vida
    Com ela não vou ter mais temor
    De abraçar sua fadiga

    De: fernando ramos
  •  
  •  
  •  

475 - NOTICIAS DA MANHÃ

Fernando Ramos, 24.11.21

  

 

  • NOTICIAS DA MANHÃ
  •  
  • Leio as noticias da manhã
    E nada que lá vem é novo
    Noticias de guerra, fome,
    miséria, e pouca paz
    Não sei se é uma leitura
    obrigatória, O que sei é que
    elas nos deixam deprimidos
  •   
  • Por vezes vou p'ra rua
    para o espirito aliviar
    Mas... azar, ao passar
    na banca dos jornais,
    lá está “escarrapachado”
    em páginas meia amarelas
    a vida no seu melhor, e pior
  •  
  • Porque se perde tempo a ler
    as noticias dos jornais?
    Se no nosso dia a dia
    encontramos os mesmos
    problemas das misérias do mundo
    ao lado da nossa casa,
    que são publicadas, ou não
  • E as leio com a mesma singularidade,
    com que saboreio o verde da natureza
    Mas não encontro boas respostas nelas,
    será melhor parar de ler?
    Já pensei o fazer, mas não

  • Ler jornais é tão trivial para mim
    Como o ar que respiro
  • Espero que amanhã as noticias
    me tragam novos horizontes 
    e um sabor a mel a meus lábios
    que velozmente as murmuram
  • só por serem boas noticias
    E não a perversão do mundo,
    cruel e inquieto, que exprime só,
    e apenas só, a vida entre 
    e fora de portas
  •  
  • de: fernando ramos

474 - FRESCAS FLORES

Fernando Ramos, 23.11.21

 

 

  • FRESCAS FLORES
  •  
  • A rosa adorna, esse vestido de cores 
    Em teu sedutor corpo sereno
    Pareces um jardim num prado pleno 
    Num Maio bonito p´ra frescas flores
  •  
  • E, em teu cabelo deixo sem favor 
    Outra rosa linda como cristal pequeno 
    Que nele te fica como um efeito ameno
    Empregnado de odor, de todo meu amor
  •  
  • Fica-te bem, e meu coração gosta 
    Deixando-o feliz com amor sem fim 
    Por saber da flor, que por mim foi posta

    É a rosa do meu coração que ama 
    Que te torna linda como o jardim 
    Num fim de tarde de sol em chama
  •  
  •  
  • De: fernando ramos

473 - OS DEMAGOGOS

Fernando Ramos, 22.11.21

  

 

  • OS DEMAGOGOS
  •   
  • Há por aí uns senhores,
    Que pedem contenção
    Falam de alguns horrores
    Como desgraça da Nação
  •  
  • Gritam aos sete ventos,
    Que o país está sem tostão
    São curtos os orçamentos,
    Dizem de sua razão
  •  
  • Mas que pena... Diz o povo
    Com alguma sabedoria
    Nesta conversa, nada é novo
    Sorriem com zombaria
  •  
  • São demagogos e espertos
    Quem faz tal afirmação
    Antes de terem os lugares certos
    Prometem tudo, e a ilusão
  •  
  • Gastam onde não devem gastar
    Todo o nosso imposto
    Mais tarde vão descansar
    Num bom trono a seu gosto
  •  
  • Ó senhores, não somos carneirinhos
    Olhem que o povo não é parvo, não
    Poupem mas é os nossos dinheirinhos
    Que tem de chegar pró nosso pão
  •  
  • Gastam de mais, a seu belo prazer
    E olhem que povo um dia se zanga
    Eles levam muito bom viver,
    Depois gritam que estamos de tanga
  •  
  • Há muito dinheiro mal gasto
    E todos nós sabemos isso
    Temos de acabar com o repasto
    Porque o dinheiro leva sumiço
  •  
  • Depois arranjam um belo tacho,
    E num bom emprego, estão primeiro
    Ao povo deixam um barbicacho
    Quando vão embora do poleiro
  •   
  • de: fernando ramos

472 - MINHA PARTIDA

Fernando Ramos, 21.11.21

 

  • MINHA PARTIDA
  •   
  • Partirei já,
    Mas partirei com pena
    Irei p´ra minha jangada
    E, ficarei olhando os peixes
    Nadando para um lado,
    E para outro, ao sabor da brisa
    Lá receberei a natureza
    Ouvindo o murmúrio das águas
  •  
  • Partirei já,
  • E partirei com amor
  • E na jangada viverei,
    Levando a todos no coração
    Ali sorrirei para o mar,
    Como hoje sorriu para a vida
    Acariciarei as ondas
    Com a certeza do dever cumprido
  •   
  • Partirei já,
    Tomarei atenção à razão
    Que sempre me alertou
    Ouvirei meu espirito,
    Com a mesma ternura
    E saberei rir,
    No preciso momento
    Que o tempo p´ra mim terminar
  •   
  • de: Fernando Ramos
  •  

Pág. 1/3