Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

FERNANDO RAMOS

Minha Poesia


20.06.21

 

 

O MAR E O PESCADOR

 

O mar é grande, e tem vida
e as marés são o seu sangue
Nele, navega uma vela erguida
num barco que a onda persegue
E no mar, há bom ar que se respira
que nos vai dando vida e cor
Tem peixes de espécie colorida
que vão às redes do pescador
Com elas faz suas pescas 
quando ao mar as vai largar
Trazem, muito peixe p´ra festas
pró pequeno salário

que o pescador anda a ganhar
Com ele, alimenta seus familiares
que o esperam ansiosos e com pavor
Não vá o mar trazer alguns azares
ao pescador que a ele se entrega em amor

de: fernando ramos


19.06.21

 

 

BONS SONHOS PARA TODOS

 

A realização dos sonhos
pode tornar a vida mais importante
ou não, tudo depende deles 
Se forem bons, tudo bem, se não
ai o melhor será eles não se realizarem

 

O sonho poderá ser uma visão
da nossa vida futura

e por vezes essas visões bem amargas

poderão ser a nossa melancolia

Assim o melhor será não sonhar
p´ra que as visões não nos atormentem

 

Mas os sonhos poderão ser uma ilusão
ou ser a seiva da nossa vida
e trazerem a felicidade

por nós à muito, muito apetecida.
E quem não gosta de bons sonhos?

Quando eles não não acontecem
o melhor é não deixar o sonho acontecer
Acordando no preciso momento 
de nós transcendermos a novas ilusões, 
se conseguir claro!

 

É óptimo ter sonhos bons
é mesmo muito bom
Especialmente quando eles
nos acompanha até à velhice 
Então p´ra todos, bons sonhos!

 

 

de: fernando ramos


18.06.21

 

 

PROCURAR UM PARAÍSO

  

Se no regresso ao paraíso
Sentires o aroma das flores
Sabes bem que foi preciso

Passares por bons amores

 

 Teu amor gostou disso 

E ter pressa não foi preciso

Porque cá terás de continuar

P´ra esse amor não levar sumiço


E nesta vida irás encontrar
Um pedaço do teu paraíso

 Até poderás procurar

O céu que muito queres conhecer  

 
Isso te fará perpetuar
Teu amor em sentido do prazer

 Que perdura p´la vida até morreres

 E no paraíso encontrarás 

Um circulo eterno, sem saberes

Lá sentirás o aroma não mortiço

de uma flor que não vai perdida
E será ela, que te fará sentir isso
Pró teu amor ser a paz merecida

 

de: Fernando Ramos

 

 


17.06.21

  

 

O FEITIÇO DAS LETRAS

 

Ter prazer através das palavras
que escrevemos em qualquer folha solta
é como se a magia acontecesse,
e a beleza da poesia chegasse 
Como chega o Outono
depois de um Verão que terminou

 

Porque os poemas que se escrevem
nessa folha de papel branco, 
parece um feitiço de palavras 
que se juntam, e nos enchem 
a alma de orgulho

e de enormes prazeres
que nos vai saciando 
o simples gozo de escrever

 

É como se a escrita fosse

 

dançando com as letras

no tempo que nós

perdemos com elas

 

E então construímos palavras, 
dizendo que estamos a olhar a lua, 
as estrelas, o mar, os animais, 
e sentir o amor, por nós e por todos 
Isto faz nascer a inspiração 
que acontece nesse preciso momento,
e nos leva a fazer poesia

como notas soltas que se ouvem

num piano tocado por anjos celestiais

 

Escrever poderá ser

tresdobrar o máximo 
que a vida nos pode dar, 
como o orgasmo que é 
o sublime prazer do amor,
Onde dois seres se perdem num rumo 
sem sentido que vão caminhando 
num universo límpido de desejo
Escrever é amar, 
e eu quero sempre amar

 

de: fernando ramos


16.06.21

 

 

TUA SOMBRA AO LUAR

 

Da noite, tu te escondes
Mas tua sombra eu vejo
É a lua que ilumina,
Essa penumbra que desejo

E por ela eu suspiro
Com alguns ais de paixão
Eu a levava para um retiro
Que fica pertinho do coração

 

Tua sombra me fascina
Trazida pela amiga lua
Atiro-lhe um beijo que desatina
Dado por minha boca que é tua

Essa sombra ela encontra
Mas teu corpo não
IP´ra mim é um faz de conta
E meus lábios ficam em perdição

 

Sai da sombra por favor
Porque estou em ansiedade
Desejo teu corpo com amor
E minha boca quer felicidade

Quando a lua for embora
Sabes que a aurora vai aparecer
Vou-te ver, e beijar na hora
P´ra meus desejos satisfazer

 

Adeus sombra, adeus lua
Que o dia está a chegar
Vais aparecer para mim nua 
Para, p´la manhã te amar

 

de: fernando ramos


15.06.21

 

 

LISBOA DOS BAIRROS

 

Lisboa Apaixonada e bonita
Oferece o sol com cortesia
Perfuma seus bairros e acredita
Que o povo a ama de noite e dia

Leva Lisboa sua poesia
Aos bairros de gente boa
Algumas quadras são alegria
Que as vai deixar na Madragoa
O povo as escuta com emoção
Num silêncio de arrepiar
Madragoa presta atenção
É Lisboa que está a declamar

 

E ao Bairro Alto que também ama
Dá lhes mais poemas de primor
As gentes nas ruas os declama
Com mestria e rigor
E no Bairro Alto das colinas
Que olha Lisboa lá no cimo
Não vê de lá as antigas salinas
Mas um povo que lhe dá muito mimo

 

Em Alfama, Lisboa se perde
Em poesia alegre e de liberdade
Os trovadores de lá, a ela pede
Poemas de pouca saudade
E as varinas muito charmosas
Que por Alfama moram
Dão pregões de frases gostosas
Aos turistas que as enamoram

 

E na Mouraria, Lisboa escreve o amor
P´ra fadistas de voz rouca e melada
Num poema lhes diz sem pudor
Que por eles está apaixonada
O fado, o povo canta nas esquinas
Em belas noites de calor e Luar
Onde turistas cortejam as varinas
Que na Mouraria as querem amar

 

Lisboa é destes bairros do povo
E ainda de outros mais
Com eles brinda com vinho novo
Olhando o Tejo juntinho ao cais

 

de: fernando ramos


15.06.21

 

 

AMO NA MOURARIA

 

No bairro da Mouraria
Conheci lá uma princesa
Ela é tudo o que eu pedia
E Deus deu-me essa gentileza

 

É um espanto de mulher
Com quem sempre sonhei
Faço tudo que ela quiser
Menos pensar que a perderei

 

Foi num bar da Mouraria
Que uma noite lá entrou
Uma bebida eu pedia
Quando p´ra mim ela olhou

 

Logo por ela fiquei perdido
Numa paixão boa e intensa
De mim ela agora tem querido
A ida ao bar que não dispensa

 

E casámos numa igreja conhecida
Onde selamos o amor na fé de Deus          
Como uma vida dentro de outra vida
Que é bem bonito aos olhos seus

 

 

de: fernando ramos


14.06.21

 

 

GOLFINHO BRINCALHÃO

 

Meu golfinho brincalhão

Vais nas marés p’la aurora
Dás saltos com precisão
Num mar que te adora

 

E muito gostamos de te ver
A brincares em mar chão
Todos nós vamos querer        
Dar desses saltos com emoção

 

Lindo golfinho de bem saltar
Tu, tantos deixas contente
Nós te iremos bem amar
Nas mares que estás presente

 

És alegria da pequenada
Que ao Zoo, vão ao Domingo
Visitar a bicharada
que lá estão felizes contigo

 

Golfinho da nossa paixão
Divertes-te muito no teu mar
Todos te tem no coração
Que p´ra sempre irão guardar

 

És de uma alegria imensa
E uma pérola no mundo
Não deixas a nossa vida tensa
Teu amor por nós, é profundo

  

de: Fernando ramos


13.06.21

 

 

PARTIR

 

Partem os homens bons
E não fica a sua sombra

 

Parte um amor
E não fica a saudade

 

Partem os navios
E não fica a esperança

 

Partem os desejos
E não fica os sabores

 

Partes tu meu amor
E não fica a lembrança

 

Partes tu meu amigo
E não fica o teu saber

 

Parte uma esperança
E não fica a ansiedade

 

Parte a nossa memória
E não fica sua história

 

de: fernando ramos


12.06.21

   

 

CAVALEIROS E D. QUIXOTES

 

Por vezes sonhamos com Castelos, 
monstros, cavaleiros e dragões
Imaginamos lutas terríveis
que nos vão levar a libertar a princesa,
onde um bravo cavaleiro montado 
num belo cavalo branco
arrisca a sua própria vida, 
numa floresta encantada 
em qualquer parte do mundo, 
que nós imaginamos

 

Julgamos que estamos

a lutar ao lado de D. Quixote, 

contra moinhos de vento


Como bem pode ser fértil 
a nossa imaginação
Ainda bem que o nosso pensamento 
tem destas maravilhas do mundo 
A nossa vida diária não é bem assim,
a realidade talvez seja bem pior, 
ou bem melhor para alguns, quem sabe

Os sonhos querem nos dizer 
algumas coisas, 
mas dragões, cavaleiros, e D. Quixotes 
todos sabemos que não existem 
Hoje há coisas diferente ou bem piores
Não se luta para conquistar a princesa
ou contra moinhos, ou tirar aos ricos 
para dar aos pobres 
Luta-se pela ganância, desprezo, dinheiro,
que nos vai levar à destruição total

 

Como eu tenho pena 
de não se lutar por princesas 
Como eu tenho pena
de não haver D. Quixotes 
a lutarem contra moinhos de vento
Como eu tenho pena que não sejamos 
todos crianças, e viver no seu mundo

Não se pode voltar para trás e ser criança, 
e começar de novo, bem sei
Mas, porque não pensar
que podemos construir um futuro 
bem melhor para todos,

um futuro de igualdade

de fraternidade .
É só nós querermos...

E nem precisamos de ser 
os novos Robim dos Bosques,
basta só ser solidários, dar amor 
e distribuir bem melhor 
o que a natureza nos dá,
o resto... 
Bom o resto completa-se com

o carinho e o amor 
Da nossa imaginação

 

 

de: Fernando ramos

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D