Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

FERNANDO RAMOS

Minha Poesia

FERNANDO RAMOS

Minha Poesia

248 - OS CAMINHOS DOS PÁSSAROS

Fernando Ramos, 03.04.21

 

 

  • OS CAMINHOS DOS PÁSSAROS
  •  
  • Os pássaros voam
    por diversos caminhos
  • onde nada fica encoberto
  • nem descoberto
    vão desencontrados uns dos outros,
  • mas a verdade é que vão 
    sempre por bons caminhos

  • Nossa vida por vezes
    faz-nos uma surpresa
    e vai pelos mesmos desencontros
    por caminhos bem errados e encobertos

  • Os pássaros dão-nos alegria de viver
    A nossa vida, por vezes não!
    Eu quero ser como os pássaros
    e ter todos os bons caminhos descobertos
    Só eles sabem encontrar os seus

  • Se eu for um pássaro
    também irei pelo caminho certo
    Lá bem pró alto, onde mora 
  • a nuvem dos aromas da esperança
    Eu quero ser um pássaro
    Porque hoje a esperança
    é o que me resta
  •  
  • De: fernando ramos

247 - NÃO SOPRAM VENTOS NOVOS

Fernando Ramos, 01.04.21

 

 

  • NÃO SOPRAM VENTOS NOVOS
  •   
  • Afinal não sopram ventos novos...
    Todos esperamos por eles
    mas ainda não chegaram
    São os mesmos ventos que estão soprando
    Sempre os mesmos, é uma desilusão...
    Prometeram-nos novos ventos
    mas os que aí estão parecem
    ventos do passado
    Mesmos hábitos
    mesmas formas de viver
    O salmão continua a correr
    para o seu fim como um destino divino
    Alguma preguiça mantém-se inalterável
    Os pássaros que seguem para sul
    continuam na mesma rota, a irem p´ra sul
    No nosso país tudo segue o mesmo ritmo
    como se um mestre de orquestra
    com a sua batuta desse as suas ordens
    para o inicio de uma sinfonia
    que teima em se manter em cena
    É sempre o mesmo caminho de antes
    Os ventos não mudaram
    o ciclo da incompetencia mantém-se
    nada muda, meu pobre país
    Continua a soprar os mesmos ventos
    de outrora, são quase os velhos ventos
    que sopram sempre da mesma forma
    Ainda tivemos uma esperança
    nas pétalas de um cravo vermelho
    mas parece que não passou disso
    Nós desesperamos pela mudança
    por ventos novos que não chegam
    São sempre prometidos ao povo
    mas nunca chegam
    Vento velho por favor
    dá lugar aos novos ventos
    deixa-nos encontrar outros caminhos
    Chega deste sopro que não nos leva
    à mudança e nos sufoca
    vem vento novo!
  •  
  • de: fernando ramos - 247

Pág. 3/3