Minha Poesia

30
Mar 21

 

 

  • CUIDADO ELES ANDAM POR AÍ
  •  
  • Andam por aí uns 'senhores'
    que não passam de fascistas
    querem o mal a pessoas
    de outras raças
    especialmente os negros
    Perseguem Gays, Lésbicas
    como se estes não tivessem
    direito a serem diferentes
    e amarem a vida de outra forma
    Ninguém põe estes 'meninos'nazis
    na ordem, eles são a escória
    da nossa sociedade e devem
    ser postos de lado
    Não desejam a paz
    e não amam o seu semelhante
  •  
  • CUIDADO ELES ANDAM POR AÍ
    Temos de conviver com estes marginais
    que se cruzam connosco
    pelas ruas da nossa cidade
    Os olhos deve andar bem abertos
    porque se não um dia a
    'casa poderá vir abaixo'
    e depois não são só os grupos
    minoritários a serem perseguidos
    podes ser até tu, só por seres
    um homem livre e amares a paz
    É preciso não esquecer
    que o Nazismo existe
    e anda pelos cantos
    de todas as cidades
  • CUIDADO, ELES ANDAM POR AÍ
  •  
  • de: fernando ramos - 246
  •  
  •  


  •  
publicado por Fernando Ramos às 16:40

28
Mar 21

 

 

  • UM DOCE REBELDE
  •  
  • A ti meu doce rebelde
    Que tens nome de poesia
    Te ofereço pedaços de mel
    Caregadinhos de cortesia
  •  
  • Teu nome espiritual
    Batiza doces de pouco mel
    Me inspira desejos sem sal
    Que os escrevo num papel
  •  
  • Bolinhos de doce rebelde
    Que pouco açúcar tem
    Eram feitos´p´ra meu farnel
    Pela senhora minha mãe
  •  
  • Tenho saudades dessa iguaria
    Que era comida pelo Natal
    Que bem que ela sabia
    E a nós nunca fez mal
  •  
  • Rebelde é o doce
    Que leva pouco açúcar branco
    É de sabor agridoce
    E não se deve comer tanto
  •  
  • Os doces para serem bons
  • Não precisam de tanto mel
    E até se fazem bombons
    Que ficam com doce rebelde
  •  
  • Doce que pouco açúcar mantem
    Muitos gostam de ti
    Comam-nos muito bem
    Mas deixem alguns p´ra mim
  •  
  • de: fernando ramos - 245

  •  
publicado por Fernando Ramos às 12:39

27
Mar 21

 

 

  • LISBOA, SEMPRE LISBOA
  •  
  • Lisboa, na sua melancolia Outonal
    Busca lugares em passeios públicos
    Vai chegando a chuva à Capital
    Aos reis da noite, e seus súbditos
  •  
  • Lisboa da Amália, e da Severa
    Tem a arte de bem estar
    Elas cantavam p´la Primavera
    Até o Inverno chegar
  •  
  • Lisboa das guitarras que gemem
    Nos fados de saudade e alegria
    tocam, e muito pedem
    Que a cidade não ande vadia
  •  
  • Lisboa dos touros e fados
    Que o povo não dispensa
    É um espectáculo sem pecados
    À antiga Portuguesa
  •  
  • Lisboa de muitos Santos
    Dá-nos o sol com ternura
    Tem o rio p´ra uns quantos
    Que o amam na sua brandura
  •  
  • Lisboa de mil amores
    Vestida de sonhos e magia
    Oferece perfumadas flores
    Quando a beijam com poesia
  •  
  • de: fernando ramos - 244

  •  
publicado por Fernando Ramos às 10:53

26
Mar 21

  

 

  • ESCUTA CORAÇÃO
  •   
  • Hoje escutei o coração,
    Ele não deu boa notícia
    Diz p´ra eu não ter ilusão
    Quem amo, é de muita malicia
  •  
  • Na luz dos olhos dela
    Entreguei o meu amor
    Sei que vou sofrer por ela
    E sentir alguma dor
  •  
  • Tanto amo aquela alma
    Que é a estrela da minha noite
    O coração diz para ter calma
    Senão me dá um açoite
  •  
  • Nesta sua vida de pecados
    Seus lábios não tem cor
    Ela atira-me beijos roubados
    Que trazem sal de muito sabor
  •  
  • Voltei a escutar meu coração
    E não me deu a certeza
    Ele diz, e com razão
    P´ra não manter a chama acesa
  •  
  • Vou deixar esta paixão
    E ir embora do seu mundo
    Meu amor tem a noção
    Que com ela irei ao fundo
  •  
  • Adeus ó ilusão
    Adeus beijos roubados
    Deixa o meu coração
    Não receber beijos salgados
  •  
  •  
  • de: fernando ramos - 243

publicado por Fernando Ramos às 19:49

24
Mar 21

 

 

  • ESCREVO POEMAS
  •  
  • Escrevo para o fadista
    Poemas para ele cantar
    De forma bastante simplista
    E facilmente os vai decorar
  •  
  • Eles falam de amor
    E de alguma tristeza
    Alguns até trazem dor
    Outros, alguma beleza
  •  
  • Ele canta a minha poesia
    Com bastante realismo 
    Eu sei que bem gostaria
    Que a posia tivesse heroismo
  •  
  • Isso não faço, e ele bem sabe
    Que os heróis para mim acabaram
    Porque anseio que a guerra acabe
    Chegando a paz que muitos sonharam
  •  
  • Para o fadista meu amigo
    Escrevo outros factos reais
    Aqueles que um dia levarei comigo
    Para um céu de nunca mais
  •  
  • O fadista canta, canta
    Minha escrita do faz de conta
    Porque assim ninguém se espanta
    Das historias que alguém apronta
  •  
  • Por isso ele faz o favor
    De ser meu grande amigo
    P´ra ele escrevo sem temor 
    Poesia de vitórias que imagino
  •  
  • De: fernando ramos - 242

publicado por Fernando Ramos às 16:27

22
Mar 21

  

  • AMAR SEMPRE
  •  
  • Apareces de forma gentil
    P'la calada da noite escura
    Te deitas de forma subtil
    Em nosso lençóis de seda pura
  •  
  • Aí, nossos corpos se amam
    Num frenesi sem parar
    Os corações ficam em chama
    P´la noite que vai acabar
  •  
  • Amamo-nos loucamente
    numa paixão sem dor
    Pedimos aos céus perdidamente
    que não finde o pedaço de furor
  •  
  • Continuamos num vai-vem amado
    p'ra um final que existe
    Trocamos murmúrios de pecado
    Num orgasmo que não resiste
  •  
  • E docemente nos beijamos
    Por este belo acto de amor
    Logo ali concordamos
    Reiniciar no mesmo esplendor
  •  
  • de: fernando ramos  - 241

  •  

 

publicado por Fernando Ramos às 14:50

20
Mar 21

 

 

  • HOMEM DE 50 ANOS
  •  
  • Cinquenta anos já cá estão
    Digo eu sem pudor
    Mas nós queiramos ou não
    Nota-se bem, sim senhor
  •  
  • Esta é a vontade de Deus
    E nada há a fazer
    Estou feliz por estes anos meus
    Mais alguns eu vou querer
  •  
  • Sou homem de cinquenta
    Digo com ar de brincalhão
    E se chegar aos oitenta 
    Eu nessa faço questão
  •  
  • Cinquenta anos é uma vida
    Construída de muitos momentos
    Ela foi bem conseguida
    Mas também de alguns lamentos
  •  
  • Muitos que tem esta idade
    Estão contentes por a ter
    Obrigado Deus pela felicidade
    De os cinquenta deixar fazer
  •  
  • Daqui para a frente o que farei?
    Pergunto eu com curiosidade
    A esta idade já cheguei
    A Deus Agradeço a generosidade
  •  
  • de: fernando ramos

  •  
publicado por Fernando Ramos às 10:36

18
Mar 21

 

 

  • NOZES
  •  
  • Varejei a nogueira
    Porque muitas nozes tinha
    Foi numa Segunda Feira
    Logo p´la manhãzinha
  •  
  • Muitas caíram no chão
    E lá tive de as apanhar
    Não couberam num sacão
    Outro maior fui buscar
  •  
  • São tantas as nozes que apanhei
    Que delas me vou enfartar
    Algumas eu darei
    Aos amigos que encontrar
  •  
  • No fim de verão é sempre assim
    As nozes tenho de varejar
    Algumas são para mim
    Que até um poema vou versar
  •  
  • Minhas nozes saborosas
    Dão trabalho apanhar
    Os amigos vos acham gostosas
    E a Natureza pronta, a ofertar
  •  
  • de: fernando ramos
  •  
publicado por Fernando Ramos às 21:19

16
Mar 21

 

 

  • PALHAÇO
  •  
  • Sou apenas um palhaço
  • Que não trabalha no circo
    Essa vida não faço
    Nesse destino eu não brinco
  •  
  • Começo pela manhã
    Nos transportes pró emprego
    Onde corro com afã
    Porque chegar tarde, tenho medo
  •  
  • Minha vida de palhaço
    Começa sempre bem cedinho
    Tenho de acelarar o passo
    P´ra andar mais um bocadinho
  •  
  • Se tarde no emprego entrar
    Até posso ser despedido
    Para uma miséria ganhar
    Que o patrão paga certinho
  •  
  • Ao trabalho vou chegar
    E lá, todos parecem zangados
    Os mesmos problemas tiveram de passar
    Por isso como eu, são uns coitados
  •  
  • Lá aparece o patrão
    A ver se trabalho e o que faço
    Tão difícil é ganhar o pão
    Digam se não sou um palhaço
  •  
  • Sorte tem os outros palhaços
    Pelas suas vidas bem vistas
    Fazem rir outros aos pedaços
    Como os grandes artistas
  •  
  • Não passamos de palhaços
    Do nosso dia, a dia de vida
    Temos de ter nervos de aço
    P´ra nossa triste sina
  •  
  • de: fernando ramos
publicado por Fernando Ramos às 17:57

14
Mar 21

 

 

  • CAVALO DE CORRIDA
  •  
  • Meu cavalo de corrida
    Todos gostamos de te ver
    Fazes lembrar nossa vida
    Que também é feita a correr
  •  
  • És um cavalo galante
    E de muito bom porte
    Quando corres és elegante
    E muitos te desejam sorte
  •  
  • Teu galope é um encanto
    Que nos causa tonturas
    Muitos te amam tanto
    Que por ti apostam loucuras
  •  
  • O nosso cavalo Lusitano
    É o melhor corredor do mundo
    Enquanto os outros vão andando
    Ele corta a meta num segundo
  •  
  • São cavalos para se amar
    Porque és dos mais valorosos
    Tantos gostavam de te comprar
    Mas os valores são fabulosos
  •  
  • Tantos querem um, eu bem sei
    Porque o Lusitano é sempre primeiro
    Queres tu, e mais alguém
    Mas precisas de dinheiro
  •  
  • Não há dinheiro que pague
    Um amigo como tu
    E toda a gente sabe
    Que igual, não há nenhum
  •  
  •  
  • de: fernando ramos

 

 

publicado por Fernando Ramos às 15:01

Março 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
13

15
17
19

21
23
25

29
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO