Minha Poesia

30
Jan 21

 

 

GRAÇA CONCEDIDA

 

Ai, se me deito

Se me deito

Com o homem que amo

Agradecerei a Cristo Redentor

P´la graça concedida

 

Ai, se me deito

Se me deito

Com ele irei pecar

E por toda a vida

Ficarei agradecida

P´la graça concedida

 

Mas se me deito

Se me deito

Com o homem da minha vida

Foi porque Cristo Achou

Ser uma graça merecida

 

Mas se me deito

Se me deito

Com o homem do meu coração

Foi porque Cristo quis

Que me entregasse em perdição

 

Ó Cristo Redentor

Obrigado por tal sorte

Me terás sempre tua crente

Até à minha hora da morte

 

de: fernando ramos

publicado por Fernando Ramos às 11:00

29
Jan 21

 

 

CONSCIÊNCIA E REPUTAÇÃO

 

A tua consciência

E a tua reputação

Não é uma ciência

Mas tua preocupação

 

Boa consciência se deve ter

Pró mundo não sentir dor

Nela, gente não vai morrer

E p´ra todos será melhor

 

A tua reputação

É algo que te preocupa

Se pensam bem de ti, ou não

Rege a tua conduta

 

Boa consciência e reputação

São conceitos unidos

Está na tua mão

Não andarem por aí perdidos

 

de: fernando ramos



publicado por Fernando Ramos às 20:52

27
Jan 21

 

 

 

 

PELA ESTRADA FORA - RAP


Cá vou eu p´la estrada fora

no meu velho carrinho

com a minha namorada

confortando-me de carinho

 

Ela diz que me adora...

mas não sei se é mentirosa

Quero lá saber disso

Da minha flor graciosa

 

É bom ir p´la estrada

levando a namorada ao lado

Ela engana-se nas mudanças

e brinca no bicho danado

 

Aí vamos nós na velha estrada

com muita pressa de chegar

Com ela irei para a cama

p´ra de amor aconchegar

 

Meu Deus, a miúda é boa

e é boa todos os dias

conhecia em Lisboa

num baile que até tu ias

 

Vou tomar uma atitude

mas o carro tenho de encostar

Ela p´ra mim vai mermurando

num bem bom de seu amar

 

Não há tempo de parar

porque ela a mim se agarra

Óh meu Deus estou perdido

na mudança se foi enganar


Já não sei se vou travar

ou se grito sem sentido

Ouve lá minha menina

pára lá mas é com isso

ainda tenho um acidente

se não largas o toutiço

 

E nesta velocidade feia

nada a está a ralar

porque vai de mão cheia

e eu louco para a papar

Bem.., não há nada a fazer

deixa-me ir mas é assim

ela está toda entretida

e sempre me entretém a mim

 

Mas na bomba tive de parar

não é que vá abastecer

é que o raio da miúda

Já me pôs foi a ferver

Ela faz o que eu mais gosto

e também é, ao gosto dela

assim é que está bem

p´ra mim e p´ra ela


É bom ir p´la estrada

levando a namorada ao lado

ela engana-se nas mudanças

e brinca no bicho danado

 

Continuamos pela estrada

Já muito longe de Lisboa

ela diz que me quer agora

e até acho uma ideia boa

 

Uma miúda assim

todos nós devíamos de ter

quando não estamos à espera

elas, o menino vão querer

 

Ela não está nada mansa

quer novamente festa

paro o carro, senão ele dança

e depois é ela, que me detesta

 

E lá teve de ser

amamo-nos mesmo ali

a miúda, eu a comer

com os outros acenarem para mim

 

É bom ir p´la estrada

levando a namorada ao lado

ela engana-se nas mudanças

e brinca no bicho danado

 

Não sei onde isto vai acabar

duas vezes tive de parar

se ela continua assim

ao destino tarde vou chegar

Eu quero lá saber disso

esta é a viagem que sempre quiz

ela vai estando no reboliço

e eu também muito feliz

 

E lá volta ela à carga

uns quilómetros à frente

ela a mim não me larga

e eu fico tão contente

 

Isto de amar é muito bom

quando é descarada

mesmo que não seja de bom tom

Nós queremos é marmelada

 

É bom ir p´la estrada

levando a namorada ao lado

ela engana-se nas mudanças

e brinca no bicho danado

 

de: Fernando Ramos

publicado por Fernando Ramos às 16:09

24
Jan 21

 

 

PRIMEIRA VEZ


Eu me lembro

quando ouvi teu nome

no nosso primeiro dia

quando teu olhar

se cruzou com o meu

p'la primeira vez

 

Eu me lembro

quando minhas mãos

acariciaram teu rosto

e quando senti o doce sabor

de teus lábios

vendo o brilho de teus olhos

p'la primeira vez

 

Eu me lembro

sempre da primeira vez

E uma recordação

que não se vai esfumando no tempo

também das nossas primeiras vezes

Daqueles vezes que nos sorriamos

e sabíamos o que nosso coração ansiava

 

Eu me lembro

sempre da primeira vez

que me amparaste quando precisei
Agora, apenas resiste a recordação

das primeiras vezes

mais nada...

Deus quis que partisses

Acabou as primeiras vezes

meu amor

Mas fica a derradeira saudade 

da primeira vez que te vi

 

de: fernando ramos

publicado por Fernando Ramos às 10:15

21
Jan 21

 

210 (1) (1).jpg

  • 210 - FADOS E GUITARRADAS COM AMOR

  • As castiças casas de fados
  • Trazem paz à alma humana
  • Lá, se canta a vida e seus pecados
  • E taições de quem engana   
  •  
  • Ouvir uma boa guitarra
  • Nosso coração pula feliz
  • Ela é tocada com garra
  • Foi Deus que ensinou e quis
  •  
  • E não há fados sem touros
  • Como não há touros sem fados
  • Uns, e outros já vem dos mouros
  • P´ra bem dos nossos pecados
  •  
  • Depois de uma boa tourada
  • Fados de bravura se devem ouvir
  • Numa tasca engraçada
  • Entre copos e sardinhas a sair
  •  
  • E se caldo verde comer
  • Que lhe faça bom proveito
  • Se uma guitarrada acontecer
  • Vai sentir um momento perfeito
  •  
  • Ouvir guitarras Portuguesas
  • É muito bonito, podem querer
  • Com todos sentados às mesas
  • Fado certamente vai acontecer
  •  
  • O fado entra na alma
  • Em belos poemas de enternecer 
  • Cantado na voz doce e calma
  • Dos fadistas, até ao amanhecer     
  •  
  • Fadistas e Guitarristas
  • Trabalham nas casas de fado
  • São pessoas muito bem vistas
  • Pelos que lá tem entrado
  •  
  • Tocam e cantam com paixão
  • Fados com muito fervor
  • Vêem todos do coração
  • Carregadinhos de palavras de amor
  •  
  • Vamos todos ouvir e ver
  • O que eles gostam de fazer
  • Uns tocam, outros cantam de prazer
  • Lindas poesias de enternecer
  •  
  • O fado é a nossa tradição
  • O povo bem disso
  • Ele se mistura na canção
  • E os fadistas gostam disso
  •  
  • de: Fernando Ramos
publicado por Fernando Ramos às 22:12

20
Jan 21

 

 

SER MINISTRO

 

Isto de ser Ministro

não é fácil como se julga

Por vezes é bem sinistro

quando a economia não ajuda

 

Vem uns, dizem assim:

Temos de cortar na despesa

E a oposição diz para aí

O Ministro tem a certeza?

 

Vá-se lá pregar

numa Freguesia destas

Quando se está a tentar

limar algumas arestas

 

E temos outros Ministérios

com imensos problemas

Pois ali não há mistérios

são orçamentos sem esquemas

 

Da Justiça à Economia

e outros ainda mais

falta dinheiro e ninguém fia

a orçamentos reais

 

Ser Ministro, não quero ser

E para já, até desisto

vão para lá vocês ver

Se tomam bem conta disto

 

de: fernando ramos

publicado por Fernando Ramos às 19:15

19
Jan 21

 

 

DESTRUIÇÃO

 

Bombistas para a forca já...

gritam os povos e com razão

Tais terroristas mais não fazem

que oferecerem ao mundo, destruição

 

São pessoas sem coração

que levam ódio a tudo

Não sabem viver em comunhão

só querem destruir o mundo

 

Com eles a morte anda perto

e é difícil combater

Não se pode viver com esta gente

e muita atenção, se tem de ter

 

Julgam-se senhores da razão

mas isso não é verdade

Podem ter os seus motivos

mas não é a luta p´la liberdade

 

Senhores da guerra

acabem com este frenesi

Estão a destruir a terra

e que também será o vosso fim

 

de: fernando ramos

publicado por Fernando Ramos às 19:32

18
Jan 21

 

 

AS CORTINAS DA JANELA


As cortinas da minha janela

São de xita e não tem renda

Elas me protegem do sol

Que de manhã chega como prenda

 

São alegres e muito coloridas

Com flores da primavera

Devem ser das mais floridas

Diz a minha vizinha Vera

 

A Vera é muito amorosa

Porque das cortinas gosta

Ela comigo até fez uma aposta

Como a xita veio da Costa

 

De onde ela veio, não sei

Se da Costa ou de Lisboa

Mas na xita verifiquei

Que era de qualidade boa

 

Tenho umas lindas cortinas

Que na janela ficam bem

Tantos gostam muito delas

E isso eu também já sei


Na janela vou ficar

Com as cortinas lá postas

Toda  gente as vai olhar

E pedirem-me umas amostras

 

De: fernando ramos

publicado por Fernando Ramos às 10:19

17
Jan 21

 

 

FLOR DO MONTE


Minha flor selvagem

que cresces no cimo do monte

Um dia farei aí uma paragem

e contigo contemplarei o horizonte


Tuas pétalas viçosas

de cheiros sem fim

Algumas parecem rosas

que nascem por aí

 

Minha flor do monte

és a alegria de meu olhar

Ainda te levarei à fonte

para na água te banhar


E meu amor irás ver

e quem é, tu nem suspeitas

Seu coração embriagado irá bater

pelo perfume que deitas

 

de: fernando ramos

publicado por Fernando Ramos às 18:36

16
Jan 21

 

 

AMANTES

 

Se os verdadeiros amantes são

os que partilham acto de amar

Talvez não seja eu, por quem tu

decerto um dia irás chorar

 

E tu meu amor sabes bem

porque isso vai acontecer

Estás sempre tão ausente

no meu triste amanhecer

 

Nós há muito vivemos

uma bonita secreta sedução

Hoje, está bem longe

e já não tem resolução

 

Nós deixámos de ser amantes

de prometida paixão eterna

Fostes tu que quiseste

que terminasse sem alguma espera

 

Dessa loucura de amar

Já não sobram emoções

Agora vai apenas restar

no meu desejo, breves recordações

 

de: fernando ramos

publicado por Fernando Ramos às 16:05

Janeiro 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

13

22
23

25
26
28

31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO