Minha Poesia

30
Out 20

 

 

 

  • 134 - DINHEIRO
  •  
  • Dinheiro, dinheiro, dinheiro
  • é sempre o dinheiro
  • que é o primeiro
  • Dinheiro para aqui
  • dinheiro para ali
  • é que, se não tiveres dinheiro,
  • não és o maior, 
  • e não vais a lado nenhum
  • Dinheiro para compras,
  • dinheiro para guardar,
  • guardar! Isso é que era bom!
  • Para guardar quando
  • nem há dinheiro para
  • o menino sustentar
  • Com ele eu compro
  • barcos, se calhar
  • até vou ás estrelas
  • e até ponho o cangalheiro
  • assobiar num funeral,
  • ou o senhor dos Jornais
  • a fazer piruetas, 
  • até o cão do meu vizinho
  • a comer no restaurante
  • ou o Senhor dos Aneis
  • a cantar o fado 
  • Maldito dinheiro, 
  • com ele muito novos amigos
  • vou arranjar
  • Mas para que queremos
  • o malandro do dinheiro?
  • Bom...
  • Se não tiveres algum 
  • também não vives.
  • Se morrermos ele fica cá todo.
  • Pois é amigo, 
  • olha em teu redor
  • e vê se realmente
  • precisas de muito dinheiro!
  • Com ele não se compra
  • uma boa amizade, 
  • aquelas do coração, 
  • e essa tu precisas,
  • essas amizades querem
  • lá saber do dinheiro!
  • Não compras o amor,
  • sim o amor,
  • para que serve teres 
  • dinheiro para amar? 
  • O Amor quando aparece,
  • o verdadeiro amor
  • também não quer saber 
  • nada do dinheiro
  • O dinheiro é bom
  • de se gastar,
  • e o amor...
  • é bom para ficar
  •  
  • de: fernando ramos
  • 15.8.2005 
publicado por Fernando Ramos às 11:09

Outubro 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

13
16

19
20
21



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO