Minha Poesia

29
Set 20

114 - POETA DA NET

 

Sou um poeta da net

que escreve até se fartar

Ela tanto me diverte

e a ti faz gozar 

 

Aqui venho todos os dias

com alegria e prazer

Diz lá se tu não lias

uma prosa que irei escrever

 

Escrevo com muita lisura

meus poemas de brincar

Na net os deixo com ternura

para meu amor se deliciar

 

A net é uma paixão

para nós que aqui andamos

Foi uma óptima invenção

que dela todos gostamos

 

Digam lá senhores do mundo,

se na net não é melhor andar

A natureza não vai ao fundo

e as pessoas, não se vão matar

 

Deixem-se de guerras de morrer

e a natureza descansar

As pessoas precisam de bem viver

venham mas é à net todos teclar

 

de; fernando ramos

4.8.2005 

publicado por Fernando Ramos às 22:20

28
Set 20

113 - NA ESTRADA

 

Soltaram os loucos

da estrada, 

que ao volante 

de seus carros

se julgam os poderosos 

do universo

E alguns a seu belo prazer 

vão roubando vidas

desencontradas das suas

 

Soltaram os cães raivosos

que perseguem suas presas

Sentados ao volante

de viaturas assassinas

parecendo ter como objectivo 

terminar com uma vida inocente

que se cruza num olhar 

onde o fim para ela

se encontra bem próximo 

 

Soltaram os odiosos conscientes

que em alta velocidade

vão pela estrada fora 

destruindo o bem 

que é a vida humana

que se encontra bem perto 

do quilómetro que vai 

marcar o fim da sua existência

 

Chega de loucos do asfalto 

de cães raivosos

e de Odiosos conscientes

Basta de tanta, e tanta morte

em caminhos de alcatrão

A vida é para ser vivida 

e não destruída por imbecis 

que não passam de animais sem lei 

desprezando o seu semelhante

 

de: fernando ramos

04.8.2005

 

publicado por Fernando Ramos às 15:47

27
Set 20

112 - OS POLÍTICOS CORRUPTOS

Há por aí políticos Doutores

que se julgam Patriarcas

Fazem muitas trapalhadas

nos lugares de Autarcas

 

Até há um, que fugiu para o Brasil

e pelo que temos cá lido

foi novamente a eleições, 

com um processo de Arguido

 

E há por aí mais alguns deles,

que do povo se andaram aproveitar

Depois vão às televisões dizer

que a vida lhes querem estragar

 

São uns Anjinhos estes ilustres

que nos andam a enganar   

Depois vem, vão-se queixar

que o povo os quer mal tratar

 

Temos tanta pena deles

que se algum for acusado

Dizemos já à justiça,

que ninguém foi roubado

 

Ouçam lá seus artistas

deixem-se da triste lamúria

Vocês estão todos ricos

e o povo na penúria

 

Eles são tão viajados

que vão do Brasil à Suíça

Levam o nosso dinheirinho

e vão pedir perdão na missa

 

Vamos ver no que isto vai dar

porque o povo anda desconfiado

Óh muito nos enganamos,

ou o povinho vai ser lixado

 

Nós só pedimos justiça

para estes enganadores  

Vamos lá julgar esta gente,

para acabar com reles senhores

 

São políticos sem ética

devem sofrer de alguma tara

Candidatam-se novamente às Câmaras

sem nenhuma vergonha na cara

 

de: fernando ramos

04.8.2005 

publicado por Fernando Ramos às 11:06

26
Set 20

111 - A JANELA DA MENINA

 

Menina estás à janela

esperando p´lo teu amor

Mas enganaste nela

volta para dentro por favor

 

Não vês que essa é do corral

a outra é bem diferente

Vai depressa menina

para a janela da frente

 

Tens a certeza menina

que já é hora de ele chegar

Deves estar enganada

porque já começa a tardar

 

Tão depressa as horas passaram

e ele tem é outro amor

vai para dentro menina

não sofras mais essa dor

 

Mas afinal tu tens razão

a janela é a do corral

O teu amor é um Cavalo

não passa de um animal

 

Fez-te esperar tanto tempo

acho que tempo de mais

Vai para a outra janela

para junto dos animais

 

Lá é que ele deve estar

por deixar teu coração só

Não se faz isso à menina

o dele, é um coração sem dó

 

de: fernando ramos

02.8.2005

 

 

 

publicado por Fernando Ramos às 21:15

25
Set 20

110 - O COLIBRI

 

Meu pequeno Colibri

que voas parado no ar

teu tamanho faz de ti

uma ave de se admirar  

 

Tu és muito pequena

minha ave de picar 

A minha planta açucena

por ti se está apaixonar

 

Um milhão de vezes, dás

batidas de asas no ar

Também voas para trás

isso é algo de espantar

 

És tão leve meu colibri

E de inteligência dás ares

Nas florestas dizem de ti

Que só falta falares

 

Minha avezinha colorida

tanta água tu bebes

Fazes minha vida florida

de tristezas leves

 

Sem ti já não sei viver

por causa da tua alegria

para mim é sempre um prazer

ter-te na minha companhia

 

de: fernando ramos

3.8.2005

publicado por Fernando Ramos às 18:56

24
Set 20

109 - OLHARES DA NOITE

 

O brilho dos olhos teus

Beijam-me nas noites de luar

Caiem lágrimas em versos meus

Quando p´ra ti estou a declamar

 

À noite vejo no teu olhar

Quando de mim estás a fugir

Corro para ti, até te alcançar

Porque teus olhos não sabem mentir

 

Quando beijas a minha pele

Sou incapaz de dizer que não

À noite teus beijos sabem a mel

Perturbando o olhar de meu coração

 

E se a noite for escura

Mesmo assim vou ver esse olhar

Ele vai me levar à loucura,

Até meu coração se incendiar

 

Na noite em meus olhares

Belos poemas vêem de ti

Depois ao te deitares

És perfeita poesia p´ra mim

 

É uma noite de impaciente nervura   

Com tantos ais de amor

Damos beijos de muita doçura

E trocamos olhares de tanta cor

 

de: Fernando Ramos

03.8.2005

 

 

 

publicado por Fernando Ramos às 14:18

22
Set 20

108 - SEXO

 

Fazer sexo é muito bom

e é uma bela proposta

Dizem...

Falar dele não é bom tom 

mas toda gente, o faz e gosta

 

Vou amar minha mulher

como ela me ama a mim

Fazemos muito bom sexo

a vida é mesmo assim

 

Gosto tanto de o fazer,

e ela também diz que sim

O sexo é um doce prazer

para ela e para mim

 

É de louca perdição

seja de noite ou de dia

Quando é feito do coração

é a perfeição da melodia

 

Sexo é bom e tem sabor

não valerá a pena negar

Feito com muito amor

ainda mais vamos gostar

 

Porque se anda a esconder

algo que toda a gente faz

Não é crime se fazer

tanto sexo, se for capaz

 

Porque se faz dele um tabu

se é parte da nossa vida

Dele, nasci eu e nasceste tu

duma grande paixão vivida

 

de: Fernando Ramos

02.8.2005

 

publicado por Fernando Ramos às 09:32

20
Set 20

ONDE ESTÁS

 

Em algum lugar tu andarás

Olhando para as estrelas

Atirando sonhos ao ar

Na esperança de obteres

Respostas da longa noite 

Que tardam chegar

Tu não és fruto da minha imaginação

E ao meu coração não mintas

Quando na minha viagem

Te encontrar e falar sobre 

As fronteiras que imaginaste

P´ra chegares tão longe

 

Em algum lugar tu andarás

E quantos montes e vales terei mais

De percorrer p´ra chegar até a ti

Quanto terei de esperar para te vêr

E ouvir de tua voz que tudo terminou 

E que será em vão esta minha viagem

E eu não encontro 

Os caminhos que levaste 

Para fugires de meu coração

Que chora de arrependimento

Por não ter partido contigo

 

Onde estás meu amor

Vais ocultando teus segredos 

Do universo, e eu nem consigo

Sentir o cheiro embriagante de teus

Perfumes que me levaria até a ti

Em algum lugar tu andarás!

 

de: fernando ramos

02.08.2005

 

 
publicado por Fernando Ramos às 19:02

Setembro 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

21
23

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO