Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

FERNANDO RAMOS

Minha Poesia

FERNANDO RAMOS

Minha Poesia

24
Dez18

907 - MEU FADO EM PALAVRAS DE AMOR

Fernando Ramos

907 1 (2).jpg

MEU FADO EM PALAVRAS DE AMOR

 

O meu fado é a luz do momento

Girando em palavras de carinho

É o símbolo do ardor e do lamento

Bebido p´la vida devagarinho

Ele é o principio e o fim da alma

E as lembanças arquivadas na dor

É silencio p´la inspiração salva

Ou simplesmente palavras de amor

 

O fado é alegria e sofrimento

Ciúme, paixão e lágrima chorada

É poesia elevada de alento

Escrita p´la imaginação abençoada

Ele vem em palavras de amor

Beijando segredos em alto mar

Canta-se com garra e tanto ardor

Deixando-se ir nas marés p´ra não naufagar

 

O meu fado é o abraço bem apertado

Pró sentimento feliz e de amargura

É desgosto não mais esperado

Dum ritmado coração rico de ternura

Ele é o principio e o fim da alma

E a lembranças arquivadas na dor

É silencio p´la inspiração salva

 

de:Fernando Pinto Ramos

19.2.2013

 

 

23
Dez18

906 - BOA HORA

Fernando Ramos

906 (4).jpg

 

 

 

BOA HORA

 

Quando a boa hora

Tocar em teu coração

No nascimento de teu filho

Não te assuste

É apenas ele

A beijar-te de amor

Amor de filho

Que nasce a partir desse dia

E para toda a vida

O levarás de beijos

Com o vermelho dos teus lábios

E lhe darás a mão do coração

Que o irá segurar

Todo o seu destino.

E a sua maior certeza

È que tu o amarás sempre

E estarás sempre com ele

Porque a sua vida

Será um conjunto

De circunstancias

Que a brisa do tempo

P´ra ele escolherá

 

De: Fernando Ramos

30,1,2013

21
Dez18

905 - OUTROS TEMPOS

Fernando Ramos

 

 

905 fr.jpg

 

  • 905 - OUTROS TEMPOS
  •  
  • Fui menino, e nesse tempo, eu e os meus irmãos
  • não tínhamos Computador ou outras tecnologias
  • Tínhamos as ruas da nossa Lisboa vazias de carros,
  • lá para os lados do Bairro de Alvalade
  • Onde, alguns de nós brincávamos descalços no alcatrão,
  • Depois de comer a sopa na Escola
  • E à tarde até à noitinha lá estávamos jogando à bola
  • Com outros meninos companheiros das brincadeiras
  • E da pobreza da vida, correndo atrás dum sonho
  • de bons jogadores de futebol, que nos enchia de orgulho
  • Nesse tempo minha mãe não tinha telemóvel
  • para nos chamar
  • Simplesmente ia à Janela gritar por mim
  • e pelos meus irmãos que também por ali brincavam
  • E nós com muito custo lá deixávamos os amigos
  • Das brincadeiras, tão felizes como nós
  • Lá íamos para casa, ainda ajudar os nossos pais
  • Em algum trabalho de colar caixas de cartão
  • ou envelopes, que o meu pai levava para casa
  • Para ajudar a compor economicamente
  • o magro salário que ele recebia
  • Outros tempos bem diferentes de agora
  • Mas as saudades que eu tenho desses tempos…
  • Só dos nossos pais, dos meus irmãos pequenos
  • Da restante família, e das ruas vazias
  • das loucas brincadeiras do jogo da bola
  •  
  • De: Fernando Ramos
  • 26.12.2012
18
Dez18

904 - MÁQUINAS DE FAZER POBRES

Fernando Ramos

904.jpg

 

MÁQUINAS DE FAZER POBRES

 

Este é um País de gente honrada

e trabalhadora

Este é um País de heróis

Que desbravaram mundo

Sem receios dos percalços do destino

Este é um País

Onde alguns políticos sem escrúpulos

Tentam tratar o seu povo 

Como atrasados mentais

Jogando num tabuleiro de interesses

Que se entrelaçam

Numa perversidade sórdida

Beneficiando dos lugares

Que ocasionalmente ocupam

Levando ao empobrecimento

E embrutecimento com sua

Baixeza de vida

Gente que ama este País

Este é um País donde por vezes 

Aparecem uns figurões que não passam

De reles Máquinas de criar

Pobres e Miseráveis

Protegendo sempre quem tem fortunas

Consideráveis por vias duvidosas

Esquecendo-se, que um dia

Os Miseráveis não tendo

Qualquer forma de se alimentarem

Lá terão de passar a comer os ricos

Que Deus proteja este pobre País

De quem não ama a sua gente

 

De: Fernando Ramos

 10.12,2012

 

17
Dez18

903 - ISTO VAI ACABAR MAL

Fernando Ramos

 

903 (2).jpg

 

ISTO VAI ACABAR MAL

 

Aparece gente com triste lamento

Por seus trabalhos serem sumidos

A maioria, da Rua de S.Bento

Aprova decretos com empregos perdidos

 

Dizem que a culpa é da Troika má

Que vai provocando fome e miséria

O povo grita que dinheiro não há

Porque a corrupção não é causa séria

 

Enquanto na fome o povo se revolta

Por sua liberdade andar ameaçada

Outros enriqueceram e estão à solta

Gozando vida boa à custa desgraçada

 

E o desemprego dá um fim triste

Gritando-se na rua que “Isto vai acabar mal”

Porque um povo a mais não resiste

E o que virá por aí, é um mau final

 

Abram os olhos gente indecente

Antes que vá mais longe a vossa ganancia        

O mundo muda e não mais consente            

A exploração que a muitos cansa  

 

De: Fernando Ramos

15.9.2012

15
Dez18

902 - LISBOA DO RIO

Fernando Ramos

902 (4).jpg

 

 

LISBOA DO RIO

 

Minha Lisboa

Sempre linda

Sempre boa

Terra de bonita gente

Que canta seu nome

Nos fados que entoa

 

Lisboa amada

Lisboa chorada

Lisboa encantada

E dos sorrisos

Que valem tesouros

Terra de mil feitos

E do sol que sorri

Beijando sua Beleza

E brilhando prós corvos

Desenhados na bandeira

Do alfacinha

 

Lisboa dos pregões

Da calçada Portuguesa

E dos bairros castiços

Dos turistas que a levam

E a guardam no coração

Como um amor de poeta

 

Lisboa das noites

De Santo António

E da sardinha fresca bonita

Lisboa do rio

E das ondas de vai e vem

E das marés

Que ás lindas margens veem

 

Lisboa da poesia

E dos trovadores

Das mansardas vaidosas

E das janelas airosas

Lisboa da música

Dos Jardins e das flores

E das cores de Deus

 

Lisboa minha terra

Lisboa meu amor

 

De: Fernando Ramos

14
Dez18

901 - PALAVRAS PRECIPITADAS

Fernando Ramos

901.jpg

 

  • PALAVRAS PRECIPITADAS
  •  
  • Na força da nossa razão
  • Teremos de perceber
  • O sentido do que por vezes dizemos
  • Pois as palavras têm a leveza do vento
  • E a força das tempestades
  • E o maior presente que poderemos
  • Oferecer é não entrar na tempestade
  • Com alguém que amamos
  • E por aí fazemos a diferença
  • Na vida desse nosso amor
  • E nunca valerá a pena
  • Ser menos gentil com quem mora
  • Bem dentro do nosso coração
  • Porque o arrependimento
  • De dizer algo que pode magoar
  • Não é um mau caminho
  • E o silencio desses momentos
  • É a coragem da diferença
  • Nas nossas palavras precipitadas
  •  
  • De: Fernando Ramos
  •  
12
Dez18

900 - EUROPA

Fernando Ramos

900 (2).jpg

 

900 - EUROPA

 

As manifestações no dia 14.11.2012, em vários

Países Europeus, é o caminho que estamos

A percorrer para o abismo se nada mudar.

As cargas policiais que diariamente vamos assistindo,

não é mais do que eu aqui já tinha escrito.

A EUROPA NÃO PODE CONTINUAR A SER GERIDA

POR PESSOAS QUE SE ESTÃO BORRIFANDO

PARA OS PAISES MAIS PEQUENOS ECONÓMICAMENTE

Estamos a ser espoliados por uma economia

Que a sua única meta é sacar mais que puder em Juros

Aos países mais débeis economicamente, e que vivem

Do dinheiro do exterior para sobreviver
Porque à base da promessa de Europa Unida e próspera,

acabaram-se com os seus meios de produção

Agrícola, Marítimos e Industriais

Como é o caso de PORTUGAL

Á custa de milhões de euros que para cá enviaram

para ajudar o país a crescer, o povo pouco recebeu

Quem os aproveitou foi a corrupção que se instalou

à volta do poder, sobrando para o povo

O DESEMPREGO E A MISÉRIA que pouco a pouco

se vai verificando e que nos empurra para o abismo.

Não é possível continuar nesta caminhada

galopante do desemprego, que está a levar

à ruína milhões de familias na Europa

E o Governo Alemão está mais preocupado 

De ganhar à conta dos mais fracos

Não estaremos a caminhar

para uma nova forma de NAZISMO

controlando os paises pela economia?

 

de: Fernando Ramos

10
Dez18

899 - MARGARIDA

Fernando Ramos

 

899 (2).jpg

 

899 - MARGARIDA

 

Hoje nasceu a MARGARIDA

Parabéns aos pais e aos avós

Foi nesta tarde colorida

Que Deus presenteou todos nós

 

Parabéns MARGARIDA, sejas bem vinda

À nossa família muito babada

Do nosso jardim és a nova flor mais linda

E a doce menina por todos amada

 

São tantos familiares que bem te querem

P´ra felicidade do jardim deles    

Serás menina e um dia Mulher

Que amarás o carinho de todos eles

 

Prós vaidosos Papás

Serás sempre a “nossa menina”

E no céu uma estrela brilhará      

P´ra Margarida que Deus ilumina

 

Para a minha feliz sobrinha

Que hoje nasaceu

De: Fernando Ramos

13.11.2012

10
Dez18

1091 - SAUDADE QUE NÃO ME DEIXA

Fernando Ramos

1091.jpg

 

  • 1091 SAUDADE QUE NÃO ME DEIXA 
  •  
  • Por estradas onde moro 
  • Já cairam lágrimas em meu rosto
  • É uma lembrança que hoje a choro
  • Na minha vida de grande desgosto
  •  
  • E vou sofrendo com garra
  • Na saudade que não me deixa
  • É dor que não me larga
  • E meu corpo se queixa
  •  
  • E de repente meu mundo pára
  • Porque meu peito tem pena de mim
  • Corre a lágrima por minha cara
  • É a saudade que volta por aí
  •  
  • E a tristeza batendo devagarinho
  • Sem força, sem alegria, sem tempo
  • Vê a lágrima que cai de mansinho
  • Sofrendo o coração, por triste momento
  •  
  • de; Fernando Ramos

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D