Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





827 - O POVO DESEMPREGADO

por Fernando Ramos, em 05.04.18

 

827 (2).jpg

 

  • O POVO DESEMPREGADO
  • Vejam o povo
    Que vai na praça
    Gritando a fome
    Que o espirito não acalma
    Choram a miséria
    Num sol de Maio
    Com a raiva livre
    Bailando na alma
  •  
  • Cantam entre amigos
    A dor da fome
    Em baladas ao vento
    Que desfraldam velas
    Ouvem a brisa
    No murmúrio lento
    Sacudindo a morte
    Debruçando-se
    P’las janelas
  •  
  • É o povo desempregado
    Na sua negra tormenta
    Suplica por migalhas
    Do magro salário
    Que o pobre estômago
    Não lhes alimenta
    Restando a rua
    Como Santuário
  •  
  • Juntos, na malévola
    Pobreza tristonha
    Mostram com raça
    Sua determinação
    Lutando de pé
    A injustiça enfadonha
    Chegando-lhes à pele
    A prisão sem fé
  • Que p’ra eles estranha não é
  •  
  • E as pálidas nuvens
    Negras silenciosas
    Se abatem sobre a razão
    Em noites bem misteriosas
    Matando um povo
  • Que apenas pede
    Trabalho e pão
  •  

De: Fernando Ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:50


826 - DEIXEM-NO RIR

por Fernando Ramos, em 04.04.18

 

826 (2).jpg

 

  •   DEIXEM-NO RIR
  •  
  • Ao final da tarde
  • Quando o sol vai de abalada
  • Dá um prazer danado
  • Escutar algumas pérolas
  • De Jorge Palma
  • E nesse doce entardecer
  • A melodia entra sem bater
  • Sem precisar de se anunciar
  • Numa rádio qualquer
  •  
  • O artista deambula seu gozo  
  • E vai dizendo a alma poeta
  • Só como ele a espreita
  • É assim a velha estrada
  • De sua musica aromática
  • Que ao piano, ou à guitarra
  • Mostra a raça e o coração
  • Em teimosos poemas
  • Ao amor, e á vida
  •  
  • Vai suplicando pelos dedos
  • Num teclado de piano
  • Para o deixarem rir
  • Na voz que engrandece os génios
  • Tocando e escrevendo
  • O que nós ouvimos como
  • Uma perpétua sinfonia
  • Que passa por toda a existência
  • A nossa existência
  •  
  • E ao som de pura liberdade
  • De compor
  • Vai soluçando magia
  • No melhor que pode oferecer
  • Como se fosse um fetiche
  • De emoções dentro de sonhos
  • Que se vão ouvir e ler
  • Através dos tempos
  • E ele num espirito de saudade
  • Vai suplicando arduamente
  • Para o deixarem rir 
  •  
  • De: Fernando Ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:50


825 - SAUDADE QUE VAI BATER

por Fernando Ramos, em 03.04.18

825.jpg

 

  • SAUDADE QUE VAI BATER
  •  
  • Um dia
    Eu sei que de ti me vou separar
    E recordarei todos os momentos
    Bons e maus
    Recordarei todas as nossas conversas
    Talvez as mais engraçadas
    Recordarei todos os nossos sonhos
    Recordarei momentos partilhados
    Se calhar nessa altura
    A lágrima teimosa lá irá cair
    Pela saudade que irá bater
  •  
  • Um dia
    Cada um de nós irá para seu lado
    Talvez o Divino, ai não nos queira juntos
    Talvez, seja esse o nosso destino futuro
    E nesse infinito tempo
    Recordarei como foi bom
    A nossa vida aqui
    Como foi bom todos os momentos que
    Estivemos juntos
    Como foi bom tratarmos todos
    Do mesmo modo, brancos, negros
    De todas as raças
    Como foi bom sermos amigos da natureza
    Que tanto nos deu e nunca nos fez doer
    De ingratidão
    Como foi bom todas as ânsias
    Todos os problemas
    Todas as alegrias,
    Todas as nossas faltas de vergonha
    Para aqueles pedaços mais íntimos
    Que só nós sabemos
  •  
  • Um dia
    Se calhar irei recordar isso tudo
    Mas agora que estou junto de ti
    Quero apenas estar contigo
    Porque o meu futuro mais próximo
    É o meu amor sem poréns,
    Contigo
  •  

De: Fernando Ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:20


824 - ÁUREAS INSPIRADAS

por Fernando Ramos, em 02.04.18

 

824 (2).jpg

 

 

  • ÁUREAS INSPIRADAS
  • (soneto)

     

    Lanças palavras ao ar
    Empregnadas de belos momentos
    Deslumbras, quem te está a escutar
    Sem ferires seus sentimentos

     

    São poemas de emoção
    Escritos no teu recanto
    Tocam fundo um coração
    Ao momento dão encanto

     

    Dizes a vida com alegria
    E p’ra um peito é boa aragem
    Vinda de ti com simpatia

     

    São inspirações escolhidas e rebuscadas
    Que atravessam p’ra outra margem
    A margem das áureas inspiradas

     

  • De: Fernando Ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:27


Mais sobre mim

foto do autor


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D