Minha Poesia

27
Mar 18

820 (2).jpg

 

  • LIBERDADE RAPTADA

Cai o silêncio na minha noite

E nela vejo sombras

Que não passam de fantasmas

Perseguidores p’lo meu

Tumultuoso mundo de emoções

 

Este silencio nocturno e triste

Me agiganta na límpida solidão

E faz, que cada vez esteja mais só

Perdido em penosos pensamentos

Que anseiam p’la liberdade de amar

Que me foi raptada

Levada, não sei p´ra onde

E por quem!

 

E num desespero solitário

Sinto meus fantasmas

Como uma espada que penetra

Em minha carne

Acompanhada p’la musica da dor

Que é pura ausência de amor

Habitando em minha vasta solidão

 

E neste temeroso caminho

Simplesmente aguardo

Que os fantasmas partam

E me deixem ficar

Cada vez mais só

Em meus impenetráveis

Pensamentos

Aguardando ansiosamente

Pela liberdade de amar

Então raptada

 

De: Fernando Ramos

publicado por Fernando Ramos às 15:51

Março 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9



31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO