Minha Poesia

06
Mar 18

800 fr.jpg

 

 

  • BARCOS DE SOLDADOS
  •  
  • Vejo barcos ao longe, vejo barcos
    Nas ondas que bailam na fina espuma
    Leva magotes de soldados magros
    Que a injustiça enrola na bruma
  •  
  • São homens de bem, como outros
    Cujo seu mal foi nascer pobre
    As espingardas os esperam nos portos
    Que p’las pontas tantas vidas consome
  •  
  • Tantos barcos repletos de medo
    Tantas vidas de destino fugido 
    Tantos ódios que vão batendo 
    Tantas almas de futuro perdido
  •  
  • Os homens são todos iguais
    Mas a cor do dinheiro, senhores a cor!
    Divide o mundo em partes desiguais
    Chorando a vida, peçonhento pavor
  •  
  • Sua esperança, essa não tem fim
    Neste mundo de amanhã incerto
    Ela é um sonho livre voando por aí
    Nos bons, que deste mal vai desperto
  •  
  • Tantos barcos repletos de medo
    Tantas vidas de destino fugido 
    Tantos ódios que vão batendo 
    Tantas almas de futuro perdido
  •  
  • O mundo nesta miséria gira
    Tanto sangue escorre a seus pés
    O senhor do mal vai tocando a lira
    E os soldados suplicando no convés 

    de: Fernando Ramos
publicado por Fernando Ramos às 19:14

Março 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9



31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO