Minha Poesia

08
Dez 17

720 fr.jpg

 

  • A CEIA
  •  
  • A vida será um repasto
    De óptimas iguarias
    Servida em farto prato
    Alimenta-nos os dias
  •  
  • Dá ceia bem confeccionada 
    Que bem nos delicia, ou não
    Porque se for mal temperada
    Tudo não passará de ilusão
  •  
  • É um repasto que se serve
    Mas por vezes, dá confusão
    Se for bom momento que se perde
    Dará má digestão
  •  
  • E antes que nos faça mal
    Tem de ser bem preparada
    A vida à noite não é ceia total
    Se cozinhada em água salgada
  •  
  • De: Fernando Ramos
publicado por Fernando Ramos às 14:52

07
Dez 17

719 fr.jpg

 

  • BOTE DE VELAS QUEBRADAS
  •  
  • O bote desliza no mar salgado
    Por ondas valiosas como ouro em pó
    E um pescador de rosto enrugado
    Olha as redes, fazendo-lhe dó
  •  
  • São tristezas salpicadas de choro
    Naquele seu mar, a poente
    Ali o peixe é pouco, e não é ouro
    Já outras fainas o deixavam contente
  •  
  • E no seu bote de velas quebradas
    O pobre mestre insiste na pescaria
    Enclausurado naquele mar talhado
    Pede a Deus uma faina de alegria
  •  
  • Embalado p’lo sopro do vento
    Vai amaldiçoando sua má pesca
    Por isso, Deus não lhe dá alento
    Vai ele pecando à faina que resta
  •  
  • Seu Senhor, o arrependimento não ouve
    De seus pecados já cometidos
    Não mostrou pena, e Deus soube
    Não havendo mais, já tempos idos
  •  
  • De: Fernando Ramos
publicado por Fernando Ramos às 11:45

06
Dez 17

pizap.com14188197811711.jpg

 

 A VIDA ESPANTA-SE


  • Dão-nos castigos, ásperos, e ferozes
  • Vem a dor, e o grito da alma
    Surge a bomba, em tarde calma
    Chora o mundo, p´lo feito dos algozes
  •  
  • O silêncio dos justos é perturbado
    A paz estremece, mas não cai
    Uma criança, p’ra sua mãe já não vai
    A solidariedade e o amor, foi baleado
  •  
  • Foram ordens do chantagista!
    Que o homem bomba respeitou
    É um acto cobarde, de mau artista
  •  
  • Lá fora... O mundo levanta-se
    O terrorismo estúpido não ganhou
    A própria vida, espanta-se!
  •  
  • De: Fernando Ramos
  •  
publicado por Fernando Ramos às 19:02

05
Dez 17

717.jpg

 

  • ESPERANÇA NO AMOR

  • Olhei p’ra dentro de mim
    Vi um torvelinho de sentimentos
    Esperando por amor sem fim
    Rodeando meus pensamentos
  •  
  • E no céu apareceu um sol
    Dizendo p’ra ter esperança
    Ele agora é o meu farol
    Em meu mar de bonança
  •  
  • Fiz uma espera sem fim
    P’lo amor, sem tormentos
    E ele, não apareceu por aí
  •  
  • De longe olho p’ra estrela
    Lembrando esses momentos 
    Agora a esperança, nem vê-la
  •  
  • De: Fernando Ramos
publicado por Fernando Ramos às 20:07

Dezembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

12

22




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO