Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

FERNANDO RAMOS

Minha Poesia

FERNANDO RAMOS

Minha Poesia

730 - DANÇA DA CHUVA

Fernando Ramos, 17.12.17

730.jpg

 

 

DANÇA DA CHUVA

 

Cai a chuva, do agreste Inverno
Numa dança de pingos descoordenados
Inundando campos, que é um inferno
P’ra tantos seres desatinados

 

Essas águas impuras até doer
Causam dramas a gente desesperada
Vêem os bens, na corrente desaparecer
Levando-lhes uma vida, na enxurrada

 

E esta catástrofe de enlouquecer
Está na mão do homem, como é natural
Ele é o culpado, por tal suceder 
Numa vergonhosa atitude irracional

 

Esta dança, de chuva fria
Traz a companhia do forte vento
Bailando pingos de noite, e dia
Que para a terra, é seu sustento

 

Na ruidosa tempestade invernosa
Escuta-se o vento a falar à chuva
Pedindo ao tempo sua mão bondosa
Pró sol aparecer, leve como a luva

 

Nos campos, encharcados de fria água
Que oferecem à vida, um bom seleiro 
Vai desaparecendo a triste mágoa 
Em corações dum tempo companheiro

 

De: Fernando Ramos