Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

FERNANDO RAMOS

Minha Poesia

FERNANDO RAMOS

Minha Poesia

05
Out17

661 - VIDA SEM ESPINHOS

Fernando Ramos

661.jpg

 

  • VIDA SEM ESPINHOS
  •  
  • Agradeço eternamente a Deus
    P'lo bom que me acontece
    São ofertas de bens seus
    Que na minha vida floresce
  •  
  • Mas quando isso não sucede
    Choro de tristeza sem fim
    Porquê, porquê, isto acontece?
    Pergunta tonta de mim
  •  
  • Respostas surgem no dia, a dia
    O bom é difícil ser oferecido
    É o sacrifício que o cria
    O mau é fácil, e não apetecido
  •  
  • Nossa passagem tem espinhos
    Nem tudo é arco-íris de mil cores
    Só temos de ir por bons caminhos
    P'ra receberemos a vida, sem dores
  •  
  • De: Fernando Ramos
04
Out17

660 - SE EU DOMINASSE O MUNDO

Fernando Ramos

660.jpg

  • SE EU DOMINASSE O MUNDO
  •  
  • Se eu dominasse o mundo
    Terminava com a "coisa má" 
  • Penhorava meu sorriso profundo
    Ao bem que a natureza dá 
    P´ra corações de bem fecundo
  • Ganharia o dom da profecia 
    Ofertava a Paz pró sustento à vida 
    E o mal deste mundo varreria 

  • A justiça assim venceria 
    À guerra que seria corrida
  • O nosso mundo muito se amaria 
    E o choro da mãe terminaria 
  • Decretava Santa alegria 
    E amarem-se, eu obrigaria 
    Em jardins de muita magia
  • E a curiosa lua sorriria
  •  
  • Se eu dominasse o mundo 
    Haveria sempre boa comida 
    A miséria iria ao fundo 
    A paz seria bem sucedida 
    A iinveja se perdia num segundo
  •  
  • De : Fernando Ramos
03
Out17

659 - NOVO TESOURO

Fernando Ramos

659 fr.jpg

  • NOVO TESOURO
  •  
  • Escrevo partilhando a emoção 
    que hoje sinto
    Entrou p’la minha porta da casa 
    alguém que não via
    faz algumas primaveras
    Foi como se tivesse recebido um doce, 
    o melhor doce do mundo
    A mais saborosa iguaria que alguma vez 
    alguém ofereceu num dia sem esperança
  • E da maneira algo majestosa vos digo, 
    foi um momento mágico!
    Único p’ra meu pobre coração
    que tem andado a beber a dor aos tragos
  •  
    Alguém regressou
    p’ra minha casa, a sua casa!
    Que tanto tempo esperou por ela,
    derramando seu perfume
  • se mantém empregnado
  • Estou muito feliz!
    Ela perdeu-se nas teias da má vida,
    p’las casas de chuto da maldita droga 
    de sonhos fáceis
    Mas o bom Deus, lhe mostrou a luz
    E a colocou no seu bom caminho 
    Sou um homem feliz, tão feliz
    como se descobri-se novo tesouro
  •  
  • De: fernando Ramos
02
Out17

658 - ENCONTREI MINHA LUZ

Fernando Ramos

658 fr.jpg

 

  • ENCONTREI MINHA LUZ
  •  
  • Frequentei maus trilhos da vida
    Vagueava sem rumo, sem lutar
    Vivi no inferno, que dava ferida
    Sem ter ninguém para amar
  • Tantos, tantos, eram meus dilemas
    Com poucas, ou com muitas razões
    Não sei quantos mil problemas
    Repletos de negrejantes ilusões
  •  
  • Depois de enormes caminhadas
    Cansei o horizonte de andar a pé
    Registando todas as pegadas
    Sem nunca, nunca encontrar a fé
  • O enorme mundo quis agarrar
    Era o meu sonho profundo
    Nele andei sempre a pecar
    Choro este acto, vil e imundo
  •  
  • Finalmente encontrei minha luz
    Nas asas do Anjo amigo
    Agradeço o fim da triste cruz
    Deixei de ser o vagabundo perdido
  •  
  • De: Fernando Ramos
01
Out17

657 - MEU POEMA

Fernando Ramos

   

 

657 fr.jpg

 

 

  • MEU POEMA
  •  
  • No despertar da minha inspiração,
    E de olhos bem cansados
    P’la noite dentro surge um poema 
    Que vai tecendo nas teias  
    Dos meus pareceres de vida 

  • Vou escrevendo em palavras
  • O sentimento que vai soluçando 
    Em letras de tinta preta
    Expremindo o amor, a solidão, 
    E a indiferença que me perturba
    Que vou desenhando em poesia 
    Num papel branco, 
    Tão branco como a pomba da paz,
    Que minha mente tanto almeja
  •  
  • Por momentos repouso
  • E meus dedos impacientemente 
  • Vão aguardando que a inspiração 
    Surja rápida como cometa,
  • P’ra escrever em letras de ouro,
  • Palavras simbolizadas
  • E não desfocadas
    Da realidade que me cerca
    Eles, que me façam escrever 
    Sem parar até ao final 
    Da minha pobre poesia,
  • Parando só nas altas horas
  • da madrugada
  • Deixando a inspiração descansar
  • Até ao próximo momento
  • Que lhe apeteça
  • P´ra uma longa vontade
  • desmedida

  • de: fernando Ramos

Pág. 4/4

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D