Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

FERNANDO RAMOS

Minha Poesia

FERNANDO RAMOS

Minha Poesia

30
Jun17

1083 - DIA FELIZ

Fernando Ramos

 

1083.png

1083 - DIA FELIZ

 

P’la manhã de bom dia, o sol surgia

É a natureza no seu ar de espanto

Já perto da noite, p´las nuvens se sumia 

Guardado p’lo mocho num poleiro Santo 

Abrigando-se até de manhã, ao nascer do dia        

 

E vem nova manhã, tão bonita e pura

Correndo gente, buscando seu ouro

Sobre um céu azul de paz segura

Guardada por tantos como um tesouro

Que o mundo, por ela muito procura

 

E por cortesia de alguns senhores

Ouve-se um hino com emoção

É pertença de gentes que com dores        

Soluçando o choro do coração

Num dia triste, minado de horrores

 

Mas novo dia vai surgir como um beijo

Nascido em céu de tanto calor

Vem dar vida, que é um desejo

Caprichado na esperança de tanto amor

P´ra olhos de fé, num doce ensejo

 

E belos dias nascem na frescura da manhã

Carregadinhos de ternura do bom Mestre

Lançando raios de amor num tarantanta

Estendendo-se p’lo campo da flor silvestre

Que a natureza oferece, depois de noite sã

 

De: fernando ramos

 

29
Jun17

606 - PALAVRAS DE BRINCAR

Fernando Ramos

606 fr.jpg

 

  •  PALAVRAS DE BRINCAR
  •  
  • Quando novo, 
    no inicio da pancada da vida,
    meus brinquedos eram as palavras
    Com elas imaginava meus carrinhos 
    de cordas, meus barquinhos, o peão, 
    e até o cavalo de madeira
    que era o meu baloiço
    Com estas palavras bebia 
    meus sonhos de criança,
    com elas era um menino rico,
    muito rico mesmo,
  • tão rico de todos os brinquedos 
    que ambicionava
  •  
  • Hoje não tenho mais 
    brinquedos de palavras
    Hoje, nas novas palavras,
    faço meu percurso de vida
    Elas me inspiram no meu dia, a dia
    junto de minha família 
    que são tudo para mim
  • Elas me fazem ver 
    verdades atrozes deste mundo, 
    que nos sangra o coração

  • Como bonitos eram os brinquedos 
    da minha meninice
    Agora estas minhas palavras,
    são um mistério perverso
    de compromisso de futuro,
    que rolam como pedras feias 
    nas ruas estreitas da vida
  •  
  • de: Fernando Ramos
28
Jun17

605 - OUTONO MELANCÓLICO

Fernando Ramos

 

 

605-fr.jpg

 

  • OUTONO MELANCÓLICO
  •  
  • Esta manhã fria, e chuvosa de Outono
    Me deixa triste e melancólico
    Por mim deslizam 
    lembranças do nosso amor
    Tenho tanto medo que não voltes
    P’ra meu lado, 
    meu amor
  •  
  • Nesta melancolia de tempo
    um sentimento me invade
    por não estares 
    Restando a triste sensação
    De vazio p'lo que não fizemos, 
    e nem dissemos
  •  
  • E a chuva bate na janela
    como causa do inverno 
    que se aproxima,
    tão sombrio, como tua ausência
  • Guardo ainda a esperança 
    de teu regresso,
    que mora num sonho constante,
    como constante é o meu 
    pensamento em ti

  • Ele me faz viver triste e melancólico
    neste Outono
    que vai parindo o Inverno
  •  
  • de: Fernando Ramos
26
Jun17

604 - DEUS É AMOR

Fernando Ramos

 

604.jpg

 

  • DEUS É AMOR
  •  
  • Há um Deus, que é o meu
    Que dá amor e felicidade
    Por muitos, muitos, sofreu
    Sem dó, nem piedade
  •  
  • Outros, tem o Deus deles
    Que dizem ser de eternidade
    Só não sei se é um daqueles
    Que distribui amor e caridade
  •  
  • É que há, quem defenda seu Deus
    Fazendo a guerra, e não a paz
    Matando tantos irmãos seus
    O meu Deus, isso não é capaz
  •  
  • Abram a vosso coração à coragem
    Sem medo, e deixem de sofrer
    Este mundo, é só de passagem
    Vivam em paz, a vida não é p'ra perder
  •  
  • Nosso Deus é de puro amor
    Amem a vida que ele deu
    Rezem-lhe sem algum temor
    Ele dará, a liberdade e apogeu
  •  
  • Se o teu Deus é tão bom
    Nada tens a recear
    Respeitar o dos outros, é um dom
    Que não te leva a pecar
  •  
  • Esse, é um Deus de amor
    Claro que fico contente
    O meu também é um Deus Senhor
    Porque é teu, e de toda a gente
  •  
  • de: fernando ramos
25
Jun17

603 - FLORES DO NOSSO JARDIM

Fernando Ramos

603 1.jpg

 

 

  • FLORES DO NOSSO JARDIM
  •  
  • As flores sorriem quando passas
    Pelo jardim que é meu e teu
    Perfumando o ar, dando graças
    Ao dizeres que, teu amor sou eu
  •  
  • Lá, os jasmins brotam doces fragrâncias
    Quando teus lábios beijam os meus
    Nesse jardim onde brincam crianças
    As flores embelezam os olhos teus
  •  
  • Que vêem o que não vejo
    Quando estou a contemplar
    Teu lindo corpo que tanto desejo
  •  
  • E as flores do nosso lindo jardim
    Ficam mais viçosas por nos ver amar
    Por debaixo da arvore de sombra sem fim
  •  
  • De: Fernando Ramos
24
Jun17

602 - DAR A MÃO

Fernando Ramos

 

 

602.jpg

 

  • DAR A MÃO
  •  
  • Com o ódio, vem tanto erro e a dor
    deixando um coração destroçado
    Se a outros não chegar nosso amor
    não haverá um futuro esperançado
    Será na honestidade, respeito, lealdade,
    na atitude, capacidade e luta
    Que se indica com muita humildade
    como se deve ser sério, na disputa
  •  
  • Dizem que todos somos iguais,
    mas cada um é diferente de capacidade
    Vivemos em ambientes naturais
    só temos de aproveitar sua qualidade
    Não seremos de certo os melhores
    se por vaidade nos deslumbramos

  • Aí, até seremos bem piores
    que aqueles, a quem dizemos que amamos
  • Num dar a mão, estará a diferença
    é sinal que connosco se poderá contar
    Só será preciso alguma paciência
    porque o amor, acabará por entrar
  •  
  • De: Fernando Ramos
22
Jun17

601 - TRISTE DERROTA

Fernando Ramos

 

 

601 1.jpg

 

  • TRISTE DERROTA
  •  
  • Serviram a pátria numa marcante guerra
    Onde sonhos de paz nela se perderam
    De tantos que caíram no cimo da serra
    Veio a derrota, num final que cederam
  •  
  • E naquele tombar de triste fim
    Entonteceram espíritos p´la não vitória
    Lutaram, e o sangue jorrou ali
    Prós que não ganharam paz nem glória
  •  
  • Mas a fé, não ficou na guerra vencida
    Dando bravura aos guerreiros doridos
    A pátria de todos, que lhes é querida
    Recebeu os bravos de braços caídos
  •  
  • E a tristeza, mais triste que a derrota
    Entrou nos seus corações que sofrem
    A pátria reagiu mal, e a alma corta
    Aos filhos heróis que por ela morrem 

    De: Fernando Ramos
21
Jun17

600 - A TRISTEZA NASCEU SEM PEDIR

Fernando Ramos

600 1.jpg

 

  

 

A TRISTEZA NASCEU SEM PEDIR

 

Quando aparece tristeza na vida
Surge a lágrima da saudade
Rola no rosto, e vai perdida
Caindo num mar de infelicidade

 

Deixa feridas mal curadas
Que o tempo não faz desaparecer
Acabando em cicatrizes disfarçadas
Gravadas na alma até morrer

 

Ainda existe uma réstia de esperança
P’ra que a tristeza vá embora
Se não for, fica a lembrança
Da ferida surgida naquela hora

 

A cicatriz que nasce sem pedir
Traz mais lágrimas p’la vida fora
Convivem na saudade que está a ferir
Um coração, onde a tristeza mora

 

De: Fernando Ramos

20
Jun17

599 - MARINHEIRO DAS NAUS

Fernando Ramos

599 1.jpg

 

  • MARINHEIRO DAS NAUS
  •  
  • Minha pobreza, é de Santos
  • Não de heróis bem abastados
    Ando descalço e sem enganos
    Subindo a ladeira dos coitados
    Outrora fui marinheiro das Naus
    Naveguei por mares encrespados
    Cheguei a praias em dias maus
    Vi corpos doridos, e enfernizados
  •  
  • Eram escravos negros, de senhores
    Explorados pelos que sabem enganar
    Apenas queriam alforria dos libertadores 
    P’ra sua liberdade desfrutar
    E eu rico, de mulheres sedutoras
    Aqueles pobres não fui ajudar
    Agora choro as horas libertadoras
    Que em minha vida, não soube dar
  •  
  • Éramos heróis, da doce pátria que amamos
    E, escravas lindas andávamos a fecundar
    Filhos mestiços lá deixámos, que os choramos
    Nos braços de mulheres puras, de se amar
    A vil tristeza invade a alma
    Aos bravos soldados daqueles mares
    São recordações numa tarde calma
    Que amarguram a vida, nos sonhares
  •  
  • Essas lembranças, que em pecado andei
    Ao bom Divino peço sua razão
    Agora sou pobre, e só eu sei
    Porque é que a Deus imploro perdão
    Sou pecador, assim vou morrer
    Nesta pobreza de bens terrenos
    Que não mais trouxeram bom viver
    Esperando meu espirito, os Santos serenos
  •  
  • De: Fernando Ramos
19
Jun17

598 - ADMIRÁVEL CAMÕES

Fernando Ramos

598 1.jpg

 

 ADMIRÁVEL CAMÕES

 

Prós lados do sol nascente
Certo dia aconteceu poesia
O mundo recebeu de presente
A inspiração que um poeta vivia

 

Camões, presenteou-nos com lucidez
E como foi sublime, e magnifico
Seus poemas se declamam tanta vez
Alguns históricos, outros de amor rico 

Enormes paixões Camões tinha
Violante, era uma das musas amada
Nunca a levou ao altar da Capelinha
Porque ela, com um Conde era casada

 

Inspirou-se, e deixou-nos os Lusíadas
Obra prima de grande esplendor
Descreve os descobrimentos como saídas
De uma Epopeia Portuguesa superior
Nem com Virgílio, nem com Homero
Na Eneida, e na Odisseia
Havia tanto brilhantismo sincero
Como na sua obra que se saboreia

 

Oh! Admirável grande poeta
Portugal de hoje por ti chora
Trouxestes os descobrimentos da época 
Ensinado nas escolas em boa hora
O país contigo engrandeceu
A tua obra no mundo é eterna
Andaste nas tormentas de Deus
Quando eras Trinca-Fortes, e já poeta

 

Em Ceuta, perdeste o olho direito
Contra Mouros de má memória
Foste p´ra China, e na gruta estreita
Escreveste os Lusíadas p'ra história
Poeta, que pró Divino um dia partiste 
Deixaste amores cá na terra
Tiveste um fim, trágico e triste
Mas a Pátria de ti, nunca renega

 

De: Fernando Ramos

 

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D