Minha Poesia

25
Mar 17

 

 

A CALÚNIA

 

No meio de enorme tempestade
Fui alvo de triste calúnia
Era um escândalo de inverdade
Deixando-me na pura penúria      


Felizmente a verdade apareceu
Para desgosto de alguns
Pergunto como tudo isto aconteceu
De ser caluniado por uns

 

Foi-me roubado um momento de liberdade
Numa invenção reles, e mentirosa
Perdi anos de credibilidade
Ganhos em minha vida penosa


Agora voltei a viver
Com a certeza da razão
Peço a Deus para me proteger
De nova vil confusão

 

Aos delatores de mal dizer
Não desejo este castigo errante
Deus lhes perdoe, e os faça aprender
A respeitar o seu semelhante

 

De: fernando Ramos

 

publicado por Fernando Ramos às 10:49

Março 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO