Minha Poesia

27
Fev 17

  

 

ARVORES MALTRATADAS

 

As arvores não tem alma
Nas estradas, num jardim ou num trilho
À sua sombra de tarde calma
Alguém as trata como um filho

Será mãe, ou será pai
Que a beija sem cobardia
Mas a árvore não dá um ai
Apenas sombra e simpatia

Alguém de rosto feio
Ousa, a retalhar sem paixão
Quem a rega, e de permeio
Não deixa de lhe dar um sermão

 

Pró ambiente é a crueldade
E todos os anos é assim
Pisam-na sem dó nem piedade
E sua bondade p´ra nós é sem fim

As árvores não são p´ra maltratarem
Mas sim dar-lhes carinho e amor
É que, apesar de não falarem
Também morrem tristes de dor

 

 

De: Fernando Ramos

 

 

publicado por Fernando Ramos às 12:02

Fevereiro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9

16

19
20
21
23



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO