Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





363 - SAUDADE DE AMOR

por Fernando Ramos, em 31.12.16

 

 

SAUDADE DE AMOR

 

A saudade está no tempo
Que vai passando p´la vida
Ela no deixa em sofrimento
Com tristezas de fadiga

 

O tempo vai na saudade,
Com força em busca amores
Leva o vento com liberdade
E seu sopro nos traz dissabores

 

Saudades, todos nós sentimos
De pessoas que nos são queridas
Sofremos, e por vezes fugimos
de desilusões que nos trazem feridas

 

De amor, a saudade pode matar
Ou deixar um grande vazio
E se for de alguém nos querendo amar
Nossa vida ficará por um fio

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:53


362 - FADISTA ATÉ MORRER

por Fernando Ramos, em 31.12.16

 

 

FADISTA ATÉ MORRER

 

Tenho a voz enrouquecida,
e seu tom já não é o que era
meus fados agora canto baixinho
sofrendo com minha rouquidão
Talvez seja um mal de idade 
Foram muitos anos a cantar o fado
que muito orgulho me dá,
mas Deus acha que minha carreira 
de fadista terminou 
Continuo no fado,
ele é a minha âncora
e eu, o amo cantar

Canto em prosa ou em verso
não com a mesma limpidez de antes
mas com o mesmo sentimento
que só desaparecerá assim 
que Deus achar por bem 
Canto na mesma por amor
sempre por amor ao fado
E com o avanço da idade 
Deus mais fortaleceu
este meu sentimento
Choro porque minha garganta dói,
mas cantarei até morrer
Resta-me continuar a viver belos
momentos cheios de absoluto prazer
que o fado me dá à vida

 

 

de: fernando ramos

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:49


361 - BEIJO DO COLIBRI

por Fernando Ramos, em 31.12.16

  

 

O BEIJO DO COLIBRI

 

O meu amor
vai no voo do colibri,
que é pequeno, leve e ágil
e se sustem no ar
nas suas asas aceleradas
e sempre, sempre contínuas

 

Minha avezinha amorosa
que te delicias com o mel
das flores do meu jardim,
adoçando teu voo
em busca do amor

das belas plantas

que me pertencem

e que as beijas,

com teu bico fino

as suas pétalas 
deixando-as empregnados
de tua doçura,
prontas p´ra beijos meus

 

Colibri engraçado,
deixas no meu coração
pinceladas de mel
E teus voos estonteantes
não perturbam meu versar
p´ra uma princesa que amo

  

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:24


360 - SIGAM A INTUIÇÃO

por Fernando Ramos, em 31.12.16

 

 

360 - SIGAM A INTUIÇÃO

 

Seguindo a intuição

por vezes pensamos

que pouco nos resta
E não há mais qualquer herói
que nos faça mudar a opinião
Nem uma única vez!
Julgamos às vezes,
que nosso tempo já passou
por todos e quais quer horizontes

e só resta a resignação

 

É um prazer estarmos enganados
porque novas oportunidades

surgem, e novos mistérios e aventuras
acabam por acontecer na nossa vida
não apenas a curto prazo,
mas com tempo, e paciência
chegaremos à conclusão,
que o destino não terminou ali
como pensávamos
Ninguém pode voltar para trás
e começar de novo, é um facto
Mas pode agora fazer um novo final,
só se precisa de força de vontade

 

O mundo vai sempre em mudança
e nós também, vê-se isso todos os dias
Neste nosso tempo muito mudou,
e como humanos só temos
de acompanhar essa mudança
Nada se altera sem a mão do homem,
e somos nós culpados por essa evolução
boa ou má, mas somos sempre culpados
As aparências se tornam enganadoras
e por vezes nos escondemos atrás delas
Contudo, a realidade boa
ainda a encontramos,
não em sonhos, mas sim no nosso dia a dia
Apenas precisamos daquele empurrãozinho
e um pouco força de vontade,
que num pequeno clique faz a diferença,
e passamos a mudar o nosso mundo
que julgámos estar inalterável
pró resto da nossa vida

 

Deixamos a nossa intuição
sussurrar a verdade

que não queremos ver
Não somos coisas, mas sim gente
só precisamos de fechar os olhos,
e deixar a magia da vida acontecer
Então, fechemos os olhos
e sigam a nossa intuição,
e façam o favor de ser felizes

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:04


359 - MEU COMPANHEIRO

por Fernando Ramos, em 31.12.16

  

 

MEU COMPANHEIRO

 

Vou com o meu cão à rua
e levo-o preso p´la trela
Ele é novo e fica na lua
p´la sua vizinha cadela

 

Meu bicho é muito bonito
e todos lhe dão carinho
Se alguém lhe ralha, triste fico
com pena do meu amiguinho

 

É o meu companheiro de passeio
pelos jardins da cidade
Gosto dele e tenho receio
que o levem por maldade

 

Está comigo noite e dia
e com ele não sinto solidão
Este cão dá-me alegria
e conforta meu coração

 

Meu amigo que não vai à caça
mas com ele posso sempre contar
Não é animal de pura raça
mas nunca o deixarei maltratar

  

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:44


358 - AMOR DE BORBOLETAS

por Fernando Ramos, em 30.12.16

 

 

AMOR DE BORBOLETAS

 

Voa borboleta com amor

no meu jardim admirável
Vais de flor em flor
por desejo incomensurável

 

Teu futuro é o presente,
com outra borboleta que se advinha
As duas juntas poisam levemente
onde o seu amor se alinha

 

E as duas, se vão amando
nas minhas flores de encantar
Noutros jardins vão voando
p´ra esperança se engrinaldar

 

Neles, vão elas poisar
procurando o trevo de boa sorte 
Mais tarde irão encontrar
sua paz final, na morte

 

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:31


357 - A SAUDADE APARECE

por Fernando Ramos, em 30.12.16

  

 

A SAUDADE APARECE

 

De vez em quando
aparece a saudade
que me abraça, persegue
e me perturba
como lembrando
tua ausência
que se prolonga

 

Como eu sonho
os momentos inesquecíveis
Como eu recordo teu sorriso
Como imagino teus lábios
que os beijava perdidamente
em mel de sabor de prazer infinito
Como eu recordo
nossas madrugadas

nos ponteiros do tempo

que me presenteiam

com tua imagem

 

Tudo isto faz chegar
a saudade, que me isola
e me deixa triste
Como é doce
as lembranças
dos nossos momentos
de recônditos segredos

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:27


356 - CANTOR DA RADIO

por Fernando Ramos, em 30.12.16

 

 

CANTOR DA RADIO

 

Sou cantor da Rádio clube
sem muitas ilusões
como artista sempre soube
o dever de agitar os corações
Canto o amor que se murmura
prós loucamente enamorados
E p´ra outros de menos ternura
não canto poemas tão melados

 

Sou um cantor do amor
e para ele vou vivendo
Canto poesia sem pudor   
Quem de paixão está sofrendo

 

Meu destino é ser cantor
e mais nada sei fazer
E canto com algum fervor
p´ra muitos satisfazer

 

A voz vai até que Deus queira
prós meus discos na radio passar
É decerto a melhor maneira
Prós ouvirem e bem amar      

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:02


355 - OLHANDO O TEMPO

por Fernando Ramos, em 29.12.16

 

 

OLHANDO O TEMPO

 

Fixo os olhos na janela
e com um vidro de permeio
olho o movimento da rua
Passam homens 
e mulheres jovens
e as crianças brincam no jardim
que da minha janela se avista 
A vida lá fora é agitada
num fim de tarde de verão
Novos, e velhos se movem 
em passos meio lentos,
meio apressados
no frenesi da vida
Ouço pessoas a falar 
e vejo passarinhos no jardim
voando p´ra seus ninhos
no seu chilro de encanto
ao encontro da sua felicidade

O mundo lá fora se move 
e eu aqui sentada numa solidão
comovente olhando o tempo,
o tempo que lentamente 
segue seu caminho,
e eu não passando de figurino
por de trás da janela, 
vou contado minutos e horas,
observando a vida do exterior
agitando-se cada vez mais.
P´ra mim o tempo visto
da minha janela é cinzento, 
e a solidão me entristece
e me torna fria de sentimentos
que vagueiam em desordem
por minha mente
Triste visão esta por dentro da janela, 
e da minha vida 

de: Fernando ramos

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:43


354 - NOSSAS MADRUGADAS

por Fernando Ramos, em 29.12.16

 

 

NOSSAS MADRUGADAS

 

Beijamo-nos na madrugada
quando a lua se vai esconder
Ela nos dá ansiedade amada
que vai durando até amanhecer


A lua vai desaparecendo
Até que o raiar acontece
Nosso desejo vai crescendo
na gostosa paixão que apetece


E o sol, seus raios trouxe
a nossos corpos embevecidos 
E numa paixão amarga e doce
nos perdemos enlouquecidos


E a ternura da madrugada
nos deu este secreto paraíso
Levou-nos à loucura amada
do verdadeiro sentimento conciso


E amando, nova lua procurámos 
p´ra nossos desejos ardentes
E ela, na noite encontrámos
nas madrugadas em nós presentes

 

de: Fernando Ramos

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:46


353 - AMOR DE PRIMAVERA

por Fernando Ramos, em 29.12.16

 

 

AMOR DE PRIMAVERA

 

Eu ouvi a primavera por ti chamar
e meu coração sorriu vibrando       
Sou feliz em querer acreditar
que o teu, p´lo meu está palpitando

 

Na aurora dizem que o sol é rei
e é feliz por trazer calor à terra
Aí, onde nosso amor é lei
nesta paixão que p`ra nós não encerra

 

E a primavera que por ti um dia procurou
trouxe belas fragrâncias à nossa vida
O que alegra o jardim de lindo tom
da nossa felicidade que não está sumida

 

E o sol do nosso namoro de primavera
segue as leis ditadas pelo profeta
Ele vive no reino, de quem nos dera
com amor eterno da poesia do poeta

 

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:12


352 - A DOCE IDADE DO SABER

por Fernando Ramos, em 29.12.16

  

 

A DOCE IDADE DO SABER

 

Com a idade vem o saber
De conhecimentos que se enraízam      
Alguns acabam por ter
Pensamentos que se eternizam

 

Os idosos bebem cultura                             
Dos que sabem bem pensar
No tempo oferecem ternura
Que jamais a podem roubar

 

E dedicam-se à gente nova

Transmitindo conhecimento e gentileza

Oferecem-lhes uma bonita trova

Guardada na sua fortaleza

 

Ela fala da vida e do amor
Que devem ter quando casar
E não há que esconder o rigor 
Que constitui esse belo pensar

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:12


351 - ENCRUZILHADA

por Fernando Ramos, em 28.12.16

 

 

ENCRUZILHADA

 

 

A vida, é um empréstimo de Deus
Que se vai pagando aos pedaços
Com ela, vem ensinamentos seus
P´ra nossa vivência de leves traços

 

E o amor, é um sentimento da natureza
Que se vai conquistando dia, a dia
Devemos o distribuindo com subtileza
Aos filhos que a gente cria

 

Mas esperança, é uma dávida da vida
Que a guardamos no coração
Por vezes a sentimos perdida
Por pensarmos ser pura ilusão

 

Impossível é, controlar a roda do destino
Nem vale a pena tentar mudá-lo
Deus o traça, p´ra nós muito certinho
Porquê alguns o querer modificá-lo

 

E a vida e o destino vão de mão dada
E a esperança na encruzilhada dá-lhes calor
O amor com doces beijos lhes paga
Sentindo o coração seu eterno sabor

 

 

de: Fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:30


350 - VOU PARA A ESCOLA

por Fernando Ramos, em 28.12.16

 

 

VOU PARA A ESCOLA

 

Vou para a escola aprender
e depressa a vou encontrar
As letras terei de saber
e os números preciso contar
É tarde para isso acontecer,
mas a vida por aí não me levou
Não consigo compreender
porque o destino não deixou

 

Eu para a escola quero ir
mas agora é tarde de mais
Irei a tempo de conseguir
saber as letras e outras tais

 

Quero aprender a ler
mas têm de me ensinar
Quero aprender a escrever
mas têm de me ensinar
Quero aprender a contar
mas têm de me ensinar
Quero aprender a somar
mas têm de me ensinar

 

Esta minha ignorância
não dá para perceber
Não estudei em criança
Isso não consigo entender
Dizem ser tarde de mais
mas isso pouco me importa
Se todos somos iguais

 

Quero aprender a ler
mas têm de me ensinar
Quero aprender a escrever
mas têm de me ensinar
Quero aprender a contar
mas têm de me ensinar
Quero aprender a somar
mas têm de me ensinar

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:36


349 - TEU CORPO É ARTE

por Fernando Ramos, em 28.12.16

 

 

TEU CORPO É ARTE

 

Vejo teu corpo nu, com ternura
como um quadro famoso de um pintor
Meus olhos nele, vem tanta doçura
que os faz brilhar de muito amor

 

Teu corpo é lindo como um poema

escrito por um trovador afamado
Que um dia o cantará em cena
deixando o publico deslumbrado

 

E se ele for visto por um escultor
cinzelará a pedra com brandura
Nela deixará seu saber com amor
que fascinará o mundo da cultura

 

Mas se houver outro famoso artista
que por ele entre em perdição
Ficarei muito mais egoísta
e dele jamais abrirei mão

 

Por ti, até sonho acordado,
e tenho ciúmes que me mate
Vivo num torvelinho apaixonado
p'lo teu corpo, que é de pura arte

 

 

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:19


348 - ESCREVER PARA TI

por Fernando Ramos, em 28.12.16

 

 

ESCREVER PARA TI

 

Minha escrita é meu tesouro
que chega num movimento ondulante
Eu a guardo como se fosse ouro
mas se não vem, fico espectante

 

Não será um acto de cobardia
por vezes faltar alguma inspiração
Sei que o cansaço cega a sabedoria
e tão nefasta é essa solidão

 

Será de mentes arejadas
escrever frases em cristalino
Palavras boas e confortadas
saindo do lápis em redemoinho

 

E a poesia nasce num sopro quente
trazendo vendavais de felicidade
Para ti eu escrevo de presente
com total carinho e liberdade

 

Poderá ser um poema embaraçado
que te dirá, alguma parte de mim
decerto que até seria engraçado
saberes que escrevo só para ti

 

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:44


347 - DE METRO COM AMOR

por Fernando Ramos, em 28.12.16

 

 

DE METRO COM AMOR

 

Meu amigo passageiro,
que vais num passo apressado
Entras no metro com algum dinheiro
pró destino por ti traçado

 

E nesse seguro transporte
não vês com algum rigor
Arte de fino recorte,
de artistas de muito valor

 

E em painéis extraordinários
as paredes expoem o saber do artista
que o oferece aos passageiros diários
que bem este transporte utiliza

 

E de metro com amor
vai gente de futuro incerto
Com vidas de algum pendor
trabalhar pró seu patrão certo

 

E neste belo transporte
viaja o adulto e a criança
em carruagens de grande porte
que a todos leva em segurança

 

No metro todos querem ir
porque lá, se vai sempre mais além
Apanham o comboio que há-de vir
levando todos muito bem

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:32


346 - VAIS SEGURA

por Fernando Ramos, em 27.12.16

 

VAIS SEGURA

 

Vais na rua, e vais segura
de encontrares o homem 
que um dia na tua vida se cruzou
e olhares de esperança se trocaram 
e neles promessas se fizeram
e beijos ficaram por dar

Teu amor ele levou,
teu sorriso nele ficou
e teu coração ficou só

 

Vais na rua, e vais segura
de que teu olhar, 
teu sorriso e o teu amor
o vai voltar a encontrar
e pensas certamente
que tudo recomeçará

Mas o homem que 
por ti um dia se cruzou
e olhares trocou
não o encontras
e tu ainda o amas
mas o destino
te diz que já mais vais voltar
a trocar sorrisos, e olhares

 

Vais na rua, e vais segura
mas triste, chegou a ansiedade
ao teu coração
O homem da tua esperança 
não chega, e a emoção
errante te invade
e noites sombrias 
certamente vão chegar

 

Vais na rua, 
mas já não vais segura
Agora tens um
destino inexorável a cumprir
porque alguém ficou
com teu olhar e teu sorriso,
outro amor tens de encontrar
e que te devolva tua alegria, 
que hoje é um triste poema

 

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:39


345 - CELESTE, A FLORISTA

por Fernando Ramos, em 27.12.16

 

 

 CELESTE, A FLORISTA

 

Celeste, artista popular
vende flores no mercado 
do bairro de Alvalade
perto de sua casa

À noite, prepara seu vestido 

e coloca um xaile preto
tão preto como é a noite
que para ela vai começar
ali para os lados de Alfama
cumprindo seu prazer calado

pintado com carinho

amor e dedicação

 

Lá, numa casa típica 

ao som das guitarras
canta bonitos fados
que muitos corações enlaça 
com sua voz graciosa  
fazendo sentir a todos
as maravilhosas cores da vida

que o fado contem

 

E ela canta, canta, 
canta fados com muito 
amor e emoção
Neles, passa um sofrimento
conciso, juntando a solidão
sua companheira

Ela está só, e o fado 
é a sua única razão de viver

 

Celeste, a florista 
que tão bem sabe cantar
por alguns momentos da noite 
faz que o sentimento na sua voz

deixe feliz os que a ouvem

por um bom pedaço de tempo


De dia, bem cedinho
volta pró mercado
p´ra sua vida ganhar

O fado é a sua grande paixão
que a vai consumindo de amor


À noite, a felicidade aparece 
que ela a toma aos bocados 
E entre trinados de uma guitarra 
o arco íris de sentimentos acontece 
deslumbrando outros

que a vida da fadista

eles desconhecem

 

O povo, ama a Celeste
que os faz esquecer 
sua triste dorida vida solitária
Ela canta p´ra alma de todos
com sua voz serena, bela e certa 
bebendo as palavras 
escritas p´los grandes poetas

 

Ela vai sendo feliz assim
distribuindo a solidariedade 
a vidas, que sabendo-se lá

o que esconderá seus passados


de: Fernando Ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:22


344 - FLORES DO MEU BEM AMAR

por Fernando Ramos, em 27.12.16

  

 

344 - FLORES DO MEU BEM AMAR

 

Conheci na Travessa dos Barbadinhos
Ali prós lados da Esperança
Uma negra que levava seus livrinhos
P’ra dar à sua criança

 

Ela é uma mãe solteira
Quem a vida não ajudou
Amou de forma ordeira
O homem que dela abusou

 

Hoje, sou eu que a amo
E com ela vou casar
A minha negra a quem chamo
Flor do meu bem amar

 

Agora à travessa vamos
Recordar nossos encontros
Lá muito nos beijamos
Que de amor ficamos tontos

 

E ela, ali baixinho me diz:
”Meu branco bem danado”
É a mulher que sempre quis
P’ra meu coração desatinado

 

Agora as duas estou amar
Minha negra, e sua criança
Elas a mim me estão a dar
A vida cheia de esperança

 

São duas belas preciosidades
Eu a Deus muito agradeço
Só peço muitas felicidades
P’ras flores de quem pertenço

 

Fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:19


343 - IGREJA DA SÉ

por Fernando Ramos, em 27.12.16

IGREJA DA SÉ

 

Hoje vou à Igreja da Sé

Rezar a Cristo, por meus pecados
Ando por caminhos mal traçados
E com isso perdi a fé

 

Vou numa vida que não quero
E não é por falta de sorte
Se for por aí, me espera a morte
Mudar meu caminho eu espero

 

Peço a Cristo solenemente
Para terminar meu pesadelo
Meu passado preciso esquece-lo
Quero uma vida decente

 

Rogo a Deus para perdoar
Meus pecados de vida má
Eles me desgraçam por cá
Não posso voltar a pecar

 

E, na Igreja da Sé que me é querida 
Me converto ao Santo Cristo caridoso
Recebo do seu coração piedoso
A volta da minha fé perdida

 

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:11


342 - A NAU DO ZECA TELHADO

por Fernando Ramos, em 26.12.16

342 - A NAU DO ZECA TELHADO

 

Nessa tua Nau Catrineta,
que muita gente anda a gostar
Não tenhas a critica serena
para a reacção não passar
Se não, ela vem por aí fora
Nossos espíritos incomodar
Zeca, tua Nau a malta adora
Fica sempre a Naucatrinar


Para tua sátira lhes fazer doer
grita Abril, até que a voz te doa
Manda os gajos todos endoidecer 
porque a revolução é coisa boa
Obrigado pelas tuas Naus
que rolam como uma esfera
São bonitas e dão tautaus
a muitos da blogosfera

 

de: fernando ramos - para o ZECATELHADO www.tadechuva.weblog.com.pt

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:57


341 - CANTO AO MUNDO

por Fernando Ramos, em 26.12.16

 

 

CANTO AO MUNDO

Canto às mágoas da vida
e ao amor de vai e vem
Canto às árvores que nos abrigam 
das tempestades que vêem

 

Canto ao mundo que vai em perigo
e aos homens que não se entendem 
Canto alegria que persigo
e às fêmeas que seus filhos lambem

 

Canto aos homens de boa vontade
e às mulheres p´lo nascer da criança
Canto à vida e à liberdade
que nos trazem a nova esperança

 

Canto às tristezas dos dias
num Outono amargurado
Canto à paz que tu bem querias
mas chega num triste fado

 

Canto ao amor que feliz nos deixa
quando a guitarra toca a bonança 
Canto a quem tanto deseja 
o sorriso de uma criança

 

Canto a quem muito quer
uma criança adoptar
Canto à vida que amo
bem como quem me quer amar

 

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:34


340 - SEMPRE ABRIL GRITA O POVO

por Fernando Ramos, em 26.12.16

 


SEMPRE ABRIL GRITA O POVO

 

O inimigo não passará,
Porque Abril venceu
O povo sempre lutará
Por um Portugal que é seu

 

Não pense a reacção,
Que entregamos o nosso país
Lutaremos de armas na mão
E, é o povo que vos diz

 

Na liberdade está a razão
E é a Democracia que o povo quer
Abril está em nosso coração,
Por ele, luta homem e mulher

 

Abril, sempre Abril, grita o povo
Na sua sabedoria preciosa
Todos querem um país novo
Porque a situação é melindrosa

 

Os inimigos de outrora
Hoje levantam a cabeça
Temos de os mandar embora
Antes que ele por aí apareça

 

Ó heróis do meu país
O povo a vós vos ama
Desde há muito que por aí se diz
Que estão perdendo a vossa chama

 

Mas o povo não acredita,
Nesse boato mentiroso
Por vós o povo grita,
Tragam um novo Abril vitorioso

 

De: Fernando Ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:15


339 - QUEM É CEGO?

por Fernando Ramos, em 26.12.16

QUEM É CEGO?

 

Vai o ceguinho no metro
Pedindo esmola por caridade
Aos passageiros de transporte certo
Que circula por debaixo da cidade

 

Poderá ser uma humilhação,
Para quem vê tal cena
Mas o pobre tem de ganhar o pão
E do ceguinho não tenham pena

 

É triste haver quem pensa assim
De quem precisa no mundo sobreviver
Serão mais cegos para mim
Que tal infelicidade não quer ver

 

Quando vires o cego no transporte
Não tenhas desdém nem pavor
Ele apenas teve má sorte
Neste mundo de desamor

 

Ele é gente como vós
A quem a vida não foi generosa
Mesmo assim gosta de nós
Não tenhas essa atitude perniciosa

 

Deixa o bom cego se governar
Nesse seu modo de vida
A eles devemos mais amar
Porque sua alegria é contida

 

Mas, muito calor ele tem
Que o distribui sem qualquer rigor
E se de alguém recebe desdém
Ele retribui com sorriso e amor

 

de; Fernando Ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:35


338 - IMPREGNADA DOÇURA

por Fernando Ramos, em 26.12.16

 

 

 

IMPREGNADA DOÇURA

 

Vem o sol receber-nos

depois de uma noite
de vai e vem colorida
Ele sorri ao nosso amor
resplandecente
da madrugada apetecida

 

Vem com a alvorada aquecer

nossos sentimentos electrizantes
Trazendo vendavais de felicidade

por ondas longas e quentes

de caricias em magia d

e aspirado devaneio

a nossos corpos incandescentes

 

E de novo
com o raiar do dia
que vai entrando pela janela
O amor vem atrás de amor
recomeçando outro
bem bom que asfixia
Dando continuação aos
sublimes momentos,
que a nós não nos espantaria

 

E, nos amamos sem poréns
na nossa nudez de prazer
Continuando num movimento 
firme e ondulante
num desejo total 
ascendente de bom viver

 

E nessa aurora
que nos leva a mais vontades

sentidas de loucura
A nossa secreta sedução 
só termina,
em empregnada doçura

 

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:09


337 - A FILHA DO PESCADOR

por Fernando Ramos, em 24.12.16

  

 

 A FILHA DO PESCADOR

 

Bate o sol na choupana

de manhãzinha ao nascer
Ele brilha, e não reclama 
até ao fim do dia, ao entardecer

 

A choupana é do pescador
e da sua filha que é donzela
Ele lança as redes com vigor

p´ra muito peixe cair nela

 

O pescador, vai na canoa ao mar
e a donzela fica na choupana
Porque, peixe, seu pai vai pescar
para sua filha que muito ama

 

Ao regressar ao seu lugar natural
O pescador traz a canoa pesada
Vai com a onda pró areal
juntar-se à filha que o esperava

 

Ela procura um grande amor
p´ra na choupana ser bem amada
Mas é que o pobre do pescador
a sua filha, não vê casada

 

Ele volta pró mar
procurando um golfinho amigo
Ao golfinho vai explicar

o problema que traz consigo

 

O golfinho o ouve, e vai embora
p´ra no mar, um marinheiro encontrar
Que o leva ao amigo pescador, na hora
para a sua filha donzela, dele gostar

E tudo foi como pensaram
A donzela viu o marinheiro do golfinho
Logo ali. se gostaram, e casaram, 
e da choupana fizeram seu ninho

 

O pescador voltou pró mar
na sua canoa, que muito lhe diz
Com o golfinho se foi encontrar
e por lá ficou muito feliz

  

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:15


336 - A CARTA DE PÊRO VAZ DE CAMINHA

por Fernando Ramos, em 24.12.16

 

336 - A CARTA DE PÊRO VAZ DE CAMINHA

 

A nove de Março de mil e quinhentos

De Belém, partem Naus e Caravelas
Vão p’ra lugares julgados cinzentos
Com nossos valentes, que vão nelas

 

 

Pêro Vaz de Caminha, parte na Armada
Capitaneada por Pedro Alvares Cabral
Foram por mares de água salgada
Procurando novos mundos p’ra Portugal

 

 

E a vinte e dois de Abril, desse mesmo ano 
Arribaram ao lugar, que chamaram de Vera Cruz
Ali acostaram, e talvez fosse um engano 
Naquela natureza, que Deus ali produz

 

E logo Pêro Vaz de Caminha, o escrivão
Numa singela escrita, relata na carta ao rei 
Sua Alteza Real D. Manuel, e seu patrão
A nova do achamento, daquela terra sem lei

 

Nossos homens, embevecidamente deslumbrados
Observavam as terras que possuem tanta pureza
E ter gentes de belos corpos pardos
De rostos e narizes, que lhes dão fineza

 

Mais admirados, ainda ficaram
Por eles trazerem à vista, suas vergonhas
Da sua nudez nossos valentes reparam
Das nativas, que não eram tristonhas

 

O escritor, a boa terra nova descreve
Na sua mais simples magia de contar
Que ao povo ali, pouco lhe serve 
Tantas e raras belezas de encantar

 

E vai relatando ao pormenor
A vivência de todo este povo
Deixando nossos homens, na maior
Felicidade, do achamento novo

 

E relata, que prendas se trocaram 
Com os nativos daquelas vidas belas
Alguns dos homens, deles se abeiraram
Recebendo arcos, de penas vermelhas e amarelas

 

A primeira missa, também lá foi dita
Pelo padre frei Henrique
Foi tal a devoção descrita
Que pediram que a religião ali fique

 

E viram mulheres e homens pintados
De várias cores, mas mais de vermelho
E muitos nativos de beiços furados
Dançaram ao som do nosso pobre gaiteiro

 

Todos bailaram bastante felizes
Misturados naquele areal
Fazendo amizades que deram petizes
Nascendo ali a cor de pele especial

 

E Pêro Vaz Caminha escrevia, escrevia
Tudo o que naquele achamento se passou
P´ra sua Alteza Real, que cá depois lia
As belezas que tanto os maravilhou

 

Papagaios, e outras aves eles viram
De várias cores, e todas bonitas
As mulheres suas penas as queriam
Tornando-as ainda mais catitas

 

E lá ficaram homens de fé e fervor
P´ra fazer dos nativos bons cristãos
Ensinando-lhes o evangelho do Senhor
Que os iria tornar muito bons irmãos

 

Naquelas águas infindas e belas
Os portugueses, o achamento transformaram 
Num imenso Brasil de fascinantes aguarelas
P’las raças, que sempre muito se amaram

 

 

E tudo foi descrito até ao pormenor
P´lo Pêro Vaz de Caminha, em escrita natural
Deixando a carta, que é a preciosidade maior
Considerada por muitos, património mundial

de; fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:30


335 - A FLORESTA

por Fernando Ramos, em 24.12.16

 

 

 

A FLORESTA

 

Aconchega o sol à floresta
que lhes dá vida e destreza
Vem de manhã, e a ela se presta
cuidar de sua infinita beleza

 

A floresta, ao mundo dá vida
ás aves, flores e riachos
Ela é uma esperança sentida
p’ra frutos e seus cachos

 

A floresta é a natureza
desde o inicio, dos tempos idos
A nós, dá-nos a sua singeleza
que nos torna irmãos, e filhos

 

Minha floresta, meu amor
a ti destoem os loucos
Tu não deixes por favor
que acabem contigo, aos poucos

 

A floresta é o nosso pulmão
gritam alguns em todo o mundo
Mas o homem na sua ambição
leva o ambiente ao fundo

 

Temos de salvar a floresta
para a nossa sobrevivência
Sem ela, mais nada nos resta
a não ser, uma vida em decadência

 

Da ganância dos madaeireiros
está o mundo, cheio de gente desta
São homens que por alguns dinheiros
vão acabando com a nossa floresta

 

Deixo um apelo ao mundo irmão
para que a floresta seja estimada
Ela é alegria das gentes, e o pulmão
desta nossa vida quase esgotada

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:22


334 - VIAGENS

por Fernando Ramos, em 23.12.16

 

VIAGENS

 

Faço algumas viagens p´lo mundo
e bonitas imagens obtenho
Algumas são, contudo
de vários percursos e tamanho


Há viagens grandes e pequenas
que se fazem por cidades da Europa
Por vezes, não são nada serenas
porque das malas, alguém faz a troca


Esse, é um grande aborrecimento
e acontece sempre um mau momento
É que, de viagem boa passa a tormento
quando deveria ser de divertimento

 

Mas há viagens que valem bem a pena
Como ir a Londres, Madrid ou Paris
Ou então, a Atenas, Roma e a Viena
Sendo das mais bonitas que já fiz


E há outras que nos deixam pasmados
Como o México, Tailândia e Brasil
Ou então ir às Caraíbas, a Barbados
São passeios bons, e de mais notas mil

 

Andar p´lo mundo é bonito, bom, e sabe bem
E há tantos países interessantes
E porque não, viajar por Portugal também
Que é um país gentil, lindo e cativante

 

Viajar, se puder é o melhor que há
Outras gentes, e culturas vamos conhecer
Algumas são bem diferentes de cá
Por isso viajar, é sempre um prazer

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:35


333 - SOFRIMENTO

por Fernando Ramos, em 23.12.16

 

 

SOFRIMENTO

 

A dor é uma causa natural

que dá sofrer de noite e de dia
É má lágrima na vida sombria
Num triste destino desigual

 

E desta nossa pura agonia
vem um gemer natural 
Todos eles gritam o mal
de dentro do corpo que não merecia

 

Com este sofrimento de dor 
vem também dramas e martírios
Trazendo a nós, alguns lírios,
que chegam com algum primor

 

Eles vão com o nosso mal
pró destino desconhecido
Que mora num céu apetecido
de onde se observa nosso funeral

 

Aí, a dor tem toda a sua cura
nesse paraíso de bem estar
Não mais ela vai voltar
nem o sofrimento mais dura

 

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:14


332 - CONSELHO DE AMIGO

por Fernando Ramos, em 23.12.16

 

 

CONSELHO DE AMIGO

 

Não já te esperava amigo
Faz pouco tempo que me deixaste 
Fiquei bastante surpreendido,
Quando a minha casa
regressaste

 

É que, estás algo diferente
E recordo outros tempos passados
Ias casar, andavas novamente contente
e disso, rimos que nos fartámos

 

Pois, já foste casado
E foi ela que te abandonou
Nesse xadrez passou um mau bocado
Porque outra, à porta lhe tocou

 

Não podes levar essa vida
De, com várias damas jogares
É que assim, estás sempre de saída
Por de outras mulheres gostares

 

Hoje vens só, e triste,
Algo contigo não está bem
Será que a mulher com que partiste
Te vai deixar também?

 

Eu estou sempre por aqui
E comigo podes contar
Mas se ela gosta de ti
Decerto te vai perdoar

 

A vaidade cega a sabedoria
E tu já devias saber isso
Levas a vida que ela não queria
E não te apercebes disso

 

Devias conhecer esse teu defeito
E teres muito mais cuidado
Já perdeste uma mulher de respeito
E com esta, também está tudo acabado

 

Segue um conselho, amigo meu
Porque tens um destino a cumprir
Não queiras o que não é teu
Basta-te, a que contigo irá sempre dormir

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:10


331 - LUAR DA MADRAGOA

por Fernando Ramos, em 23.12.16

 

 

 LUAR DA MADRAGOA

 

Ia olhando a noite boa 

E pedidos fazia ao Luar
Queria um amor tido na Madragoa
Que hoje não paro de recordar

 

Um dia, esse amor encontrei 
E foi num Beco, que vi seu olhar 
Por ele logo me enamorei
Que ainda hoje continuo a gostar

 

Numa curva do Beco nos amámos
Num torvelinho louco de sentimentos
E também nesse árduo leito deitámos
Lágrimas de alguns lamentos

 

Porque minha paixão foi embora
E na Madragoa, só fiquei
Agora sofro, e meu coração chora
P´la mulher que ali muito amei

 

Hoje na noite, a ando a procurar
E o luar da Madragoa ma trouxe
O meu amor, mais não vou deixar
Porque para mim, ela é um doce

 

Descobri o seu olhar na Madragoa
E dele não mais me vou separar
Com ela quero toda a noite boa
Com o luar, espreitando-nos amar

 

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:50


330 - ANA ROSA

por Fernando Ramos, em 22.12.16

 

 

 

ANA ROSA

 

Nos meus tempos de estudante
p´lo Bairro Alto eu andava
E à porta de uma taverna
conheci Ana Rosa
Era uma mulher feita e fogosa

de corpo de alguma formosura

E num vão de escada

de um prédio velho,

ela tornava minha juventude

bem mais saborosa

 

Ana Rosa, e todas as Anas Rosas
que por aquelas ruas vagueavam

naquela época como falsas virgens

mais não faziam que vender

o corpo meio descoberto,

exibindo a miséria sem piedade

cuja pouca fazenda cobria suas

vergonhas que ofereciam

por algum dinheiro, aos homens
ou rapazolas que como eu

por ali passavam

 

O pouco dinheiro que eu tinha
dado por meus pais,

eu o guardava, e esse dinheiro

com mais alguns trocos
que docemente surripiava

à pobre da minha avó
me levavam àquelas ruas,

pelo menos uma vez por mês,

e a Ana Rosa eu queria,

vestida de tudo, e despida de nada
pois era a mulher de meus sonhos

eróticos e sensuais,

e também o meu conforto

 

Ela, só não sabia ensinar-me amar
como era boa ouvinte
e, na minha inocência de vida
lhe contava minhas tontarias
de rapaz ansioso e atrevido,

e o meu amor por ela

crescia admiravelmente como versos
E Rosa ria, ria...

Como ela ria, meu Deus,
seu sorriso era tão bonito
como seu corpo de onduladas curvas

 

Bem depressa,

deixei de ir àquelas ruas escuras,

tristes e de má fama por causa
dos pecados da vida
Mas tivesse eu dinheiro,

a ela eu iria todos os dias
Que saudades eu tenho

da minha vida de rapaz doidão,
como dizia Ana Rosa,

e baixinho me sussurrava
ao ouvido, dizendo

como gostava ser dona

da rua do pecado,

só para estar comigo

 

Hoje passo pelo Bairro Alto,
e claro, já lá não está a Ana Rosa
mas eu a recordo com amizade,

e se calhar com algum amor

que fiquei por essa mulher
que sempre achei gostosa
Ah, tivesse eu dinheiro nessa época
de quando era jovem,

aquela rua de pecado,

eu oferecia à Ana Rosa

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:55


329 - AMAR NAS DUNAS

por Fernando Ramos, em 22.12.16

 

 

AMAR NAS DUNAS

Há noite, levo o meu amor ao monte
que fica bem próximo do mar
Já de lá, olhamos o horizonte,
p´ra sabermos onde podemos amar


Decidimos ir para a beira do mar
e na arei nos aconchegámos
Ali, nos beijamos devagar
e dos nossos sonhos falámos


Entretanto uma onda atrevida chegou
molhando nossos corpos bem quentes
Era uma, que nunca banhou
paixões assim tão ardentes


De lái, então nós saímos
e fomos para as dunas do lado poente
Ao chegarmos, p´ra elas sorrimos 
ali
nos amaríamos perdidamente


E foi assim que tudo aconteceu
com bons momentos de grande esplendor
Até, que depressa amanheceu
a às dunas devemos um ondulado amor


Para o mar nós olhámos
agradecendo à onda que nos banhou
Porque nas dunas docemente amámos
naquela noite que depressa passou

 

 

de: Fernando Ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:25


328 - FILHOS DA RUA

por Fernando Ramos, em 22.12.16

 

 

FILHOS DA RUA

 

São filhos da rua

Mas chamam lhes, "Os sem abrigo"

Tem esta má sorte, que podia ser tua
Por andar nesta vida de algum perigo

 

Vivem junto da natureza
E alguns, sem eira nem beira
Sabemos nós com alguma certeza 
Dos poucos, que esta vida queira

 

Todos eles tem muitas histórias
E algumas bem bonitas, talvez
Mas agora as suas vitórias
É viver um dia de cada vez

 

Eles não são desgraçados
Nem uns pobres coitadinhos
Alguns vivem esperançados
Que a vida mude aos bocadinhos

 

Para eles, a esperança é uma cedência
Que pediram em tempos à felicidade
Querem, e procuram paciência
P´ra ultrapassar sua infelicidade

 

Ser sem Abrigo, nem bem soa
E alguns precisam de oportunidades
Só que, a moral já não é boa
P´ra quem vive assim nas cidades

 

de: Fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:22


327 - O TERREMOTO DE 1755

por Fernando Ramos, em 21.12.16

O TERREMOTO DE 1755

 

Fez duzentos e cinquenta anos
que este pequeno País foi arrasado
Foi quase todo pelos canos
e um povo ficou infernizado

 

Escreveram que tremeu, a bom tremer
ficando completamente destruído
Aumentou a miséria e a falta de comer
e muito teve de ser reconstruído

 

O fogo queimou casas, e quase tudo
e o mar, à cidade muito longe chegou 
Nove minutos levaram o país ao fundo
num tremor de terra, que tudo devastou 


Grande desgraça teve Portugal
que foi engolido p´las altas ondas do mar
Foi um desastre de causa natural
que um povo teve de suportar

 

Foi a um de Novembro que aconteceu
Portugal inteiro ficar muito sofrido 
O povo, esse nunca esmoreceu
e fez um País bem reconstruído

 

Somos gente forte e valente
quando a desgraça nos bate à porta
Depois somos muito displicente
ao pensarmos que ela está morta

 

E um novo país foi construído
com o Marquês de Pombal à frente
Foi tudo muito bem sucedido,
E hoje ainda há uma construção decente

 

O povo ergueu uma obra bela e boa
fazendo uma maravilhosa cidade
Todos têm orgulho da sua Lisboa
linda terra p´ra posteridade

 

Somos um país com uma linda história
E devíamos de ser, mais amigos de nós
Levamos esta terra à nossa vitória
em nome dos nossos queridos avós


Não deixemos morrer Portugal,
que tantos construíram com muita dor 
É o nosso país, e não há outro igual
vamos todos dar merecido valor

  

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:32


325 - MINHA ORAÇÃO

por Fernando Ramos, em 21.12.16

 

 

MINHA ORAÇÃO

 

Rezo a Deus pelos pecadores

Que vivem em perdição
De Deus não são pescadores
Almas cheias de escuridão

 

Meu pai, perdoai-nos a todos
Pela nossa falta de fé
Nascemos e vivemos num toldo
Cobrindo a miséria,vivendo na ralé

 

Pela árvore conheces o bom fruto
Que vive dentro do pecado
Separa-o, e torna-o astuto
P´ra sair do mau destino traçado

 

Ó Deus, dá luz aos homens maus,
P´ra que se dêem com o irmão
São eles que criam o caos
A todos que vivem na razão 

Na tua infinita bondade
Traz a paz a todos nós
Dá-nos amor e liberdade,
Para que não fiquemos sós

 

Não deixes beber a dor do teu cálice
A teus filhos de pecado
Perdoa-nos, porque alguém disse
Que és bom, e nos dás a verdade

 

Rezo a ti, meu bom Deus
Pelo pecado imundo
Guarda os filhos teus,
Da desgraça deste mundo

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:06


324 - A VIDA NO SEU CARROSSEL

por Fernando Ramos, em 21.12.16

 

 

A VIDA NO SEU CARROSSEL

 

A vida é um carrossel, 
e dá muitas voltas sobre si mesma
Subindo e descendo num movimento 
ondulante, conforme as circunstancias 
Precisamente como os cavalos, 
carrinhos e outros bonecos em madeira
como há nos carroceis por esse mundo fora
Girando sempre no sentido do destino
como gira, gira a nossa vida 
num estontear,
de sobe e desce permanente
Seguindo sempre o rumo 
por Deus traçado, desde o inicio,
que só termina quando faz um click,
porque a respiração ali findou,
acabando a vida nesse preciso momento, 
como se o empregado do carrossel 
desliga-se a corrente eléctrica, 
chegando ali o seu final de viagem
A vida é um carrossel
que se irá perpetuar sempre, 
e sempre através dos tempos
Nós só temos de seguir o seu percurso

 

de: Fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:54


323 - AÇORES - S.MIGUEL

por Fernando Ramos, em 20.12.16

AÇORES - S.MIGUEL

 

S.Miguel, ilha de água e Fogo
a todos trazes felicidades
Tua beleza é como um jogo
na Caldeira das Sete Cidades

 

Ponta Delgada a Tua Cidade,
tem lagos de encantos sem fim
Despertam muita curiosidade
aos turistas, e a mim

 

És uma ilha que produzes chá
ananases, e até charutos
E nas Furnas bom cozido há
já não falando de teus frutos

 

Tens lagoas de enorme beleza
com vegetação tropical
E flores que não trazem tristeza
pró nosso querido Portugal

 

S.Miguel meu amor
apesar de não ser daí
Te visito, e trago teu sabor
e falo muito de ti, aqui

 

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:53


322 - GALINHA DOIDA

por Fernando Ramos, em 20.12.16

 

 

GALINHA DOIDA

 

Sou uma galinha constipada
E dizem que tenho gripe
Já tenho minha vida estragada
Não tarda que alguém me frite

 

Que vai ser de mim meu Deus
Com o que nos estão a fazer
É que, já tenho amigos meus
Que nem servem p´ra comer

 

Sou uma galinha doida varrida
E a mim todos me perseguem
Tenho pouca esperança de vida
Porque agora todos me temem

 

Ó senhores sábios do mundo
Descubram lá a vossa vacina
Porque nós temos gosto profundo
de andar cá, cantando em surdina

 

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:47


321 - ESPERAR À CHUVA

por Fernando Ramos, em 20.12.16

 

 

ESPERAR À CHUVA

 

Vou fugir das gotas de chuva
Caindo em meu corpo que espera
Aguardo um amor que não turva
Sua vida que me supera

 

E à chuva aguardo por meu amor
Da caravela que vai atracar
Vem de um mar de bela cor
P'ra de mim, ele se abeirar

 

A sua caravela ainda não chega
E esta chuva não vai parar
Mas, meu amor dela me aconchega
Neste inverno que está a entrar

 

E a caravela ao cais atracou
Depressinha nos fomos encontrar
Meu amor à chuva me falou
Das saudades de me querer amar

 

E lá fomos nós feitos loucos
Pró nosso leito de muito calor 
Amamo-nos bem e aos poucos
num vai vem de enorme esplendor

 

As gotas da chuva lá pararam
Quando o prazer à nossa cama chegou
Meus lábios a meu amor sussurraram
Que meu corpo, a ele sempre amou

 

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:06


320 - O MAR E O PESCADOR

por Fernando Ramos, em 20.12.16

 

 

O MAR E O PESCADOR

 

O mar é grande, e tem vida
e as marés são o seu sangue
Nele, navega uma vela erguida
num barco que a onda persegue
E no mar, há bom ar que se respira
que nos vai dando vida e cor
Tem peixes de espécie colorida
que vão às redes do pescador
Com elas faz suas pescas 
quando ao mar as vai largar
Trazem, muito peixe p´ra festas
pró pequeno salário

que o pescador anda a ganhar
Com ele, alimenta seus familiares
que o esperam ansiosos e com pavor
Não vá o mar trazer alguns azares
ao pescador que a ele se entrega em amor

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:29


319 - BONS SONHOS PARA TODOS

por Fernando Ramos, em 19.12.16

 

 

BONS SONHOS PARA TODOS

 

A realização dos sonhos
pode tornar a vida mais importante
ou não, tudo depende deles 
Se forem bons, tudo bem, se não
ai o melhor será eles não se realizarem

 

O sonho poderá ser uma visão
da nossa vida futura

e por vezes essas visões bem amargas

poderão ser a nossa melancolia

Assim o melhor será não sonhar
p´ra que as visões não nos atormentem

 

Mas os sonhos poderão ser uma ilusão
ou ser a seiva da nossa vida
e trazerem a felicidade

por nós à muito, muito apetecida.
E quem não gosta de bons sonhos?

Quando eles não não acontecem
o melhor é não deixar o sonho acontecer
Acordando no preciso momento 
de nós transcendermos a novas ilusões, 
se conseguir claro!

 

É óptimo ter sonhos bons
é mesmo muito bom
Especialmente quando eles
nos acompanha até à velhice 
Então p´ra todos, bons sonhos!

 

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:26


318 - PROCURAR UM PARAÍSO

por Fernando Ramos, em 19.12.16

 

 

PROCURAR UM PARAÍSO

  

Se no regresso ao paraíso
Sentires o aroma das flores
Sabes bem que foi preciso

Passares por bons amores

 

 Teu amor gostou disso 

E ter pressa não foi preciso

Porque cá terás de continuar

P´ra esse amor não levar sumiço


E nesta vida irás encontrar
Um pedaço do teu paraíso

 Até poderás procurar

O céu que muito queres conhecer  

 
Isso te fará perpetuar
Teu amor em sentido do prazer

 Que perdura p´la vida até morreres

 E no paraíso encontrarás 

Um circulo eterno, sem saberes

Lá sentirás o aroma não mortiço

de uma flor que não vai perdida
E será ela, que te fará sentir isso
Pró teu amor ser a paz merecida

 

de: Fernando Ramos

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:23


317 - O FEITIÇO DAS LETRAS

por Fernando Ramos, em 19.12.16

  

 

O FEITIÇO DAS LETRAS

 

Ter prazer através das palavras
que escrevemos em qualquer folha solta
é como se a magia acontecesse,
e a beleza da poesia chegasse 
Como chega o Outono
depois de um Verão que terminou

 

Porque os poemas que se escrevem
nessa folha de papel branco, 
parece um feitiço de palavras 
que se juntam, e nos enchem 
a alma de orgulho

e de enormes prazeres
que nos vai saciando 
o simples gozo de escrever

 

É como se a escrita fosse

 

dançando com as letras

no tempo que nós

perdemos com elas

 

E então construímos palavras, 
dizendo que estamos a olhar a lua, 
as estrelas, o mar, os animais, 
e sentir o amor, por nós e por todos 
Isto faz nascer a inspiração 
que acontece nesse preciso momento,
e nos leva a fazer poesia

como notas soltas que se ouvem

num piano tocado por anjos celestiais

 

Escrever poderá ser

tresdobrar o máximo 
que a vida nos pode dar, 
como o orgasmo que é 
o sublime prazer do amor,
Onde dois seres se perdem num rumo 
sem sentido que vão caminhando 
num universo límpido de desejo
Escrever é amar, 
e eu quero sempre amar

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:07


316 - TUA SOMBRA AO LUAR

por Fernando Ramos, em 19.12.16

 

 

TUA SOMBRA AO LUAR

 

Da noite, tu te escondes
Mas tua sombra eu vejo
É a lua que ilumina,
Essa penumbra que desejo

E por ela eu suspiro
Com alguns ais de paixão
Eu a levava para um retiro
Que fica pertinho do coração

 

Tua sombra me fascina
Trazida pela amiga lua
Atiro-lhe um beijo que desatina
Dado por minha boca que é tua

Essa sombra ela encontra
Mas teu corpo não
IP´ra mim é um faz de conta
E meus lábios ficam em perdição

 

Sai da sombra por favor
Porque estou em ansiedade
Desejo teu corpo com amor
E minha boca quer felicidade

Quando a lua for embora
Sabes que a aurora vai aparecer
Vou-te ver, e beijar na hora
P´ra meus desejos satisfazer

 

Adeus sombra, adeus lua
Que o dia está a chegar
Vais aparecer para mim nua 
Para, p´la manhã te amar

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:27


315 - LISBOA DOS BAIRROS

por Fernando Ramos, em 18.12.16

 

 

LISBOA DOS BAIRROS

 

Lisboa Apaixonada e bonita
Oferece o sol com cortesia
Perfuma seus bairros e acredita
Que o povo a ama de noite e dia

Leva Lisboa sua poesia
Aos bairros de gente boa
Algumas quadras são alegria
Que as vai deixar na Madragoa
O povo as escuta com emoção
Num silêncio de arrepiar
Madragoa presta atenção
É Lisboa que está a declamar

 

E ao Bairro Alto que também ama
Dá lhes mais poemas de primor
As gentes nas ruas os declama
Com mestria e rigor
E no Bairro Alto das colinas
Que olha Lisboa lá no cimo
Não vê de lá as antigas salinas
Mas um povo que lhe dá muito mimo

 

Em Alfama, Lisboa se perde
Em poesia alegre e de liberdade
Os trovadores de lá, a ela pede
Poemas de pouca saudade
E as varinas muito charmosas
Que por Alfama moram
Dão pregões de frases gostosas
Aos turistas que as enamoram

 

E na Mouraria, Lisboa escreve o amor
P´ra fadistas de voz rouca e melada
Num poema lhes diz sem pudor
Que por eles está apaixonada
O fado, o povo canta nas esquinas
Em belas noites de calor e Luar
Onde turistas cortejam as varinas
Que na Mouraria as querem amar

 

Lisboa é destes bairros do povo
E ainda de outros mais
Com eles brinda com vinho novo
Olhando o Tejo juntinho ao cais

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:35


314 - AMO NA MOURARIA

por Fernando Ramos, em 18.12.16

 

 

AMO NA MOURARIA

 

No bairro da Mouraria
Conheci lá uma princesa
Ela é tudo o que eu pedia
E Deus deu-me essa gentileza

 

É um espanto de mulher
Com quem sempre sonhei
Faço tudo que ela quiser
Menos pensar que a perderei

 

Foi num bar da Mouraria
Que uma noite lá entrou
Uma bebida eu pedia
Quando p´ra mim ela olhou

 

Logo por ela fiquei perdido
Numa paixão boa e intensa
De mim ela agora tem querido
A ida ao bar que não dispensa

 

E casámos numa igreja conhecida
Onde selamos o amor na fé de Deus          
Como uma vida dentro de outra vida
Que é bem bonito aos olhos seus

 

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:36


313 - GOLFINHO BRINCALHÃO

por Fernando Ramos, em 18.12.16

 

 

GOLFINHO BRINCALHÃO

 

Meu golfinho brincalhão

Vais nas marés p’la aurora
Dás saltos com precisão
Num mar que te adora

 

E muito gostamos de te ver
A brincares em mar chão
Todos nós vamos querer        
Dar desses saltos com emoção

 

Lindo golfinho de bem saltar
Tu, tantos deixas contente
Nós te iremos bem amar
Nas mares que estás presente

 

És alegria da pequenada
Que ao Zoo, vão ao Domingo
Visitar a bicharada
que lá estão felizes contigo

 

Golfinho da nossa paixão
Divertes-te muito no teu mar
Todos te tem no coração
Que p´ra sempre irão guardar

 

És de uma alegria imensa
E uma pérola no mundo
Não deixas a nossa vida tensa
Teu amor por nós, é profundo

  

de: Fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:19


312 - PARTIR

por Fernando Ramos, em 18.12.16

 

 

PARTIR

 

Partem os homens bons
E não fica a sua sombra

 

Parte um amor
E não fica a saudade

 

Partem os navios
E não fica a esperança

 

Partem os desejos
E não fica os sabores

 

Partes tu meu amor
E não fica a lembrança

 

Partes tu meu amigo
E não fica o teu saber

 

Parte uma esperança
E não fica a ansiedade

 

Parte a nossa memória
E não fica sua história

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:12


311 - CAVALEIROS E D. QUIXOTES

por Fernando Ramos, em 17.12.16

   

 

CAVALEIROS E D. QUIXOTES

 

Por vezes sonhamos com Castelos, 
monstros, cavaleiros e dragões
Imaginamos lutas terríveis
que nos vão levar a libertar a princesa,
onde um bravo cavaleiro montado 
num belo cavalo branco
arrisca a sua própria vida, 
numa floresta encantada 
em qualquer parte do mundo, 
que nós imaginamos

 

Julgamos que estamos

a lutar ao lado de D. Quixote, 

contra moinhos de vento


Como bem pode ser fértil 
a nossa imaginação
Ainda bem que o nosso pensamento 
tem destas maravilhas do mundo 
A nossa vida diária não é bem assim,
a realidade talvez seja bem pior, 
ou bem melhor para alguns, quem sabe

Os sonhos querem nos dizer 
algumas coisas, 
mas dragões, cavaleiros, e D. Quixotes 
todos sabemos que não existem 
Hoje há coisas diferente ou bem piores
Não se luta para conquistar a princesa
ou contra moinhos, ou tirar aos ricos 
para dar aos pobres 
Luta-se pela ganância, desprezo, dinheiro,
que nos vai levar à destruição total

 

Como eu tenho pena 
de não se lutar por princesas 
Como eu tenho pena
de não haver D. Quixotes 
a lutarem contra moinhos de vento
Como eu tenho pena que não sejamos 
todos crianças, e viver no seu mundo

Não se pode voltar para trás e ser criança, 
e começar de novo, bem sei
Mas, porque não pensar
que podemos construir um futuro 
bem melhor para todos,

um futuro de igualdade

de fraternidade .
É só nós querermos...

E nem precisamos de ser 
os novos Robim dos Bosques,
basta só ser solidários, dar amor 
e distribuir bem melhor 
o que a natureza nos dá,
o resto... 
Bom o resto completa-se com

o carinho e o amor 
Da nossa imaginação

 

 

de: Fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:30


310 - UMA FAMÍLIA SIMPÁTICA

por Fernando Ramos, em 17.12.16

UMA FAMÍLIA SIMPÁTICA

 

Conheço uma família simpática

de muito amor e alegria
Ela tem uma vida prática
como qualquer família gostaria

Carolina e Madalena,
são duas lindas meninas
Sua história é serena
porque ainda são pequeninas

Correm prós braços da mãe
com amor e desenvoltura
Ela, as adora em seu harém
e as mima de ternura

Alexandra, a mãe delas
dá-lhes colo como iguaria
E muitos beijos p´ra elas
tanto de noite como de dia

Carlos, o pai das meninas 
também lhes tem muito amor
Ele é doido p´las filhinhas 
e sofre, quando por ali há dor

Carolina, mais crescidinha,
sua irmã gosta de pegar
Dela é tão amiguinha
que as duas querem é brincar

Madalena, a mais pequenina
que da família é a beija-flor
É uma linda menina,
que a irmã beija de amor

Carlos e Alexandra
as filhas vão sempre encantar
É Deus que assim manda
eternamente as amar

Os pais muito as beijam
tornando este amor bonito
Para elas tudo desejam,
como Deus já lhes tinha dito

Quem nossos filhos beija
é Deus que estão amar
Ele a todos deseja
a paz que a vida lhes vai dar

 

De: Fernando Ramos

Para os meus cunhados e sobrinhas com um beijinho

23.8.2005

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:21


309 - VIVE EM PAZ

por Fernando Ramos, em 17.12.16

 

 

VIVE EM PAZ

 

Vive em paz com o passado
Porque para lá já não vais
Se dele ficaste cansado
Foi porque o viveste de mais

 

Vive em paz com o presente
Que bem difícil ele é
Alguns sabem que não estás contente
Nem eu, e muitos outros até

 

Vive em paz com o futuro
Porque para ti bom será
Dele não faças um muro
Que só dos outros, te separará

 

Vive em paz com a paciência
Porque a calma, nunca é má de se ter
E viveres assim não é uma ciência
Dizem os idosos com seu saber

 

Vive em paz com o amor
Que decerto te dará prazer
Assim nunca terás dor
E de bem com ele, poderás viver

 

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:16


308 - A COTOVIA

por Fernando Ramos, em 17.12.16

 

 

A COTOVIA

 

A cotovia não pára de cantar
será que está chorando?
Não, ela não chora,
está gritando a seus Deuses
perdidamente
Será a sua morte 
que a anda apoquentar?
Pobre cotovia, 
vai pró céu das outras cotovias
que aguardam por sua chegada
com seus cantares
de boas vindas
Tocam trombetas celestiais,
a cotovia chega
e junta seu lindo cantar
a todas as outras,
a feliz cotovia,
encontrou a sua paz 
nas nuvens,
a paz dos Deuses,
que a irão, sempre amar
Será que vai querer voltar?

 

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:08


307 - A PROVOCAÇÃO DE RITA

por Fernando Ramos, em 16.12.16

 

 

A PROVOCAÇÃO DE RITA

 

Lá vai Rita no seu charmoso andar

Subindo a Calçada da velha cidade
Vai bonita, rindo e a cantarolar
Melodias que já são p'ra sua idade

Ela, aos homens muito sorri
Bamboleando seu corpo jeitoso
Alguns, até chegam perto de si
Sussurrando piropos, que lhe dão gozo

E Rita lá vai feliz da vida
Vestida com sua blusa de tirileno
Bem apertadinha ela fica
Deixando seu peito, belo e sereno

Esta é uma bela provocação
Para homens que a querem amar
Porque muitos querem seu coração
Mas a nenhum, ela o quer entregar 

Mas um dia... A bela Rita
Por um amor se apaixonou
Ele a deixou aflita
Porque ela nunca o provocou

Esqueceu Rita que aquele seu amor
Era o que devia ser mais provocado
Ela agora sofre de grande dor
Porque com outra, ele é já casado

E Rita ficou sozinha
Porque os homens, todos foram embora
Hoje está só na Calçada, onde caminha 
E por um amor de antes, ela chora

 

 

de: Fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:26


306 - MINHA INTUIÇÃO

por Fernando Ramos, em 16.12.16

 

 

MINHA INTUIÇÃO

 

 

Na minha intuição, procuro
momentos de magia e oiro cristalino
Neles encontrarei a donzela do meu futuro
no meio de tempestades em torvelinho

 

 

Se meu desejo, aos momentos chegar
Foi a intuição que lá o levou
Ele por ali nunca vai parar
Porque busca um céu que desejou

 

P’ra minha intuição cheia de amor
Depressa alguém vou encontrar
Que me irá amar sem dor
Na secreta emoção que irei versar

 

E poemas para ela assim farei
Com minha intuição que chora
P’lo amor que eu encontrarei
Na virtuosa donzela que me adora

 

 

 

de; Fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:50


305 - EU TE QUERO AGORA

por Fernando Ramos, em 16.12.16

 

 

EU TE QUERO AGORA

 

Eu te quero agora
Sem preconceitos, sem dúvidas
E sem censuras

Sem lembranças do passado

E sem poréns

 

Eu te quero agora
Sem incertezas do futuro
E sem cobardia

Sem sentimentos feridos

de um passado menos feliz

Sem receios inconscientes
De sonhos que podemos ter

 

Eu te quero agora 
Nua e sempre, sempre
junto de mim

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:50


304 - DANÇANDO COM DEUS

por Fernando Ramos, em 16.12.16

  

 

DANÇANDO COM DEUS

 

No paraíso de Deus
chega um simples artista

de tangos muito famoso,
da terra de todos os pecados

Foi recebido no Olimpo 

por Santos e Anjos celestiais.

Ouvindo-se brandas palmas  

nas límpidas nuvens do bem

vindas de outros sábios artistas
como Piazzola, Shakespeare,
Van Gogh, Mozarte, e pasme-se!
Até Jorge Amado, Luís de Camões
e Amália Rodrigues, entre outros

 

Logo ali, foi decretado por todos
os Santos de Deus

que o famoso artista
iria ensinar os Anjos,

os Santos, e artistas sábios,

a sua maravilhosa arte

de dançar o tango

Clarins e trombetas celestiais

se tocaram, e um tango logo se ouviu
vindo uma bela e maravilhosa melodia
da lonjura das estrelas brilhantes

 

E todos os espíritos,
e Anjos aprenderam
a nobre arte do virtuoso dançante

E então:
Dançaram, dançaram, dançaram

Ali, no infinito da pureza do Criador,
houve um baile de Deuses
dançantes nunca visto
nos céus do senhor

 

Os Anjos alegremente,
com todos os escolhidos pelos Santos
dançaram, dançaram, dançaram,
dançaram com o supremo,
até à eternidade sem fim

Onde os homens e mulheres de bem,
de paz e amor, tem o seu lugar

reservado junto de Deus,
que os acolhe na sua infinita bondade

P´ra que um dia seus espíritos,
regressem com o mesmo entusiasmo
que tiveram quando aprenderam  
a mui bela e nobre arte,
do simples artista da dança

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:31


303 - AÇORES - TERCEIRA

por Fernando Ramos, em 16.12.16

 

 

AÇORES - TERCEIRA

 

Terceira, ilha do Espirito Santo
tens Angra como baia
Deixas os turistas com ar de espanto,
por os receber com tanta cortesia

Almeida Garrete esteve aí exilado,
por defender o país com valentia
E na Terceira escreveu encantado
muito do que ele sabia

O culto do Espirito Santo,
aí tem maior inspiração
o povo o ama tanto
que lhe reza p´la Nação

E nas festas populares,
a tourada à corda se faz
ela termina com os cantares
depois do touro estar incapaz

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:33


302 - SUAVES DESEJOS

por Fernando Ramos, em 15.12.16

 

 

SUAVES DESEJOS

 

 

A frente fria chegou 

p´la manhã,

e a chuva que cai copiosamente

é a sua companheira
Lembrando que o inverno
vem por aí
E tu meu amor,
estás à janela recebendo 
suas bátegas frias
que te percorrem o rosto,  
caindo em teus lábios quentes
deixando-os molhados, 
oferecendo-me uma visão agradável
E a chuva que cai em tua face,
dá-lhe um brilho que a torna
apetecível para beijos íntimos 
que me faz surgir lembranças
dos belos momentos por nós passados
A chuva continua a cair, 
e ao deslizar por tua pele
aparece a vontade de suaves desejos

Espera-me meu amor!

 

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:16


301 - POETA FINGIDOR, NÂO

por Fernando Ramos, em 15.12.16

 

 

POETA FINGIDOR, NÂO

 

Dizem que sou fingidor,
Mas serei fingidor, Porquê?
Os poetas não fingem
Escrevem só o que vem da mente
Ou porque lhes apetece
Mas vem tudo da mente
É como se um artista da pedra
esculpisse poemas nas estrelas
porque lhe apetece
Mas poetas fingidor não!


As palavras correm,
como o vento no Outono
ou como os dias correm p´ra a noite

Mas fingidor é que não sou!


Escrevo só, e não finjo
Fingir é aquilo que não se é
é que se quer ser
Eu sou escritor
por isso escrevo, 
faço a textura dos versos
nos seus momentos da mente
Mas fingidor, não!

  

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:02


300 - AMAR À CHUVA

por Fernando Ramos, em 15.12.16

 

 

AMAR À CHUVA

 

Vamos nós devagarinho

Num jardim ao relento
Felizes estamos no caminho
Em busca de um bom isolamento

 

A chuva fria cai em redemoinho
Por nossos corpos, naquele momento
Que seguem num bom passinho
P´lo jardim, e contra o vento

 

Se a chuva cair sem parar
Debaixo dela não sairemos
Se p'la noite quiser continuar
Mesmo à chuva nos amaremos

 

E se de manhã a chuva partir
Dizemo-lhe adeus com alegria
Bons momentos ainda vão vir
No regresso da chuva fria

 

 

de: Fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:52


299 - AMAR NA MADRAGOA

por Fernando Ramos, em 15.12.16

 

 

AMAR NA MADRAGOA

 

Meu amor me enganou
Certa noite na Madragoa
Por outra me trocou
Na minha velha Lisboa

 

Foi numa noite na cidade
Que ele me seduziu
Ali perdi a castidade
E desde ai, sempre mentiu

 

Confesso, dele ter saudade

Cheguei a odiar por lhe querer

Lembro-me logo da minha verdade

Sei que ama-lo, é p´ra esquecer

 

Hoje sou uma mulher sofrida
Por amor a quem não devo
Ele me deixou perdida
Desde jovem e muito cedo

 

Na Madragoa eu fiquei
Com a vida destroçada
Da outra, ciúmes nunca terei
Porque com ele, não é bem casada

 

Madragoa meu amor
Meu futuro é o que Deus quiser
Desde aquela noite de dor
Que passei a ser mulher

 

Outro amor vou encontrar
Por muito que isso me doa
E com ele quero casar
P´ra ser feliz na Madragoa

 

de: fernando Ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:10


298 - UM ZÉ NINGUEM

por Fernando Ramos, em 15.12.16

298.jpeg

 

298 - UM ZÉ NINGUÉM

 

Dizem que sou um Zé ninguém
e, é capaz de ser verdade
Até vou mais além
Sou ninguém, e não deixo saudade

 

Mas que grande falta de estima
Para um ser como eu
Se há alguém que se subestima
Não é problema meu

 

Sou Zé ninguém para alguns
P´ra outros não é bem assim
Ainda há mais, que são mais uns
Que até gostam de mim

 

Zé ninguém, não é ninguém
Porque todos, alguma coisa são
É que há tantas, que são mãe
De muitos Zés que p´ra ai vão

 

Portanto meu amigo,
Zé ninguém não existirá
Porque tantos, e até comigo
Somos alguém que anda por cá

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:51


297 - UM SOPRO DE ILUSÃO

por Fernando Ramos, em 15.12.16

 

 

UM SOPRO DE ILUSÃO

 

Um sopro de ilusão
Sinto eu ouvindo tua guitarra
cujo as notas me sufocam
de angustia, por levemente
teus dedos passarem nas cordas 
do meu sentimento

 

Um sopro de ilusão
Faz minha alma voar a caminho

das suaves portas da noite
de um mundo novo, onde a ventania 
do deserto leva um sonho de saudade

de uma lágrima caída
que se perdeu num tempo

 

Um sopro de ilusão 
Me fez declamar um poema sentido 
que tantas, e tantas vezes
murmurei nas nossas noites
de vai e vem que desatava fantasias  
no sossego da paixão que nos confortava

 

Um sopro de ilusão
Faz-me dizer poesia

que p´ra ti escrevi na minha prisão

de secretos desejos 

contínuos 

que se perdem

 

 

ao 

nascer

 

da nova aurora

 

 

que nos traz

 

o calor que se advinha

 

Um sopro de ilusão 
É como o universo pejado

de pensamentos de paixão

que dançam dentro dum coração

e dos olhares 

trocados de namorados

cujo amor continua no tempo

nunca terminado

 

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:58


296 - GOSTAR DO FADO

por Fernando Ramos, em 14.12.16

 

 

GOSTAR DO FADO

 

O fado eu não amava
Agora por ele me apaixonei
De outras cantigas gostava
Mas vai ser nele que morrerei

 

O fado é a magia da vida
E uma bela forma de estar
Nunca será uma quimera sofrida
Mas uma obra de se amar

 

O que o fado tanto nos diz
Faz-nos bem, e até pensar
Eu por ele nada fiz
Mas vou a tempo de começar

 

Então, faço poemas
Com algumas quadras de rigor
Poderão ser frases pequenas
Mas feitas com amor

 

Pró fado escrevo de paixão
Poesia de alegria e lamento
Que vai saindo do coração
Carregadinha de sentimento

 

Se é poesia, bonita ou feia
Prós outros eu nem sei
Mas p´ra mim é boa ideia
escrever o fado para alguém

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:26


295 - VIVA O TEATRO E A REVISTA

por Fernando Ramos, em 14.12.16

 

 

VIVA O TEATRO E A REVISTA

 

Há para aí uns engraçadinhos
Que connosco andam a brincar
Pensam que somos coitadinhos
E à muito que andam abusar

 

Então dizem que a revista acabou
Agora, e já o diziam antes
Nessa, o povo nunca acreditou
Para desgosto dos governantes

 

Viva o teatro, e a revista Nacional
grita todo Zé povinho,
Senhores ministros de Portugal,
Com os artistas, mais cuidadinho

 

E se a revista mal tratarem,
Com eles se estão a meter
Aos artistas vão lhes ter de pagarem
O mal que lhes podem fazer

 

É que a eles tanto prometeram
E continuam com as mãos cheias de nada
De todos os governos pouco receberam,
Estando eles esperando uma boa fada

 

Ó senhores do poder oculto
Deixem o que o povo mais gosta, em paz
É que, a revista para eles é um fruto,
Que ainda consomem, e muito os satisfaz

 

A cultura é a educação do povo
São palavra que as leva o vento
Promessas destas não é nada novo
Sabemos nós, à muito tempo

 

Os poderes deste país
Da cultura devem ter medo
Porque, o que para aí se diz
Para ela, o dinheiro nunca chega cedo

 

Para o teatro, e a revista
Dinheirinho nunca há
É tão difícil ser artista,
Em todo lado, mas mais cá

 

Se alguém a revista quer acabar
Que tenha mas é muito cuidadinho
Dela nunca se irão safar
Por ela vamos é ter, mais respeitinho

 

Não acabem com esta cultura
Senão com o povo andam a gozar
Por isso, senhores está na altura
De a deixarem no seu devido lugar

 

Somos um país pequenino
Mas com artistas de muita gana
O teatro e a revista é um menino
Que tantos, a ele muito ama

 

Portanto, tenham algum cuidado
E vejam bem o que andam a fazer
O povo já está a ficar zangado
E com ele, se vão ter que ver

 

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:30


294 - CORRUPTO

por Fernando Ramos, em 14.12.16

  

 

CORRUPTO

  

O corrupto anda de mansinho
Na sua negociata privada
Vai enganando devagarinho 
Sem nós dar-mos por nada

  

Ele vai enriquecendo
Com seus bolsos sem fim
Os mesmos vai enchendo
Metendo lá o nosso pilim

 

Vai pilhando à vontade
E na Câmara ele é rei
E também o é, na Sociedade,
Sempre para desgosto de alguém

 

É o senhor todo poderoso
Mas alguns acham que não
A ele lhe dá grande gozo
Comprando muitos com tostão

 

Todos os dias aparece na televisão
Como o mais sério do mundo
Querendo ditar sua razão
Discutindo com todos a fundo

 

E nós povo, não passamos
De uns pobres coitados
Que nestas figuras acreditamos
Para mal dos nossos pecados

 

E lá vai o corrupto maravilhado
Pelas trapaças cometidas
Num pais pobre por ele enxovalhado

Por causa das ambições desmedidas

 

Acorda Portugal inteiro
Mete os corruptos na prisão
Se não, eles nos destoem primeiro
Roubando o nosso pão

 

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:27


293 - ADEUS À MORTE

por Fernando Ramos, em 13.12.16

 

 

ADEUS À MORTE

 

Ao dizer adeus à morte

Foi o começo de um novo dia
Será que foi por mera sorte
Ou antes por cobardia

 

Morrer não é muito importante
E também não é um medo fingido
Foi por ter vida estonteante
Que me levou da morte ter fugido

 

P´la vida tenho um sentimento arraigado
Que descubro em ilimitada sofreguidão
Com a morte seria um fim muito chorado
Que não me daria grande ilusão

 

Assim, serei adepto da boa vida
Por isso, adeus morte para sempre
Traz-me uma alegria sentida
P´ra viver eternamente

 

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:18


292 - MEU DESASSOSSEGO

por Fernando Ramos, em 13.12.16

  

 

MEU DESASSOSSEGO

 

Minha vida agora é um desassossego

De permanentes contrastes
Porque isso acontece, não percebo
Se tu sempre bem me tratastes

 

Já não consigo compreender
essas tuas atitudes subtis
Mesmo que me venhas oferecer
Belos vestidos de Organdis

 

Não vale a pena teres ciúmes
Nem fazeres diagnósticos precipitados
Não venhas mais com queixumes
Porque sou tua desde que nos deitámos

 

Foi um momento de grande magia
E também p´ra mim, de muito medo
Desejo é que seja sempre de alegria
Por isso agora, o meu desassossego

 

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:20


291 - A PROCISSÃO DA MINHA CIDADE

por Fernando Ramos, em 13.12.16

 

 

A PROCISSÃO DA MINHA CIDADE

 

Vai Cristo no andor
Na procissão da minha cidade
O povo o eleva com amor
Suplicando por piedade

 

"Ó Cristo, nosso Senhor
Perdoa-nos desta vida desgraçada"
Pede o povo com fervor
No cortejo da calçada

 

E Cristo dá seu olhar piedoso
As gentes que reza sua amargura
Vão acenando ao seu Santo bondoso
Que leva vestimenta cor púrpura

 

 

O povo é fiel à procissão
Que todos os anos se faz na cidade
Isso lhes dá força e razão
De amar Cristo na sua bondade

E lá vai ela no seu lento andamento
Nesta cidade de ruas estreitas
O povo chora de arrependimento
E pede cura p´ra suas maleitas

Cantando pró céu a ladainha
Enquanto Cristo vai a passar
Na cidade a procissão é rainha
E muitos, o andor querem levar

 

E o povo, nas suas janelas deita flores
À procissão que vai muito devagar
Alguns suplicam que lhe tire as dores
Do sofrimento que lhes está amargurar

E o senhor padre cura
Vai na frente do andor
Benze o povo com água pura
Para que Cristo lhes tire a dor

E as gentes no seu piedoso furor
Suplicam a Cristo o seu perdão
Num arrependimento sem pudor
P´ra que ele lhes mostre sua razão

 

Ó meu Cristo redentor
Dá-nos saúde e liberdade
Tu és o nosso Salvador
Desta vida de pouca saudade

 

 

de: Fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:11


290 AMÁLIA, MARÉ DE AMOR

por Fernando Ramos, em 13.12.16

 

 

AMÁLIA, MARÉ DE AMOR

 

Certo dia, dum século já passado

Uma fadista nasceu
De Amália, o nome lhe foi dado
E pró fado apareceu

E como o cantava bem
Que até o rouxinol se calava
Ouvindo-a, ele ficava bem
Que seu cantar, a ela dedicava

 

A voz de Amália meiga e açucarada
Era como uma onda de mar chão
Que vai branda na crista salgada
A caminho de nosso coração

 

Amália, de nossos encantos
Aos Santos ela rezava
Com fados de alguns prantos 
Tocados p’la velha guitarra

Tu serás sempre do povo
Como sua eterna namorada
Um fado teu, sabe a pouco
À nossa vida desassossegada

 

Em Lisboa, ela é afamada
Assim como em todo o lado
Sua voz por tantos é lembrada
P’la magia que dava ao fado

Cantava um fado bonitinho
Tocado por uma bela guitarrada
Ela, o declamava baixinho
Era poesia por muitos amada

E quando sua voz subia em esplendor 
Uma brisa suave, no Tejo aparecia
Vinda de uma maré de amor
Dum povo que ela merecia

 

 

de: Fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:30


289 - SER POETA É

por Fernando Ramos, em 12.12.16

 

 

SER POETA É

 

Ser poeta
É ser inventor
De frases que se soltam  
Ao correr da pena
Elas se vão perdendo
No papel branco
Em subtis traços
Que vão formando letras
Descrevendo poemas
De impaciente ilusão

 

Ser poeta
É ser contador
De factos que a nossa
Imaginação em apuro
Num desejo embriagante
Vai passando p´ra outros
Que os querem ler

Ouvir, e sentir
Em constantes sentimentos
 

Ser poeta
É ser um eterno
Apaixonado ou não, que
Por vezes sofre de emoções
Errantes, que nem sempre
Se fixa numa vida a dois
Que o faz ter um vazio
Que se prolongará
Por toda a existência
De sua nobre poesia

 

Ser poeta
É saber ser feliz
Por poder contar com a alma
Na inspiração do momento


Ser poeta
É ser livre
Saber amar a natureza
Ter o amor, sempre o amor
Gravado na mente que regista 
Na inspiração o sentimento

da poesia

 

de: Fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)


288 - BEIJO QUE APETECE

por Fernando Ramos, em 12.12.16

 

 

 

BEIJO QUE APETECE

 

Quando um beijo apetece
Tua boca me endoidece
E se for p´la manhã, na frescura
Ele bem me pode levar à loucura


Se o deres com muitos amores
Teus lábios me deixam bons sabores
E se não o deres, só por um senão
Tua boca não tem perdão


Porque espero um beijo escaldante
Nestes meus lábios de amante

Minha virtude ficará ferida
Por causa de tua boca perdida


Teus beijos são minha razão
E por eles chora meu coração
Vivendo perdido em sofrimento
Por isso este meu lamento


Chora coração, choram lábios
Por esses beijos doces e sábios
Uma angustia sempre aparece
P´la falta de teus lábios, que apetece

 

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:52


326 - MULHER DE PERDIÇÃO

por Fernando Ramos, em 12.12.16

 

MULHER DE PERDIÇÃO

 

Ando muito pouco vestida
Por ruas e becos mal iluminados
Procurando o pecado da vida
Em destinos desencaminhados

 

Aos homens me ofereço
Para alimentar meu vicio
Não julguem que sou, o que pareço
Estou nesta vida em sacrifício

 

A maldita droga me apanhou
Numa infância mal sucedida
Ela, meu destino traçou
Fazendo de mim mulher perdida

 

Agora, nos Becos, eu ando
numa triste vida e infeliz
Quero sair dela e não sei quando
Mas penso que Deus, um dia me diz

 

Nesta minha fortuna desgraçada
Ando nela, porque a vida lá me levou
Desejava tanto ser mulher amada
E afinal, sou aquilo que sou

 

Não há mal, que eu não cure
Mas este, só quando a morte me levar
Tenho tristeza, que muito dure
Em meu corpo de mal amar

 

Não passo de mulher de perdição
Que veio ao mundo sem sorte
Trago remorsos no coração
Que passarão só na minha morte

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:12


287 - AMOR FINAL

por Fernando Ramos, em 12.12.16

 

 

AMOR FINAL

 

Esta noite choveu estrelas por instantes 
Num céu azul de amores infinitos
As nuvens ouvem gemidos estonteantes
E murmúrios por nós ditos

 

Eles em nossa alma sambam 
Por sentimentos belos e cativantes 
Tidos em nossos seres que se amam
Nas noites das estrelas brilhantes

 

E nossos corpos nessas noites se deitam 
Num leito de paraíso e quentura
Perdidos num suor de amor se amam
Rodeados em vertigens e muita doçura

 

Levando-nos loucamente num frenesim 
Gozado num vaivém sem parar
E cobertos por lençóis de fino cetim
Nós ao amor final, vamos chegar

 

 

De: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:30


286 - PORQUE CANTO

por Fernando Ramos, em 12.12.16

   

PORQUE CANTO

  

Não canto por obrigação,
Nem por desgostos da vida
Ou até, por saudades de amor
De alguma paixão que me  é querida

Por isso eu só canto

 

Porque canto

O cantar me eleva ao céu
E às nuvens do amor
Ele me faz apenas vibrar
Quando sinto algum furor

Eu quero é bem cantar


Porque canto

A vida é um poema, 
Que me faz cantar
Escrito por sentimentos
P´ra minha vida alegrar

Pelo muito que canto


Porque canto

Meus sonhos se perdem no canto
Mas não, no meu coração
Eles apenas me fazem lembrar
Que lá fora tenho uma paixão
E que a mim me faz cantar


Porque canto

Eu canto à natureza,
Que me traz a felicidade no amor
Ela me faz chorar e gostar
Da vida que não tem cor
Neste meu doce cantar
Porque canto

 

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)


285 - SENTES

por Fernando Ramos, em 12.12.16

 

 

SENTES

 

Sentes minhas mãos
em tua pele, que te abraça

 

Sentes meu olhar
que te diz quem sou

 

Sentes minha voz que múrmura
sem pudor
suplicando por um gesto teu

 

Sentes nossos beijos
levados pela brisa
que nos aconchega na noite
de nossos olhares

 

Sentes meu prazer
que em ti penetra,
e te ama perdidamente

 

Sentes meu amor
que este é o nosso momento
de paixão inebriante
em nossos sentidos

 

Sente e ama-me meu amor
ama-me sempre, sempre
e perdidamente

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)


284 - Ó POVO DO MEU PAÍS

por Fernando Ramos, em 11.12.16

   

 

Ó POVO DO MEU PAÍS

 

Ó povo do meu país,
Que ao fado dás tanta ternura
Nas tabernas, dele se diz
Que é a vida e a nossa cultura

 

Fadistas cantam com emoção,
Poemas de grandes Autores
Alguns, por eles chorarão
Lágrimas trazendo dores

 

Há fadistas muito bons
E eu não digo quem são
Cantam o fado em bons tons
Com letras vindas do coração

 

Ó povo do meu país
Que amas o fado bem Português  
Ouve bem o que ele diz
Porque é sábio e cortês

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)


283 - MÃOZINHAS DE VELUDO

por Fernando Ramos, em 11.12.16

 

 

MÃOZINHAS DE VELUDO

 

Sarapico, mãozinhas de veludo
trabalhava prós lados do Marquês
Roubava carteiras, e era tão sortudo
Que às vezes, chegavam às três

 

Mãozinhas tinha dias p´ra roubar
E o Sábado era o pior
O Domingo era p´ra descansar
P´ra trabalhar os outros são melhor

 

Era no Metro que ele roubava
A carteira que levava sumiço
Sarapico mãozinhas, a tirava
Sem que alguém desse por isso

 

Lá entrou ele no metro
P´ra uma carteira surripiar
A um passageiro que ia firme e recto
À espera de sua estação chegar

 

E o comboio naquela estação parou
E foi grande confusão à saída
Sarapico mais uma carteira roubou 
A um passageiro de corrida

 

Para azar do mãozinhas
O tal passageiro deu por isso
Armou ali umas confusõeszinhas
Que deu num grande reboliço

 

Lá foi chamada a Policia
E o mãozinhas de veludo foi preso
Levado com muito pouca malícia
Por um guarda afoito e teso

 

P´ra este larápio é uma má ideia
Os outros andar a roubar
É que às vezes vai para a cadeia
E o melhor é ele ir trabalhar

  

De: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:22


282 - A PAIXÃO NOS MESES

por Fernando Ramos, em 11.12.16

 

 

A PAIXÃO NOS MESES

 

Numa manhã de Janeiro
Nós olhávamos o horizonte
Vendo a chuva cair no sobreiro
Lá longe no cimo do nosso monte

 

Ali no monte, nos amámos em Fevereiro
Numa paixão louca e imensa
Mas, já tínhamos pensado primeiro
Se isso nos trazia uma dor intensa

 

Mas nós achamos que não
E em Março já estávamos casados
Tantos nos perguntaram, então
Quanto tempo estivemos enamorados

 

Dissemos que aconteceu no ano passado
Precisamente no mês de Abril
Numa tarde uma orquídea te tinha dado
Depois de olhares, que foram mais de mil

 

Assim nasceu uma linda relação
E em Maio dei-te uma rosa
Que a guardaste no teu coração
Porque ela era nossa, só nossa

 

Em Junho me apresentaste a teu pai
E também à tua mãe Manuela
Que com ele à pesca vai
Lá prós lados da ilha Canela

 

Foi em Julho que de férias fomos à praia
No Algarve, prós lados da Oura
Lá conhecemos a Joana e o marido Maia
Que moram em Vila Moura

 

Voltámos lá, no mês de Agosto
E fizemos um belo jantar
E foi aí que te recordei com muito gosto
Que para sempre, te ia amar

 

No Mês de Setembro ao entardecer
Que o recordo com muita emoção
Disse-te que havia um casamento a fazer
Porque o amor estava em ascensão

 

E em Outubro, disseste aos teus pais
Eles ficaram contentes e cheios de ais
Pois querem tudo, e algo mais
P´ra sua filha de encantos fatais

 

Esses dias para nós foram muito felizes
E em Novembro marcámos o casamento
E queríamos pelo menos dois petizes
Mas ainda não era o momento

 

E em Dezembro, o nosso amor era tanto
Que ao sexo resistias entre beijos meus
Combinámos que não seria por enquanto
Pois tínhamos de ir ao monte, rezar a Deus

 

De: fernando ramos

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:38


281 - OS CORRUPTOS FORAM ELEITOS

por Fernando Ramos, em 11.12.16

  

 

OS CORRUPTOS FORAM ELEITOS

 

Há por aí uns Autarcas
Que foram a eleições
Alguns fizeram boas marcas
Ganhando nas votações

 

Entre os eleitos houve de tudo
De corruptos a gente séria
Deve ser um dos casos do mundo 
Que permitem esta miséria

 

Os corruptos lá venceram 
Sem nenhuma vergonha na cara
Foi no povo que se perderam
A boa oportunidade rara
De correr com esta gente
Que há política são nefastos
O que será que irá na mente
Dos sérios deixados de rastos

 

Ó povo o que andas a fazer
Que votas em quem te anda a roubar
Claro que te vão dizer
Que neles podes sempre confiar

 

Pobre povo do meu país
Que se deixa enganar desta maneira
Não ouvem o que se lhe diz
Que votar nestes, é grande asneira

 

Lá vão eles andar felizes da vida
Meter no bolso até fartar 
Teve o povo, a oportunidade perdida
P´ra mais tarde não se queixar

 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:04


280 - ZÉ SAPATEIRO

por Fernando Ramos, em 11.12.16

 

 

  • O ZÉ SAPATEIRO
  •  
  • O zé sapateiro
    é um homem das Arábias
    Bate as solas por dinheiro
    P´ra percorrerem as calçadas
  •  
  • Ele é homem de muita fé
    E trabalha com amor
    Faz muita chinela pró pé
    Que às senhoras, não dão dor
  • Malicioso também é,
    Para as senhoras do mercado
    Vai-lhes apalpando o pé,
    Dizendo que o sapato é apertado
  •  
  • É amigo, do seu amigo
    E com eles bebe uns copos
    Trata bem o seu vizinho
    Dando-lhe muito bons modos
  • Lá no bairro gostam dele
    E do seu modo brincalhão
    E se à noite se querem vê-lo
    Vão ao bar do salão
  •  
  • Zé sapateiro, já foi emigrante
    E até trabalhou no Cairo
    Agora ele é o garante
    dos sapatos lá do bairro
  •  
  •  
  • de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:55


279 - 5 DE OUTUBRO

por Fernando Ramos, em 10.12.16

 

 

  • 5 OUTUBRO
  •  
  • Foi naquele dia de Outubro
    Onde tudo aconteceu
    A Monarquia sofreu o golpe profundo 
    Dado por gente que nunca esmoreceu
  •  
  • Rufaram os tambores da liberdade
    Porque a República nasceu
    P´ra um pais sem liberdade   
    A revolução venceu
  •  
  • Veio a mudança total
    Com Republicanos à frente
    Ganhar aos Monarcas do mal
    Que mantinham um pais doente
  •  
  • Naquela data tudo mudou
    Com Monarquia a cair
    Uma República entrou
    Que fez muito povo sorrir
  •  
  • Vivas à República, se gritaram
    Por um povo forte e valente
    Que nas caravelas navegaram
    P´ra aquela data presente
  •  
  • Muitas esperanças se tiveram
    E algumas ambições desmedidas
    Houve tantos que não quiseram
    Que todas fossem cumpridas
  •  
  • Depois, nova revolução aconteceu
    Numa madrugada de Abril
    O povo outras promessas conheceu
  • Que não foram cumpridas, nem mil
  •  
  • E chega-se a um presente de agora
    Com anos, de Repúblicas passadas
    Sonhando o povo com a hora
    Do nascer de novas madrugadas
  •  
  • E muitos Outubros passaram
    E alguns Abril também
    E tantos do povo choraram
    Porque ainda ninguém está bem
  •  
  • E o povo continua na fé
    De muitas mudanças haver
    Quase todos são Republicanos, pois é
    Que querem ver Portugal vencer
  •  
  • De: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:42


278 - SE ME SEDUZIRES

por Fernando Ramos, em 10.12.16

  

 

  • SE ME SEDUZIRES
  •  
  • Se me seduzires devagar
    Na minha timidez de sentidos
    Decerto que irei lembrar 
    Dos meus segredos escondidos
  •  
  • Se me seduzires em paixão
    Vais ter um amor que reclama
    Bons prazeres para ti serão 
    Duma mulher que te ama
  •  
  • Se me seduzires com caricias
    Ficarei louca de prazer
    E se forem de tantas malicias
    Não saberei o que fazer
  •  
  • Se me seduzires com violência
    Não sei bem o que acontecerá
    De ti terei mais prudência
    E a paixão o tempo levará
  •  
  • Se me seduzires com doçura
    Ficarei feliz para sempre     
    E se, me levares à loucura
    Serei tua eternamente
  •  
  • de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:31


277 - BEIJAS UMA FLOR

por Fernando Ramos, em 10.12.16

 

  • BEIJAS UMA FLOR
  •  
  • Deixas o beijo numa flor
    Como se um acto de amor fosse
    Nela fica um doce calor
    Dos teus lábios agridoce
  •  
  • Quando a flor tu beijas
    Meus lábios tem ciúmes
    Parece que a eles não desejas
    Por isso meus queixumes
  •  
  • Eles sabem que não é verdade, 
    Que à flor, dês o teu amor sentido
    Mas diz lá com sinceridade
    Se esse não é um beijo perdido
  •  
  •  
  • de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:22


276 - SECRETOS MOTIVOS

por Fernando Ramos, em 10.12.16

 

 

  • SECRETOS MOTIVOS
  •  
  • Viajei p´la tua secreta sedução
    Em beijos salpicados de mel
    Nela encontrei a redenção
    Do teu coração de papel
  •  
  • Nessa escondida atitude
    Vi que estavas hesitante
    Porque alteraste tua virtude,
    Quando o futuro era brilhante
  •  
  • Diz-me o motivo da mudança
    E essa magia de viveres em fuga
    Contigo amava em bonança       
    Sem  ganhar alguma ruga
  •  
  • Ficas aí nesse mistério
    E nesse silêncio de pedra
    Não sei qual vai ser o critério
    Quando eu for, a tua perda
  •  
  • Perco forças e os sentidos
    Por causa desta desilusão
    Foram embora os secretos gemidos
  • Findamos assim nossa relação
  •  
  • de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:19


275 - O AMOR À PRESSA

por Fernando Ramos, em 09.12.16

 

 

  • O AMOR À PRESSA
  •  
  • Fazer amor à pressa
    É muita falta de consciência
    Deixar a paixão nessa
    É negar a sua existência
    E ele por si se completa
    Amando sempre de maneira
    É uma boa forma directa 
    Quer se queira, ou não queira
  •  
  • O amante tera postura correcta
  • Quando não se mostra distante
    Ele te vai amar na certa
    Se o seu querer for repousante
    Se isso não acontecer
    É porque seu amor está perdido
    Mas se ele na mesma te ter
    É sinal que te quer sem sentido
  •  
  • E se lhe dá uma paixão galopante
    Isso por vezes se torna agonizante
    Mas se lhe passar esse instante
    Teu amante se torna confiante
  •   
  • de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:02


274 - CAIU UMA LÁGRIMA

por Fernando Ramos, em 09.12.16

 

 

  • CAIU UMA LÁGRIMA
  •  
  •  
  • Uma lágrima perdida caiu
    Dos meus olhos molhados
    É que, o que ele viu
    Foi os teus em pecados
  •  
  • Ela caiu cheia de dor
  • Porque tu me traíste
    Isso causa enorme pavor
    Ao coração que está triste
  •  
  • Esta tua traição
    Fez nosso amor chorar
    Quando não havia razão
    Para ele assim acabar
  •  
  • A lágrima caiu sentida
    Porque assim o pediste 
    Mas já não me sinto traída
    Tu da minha vida partiste
  •  
  • Adeus lágrima perdida
    De meus olhos honrados 
    Adeus amor de fugida 
    Outros, serão encontrados
  •  
  • de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:49


273 - HOJE MORREU UM HOMEM

por Fernando Ramos, em 09.12.16

   

 

  • HOJE MORREU UM HOMEM
  •  
  • Uma vida se perdeu
    numa despedida brutal
    Ele era bom homem, 
    se calhar por isso se foi
    dirão alguns

  • Era amigo de todos, e de tudo
    mas desapareceu,
    Paz à sua alma, 
    dirão outros, e é só!

  • Mas não é assim tão simples
    Foi uma vida humana 
    que terminou, e com ela
    as estações do ano 
    ficaram mais negras
    Quando um homem bom morre, 
    todos perdem.
  • Porque morrem os bons?

  • Quando eles desaparecem,
    até os animais perdem 
    Perdem todos neste mundo 
    de hipocrisia, corrupto,
    egoísta, e de assassinos
  • que não passam de bandidos
  • sem vergonha e lei
  • p´ra quem a vida dos outro
  • pouco vale

  • Deus que o faça voltar 
    rapidamente, porque 
    o mundo precisa dele
    Volta depressa bom amigo
    todos precisamos de ti
    Tu eras especial, 
    e desses já temos muito poucos
    Hoje morreu um homem,
    e não era um qualquer
    Este era dos bons
  •  
  • de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:20


272 - CARICIAS

por Fernando Ramos, em 09.12.16

 

 

  • CARICIAS
  •  
  • Quando tuas 
    e minhas mãos
    cariciam nossos corpos
    ardemos de desejos intensos
    de ternurenta paixão
  •  
  • E o gozo que nos deixa tal gesto
  • em nossos corpos de fogueira
    só os Deuses do Olimpo o saberão 
    E num prazer contínuo p´lo louco rodopio
    ficamos em êxtase deliciados 
    por sublime momento
    que nunca acabe, como desejamos
  •  
  • E o final chega, como chega sempre
    como um poema romântico de letras nuas
    terminando em caricias penetrantes
  • Atingindo o clímax
  • por nós sempre desejado
    em noites que duravam, duravam
    até à brisa fresca da manhã
  •  
  • de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:26


271 - O CHEIRO DOS DIAS

por Fernando Ramos, em 08.12.16

 

 

  • O CHEIRO DOS DIAS
  •  
  • Os nossos dias são de cheiro,
    que é mesmo de admirar
  • Há dias que cheiram a limoeiro,
  • o que é de espantar
  •  
  • Outro dias cheira a Pinheiro,
    esses são mais de aceitar
  • Outros dias de Dinheiro,
    nesses ninguém vai acreditar
  •  
  • E de outros dias de cheiros, podemos falar
    alguns são agradáveis, ou não
  • Mas os dias de cheiros que mais se gosta
    são os que dizem mais do coração
  •  
  • Porque os dias de cheiros ao amor
    esses, dias são de diferente cheiro
  • Eles até podiam ter cor
    e algum sabores também
  •  
  • Mas os dias que cheiram
  • aos teus lábios
    os meus eles adoçam
  • Aqueles dias de cheiros 
  • de beijos muito sábios
    nos meus eles roçam
  •  
  • Ainda há os dias de cheiros a natureza
    que até trazem muitas cores
  • Veem com toda sua beleza,
    cheirar teus lábios de doces sabores
  •  
  • Assim os dias, em tudo tem cheiro,
  • e nós muitos amores
  • Os cheiros dos dias não são feios
  • nem nossos lábios tem pudores
  • Sempre nos dias que tem cheiros,
    brotam todos seus odores
  • Alguns dias tem muitos cheiros?
  • Tem sim senhor
  •  
  • de: Fernando Ramos
  •  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:44


270 - DOURO FASCINANTE

por Fernando Ramos, em 08.12.16

 

 

  • DOURO FASCINANTE
  •  
  • Amamos o Rio Douro,
    Ele é o abraço da natureza
    Para tantos é um tesouro
    Com sua enorme beleza
  •  
  • Meu Douro fascinante,
    Divides duas cidades
    Para elas és o garante
    Das suas belas amizades
  •  
  • És a vida da ribeira,
    E lá te consideram Santo
    Trazes o pão de forma presenteira,
    Que lhes custa a ganhar tanto
  •  
  • Douro, tu és a riqueza
    Das gentes destas paragens
    De ti, tem a gentileza
    De passares nas suas margens
  •  
  • de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:04


269 - TENHO DIAS

por Fernando Ramos, em 08.12.16

 

 

  • TENHO DIAS
  •  
  • Tenho dias, digo eu,
    Da minha disposição
    Houve dias que até nem deu
    Falar com alguma razão
  •  
  • Esses dias são os piores
    Que passam na minha vida
    Ainda bem não são os maiores,
    O resto é uma atitude contida
  •  
  • Nesses dias que estamos sós
    É uma enorme frustração
    Se o mesmo não aconteça a vós,
    P´ra mim é uma desilusão
  •  
  • Tenho esses dias, meu amigo
    Mas isso é coisa rára 
    Aí, não sei o que se passa comigo
    Não é que eu tenha alguma tara
  •  
  • Podem ser dias de amargura
    Ou daqueles que não querias
    Parece uma grande loucura
    Digo eu, tenho dias
  •  
  • De: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:09


268 - GENTES DE TAPROBANA

por Fernando Ramos, em 08.12.16

  

  • GENTES DE TAPROBANA
  •  
  • Em muitos mares navegou 
    E foi aportar a Taprobana
    De lá poesia enviou
    Que cá se lê com muita chama
  •  
  • E foi Camões o portador
    Da bela arte de escrever
    Escreveu "Os Lusiadas" num primor
    Que milhões andam a ler

    Algumas trovas ali escreveu
    Para marinheiros de mau mar
    Todas p´ra amada que o eterneceu
    Agora, muitos as andam a cantar

    Dizem, que lá foi acarinhado 
    Por gentes de muita arte
    Fez poesia que deu fado 
    Que se canta em qualquer parte

    É uma ilha de gente feliz
    E os poetas recebe bem
    Taprobana, é como Deus quis
    Que a todos os ama também

    Taprobana meu amor,
    Um dia passaste a Ceilão
    És uma ilha de muito sabor
    Hoje, e desde então

    Siri Lanka, te chamas agora
    Porque a história assim o quis
    Teu nome é mudado desde outrora
    E a poesia, é o povo que a diz

    de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:18


267 - SOLTEI UMA LÁGRIMA

por Fernando Ramos, em 08.12.16

 

 

  • SOLTEI UMA LÁGRIMA
  •  
  •  
  • Soltei uma lágrima,
    não é de alegria
    nem de tristeza
    Caiu no meu mar de ilusões,
    agora anda perdida nas ondas
  •  
  • Soltei uma lágrima, 
    mas não é de mel,
    essas só as abelhas nos oferecem
    Era de afectos 
    que há muito não sinto
  •  
  • Soltei uma lágrima,
    e era de ternura
    gravada em tempos 
    passados em nossos beijos
    agora não sei para onde vai
  •  
  • Soltei uma lágrima,
    não era de enganos
    nem de desenganos
    À muito que os deixei de ter,
    foram com o vento siroco
  •  
  • Soltei uma lágrima,
    não era doce
    porque essas deixaram
    meus olhos, que hoje 
    olham o vazio que me encontro
  •  
  • Soltei uma lágrima,
    mas esta é brilhante
    Será que me encontrei,
    poderei voltar a sonhar
    e não voltarei andar perdido
    num tempo de solidão
  •  
  • De: fernando ramos
  •  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:16


266 - SEM NADA

por Fernando Ramos, em 07.12.16

 

 

  • SEM NADA

    Uma vida de luta
    e de trabalho,
    é o que nos espera 
    desde que nascemos.
    Privilegiados são aqueles
    que vem de famílias abastadas,
    esses, nada é preciso para atingir 
    objectivos tudo lhes vai ter
    às mãos com facilidade 
    Chegando a estragar o bem 
    que a vida lhes proporciona
    Levando o povo a dizer por vezes,
    que Deus dá nozes
    a quem não tem dentes
    Agora quando se vem do nada, 
    quando nada se tem, 
    tudo é preciso
    Quando com luta, trabalho
    e persistência, se consegue 
    algumas vitórias na vida 
    Aí o orgulho é enorme, 
    e o prazer de ter alcançado 
    objectivos é sublime.
    Vida sem luta,
    é como um jardim
    Onde faltam flores
    Assim, sem nada 
    quase todos os dias temos 
    desde que nascemos
    O resto...
    Bem o resto que vem depois 
    é que é importante

    de: fernando ramo

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:28


265 - ANDO PERDIDA

por Fernando Ramos, em 07.12.16

 

 

265 fr (1).jpg

 

  • ANDO PERDIDA
  •  
  •  
  • Perdida,
    Perdida estou
    Desta minha vida sofrida
    De nós, pouco restou
    Senão beijos de fugida
  •  
  •  
  • Perdida,
    Perdida estou
    De um amor por ti falhado
    Disseste, e meu coração chorou
    Que entre nós tudo tinha acabado
  •  
  • Perdida,
    Perdida estou
    Nas minhas noites de solidão
    Foste embora e pouco ficou
    Senão de ti, uma curta paixão
  •  
  • Perdida,
    Perdida estou
    De estar tão só, e bem no fundo
    Mas agora minha vida recomeçou
    Procuro outro amor no mundo
  •  
  • De: fernando ramos
  •  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:29


264 - NASCER DO SOL

por Fernando Ramos, em 07.12.16

 

 

  • NASCER DO SOL
  •  
  • Eu vejo nascer o sol
    Em todo o seu esplendor
    Ele é lindo, e o meu farol 
    Que nos traz muito calor
  •  
  • Ele nasce pela aurora
    Como sempre aconteceu
    Já era assim nos tempos de outrora 
    Por isso é de todos, e não só meu
  •  
  • Da janela o estou a ver
    Que até me causa admiração
    Um dia sei que o vou perder
    Porque aí, perco minha razão
  •  
  • É a fonte da minha alegria
    E de todo o meu viver
    Ele cria maior simpatia
    A quem o vir nascer
  •  
  • Para nós ele brilha
    Com muito bom humor
    Dá-nos uma imensa euforia
    E todo o seu seu calor
  •  
  • Ó sol do nosso coração
    Brilha com muita formosura
    Dá-nos sempre algum pão
    Que a ti, daremos ternura
  •  
  •  
  • De: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:14


263 - IDEIA LOUCA

por Fernando Ramos, em 07.12.16

 

 

  • IDEIA LOUCA
  •  
  • A mais bela e lúcida
    Ideia louca
    Partiu de ti meu amor
    No outro dia
    Deste-me um beijo 
    De fugida
    E aconteceu nascer
    Ansias antes adormecidas
  •  
  • Porque me beijaste assim?
    Tu partiste e fiquei só
    De ti ficou o toque e sabor
    Dos lábios ardentes que amo
    Deixando os meus
    Perdidos de paixão
    E sonhando ternamente
    com recônditos segredos teus
  •  
  • Se a gente se amasse
    Só mais uma vez
    Penso que seria o recomeçar 
    Do nosso amor adormecido
  •  
  • Beijaste-me de fugida
    E meu coração gostou
    Não partas meu amor
  •   
  • de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:24


262 - PERGUNTO

por Fernando Ramos, em 07.12.16

  

 

  • PERGUNTO
  •  
  • Pergunto,
    A Deus por meu futuro
    Mas o coração diz p´ra ter calma
    É que andam a destruir o mundo
    E eu, tenho de salvar a alma
  •  
  • Pergunto,
    Aos políticos do meu país
    O que vai haver de bom pró povo
    Eles a mim nada dizem
    Não esperemos nada de novo
  •  
  • Pergunto, 
    Às acácias pela primavera
    No Outono que está presente
    Elas dizem que ainda vem longe
    O bom tempo agora ausente
  •  
  • Pergunto,
    Ao vento pelo meu amor
    Não responde, e me deixa triste
    Vento diz-me lá por favor
    Senão o coração não resiste
  •  
  • Pergunto,
    Ao sol pela aurora
    Ele diz que chega de manhãzinha
    Mas pelo que andam a fazer agora
    talvez no futuro só seja noitinha
  •  
  • Pergunto,
    À morte quando chega
    Ela não responde a mim
    Ela nunca responde a nós 
    Aparece um dia por aí
  •  
  •  
  • de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:53


261 - SORRIR SEMPRE

por Fernando Ramos, em 06.12.16

 

 

  • SORRIR SEMPRE
  •  
  • Quando sorris para mim
    uma estrela está mais cintilante
    Quero que seja sempre assim
    P´ra meu coração ficar escaldante
    E dele eu quero sim
    Um amor muito ofegante
  •  
  • Teu sorriso é a minha perdição 
    Em nossos momentos de ternura
    Ele me enche o coração,
    E meus lábios de doçura
    E ao vê-lo, aumenta minha paixão
    que me leva à loucura
  •  
  • O teu sorriso maravilhoso
    Me causa enorme alegria
    Em teus lábios é tão gostoso
    dar beijos de fantasia
    E se beija-se teu corpo jeitoso
    Eu nem sei o que faria
  •  
  • Sorri sempre meu amor
    Mesmo quando não merecer
    Nessa altura poderei sentir dor
    Mas dele não me irei esquecer
    São sorrisos de muito esplendor
    Que minha vida vai aquecer
  •  
  • Teu sorriso não é uma ilusão
    E nem uma quimera perdida
    Ele transborda meu coração
    Em toda a minha vida exaurida
    E é sempre uma boa razão
    P´ra uma felicidade acrescida
  •  
  • Quanto amo esse sorriso
    é segredo meu, bem sei
    Por ele morro se for preciso
    porque em vida o amarei
    E mais não direi quanto a isso
    Porque por ele me perderei
  •  
  • Pró sorriso escrevo poemas
    De alegria e alguma singeleza
    Dele quero escrever apenas
    quanto grande é a sua beleza
    E escrevo em frases pequenas
    Que ele não me dá tristeza
  •  
  • Do teu sorriso muitos falaram
    e de teus lábios também
    Até houve artistas que cantaram
    Poesia escrita por gente de bem
    Eram poemas que muitos amaram
    E de paixões que foram mais de cem
  •  
  • de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:43


260 - PORTO CIDADE BONITA

por Fernando Ramos, em 06.12.16

  

 

  • PORTO CIDADE BONITA
  •  
  • Nosso Porto de tanta magia
    Muitos corações te adoram
    De ti se faz bela poesia
    E por ela alguns se enamoram
  •  
  • Ó leal, invicta cidade
    Todo o Portugal te aclama
    A tantos trazes felicidade
    E dás de ti, a quem te ama
  •  
  • O teu bonito Rio Douro
    Como teu grande amigo
    É um grande tesouro
    Que o guardas bem contigo
  •  
  • És terra de gente bonita 
    Que por ti apaixonados ficam 
    Fizeram-te uma cidade catita
    P´ra todos os que te visitam
  •  
  • Cidade romântica e bela
    Que tantos ela ama
    P´ra aqueles que vivem nela
    O Douro é sua bela dama
  •  
  • de: fernando ramos

  •  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:27


259 - POETA DO POVO

por Fernando Ramos, em 06.12.16

 

 

259 fr.jpg

 

  • POETA DO POVO
  •  
  •  
  • Sou poeta vindo do povo
    E do seu meio eu venho
    P´ra ele, eu me disponho
    Escrevendo com empenho
  •  
  • Meu povo, meu viver
    Eu a ti pertenço
    Foste tu que me viste nascer
    Só não sei, se te mereço
  •  
  • Depois de mim, outros virão
    Poetas de um país maior
    Povo, para ti escrevo ao serão
    A minha poesia menor
  •  
  • No seio do povo estarei sempre
    Queiram os senhores ou não 
    Para eles escrevo contente
    Poesia ditada p´lo coração
  •  
  • Não vale a pena de mim falar
    porque à poesia me dou
    Estou no povo, não à volta a dar
    E sou aquilo, que sou
  •  
  •  
  • de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:15


258 - NÃO AMAR

por Fernando Ramos, em 06.12.16

 

 

  • NÃO AMAR
  •  
  • Não vale a pena amar
    Quem a nós, não ama
    Essa infelicidade vai dar
    Que no amor, se apague a chama
  •  
  • Um amor não correspondido
    Traz dor e desilusão
    Por ele não andes perdido
    Um dia virá outra paixão
  •  
  • Sofrer desse amor é triste
    E só dá sofrimento constante
    A quem a ele resiste
    Nunca terá o amor de amante
  •  
  • Este amor é bem diferente
    E nos leva à estrela cadente
    Procura-o pelo amor ausente
    Que noutra vida está presente
  •  
  •  
  • de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:25


257 - FALAR DE AMORES

por Fernando Ramos, em 05.12.16

 

 

  • FALAR DE AMORES
  •  
  • Vamos falar de amores
    Mas não dos que se perderam
    Desses não ficaram sabores
    Das ilusões que sofreram
  •  
  • Falemos dos apetecíveis
  • Que são os de toda a vida
  • Eles são mais acessíveis
    E ramente estão de partida
  •  
  • São amores de encantar
    E és tu, que o dizes
    Deles vamos sempre lembrar
    O que nos deixa felizes
  • Um destes também quero ter
    E com ele viver para sempre
    Vou fazer pró merecer
    P´ra andar muito contente
  •  
  • Meu amor, minha alegria
    Da nossa vida de pecados
    Não sei o que sentiria
    Se te perder aos pedaços
  •  
  • Amores bons todos queremos
    Em corações de porcelana
    E deles bem saberemos
    Manter viva sua chama

    De: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:40


256 - UMA AMIGA DO POVO

por Fernando Ramos, em 05.12.16

 

 

  • UMA AMIGA DO POVO...
  •  
  • Veio uma amiga do Brasil
    Bem bronzeada da praia
    Para nós é do baril
    Que ela agora daqui não saia
  •  
  • É corrupta mas boa senhora
    Na cidade, dizem os amigos
    Apesar de não ser doutora
    Isso não os deixa aborrecidos
  •  
  • Ela diz-se inocente 
    Do que lhe estão acusar
    E o povo de lá, fica contente
    Se a justiça não a julgar
  •  
  • Não vá lá estar um juiz
    Com muita falta de humor
    Sem querer, e por um triz
    Fazer justiça com rigor
  •  
  • Isso era uma chatice,
    Lá teria de ir para o Brasil
    Mas alguém já lhe disse,
    Que vai ter um juiz senil
  •  
  • Lá vai ela a eleições 
    toda feliz da vida
    Ao povo já deu lições
    da sua ultima fugida
  •  
  • Pobre povo que vai eleger
    tamanha ilustre personagem
    Não a deviam deixar concorrer
    Mas a alguém, falta coragem
  •  
  • E não há nada a fazer
    Da lata que esta gente tem
    O bom senso fica a perder
    Mas para alguns, parece bem
  •  
  • Que raio de país este 
    Que tem políticos desta laia
    Ela ganha, e tu é que perdeste
    E a Democracia, que não caía
  •  
  •  
  • de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:32


255 - TEU ABRAÇO

por Fernando Ramos, em 05.12.16

 

 

  • TEU ABRAÇO
  •   
  • No conforto do nosso abraço 
    Sinto a doçura de teu corpo 
    No teu jeito infinito 
    Que me encanta de sedução
    E nesse afago de magia
    Encontro a paz que tece
    P´lo sol de cada manhã 
    Aquecendo os murmúrios 
    Do nosso doce amor
  •  
  • No teu abraço, arde a paixão
    Que me enche de vontade 
    De te querer intensamente
    Numa emoção hesitante
    Que desnuda num carinho
    De desejos sem final
    Que eu não procuro
  •  
  • Com teu abraço
    Sinto emoções 
    De outros tempos
    Que, como hoje
    Nos amámos sem pudor
    Sem ilusões, e sem finais
  •   
  • Abraça-me sempre meu amor
    E deixa-me ouvir intensamente 
    O rufar dos tambores
    Como se o nosso amor vivesse 
    Permanentemente em festa 

    de: fernando ramos
  •  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:59


254 - LAMENTOS

por Fernando Ramos, em 05.12.16

 

  • LAMENTOS
  •  
  • Nesta vida de lamentos
    Todos nós temos uma razão
    Para alguns são uns tormentos
    O modo como se ganha o pão
  •  
  • A vida não está fácil, não
    E nem todos são privilegiados
    Uns tem aquilo que não são
    Outros, são uns desgraçados
  •  
  • Mas se Deus faz a vida assim
    Lá deve lá ter suas razões
    Uns tem tormentos sem fim
    Outros não, por outras situações
  •  
  • Ao nascer, poderemos ter a estrelinha 
    Diz o povo, e não há nada a fazer
    A sorte virá com boa luzinha 
    De outro modo, poucos a vão ter
  •  
  • Por isso peço a Deus
    Ajuda para a minha vida
    Assim, também ajudo os meus
    A ter a sua, mais bem sucedida
  •  
  •  
  • de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:36


253 - DESGOSTOS DA VIDA

por Fernando Ramos, em 04.12.16

 

 

  • DESGOSTOS DA VIDA
  •  
  • De ti, tinha sofrido
    Desgosto e falta de atenção
    Não sei porque eras assim comigo
    Se te entreguei meu coração
  •  
  • A última vez que me beijaste
    Nem me lembro se foi por amor
    Talvez fosse quando comigo casaste
    Porque ainda estavas ao meu dispor
  •  
  • Agora que já não estás
    Porque por outra me trocaste
    A ela se calhar já não és capaz
    De a tratar, como me trataste
  •  
  • Não te peço para voltares
    Porque eu já não te amo
    Espero que sejas capaz de a amares
    É que, comigo foi um engano
  •  
  • Que sejam os dois muito felizes
    É todo o meu querer 
    E que tenham alguns petizes
    Já que a mim, os não conseguiste fazer
  •  
  •  
  •  
  • De: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:15


252 - DEUS ASSIM PERMITA

por Fernando Ramos, em 04.12.16

 

252.jpg

 

 

  • DEUS ASSIM PERMITA

    Se deres a liberdade pedida
    Não me tires a felicidade de viver
    Foi com muito sacrifício conseguida
    Por isso não a quero perder
  • Se deres a força de existir 
    Não me tires a sensatez de pensar
    Sem ela não poderei resistir
    Aos pecados que a vida me faz dar

    Se me deres a oportunidade de vencer
    Não queiras que eu perca a modéstia 
    Deus permita que melhor possa ser
    Mantendo a dignidade que me resta
  •  
  • de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:43


251 - CORAÇÃO COM ASAS

por Fernando Ramos, em 04.12.16

 

  • CORAÇÃO COM ASAS
  •  
  • Se meu coração tivesse asas
    Voaria sem dúvida pelo infinito
    Levaria serenas e belas serenatas   
    De um amor puro que é tão bonito
    E se teu amor também voar
    Desejos do meu ele vai ter
    Se quer meu coração amar
    Deus me segreda que vai acontecer
  •  
  • Quando teu coração meu amor tiver
    Não mais irá p´lo céu voar
    Será como ele quiser
    Até um dia o meu parar
    Ele se irá findar lentamente 
    Porque ainda vai muito palpitar
    Meu coraçlão é enorme e valente
    Que anseia o teu sempre amar
  •  
  • De: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:27


250 - DEI-TE UMA FLOR

por Fernando Ramos, em 04.12.16

 

 

 

  • DEI-TE UMA FLOR
  •  
  • Dei-te uma flor
    e Tu deste-me um beijo
    Seria de amor
    Ou seria de desejo
  •  
  • Se foi de puro amor    
    Então eu fico bem
    Até que o seu sabor
    É de quem ama alguém
  •  
  • Se foi de desejo
    Também está bem assim
    Porque nova vida prevejo
    Estar sempre juntinho de ti
  •  
  • Dei-te outra flor
    E tu deste-me outro beijo
    Este era de um longo amor
    Que se tornou nosso desejo
  •  
  • Cada pétala leva felicidade
  • Em todas as flores vai um desejo
    Que seja eterna nossa amizade
    E nunca termine num longo beijo
  •  
  •  
  • de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:40


249 - SAIA BONITA

por Fernando Ramos, em 04.12.16

 

 

  • SAIA BONITA
  •  
  • Eu falo da minha saia
    Que é bonita e às flores
    À noite ao me deitar com o Maia
    Ela ganha muitas mais cores
  •  
  • Fica com as cores das estrelas
    Porque elas veêm amar o meu homem
    As carícias dele eu vou tê-las
    Antes que outras mas roubem
  •  
  • O Maia é a minha paixão
    Que nas noites me leva à loucura
    De dia fica com meu coração
    P´ra de outra não andar à procura
  •  
  • Ele adora a minha saia
    Que é de xita e muitas cores
    Pede sempre que ela caia
    P´ra sentir meus sabores
  •  
  • Eu assim sou muito feliz
    E ele comigo é uma bela fera
    Já lhe fiz tudo o que quis
    E mais farei, até à primavera
  •  
  • de: fernando ramos
    25.09.2005

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:33


248 - OS CAMINHOS DOS PÁSSAROS

por Fernando Ramos, em 03.12.16

 

 

  • OS CAMINHOS DOS PÁSSAROS
  •  
  • Os pássaros voam
    por diversos caminhos
  • onde nada fica encoberto
  • nem descoberto
    vão desencontrados uns dos outros,
  • mas a verdade é que vão 
    sempre por bons caminhos

  • Nossa vida por vezes
    faz-nos uma surpresa
    e vai pelos mesmos desencontros
    por caminhos bem errados e encobertos

  • Os pássaros dão-nos alegria de viver
    A nossa vida, por vezes não!
    Eu quero ser como os pássaros
    e ter todos os bons caminhos descobertos
    Só eles sabem encontrar os seus

  • Se eu for um pássaro
    também irei pelo caminho certo
    Lá bem pró alto, onde mora 
  • a nuvem dos aromas da esperança
    Eu quero ser um pássaro
    Porque hoje a esperança
    é o que me resta
  •  
  • De: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:20


247 - NÃO SOPRAM VENTOS NOVOS

por Fernando Ramos, em 03.12.16

 

 

  • NÃO SOPRAM VENTOS NOVOS
  •   
  • Afinal não sopram ventos novos...
    Todos esperamos por eles
    mas ainda não chegaram
    São os mesmos ventos que estão soprando
    Sempre os mesmos, é uma desilusão...
    Prometeram-nos novos ventos
    mas os que aí estão parecem
    ventos do passado
    Mesmos hábitos
    mesmas formas de viver
    O salmão continua a correr
    para o seu fim como um destino divino
    Alguma preguiça mantém-se inalterável
    Os pássaros que seguem para sul
    continuam na mesma rota, a irem p´ra sul
    No nosso país tudo segue o mesmo ritmo
    como se um mestre de orquestra
    com a sua batuta desse as suas ordens
    para o inicio de uma sinfonia
    que teima em se manter em cena
    É sempre o mesmo caminho de antes
    Os ventos não mudaram
    o ciclo da incompetencia mantém-se
    nada muda, meu pobre país
    Continua a soprar os mesmos ventos
    de outrora, são quase os velhos ventos
    que sopram sempre da mesma forma
    Ainda tivemos uma esperança
    nas pétalas de um cravo vermelho
    mas parece que não passou disso
    Nós desesperamos pela mudança
    por ventos novos que não chegam
    São sempre prometidos ao povo
    mas nunca chegam
    Vento velho por favor
    dá lugar aos novos ventos
    deixa-nos encontrar outros caminhos
    Chega deste sopro que não nos leva
    à mudança e nos sufoca
    vem vento novo!
  •  
  • de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:05


246 - CUIDADO ELES ANDAM POR AÍ

por Fernando Ramos, em 03.12.16

 

 

  • CUIDADO ELES ANDAM POR AÍ
  •  
  • Andam por aí uns 'senhores'
    que não passam de fascistas
    querem o mal a pessoas
    de outras raças
    especialmente os negros
    Perseguem Gays, Lésbicas
    como se estes não tivessem
    direito a serem diferentes
    e amarem a vida de outra forma
    Ninguém põe estes 'meninos'nazis
    na ordem, eles são a escória
    da nossa sociedade e devem
    ser postos de lado
    Não desejam a paz
    e não amam o seu semelhante
  •  
  • CUIDADO ELES ANDAM POR AÍ
    Temos de conviver com estes marginais
    que se cruzam connosco
    pelas ruas da nossa cidade
    Os olhos deve andar bem abertos
    porque se não um dia a
    'casa poderá vir abaixo'
    e depois não são só os grupos
    minoritários a serem perseguidos
    podes ser até tu, só por seres
    um homem livre e amares a paz
    É preciso não esquecer
    que o Nazismo existe
    e anda pelos cantos
    de todas as cidades
  • CUIDADO, ELES ANDAM POR AÍ
  •  
  • de: fernando ramos
  •  
  •  


  •  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:40


245 - UM DOCE REBELDE

por Fernando Ramos, em 03.12.16

 

 

  • UM DOCE REBELDE
  •  
  • A ti meu doce rebelde
    Que tens nome de poesia
    Te ofereço pedaços de mel
    Caregadinhos de cortesia
  •  
  • Teu nome espiritual
    Batiza doces de pouco mel
    Me inspira desejos sem sal
    Que os escrevo num papel
  •  
  • Bolinhos de doce rebelde
    Que pouco açúcar tem
    Eram feitos´p´ra meu farnel
    Pela senhora minha mãe
  •  
  • Tenho saudades dessa iguaria
    Que era comida pelo Natal
    Que bem que ela sabia
    E a nós nunca fez mal
  •  
  • Rebelde é o doce
    Que leva pouco açúcar branco
    É de sabor agridoce
    E não se deve comer tanto
  •  
  • Os doces para serem bons
  • Não precisam de tanto mel
    E até se fazem bombons
    Que ficam com doce rebelde
  •  
  • Doce que pouco açúcar mantem
    Muitos gostam de ti
    Comam-nos muito bem
    Mas deixem alguns p´ra mim
  •  
  • de: fernando ramos

  •  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:39


244 - LISBOA, SEMPRE LISBOA

por Fernando Ramos, em 03.12.16

 

 

  • LISBOA, SEMPRE LISBOA
  •  
  • Lisboa, na sua melancolia Outonal
    Busca lugares em passeios públicos
    Vai chegando a chuva à Capital
    Aos reis da noite, e seus súbditos
  •  
  • Lisboa da Amália, e da Severa
    Tem a arte de bem estar
    Elas cantavam p´la Primavera
    Até o Inverno chegar
  •  
  • Lisboa das guitarras que gemem
    Nos fados de saudade e alegria
    tocam, e muito pedem
    Que a cidade não ande vadia
  •  
  • Lisboa dos touros e fados
    Que o povo não dispensa
    É um espectáculo sem pecados
    À antiga Portuguesa
  •  
  • Lisboa de muitos Santos
    Dá-nos o sol com ternura
    Tem o rio p´ra uns quantos
    Que o amam na sua brandura
  •  
  • Lisboa de mil amores
    Vestida de sonhos e magia
    Oferece perfumadas flores
    Quando a beijam com poesia
  •  
  • de: fernando ramos

  •  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:53


243 - ESCUTA CORAÇÃO

por Fernando Ramos, em 02.12.16

  

 

  • ESCUTA CORAÇÃO
  •   
  • Hoje escutei o coração,
    Ele não deu boa notícia
    Diz p´ra eu não ter ilusão
    Quem amo, é de muita malicia
  •  
  • Na luz dos olhos dela
    Entreguei o meu amor
    Sei que vou sofrer por ela
    E sentir alguma dor
  •  
  • Tanto amo aquela alma
    Que é a estrela da minha noite
    O coração diz para ter calma
    Senão me dá um açoite
  •  
  • Nesta sua vida de pecados
    Seus lábios não tem cor
    Ela atira-me beijos roubados
    Que trazem sal de muito sabor
  •  
  • Voltei a escutar meu coração
    E não me deu a certeza
    Ele diz, e com razão
    P´ra não manter a chama acesa
  •  
  • Vou deixar esta paixão
    E ir embora do seu mundo
    Meu amor tem a noção
    Que com ela irei ao fundo
  •  
  • Adeus ó ilusão
    Adeus beijos roubados
    Deixa o meu coração
    Não receber beijos salgados
  •  
  •  
  • de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:49


242 - ESCREVO POEMAS

por Fernando Ramos, em 02.12.16

 

 

  • ESCREVO POEMAS
  •  
  • Escrevo para o fadista
    Poemas para ele cantar
    De forma bastante simplista
    E facilmente os vai decorar
  •  
  • Eles falam de amor
    E de alguma tristeza
    Alguns até trazem dor
    Outros, alguma beleza
  •  
  • Ele canta a minha poesia
    Com bastante realismo 
    Eu sei que bem gostaria
    Que a posia tivesse heroismo
  •  
  • Isso não faço, e ele bem sabe
    Que os heróis para mim acabaram
    Porque anseio que a guerra acabe
    Chegando a paz que muitos sonharam
  •  
  • Para o fadista meu amigo
    Escrevo outros factos reais
    Aqueles que um dia levarei comigo
    Para um céu de nunca mais
  •  
  • O fadista canta, canta
    Minha escrita do faz de conta
    Porque assim ninguém se espanta
    Das historias que alguém apronta
  •  
  • Por isso ele faz o favor
    De ser meu grande amigo
    P´ra ele escrevo sem temor 
    Poesia de vitórias que imagino
  •  
  • De: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:27


241 - AMAR SEMPRE

por Fernando Ramos, em 02.12.16

  

  • AMAR SEMPRE
  •  
  • Apareces de forma gentil
    P'la calada da noite escura
    Te deitas de forma subtil
    Em nosso lençóis de seda pura
  •  
  • Aí, nossos corpos se amam
    Num frenesi sem parar
    Os corações ficam em chama
    P´la noite que vai acabar
  •  
  • Amamo-nos loucamente
    numa paixão sem dor
    Pedimos aos céus perdidamente
    que não finde o pedaço de furor
  •  
  • Continuamos num vai-vem amado
    p'ra um final que existe
    Trocamos murmúrios de pecado
    Num orgasmo que não resiste
  •  
  • E docemente nos beijamos
    Por este belo acto de amor
    Logo ali concordamos
    Reiniciar no mesmo esplendor
  •  
  • de: fernando ramos

  •  

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:50


240 - HOMEM DE 50 ANOS

por Fernando Ramos, em 02.12.16

 

 

  • HOMEM DE 50 ANOS
  •  
  • Cinquenta anos já cá estão
    Digo eu sem pudor
    Mas nós queiramos ou não
    Nota-se bem, sim senhor
  •  
  • Esta é a vontade de Deus
    E nada há a fazer
    Estou feliz por estes anos meus
    Mais alguns eu vou querer
  •  
  • Sou homem de cinquenta
    Digo com ar de brincalhão
    E se chegar aos oitenta 
    Eu nessa faço questão
  •  
  • Cinquenta anos é uma vida
    Construída de muitos momentos
    Ela foi bem conseguida
    Mas também de alguns lamentos
  •  
  • Muitos que tem esta idade
    Estão contentes por a ter
    Obrigado Deus pela felicidade
    De os cinquenta deixar fazer
  •  
  • Daqui para a frente o que farei?
    Pergunto eu com curiosidade
    A esta idade já cheguei
    A Deus Agradeço a generosidade
  •  
  • de: fernando ramos

  •  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:36


239 - NOZES

por Fernando Ramos, em 01.12.16

 

 

  • NOZES
  •  
  • Varejei a nogueira
    Porque muitas nozes tinha
    Foi numa Segunda Feira
    Logo p´la manhãzinha
  •  
  • Muitas caíram no chão
    E lá tive de as apanhar
    Não couberam num sacão
    Outro maior fui buscar
  •  
  • São tantas as nozes que apanhei
    Que delas me vou enfartar
    Algumas eu darei
    Aos amigos que encontrar
  •  
  • No fim de verão é sempre assim
    As nozes tenho de varejar
    Algumas são para mim
    Que até um poema vou versar
  •  
  • Minhas nozes saborosas
    Dão trabalho apanhar
    Os amigos vos acham gostosas
    E a Natureza pronta, a ofertar
  •  
  • de: fernando ramos
  •  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:19


238 - PALHAÇO

por Fernando Ramos, em 01.12.16

 

 

  • PALHAÇO
  •  
  • Sou apenas um palhaço
  • Que não trabalha no circo
    Essa vida não faço
    Nesse destino eu não brinco
  •  
  • Começo pela manhã
    Nos transportes pró emprego
    Onde corro com afã
    Porque chegar tarde, tenho medo
  •  
  • Minha vida de palhaço
    Começa sempre bem cedinho
    Tenho de acelarar o passo
    P´ra andar mais um bocadinho
  •  
  • Se tarde no emprego entrar
    Até posso ser despedido
    Para uma miséria ganhar
    Que o patrão paga certinho
  •  
  • Ao trabalho vou chegar
    E lá, todos parecem zangados
    Os mesmos problemas tiveram de passar
    Por isso como eu, são uns coitados
  •  
  • Lá aparece o patrão
    A ver se trabalho e o que faço
    Tão difícil é ganhar o pão
    Digam se não sou um palhaço
  •  
  • Sorte tem os outros palhaços
    Pelas suas vidas bem vistas
    Fazem rir outros aos pedaços
    Como os grandes artistas
  •  
  • Não passamos de palhaços
    Do nosso dia, a dia de vida
    Temos de ter nervos de aço
    P´ra nossa triste sina
  •  
  • de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:57


237 - CAVALO DE CORRIDA

por Fernando Ramos, em 01.12.16

 

 

  • CAVALO DE CORRIDA
  •  
  • Meu cavalo de corrida
    Todos gostamos de te ver
    Fazes lembrar nossa vida
    Que também é feita a correr
  •  
  • És um cavalo galante
    E de muito bom porte
    Quando corres és elegante
    E muitos te desejam sorte
  •  
  • Teu galope é um encanto
    Que nos causa tonturas
    Muitos te amam tanto
    Que por ti apostam loucuras
  •  
  • O nosso cavalo Lusitano
    É o melhor corredor do mundo
    Enquanto os outros vão andando
    Ele corta a meta num segundo
  •  
  • São cavalos para se amar
    Porque és dos mais valorosos
    Tantos gostavam de te comprar
    Mas os valores são fabulosos
  •  
  • Tantos querem um, eu bem sei
    Porque o Lusitano é sempre primeiro
    Queres tu, e mais alguém
    Mas precisas de dinheiro
  •  
  • Não há dinheiro que pague
    Um amigo como tu
    E toda a gente sabe
    Que igual, não há nenhum
  •  
  •  
  • de: fernando ramos

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:01


236 - TUA MENTIRA

por Fernando Ramos, em 01.12.16

  

  • TUA MENTIRA
  •   
  • Comigo tu casaste
    E com outro fugiste
    Porque te afastaste
    E por que me mentiste?
  •  
  • Mentiste para mim
    Num momento de felicidade
    Não sei porque me enganas assim
    Agora apenas resta a saudade
  •  
  • Alguns sonhos tivemos
    E não serviram de nada
    Tanto amor nós fizemos
    Que p´ra ti era uma noitada
  •  
  • Valia mais não termos casado
    Nem eu por ti ter amor
    Nestes dias tenho chorado
    Não voltes mais por favor
  •  
  • Se achas que ele é melhor que eu
    Não me devias ter enganado
    Não se deve querer o que não é seu
    E com ele, é que devias ter casado
  •  
  • Dizias ser eu a tua paixão
    E com isso andavas enganar
    Mentiste sem razão
    E comigo é que foste casar
  •  
  • Agora não há nada a fazer
    E fica lá com outro qualquer
    Por ti não mais vou sofrer
    Seja o que Deus quiser
  •  
  •  
  • de: fernando ramos
  •  
  •  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:47


Mais sobre mim

foto do autor


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D