Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

FERNANDO RAMOS

Minha Poesia

FERNANDO RAMOS

Minha Poesia

31
Ago16

1017 - MIL SOIS

Fernando Ramos

1017.jpg

MIL SOIS

 

 Sorri para mim

Dá-me esse sorriso
Que é teu ouro
Ele é tão feliz
Como a primavera a florescer
Meu amor sorri para mim

 

Ao olhar teu sorriso
Faz-me voar
Até aos longínquos
Mil sois
Por isso sempre te peço
Sorri para mim

 E nas asas do tempo

Preso ao sonho
Da rosa vermelha
Vou em busca do precioso...
Sorriso, do teu
Só por isso sorri para mim

No sonho desse sorriso

Eu pouco quero
Apenas peço, um olhar
Uma caricia, um beijo
E esse sorriso para mim

 

Entre este amor por ti
Está a doce promessa tua
Que para sempre
Me darás teu sorriso
Por isso anseio e imploro
Sorri para mim

 

Se um dia
Perder teu sorriso
Encontro a tristeza
A mágoa, a solidão
Não me abandones
E sorri para mim meu amor

 

De Fernando Ramos

 

30
Ago16

1016 - LISBOA DE AMOR

Fernando Ramos

1016.jpg

 

 1016 - LISBOA DE AMOR

 A minha cidade colorida é Lisboa

De gentes que perfumam o entardecer      
É da Pátria onde a voz entoa
Fados de poetas de bem saber

A cidade não tem salinas

Nem sol de mau feitio
É de lindissimas colinas
Beijando o Tejo, seu rio

Vive as festas com os seus Santos

E o St.António vai na marcha popular
Tem dois clubes de seus encantos
Lá para os lados da circular

Um é o Benfica do grande Eusébio

O artista de forte chuto
Outro o Sporting que tem um génio
Ronaldo, estrela maior do seu reduto

 

Lisboa tem varinas e o pregão
Poetas e trovadores
Tem tanto amor no coração
Cantado em fados de bons autores

Minha cidade meu centro do mundo

Que nos deixa andar na lua
Oferece o abraço profundo
Ao turista, que lhe calcorreia a rua

Faz os corações depressa bater

A quem a ama com alegria
É um pedaço de chão de enternecer
Por ser tão bela e sem nostalgia

Já teve moinhos de maré

E tem Camões seu grande poeta
A fadista Amália, que ainda hoje é
A voz da paixão, que no povo desperta

Minha Lisboa de amor

Que o faz a toda a hora
Dá beijos com tanto calor
Ao seu passado, e agora

 

De: Fernando Ramos

 

 

29
Ago16

1015 - MOMENTOS IGUAIS

Fernando Ramos

 

1015.jpg

 

MOMENTOS IGUAIS 

 

Um grande amor cantei num fado

Num poema doce imaginado na hora 

Ali vi quem era meu amado

Para toda minha vida fora

 

Dizei-me poetas se eu sou dele 

Na poesia que ao vento escreves

Se o meu amor for com ele

Espero não ser por momentos breves

 

Canto o meu amor ardente

Nas leves frases banais
Chorando meu coração quente
As palavras sempre iguais

 

Dizei-me  em palavras amigas

Se este amor p´la vida eu o sigo

Não vejo nos poemas dores sofridas

Por o amor ir embora como meu castigo 

 

E eu vivo esta fase tristonha

Repetindo sempre os mesmo aís

Meu coração bate e sonha

Mas os momentos são sempre iguais

 

de: Fernando Ramos

28
Ago16

1014 - ROSA MINHA PRINCESA PERFERIDA

Fernando Ramos

 

1014 fr.jpg

 

 

  • 1014 - ROSA MINHA PRINCESA PERFERIDA
  •  
  • A vida é recheada de mistérios e magia
    Mas tu Rosa, és a minha Princesa preferida
    Teu nome são as cores dum mundo que contagia
  • Os jardins das flores cheios da paz tão querida
  •  
  • E lá bate o sol em teu corpo de meu desejo  
  • E o vento enamorado teu cabelo penteia
    És a dócil brisa vinda do mar que serpenteia
    As ondas do meu ser que te pedem um beijo 
  •  
  • E meus olhos que te veem oferecem o olhar 
  • Plantando neles meus anseios mais arrebatados
  • E nas noites do meu tanto, te desejar
  • Vibram meus silencios de ti, tão acalorados
  •  
  • E se um dia um suspiro te falar do meu desejo
  • Caí uma pétala tua, Rosa, em meu coração  
  • E meu corpo distendido na curva do teu
  • Me fará feliz de amor, amando tanta emoção   
  •  
  • de: Fernando Ramos
27
Ago16

1013 - A COR DA LUZ E O TOQUE DUM CLARIM

Fernando Ramos

 

1013.jpg

 

 

 1013 - A COR DA LUZ E O TOQUE DUM CLARIM

 

Teus olhos me perturbam 

Parecendo avezinhas 

Pousando nos meus

Piscando como estrelinhas

 E abertos mostram segredos

Que p´ra mim são um mistério

Como dizendo quem somos

E quem num futuro

Viremos de novo a ser... NÓS

Sorrindo os meus sem medo

P´lo amor ali nascido tão sério

Meus olhos destendidos p´la curva dos teus 

São a cor da luz e o toque dum clarim       

Brilhando aos olhos teus
E bailando de alegria p´ra ti, e p´ra mim        

 
De: Fernando Ramos

26
Ago16

1012 OUTROS MUNDOS

Fernando Ramos

1012 fr.jpg

 

1012 - OUTROS MUNDOS 

 

Quando na vida algumas pessoas

Alcançam determinados valores

Elas sentem-se num bem estar que contemplam 

E quando julgam que vivem em plena felicidade

Estão totalmente enganadas.

Esquecendo-se que para além do mundo delas

Existe amargura em outros mundos

Num tempo cheio de vitimas das atrocidades humanas

 

É gente que chora, que cala, que sofre

Vivendo a dor num mundo bem diferente do mundo delas

E os outros se pensam que o problema não é deles

Ignorando os valores que se rege a vida humana

Estão totalmente enganados!

 

De nada serve pensarem, que o importante, são eles

Porque tudo conseguiram, e sabe se lá de que forma

Amealharam riqueza dum momento pró outro

E quando Deus lhes dá um sinal do final

Da sua triste jornada pintada de bonitas cores

Alguns ainda julgam que não é para eles

Portanto esqueçam os bens,

Esqueçam o egoísmo e a falta de solidariedade 

No seu mundo, porque bendito é o amor

Para com a dor no coração dos outros mundos

E quando partirem, tudo fica cá

Levando apenas de companhia

A sua ganância e a sua ignorância

 

de: Fernando Ramos

 

25
Ago16

1011- MURMÚRIOS DE POESIA

Fernando Ramos

1011.jpg

 

1011 - MURMÚRIOS DE POESIA

 

Vagueio dentro da nudez dum poema

Murmúrando as palavras que deito

Na folha branca escrita por uma pena

Brotando rimas e prosas de algum efeito

 

E escrevo meus sonhos num poema profundo

Por letras aguçadas em palavras de apogeu

Voando p´la inspiração até ao centro do mundo

Procurando outro lugar de poemas que não o meu

 

Busco a cor da ternura da palavra que passa

E das vozes da minha imaginação

Que sorrateiramente amansa e abraça

Murmúrios de poesia escrita p´lo coração

 

E a poesia nunca deixarei de murmúrar

Inspirada e escrita p´la quente emoção

E por um tempo de ternura a irei levar

Mesmo repousando p´ra outra dimensão

 

de: Fernando Ramos

 

 

 

 

 

24
Ago16

1010 - SOLDADOS QUE NÃO QUISERAM SER

Fernando Ramos

1010.jpg

 

1010 - SOLDADOS QUE NÃO QUISERAM SER 

 

Fui Militar de guerra injusta

E senti na pele o cacimbo

Nas noites de todos os medos

Estive em locais onde outros estiveram

Sentido a solidão e a incerteza que morava pertinho   

E por lá em terras do fim do mundo

De horizonte avermelhado

Fomos soldados que alguns não quiseram ser

Estando onde outros tiveram medo de estar

Suportando a injustiça na crista da saudade

No meio de sonhos enlouquecidos

Aguardando sempre por um amanhã melhor

E nunca pedindo nada a quêm nada dá 

Apenas rezando para não ver a face do terror

E não sentir a dor fria de uma bala destinada

Ansiando a paz das madrugadas

Que embalam coraçoes de alegria

E não vivendo tempos que deviriam ser apenas

Prós senhores cobardes das Guerras injustas

Que vivem da sua verdade, sem encanto

 

de: Fernando Ramos

 

 

23
Ago16

1009 - O VENTO NÃO LEVA A PAIXÃO

Fernando Ramos

1009.jpg

 

 1009 - O VENTO NÃO LEVA A PAIXÃO 

 

Quisera ser tua água serena

P´ra no rio da tua vida eu vencer

Nele poder-te beijar de paixão plena

P´ra meu sol de amor te aquecer

 

E p´l rio a caminho da margem

Balança-se ao vento nosso louco amor

Pedindo p´ra que não caia na fria aragem

Um tempo entre nós de desamor

 

E só no sapatedo do tempo do tempo

Se saberá se o coração dançará sofredor

Ou os beijos que irão sumidos no vento

Levarão em rajadas o meu amor

 

E ao encontro do teu amor , eu quero ir

P´la bolina do rio onde aprendi  a navegar

E eu, e tu não deixaremos nunca partir

A paixão que o vento jamais irá levar

 

de: Fernando Ramos 

23
Ago16

1008 - FLORES DE AMOR

Fernando Ramos

 

1008.jpg

 

  1008 - FLORES DE AMOR

 

Flores pró meu amor

Ofereço porque as merece

E certamente é sem favor

Deste gesto já mais me esquece 

 

Levo esta minha acção

Na ponta de meu desejo

E p´la concha de minha mão

Entrego as flores mais um beijo

 

P´ra ti a linda rosa

P´ra ti o malmequer

P´ra ti uma minha prosa

P´ra ti o meu corpo que te quer

 

E nesta minha melodia de amor

As lindas flores de paixão 

Perfumam o céu de bonita cor

Pró amor entrar bem no coração

 

E nas minhas flores de amor

Vão beijos lidos em meu olhar

Que me leva oferecer a flor

A quem a mim se vai entregar

 

P´ra ti a linda rosa

P´ra ti o malmequer

P´ra ti uma minha prosa

P´ra ti o meu corpo que te quer

 

de: Fernando Ramos

 

 

Pág. 1/9

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D