Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

FERNANDO RAMOS

Minha Poesia

FERNANDO RAMOS

Minha Poesia

31
Jul16

931 - MINHAS MANAS FAZEM ANOS

Fernando Ramos

931.jpg

 

MINHAS MANAS FAZEM ANOS

 

MANAS, fazem anos

É uma bênção do céu

E logo as duas ao mesmo tempo

Foi um acto generoso

Que Deus deu a nossos pais

E hoje mais um aniversário vosso

Que seja passado com muita saúde

Na companhia de quem mais amam

Do vosso mano, e manos

Beijos de Felicidades

 

Para minhas irmãs

Paula e sofia

12.11.2013

 

De; Fernando Ramos

 

31
Jul16

930 - ABISMO INFINITO

Fernando Ramos

930 (2).jpg

 

ABISMO INFINITO

 

Procuro o abismo infinito

Onde possa largar a raiva

E o pesadelo da tristeza

Da dor e da escuridão

Nele busco um futuro bonito

Não sabendo se a mim chegará

 

E no abismo infinito que busco

Quero encontrar um abraço fraterno

Ou um sonho do desejo que procuro

E nesta baderna de vontades

Sinto a loucura a fugir

Num colapso de sentidos

Persentindo que não tem mais jeito

Se não cair maldito abismo infinito

 

Ganhando talvez a liberdade

E a ansia de voltar a ser feliz

Feliz com nunca estive antes

Chamando sorrateiramente a claridade 

P´ra encher de cor e animação

Meu mundo escuro

 

de; Fernando Ramos

 

 

31
Jul16

929 - PECADO É TENTAÇÃO

Fernando Ramos

 

929 (1).jpg

 

PECADO É TENTAÇÃO

 

Passamos tempos malvados

Cuja a moral na vida fez pausa
Seguem-se destinos errados
Numa rebeldia sem causa


Julga-se que o fácil é um ganho
Esquecendo-se que o pecado é tentação
Desprezam a vida, e falta trabalho

E alguns roubam a quem ganha pão

Outros sem pensar agem por diversão, 
Outros ainda por pura necessidade
Grita-se que a lei abandonou a razão  
Desconfia-se que terminou a Liberdade

Pobres aqueles seres de espírito mau
Muitos ricos de orgulho e vaidade
São filhos gerados pelo mal

Ou pobres vítimas da sociedade

 

De Fernando Ramos

7.10.2013

31
Jul16

928 - AMOR DE CRISTO

Fernando Ramos
  • 928 fr.jpg



  • AMOR DE CRISTO
  •  
  • Percorro ruas de vários locais
  • Vendo gentes do meu País
  • Vejo diferenças abismais
  • E ainda mais do que não quis
  •  
  • E entre multidões desiguais
  • Vejo sombras de várias cidades
  • Parecendo fantasmas ancestrais
  • Em rostos sem esperança e sem idades
  •  
  • Vejo idosos abandonados
  • E crianças com alguma graça
  • Alguns jovens  afortunados
  • Mas mais, de futuros desgraçados
  •  
  • Este é hoje meu País de tantos ais
  • Dos grandes heróis de muita história
  • E na tristeza amargurada, vejo de mais
  • Pessoas deambulando sem glória
  •  
  • Palmilhando cada esquina, cada espaço
  • Vejo desempregados tristes por aí
  • Buscando sorrisos ou um abraço
  • E o que encontram é desespero sem fim
  •  
  • P´ra quem caminha à deriva
  • Infelizes, sem esperança e cansados
  • Resta o amor de Cristo na sua vida
  • Que em seu coração os tem abrigados
  •  
  • De:_ Fernando Ramos
  •  
31
Jul16

927 - VIDA MENTIROSA

Fernando Ramos

927 (2).jpg

 

VIDA MENTIROSA

 

Vive-se numa sociedade

Falsa e do parecer bem

Sufocando um futuro

Querendo o que não se pode ter

Havendo alguns comprando

O que não precisam

Com dinheiro que não se tem

Correndo a um consumismo 

Só p´ra impressionar e se mostrar

O que na realidade não se é

Esta é a vida mentirosa dos tolos

Que por caminhos tortuosos

Tantos teimam viver

 

de: Fernando Ramos

30
Jul16

926 - ANSEIO UM ABRAÇO

Fernando Ramos

 

926.jpg

 

ANSEIO UM ABRAÇO

 Dentro da cadeia de minha vida

Entre grades e paredes escuras

Apenas anseio um abraço

P´ra abraçar a dor da solidão

Nas minhas noites sombrias

 

Nelas sinto tristeza e mágoa

Com o medo escondido

Nas curvas da saudade

Que me desassossega e assalta

Que me arde, e faz doer

Dentro das grades de minha vida

 

E eu carente de amor

E do respeito que perdi

Resta-me apenas

Os donos do mundo

Incapazes de amarem

Dentro das artérias por onde

circula o quente sangue

Da liberdade dum forte abraço

E entre ferozes sentimentos

De nostalgia que me rodeiam

Aguardo minha hora

Bem dentro

Da cadeia de minha vida

 

De Fernando Ramos

05
Jul16

2 - O EXPECTÁCULO DA ÁGUIA

Fernando Ramos

  

O EXPECTÁCULO DA ÁGUIA

 

No céu de brilho suave
Da esplendorosa casa de luz
A águia forte e altiva
Elegante e majestosa
Voa garbosamente
Seguida p´los olhares
Da multidão que se agita
Que em lágrimas se seduz
Vestida na cor quente
Da púrpura gloriosa
 
E naquele ameno voo
Puro e perfumado
Mensageiros celestes
Tecem a bela partitura
De um vibrante hino
Do vermelho aveludado
Que equipa o BENFICA
Por Deus abençoado
 
São lindas as imagens
De doçura divinal
Da Águia que se eleva
Em pura harmonia
E num fascinante fascínio
Ensina dignos adversários
A Respeitar tais magias
Nas amenas noites
Como nos cálidos dias
 
Os vibrantes adeptos
Vivem o suave encanto
Ouvindo a sinfonia
Do seu clube colossal
Deixando Adversários
Num total pranto
Com mais uma vitória
Do clube da Águia Imperial
 
Os fieis gloriosos sócios
De coração generoso
Observam em silêncio
Suculenta cena rica
Da esplendorosa Ave
Em seu voo sumptuoso
P’ra que sua alma nunca
Nunca doa pelo BENFICA
 
E no final do generoso voo
Desce ao seu tesouro
Perante olhares felizes
Que em sorrisos brilham
Por vê-la depenicando
Seu manjar de Ouro
Num magnifico espectáculo
Que Deuses e o povo Partilham
 
 
2-  De: fernandoramos


 

04
Jul16

1 - A ÁGUIA RAINHA DAS ALTURAS

Fernando Ramos

 

 

 

  

1 - A ÁGUIA RAINHA DAS ALTURAS

 

  

 

Há tanto para dizer

 

Da Ave esplendorosa

 

E do encantamento à sua volta

 

Que na sua força e poder

 

Ostenta um símbolo de enaltecer

 

 

 

A exuberância é parte de si

 

E seus olhos de cristais

 

Transparentes como Diamantes

 

Guiam o adepto  

 

Que com ela anseia voar p´lo céu

 

Vistoso e colorido

 

Entre as nuvens que o merece

 

Buscando um destino apetecido

 

 

 

Foi Deus que a escolheu

 

E lhe ofereceu o dom de ser Benfica

 

Majestosa, bela e admirável

 

Rainha da luz e das alturas

 

No estádio que a glorifica

 

Nesse seu ninho de amor

 

Onde a chama imensa

 

Vibra e se ateia

 

 

 

Lá onde ele voa mais alto

 

Num tempo que com ela voa

 

No céu de segredo celestial

 

Onde nada ali se compara

 

Em tanta imponência Real

 

 

 

A Águia simplesmente Águia

 

Domina com o esvoaçar divinal

 

Porque a Majestade é ela

 

Poderosa e de fina postura

 

Que a multidão bem enaltece

 

A sua ave altiva e garbosa

 

Símbolo de farta bravura

 

  

 

1 - de: Fernando Ramos

 

 

 

 

 

04
Jul16

151 - POVO, POVO

Fernando Ramos

 

 

151 FR.jpg

 

 

POVO, POVO 

 

Povo, povo que estás na rua
MAIS UM TÍTULO ANDAS A FESTEJAR
Ergue a bandeira vermelha à luz da lua
Porque teu  povo a quer beijar

 

Eis BENFICA

teus adeptos vibrando à bandeira 
Que não sai de nosso olhar 
Flutuando ao Vento que a beija 

E ao sol que a deixa brilhar

BENFICA és o nosso amor

Que nos deixas felizes ao vencer

Por ti gritamos com tanto fervor

Tanto a sol como a chover 

 

Povo, povo que estás na rua
MAIS UM TÍTULO ANDAS A FESTEJAR
Ergue a bandeira vermelha à luz da lua
Porque teu  povo a quer beijar

 

de: Fernando Ramos

 

 

 

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D