Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

FERNANDO RAMOS

Minha Poesia

FERNANDO RAMOS

Minha Poesia

30
Jun16

150 - MANTO SAGRADO

Fernando Ramos

150.jpg

 

150 - MANTO SAGRADO

 

Trago vestido o Manto Sagrado

E que bem ele me fica

Por bom povo é amado

Por ser o Manto do BENFICA

E o Mundo sabe de quem é 

Este Manto soberbo de emoção

Pertençe a um País de Divina fé

Que Milhões a leva em seu coração

 

de: Fernando Ramos

 

 

30
Jun16

15 - GENTE QUE O BENFICA SABE AMAR

Fernando Ramos

 


 


GENTE QUE O BENFICA SABE AMAR


 



Vão plumas que no céu planam

Nem parecem que elas voam

São graciosas como as noite de samba

Levadas p´lo grito que o povo entoa

 

Tantos olhares pró céu a balançar 

E docemente se deixam elevar

Não perdem o doce voo de espantar

E nas asas da Águia, gostariam de estar

 

Bem longe de vidas sofridas

Há um amor em muitos sorrisos

Que a Águia leva nas subidas 

Pró infinito de olhares concisos

 

Por isso avistam as plumas no céu

Que se enlaçam no quente luar

De cima, a Ave olha pró povo que é seu

No Estádio bonito de bem suspirar

 

Como é bom as gloriosas noites bonitas

Onde a festa termina num abraçar

São noites de gentes bem catitas

E felizes porque o Benfica as sabe amar

 

Somos gente que o Benfica sabe amar

Parecendo loucura de espíritos afortunados

Os adversários, queiram ou não queiram acatar

Nunca amaremos a nossa BENDEIRA calados

 

De:- Fernando Ramos    -     15

 

29
Jun16

14 - ATLETA DO SAGRADO MANTO

Fernando Ramos

14,.jpg


  


ATLETA DO SAGRADO MANTO

 

Fui Atleta do Sagrado Manto

Com brio, e tanta honra o vesti

Perdi jogos e muitos mais venci

P´lo Benfica de meu encanto

 

Ser Benfiquista é ser da maior

Mágica arte de sedução e domínio

Que num fascinante fascínio

Nos faz ama-lo dia a dia melhor

 

Senti na pele a gloriosa camisola

E hoje revivo tão bela consagração

Pisando seu palco meu espírito consola

Ficando tão maravilhosa sedução

 

Ser do Benfica, é prémio de Deus

Bailando em meu coração

É o clube à luz dos olhos meus

Que engradece a louca paixão

 

Ser seu Atleta é deslumbramento

Que tão bem fui aproveitar

Jogar no clube foi doce momento

Que p'la vida fora amarei recordar

 

 

14 - Pinto Ramos

jogador Rugby 1969 a 1978
28
Jun16

13 - SER BENFICA É

Fernando Ramos

 


 


 


SER DO BENFICA É


 


Ser do Benfica é


Amar a Águia garbosa e altiva


E vê-la nas alturas dos campeões


Flutuando nas iluminadas penas


P’lo Estádio de todas as paixões


 


Ser do Benfica é


Acompanhar a equipa


E viver o hino da sua origem


“Avante Benfica”


Ou, ouvir os sons celestiais


Do “Ser Benfiquista”


Na voz maravilhosa


De Luís Piçarra


 


 


Ser do Benfica é


Não ter explicação p´ra fé


Que nos guia à divina gloria


É sentir aquele aperto...


Que por vezes


Nos faz pensar que só o milagre


Pode salvar a equipa da derrota


Quando a verdade nos foge


A única verdade desportiva


Que o clube e seus adeptos


Tanto, tanto respeitam e amam




Ser do Benfica é


Ser maior, transportar no peito alegria


E a chama imensa, que é seu sol


E o sol do símbolo


Das papoilas saltitantes


Que brotam nas camisolas berrantes


Como num poema dedicado


A mais uma jogada magistral




Ser do Benfica é


Ter a Águia no coração


Que é livre, e livre voa


Ao sabor do vento no sentido


Das multidões seduzidas p'lo grito


Do slb, slb, slb


Que entoa suas glorias


Enquanto ultrapassa o descrédito


Que os falsos profetas espalham


 


 


Ser do Benfica é


Ser do imaculado clube


Que, por vezes é perseguido


E maltratado por corruptos


Mafiosos, e batoteiros sem lei


É ser invejado por mentes


Insolentes e pequenas


Que não constam na história


Ou na memória


De um conto extraordinário


Da verdade e do talento


Dos puros artistas


 


 


Ser do Benfica é


A sedução da poesia eterna


Como a trova do vento que passa


Do poeta Manuel Alegre


É ter milhões de adeptos


De braço dado


Nas tristes derrotas


E nas doces vitórias


Que pelo mundo fora


Flutuam na bandeira


P´los Estádios


Da nossa glória


 


 


Ser do Benfica é


Ter a Mística do saber ganhar


E o culto das pessoas


Que pelo mundo inteiro


Vibram e choram


Pela defesa do seu clube


Com a fé imensa que os leva


No sentido impaciente


Dum amor inexplicável


 


 


Ser do Benfica é


A manifestação de grandeza


É o sentir da dor no coração


Quando a bola caprichosamente


Teima em não entrar


É explicar o que é ser o melhor


Da bela arte, como num andamento


De uma obra de Amadeus Mozartt


Ou do nosso glorioso Maestro


Vitorino D’Almeida


Num concerto ao Benfica



Ser do Benfica é


Ter o Eusébio em sua história


Ser mais que onze jogadores


Correndo atrás da bola


É a perfeita consciência


Da solidariedade humana


E a sublime emoção eterna


Da sagrada camisola


Aos olhos de Deus


 


 


13 - De: Fernando Ramos

27
Jun16

12 - A REAL ÀGUIA

Fernando Ramos

 


 


A REAL ÀGUIA

 

O fato vermelho e branco vestiu

E as botas de cores calçou

Foi jogar p’lo resultado, que lhe mentiu

À vitória que a dignidade fuzilou

E naquela vil e triste batota

A injuria ganhou algum espaço

Incrédula, a razão lágrimas brota

Amargurada por tão mau pedaço

 

Os Atletas do encarnado manto

Olham pró céu da Águia sagrada

Pedem ao altíssimo num belo canto

A verdade mais uma vez escapada         

E os adeptos sussurram ansiosamente

Que os infiéis da honra partam

P’ra lugares onde glorias não consentem

Mais mentiras que tantos fartam

 

E o clube da Real Águia espera

Que os ultrajantes não mais regressem

A verdade amada virá sincera

Prós Estádios que dela padecem

E as más nuvens deixam de andar à deriva

Em palcos onde joga o glorioso Benfica

A vitória não mais se sentirá perdida

E a Águia deslumbrante, de felicidade brinca

 

12-Fernando Ramos
26
Jun16

11 - VERMELHAS NUVENS

Fernando Ramos

 


 


VERMELHAS NUVENS

 

Nas tardes e noites 

Que Deus nos concede

Mesmo que chova

Vai-se ao Estádio por amor

 

A cristalina água incolor

Caindo do esplendoroso céu

À vitoriosa Águia não molha

E a nós docemente salpica

Como a chuva faz à bela flor

 

À chuva gritamos

P’lo enorme Benfica

De vermelha afeição

E por cada jogada

Que dança sem dó

Numa tonta finta

Corre depressa a bandeira

Direita ao coração

Em Pincelada de gotas

Dum génio que a pinta

 

E eu, e tu...

P’lo nosso glorioso

Choramos de sorrisos gulosos

E com ele vamos ao fim do mundo

Levando pelos ombros

A bandeira vermelha glorificada       

Que é a casa de todas as memórias

E o manto sagrado que aquece a ave

Do virtuoso BENFICA

Que tanto, e tanto amamos

 

E ao final da tarde

Quando a noite se chega

Pára a respiração

De tanto clamor

Por aquela tarde ou noite

bem soberba

Gozamos a bela jogada

Dum nosso jogador

Que à chuva escreveu

Outra nova vitória

Que a alma aconchega

P'ra eterna glória

 

E a Águia ao vento

Brilha em seu ondular

 

Na brisa mais festiva

Repleta de esplendor

Com a pureza da vermelha cor

 

Que é uma oferta de louco prazer

Como o que se sente num peito

Quente da doce mulher

Onde na meloso respiração

Se murmura ais

Num  fascinante entontecer

Como Deus quer

 

E o adepto encharcado

Em gotinhas de chuva

Vai olhando pró ar

Rendido de emoção

P’la Águia que vai pousar

Nas vermelhas nuvens

De seu coração

 

11 - de: Fernando Ramos
12
Jun16

10 - O NINHO DA ÁGUIA

Fernando Ramos

 



O NINHO DA ÁGUIA


 



O sagrado templo por milhões amado

É um grande ex-líbris de Lisboa

Vive lá a Águia de tons aveludado

Que p’los céus suavemente voa, voa

 

Vem gente de perto, e de longo caminho

Adeptos fieis dum Benfica Imortal

A Águia os recebe em seu ninho

Preparando-se p´ra mais um voar real

 

Os sócio a vão observando p’lo ar

No silêncio que não cala a emoção

Sua Ave esplendorosa se vai abeirar

Bem pertinho das nuvens de seu coração

 

Beijos carregadinhos de paixão

A multidão envia p’ra Águia amiga

Neles vão ais e ais de admiração

P´la ave que passeia sem fadiga

 

E vai voando, voando por aí

Deixando os corações deliciados

A lua sorri na cor de marfim

E as estrelas  capricham tons delicados

 

Os sócios cantam o amor sadio

À Águia que p´lo Estádio voa

Alguém lhe envia um assobio

Terminando em festa sua volta boa

 

No braço do adepto vai pousar

Que envaidecido bem a segura

As crianças a vão acariciar

Com rasgado sorriso puro de ternura

 

E o nobre símbolo p’los tempos persiste

Vivendo nos píncaros de elevado lugar

E nem o frio gélido da noite resiste

À surpresa de tão belo, tão belo esvoaçar

 

10 - De: Fernando Ramos

 

 


 

08
Jun16

149 - ESTÁDIO DE ENORME MAGIA

Fernando Ramos

 


149.jpg


 


ESTÁDIO DE ENORME MAGIA


        


Na Catedral da Luz, quando finda o dia
Um adversário triste sofreu uma cantata     
Os adeptos felizes louvam a sinfonia
E o seu vibrar completa a serenata

A voz dos Sócios vai se repetindo
E vão se seguindo cantos já nas noitadas            
Parece que  as estrelas vão sorrindo
Oferecendo brilhos p´ras belas baladas

E a multidão sabe que a Águia se apresta     
Voar p´lo Estádio de enorme magia  
Sorrindo a bancada p´la vitória da bela festa  


Observando a Aguia todos qua a contagia    


 


E ela parte pró seu fantástico voo pacifico


Oferecendo beleza com tão deslumbrante voar


É seu atributo p´lo jogo magnífico


Que o Benfica tão bem soube ganhar 


 


 de: Fernando Ramos



 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D