Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

FERNANDO RAMOS

Minha Poesia

FERNANDO RAMOS

Minha Poesia

54 - A AGUIA É A NOSSA VITÓRIA

Fernando Ramos, 18.07.15

 


 


A AGUIA É A NOSSA VITÓRIA



A nossa águia é um espanto


Gostamos muito de a ver


E no seu belo voo rasante


Leva seu assombro vencer



Nela está a nossa rica história


Na sua força a nossa grandeza


Em seu voar brilha nossa  memória


De vencer com toda a beleza



É a águia de tanta alegria


Que nos levas à glória


Nas asas suporta simpatia


Empurrando-nos p’ra vitória



Observamo-la lá nas alturas


Sentindo enorme emoção


Aos adversários causa tonturas


E em nós, o aperto no coração



E esse seu voo picado


Todos nós apreciamos


O adversário fica maravilhado


Mais tarde o relembramos



Ela é o símbolo da vitória


E que bem que lhe fica


É o orgulho da bonita história


Do nosso glorioso BENFICA



Benfica, meu amor


A águia é a nossa ternura


Tuas vitórias tem especial sabor


Que nos leva à doce loucura



Ganhar, e sempre ganhar


Só o Benfica faz com tanta raça


No golo a Águia mais alto vai voar


E os sócios gozam cheios de graça



54 - de: fernando ramos


53 - SACANAS SEM LEI

Fernando Ramos, 16.07.15

 


 


SACANAS SEM LEI



São vassalos de culto mafioso


Os cobardes do silêncio fratricida


Atacam ferozmente o bem precioso


De gentes felizes com a vida


 


São protegidos, sabe-se lá por quem


Os que pactuam com a monstruosidade


Inventam a história que lhes convém


Do clube azul e branco da invicta cidade



Actuam p´la calada da noite


Às ordens do chefe do bando


Merecendo o severo açoite


Que os aguarda em tempo brando


 


Vandalizam as dignas casas


Entre a hipocrisia e o cinismo


São tristes actuações desfazadas


Vividas no seio de puro terrorismo



São bandos de criminosos com rei


Que as gentes e casas do Benfica atacam


Destilam ódios de vai e vem


Julgando que a bela história matam


 


Mas a grandeza do Benfica nasceu


Nas convicções de homens de bem


E sua razão sempre venceu


A inveja daqueles que nada tem



Não convivem de espinha direita


Com o símbolo que milhões têem


Sonham com a maldade perfeita


Os reles ignóbeis, sacanas sem lei



53 - de: Fernando Ramos


 

52 - SONETO P´RA UM CAMPEÃO

Fernando Ramos, 15.07.15

 


 


 


 


SONETO P´RA UM CAMPEÃO


 


Quando desaparece um  campeão


A vida faz-nos uma maldade


Fica a mágoa e a dor no coração


P´lo negro aproximar da saudade


 


Atleta leal, partes e nos deixas triste


E no céu vais sorrindo p´ra tua gente


No Benfica, teu nome persiste


P´ra sua grandeza permanente


 


És um campeão em nosso caminho


E nos estádios a nossa gloria


Num soneto, te elevamos com carinho


 


E no museu guardamos-te p´ra futura memória


Sobre o sagrado manto de mística história


Que adornou tua sublime tranjectória


 


52 - De. Fernando Ramos

51 - CHOVE PRATA NO ESTÁDIO

Fernando Ramos, 14.07.15

 


 


CHOVE PRATA NO ESTÁDIO


 



Se nos tirarem a Águia

 

Tiram-nos o sorriso

Tiram-nos a vontade de viver

Tiram-nos as estrelas do céu

Tiram-nos a brisa suave da vitória

Tiram-nos as fragrâncias da primavera

 

Por isso a Águia será eterna

Por isso…

Ela é a chama imensa da liberdade

 

Se nos tirarem a Águia

Bom…

 

Nesse dia beijam-se os ventos nos vales

Ouvir-se à gélidas sinfonias

Nossos corações

Voarão por aí desvairados

Não adormeceremos mais

Sobre o sono cobiçado

Nem gritaremos mais

As saborosas vitórias

Nas mais belas tardes e noites

De glória sem fim

E não cairão gotas de cristal

Na árvore do clube celestial

Que enfeitam o mais belo jardim

 

Que esta profecia

Não seja o nosso desalento

Porque nesse dia pró Benfica

Irá chover lágrimas de prata

No Estádio da Luz

 

51 - De: Fernando Ramos   -          


 

50 - UM BENFICA TÃO DOTADO

Fernando Ramos, 12.07.15

 


 


UM BENFICA TÃO DOTADO


 



Tem a graça da luz tão apetecível

Num voar que não falha nem se desvia

No Estádio fica um doce brilhar visível

Tanto de noite como de dia

De onde vem essa beleza de tão agrado?

Dos seus adeptos que dizem ser um bem

Porque amam o Benfica tão dotado

P´lo vou da Águia, em seu vai e vem

 

Oh! como o mais belo, belo resplandece

No dócil voar da Águia garbosa

Voando p´ra paixões que gente merece

O soberbo espectáculo da Luz vitoriosa  

Este é o clube por Deus abençoado

E p´la natureza que sorri p´ra estrela cintilante

P´lo seu povo é loucamente acarinhado

Em seus corações de vermelho cativante



50 - De: Fernando Ramos    


 

49 - NÓS AMAMOS O BENFICA

Fernando Ramos, 11.07.15

 


 


NÓS AMAMOS O BENFICA


 


Todos os dias, todos os anos


Nas ruas, nas casas e no Estádio


Ou até onde vai o silvar do vento


Filhos, pais e avós num belo fado


Vivem o ritual dos dias e das noites


Da glória que acende a chama que fica


Na bela história soberba, prós adeptos


Que amam, e só amam o BENFICA


  


Suas gargantas doem de tanto cantar


O hino que soa dentro do coração


Junto da chama imensa a brilhar


Só p´ra quem ama o grandioso BENFICA


 


É a ordem natural das coisas


Que nos leva a ir por aí


Na garupa dum cavalo Lusitano


De bandeira ao vento na mão


Gritar ao bom tempo e à chuva


Que nós... Que nós...


Só amamos, só amamos


O enorme BENFICA


 


E nas manhãs embutidas


Em tambores de glória


Banhadas na cristalina luz do sol


Como um sonho de clamor fundido


O fiel adepto grita bem alto


"AMAMOS-TE MAIS QUE O MUNDO"


BENFICA tu viverás


Eternamente connosco!




49 - Fernando Ramos

48 - UMA LÁGRIMA E UM SORRISO

Fernando Ramos, 10.07.15

  


 


UMA LÁGRIMA E UM SORRISO


 


Uma lágrima e um sorriso


Qual este segredo?


Apenas o nosso clube


Que tanto amamos


Se banha neste enredo


 


Nele vai a nossa lágrima


E um bom sorriso


Ele merece todas as lágrimas


E todos os sorrisos do mundo


Por ser o clube que faz a diferença      


Amando e respeitando os adeptos


seus fieis seguidores


 


Ele é a verdadeira chama imensa


Crepitando bem fundo


Dos nossos corações


 


P´lo  BENFICA


Uma lágrima


E um leal sorriso


Que bom!


 


48 - de: Fernando Ramos

47 - ORFEÃO DO BENFICA

Fernando Ramos, 08.07.15

 


 


ORFEÃO DO BENFICA




As estrelas cintilam envaidecidas no céu


Ao som do hino “ser Benfiquista”


Deus, corre cortinas destapando o véu


P'ra ver actuar o Orfeão com seu Ensaísta




Já mais de meio século passou


No brando ardor de tantas gargantas


Cantaram o Benfica, que muitos ensinou


Ser este o clube, das glórias Santas




Os Sagrados Anjos celestiais


Juntam a voz às gentes do Orfeão


Cantando com eles hinos espirituais


Ao seu Benfica grande campeão!




Pela batuta do Maestro que balança


Sobre a pauta de belas melodias


O coro se afina, em forte aliança


Num rico refrão p'ra tantas alegrias:


 


 


Somos campeões


Campeões


Campeões




Embevecidos por admiráveis palcos


Vibrando p'lo hino de Luís Piçarra


Sopranos, Baixos, Tenores e Contraltos


O elevam em clamor banhados de garra




E, em harmonia ensaiam de amores


Suas vozes de vermelho vestidas


Seus olhares são rios multicores


No firmamento das palavras benditas


 


 


BENFICA


BENFICA


BENFICA




Cantado na paixão mais pura do mundo


Embebida no perfume da bela poesia


Inundando de brilho o símbolo profundo


P´rás vozes do coração desfrutar a magia




O Orfeão, do cristalino clube perdurará


P'los tempos envoltos de boa memória


À voz doce e generosa restará


Cantar p'lo mundo, a maravilhosa história


 


 


47 - de: Fernando Ramos


28 Maio 2009


 


Pelos 52 anos do Aniversário do ORFEÃO


Do BENFICA




www.aguiapoeta@blogs.sapo.pt

46 - O SÍMBOLO DAS VITÓRIAS FARTAS

Fernando Ramos, 03.07.15

 


 


O SÍMBOLO DAS VITÓRIAS FARTAS




Ama-se em puro silêncio


Quando não se tem


Outra forma de amar


O clube do coração


  


E percorro o Estádio da Luz


Meu cantinho nunca abandonado


E tomado de alegria vou lá sempre


E não vejo ninguém solitário


Na Catedral da liberdade




Oh que feliz meu destino


E que perfeita realidade


É o doce calor dum amor superior


Que me dá forças p´ra continuar


A viver, a sofrer e a sorrir


Pelo Benfica dentro meu interior




O silêncio cai em mim


Não importa gritar


Ouviria minha voz


Cantando musicas de amor


A ecoar tão nobre clube


Com a resposta desejada


Da bandeira tão amada


Que vejo desfraldada ao vento


No mastro mais alto da Luz


Batendo o louco coração


Tão profundo sentimento




Resta-me a boa resignação


De amar com o silêncio


O símbolo das vitórias fartas


Porque não existe em mim


Outra forma de gostar


De tão nobre realidade


Da bandeira que flutua pelo


Firmamento infinito




46: Fernando Ramos


 

Pág. 2/2