Minha Poesia

10
Jan 21

 

 

  • ADEUS MAR

  • Sou um marinheiro com barco
  • Que navega em águas profundas
  • Do cais um dia parto
  • Procurando areias nada imundas
  •  
  • No mar desenharei estrelas quadradas
  • O lindo rosto da minha paixão
  • Ela, é o mel das manhãs douradas
  • Que aconchega o tonto coração

  • E ao Tejo vou chegar
  • Com pressa de beijar minha amada
  • Que por mim vai esperar
  • Como escreveu em carta fechada

  • Meu barco vou deixar
  • Nas aguas do Tejo, atracado
  • Com meu amor vou casar
  • Como já tinha planeado
  •  
  • Passo a marinheiro sem barco
  • Porque pró mar não vou voltar
  • Não serei marinheiro fraco
  • Só que... minha vida vai mudar
  •  
  • Adeus mares sem fim
  • P´ra ti não voltarei mais
  • Tenho meu amor ao pé de mim
  • Envolvendo-me de afectos e ais
  •  
  • Numa parede branca como papel
  • Registarei esta nova jornada
  • E esculpirei a golpes de cinzel
  • Meu barco afundado em nada
  •  
  • de: fernando ramos
publicado por Fernando Ramos às 19:19

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


Janeiro 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

13

22
23

25
26
28

31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO