Minha Poesia

29
Nov 19

 

2 (1) (1).jpg

 

 2 - ESPERANÇA NO CORONEL

Foste um trovão de Abril
E quando o silencio,
E a tristeza teimava ficar
A tua alegria nos apareceu
Com honra e generosidade 
P’ra quem não tinha esperança
Obrigada p’la tua bondade
O povo, o teu povo
Jamais esquecerá teu heroísmo 
Neste inverno que se aproxima
Contigo um dia a esperança chegou
E com ela, a força da tua razão
E a Liberdade dum povo renasceu
E agora que partiste 
Nos deixas a lágrima que cai
P’lo militar que nos fez sorrir em Abril
Porque a saudade se aproxima
E com ela, novamente a solidão
(fernando ramos
12.06.2005)
(meu poema A Vasco Gonçalves - e Salgueiro Maia)
publicado por Fernando Ramos às 14:30

Novembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9


22
23

24
25
26
27
28


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO