Minha Poesia

04
Jan 21

 

 

  • AVES DE RAPINA

  • Coitadas de algumas aves
  • Que para tudo servem
  • De certeza que bem sabes
  • Que à honestidade nada devem

  • Elas roubam o que não deviam
  • O que a tantos custou a ganhar
  • E não nos digam que não sabiam
  • Que dos bens se deviam apropriar

  • Há por aí políticos corruptos
  • Que se parecem com elas
  • Roubam-nos os parcos frutos
  • Deixando-nos sequelas

  • Minha pobre ave de rapina
  • Existem alguns como tu
  • E para nossa triste sina
  • Diáriamente surge mais um
  •  
  • Eles rapinam à vontade
  • O que não lhes pertence
  • Digam lá com sinceridade
  • Se não é correcto
  • O que deles se pense
  •  
  • Aves de rapina vão embora
  • Deste país de bananas
  • Nós achamos que está na hora
  • De acabar com tais sacanas
  •  
  • Roubam o que não lhes é devido
  • E não têm vergonha na cara
  • Nenhum deles é punido
  • Nem a sua ambição pára
  •  
  • Pobre povo que eleges más aves
  • Em eleições presentes e futuras
  • Eles roubam o que bem sabes
  • Que nos causa enormes torturas
  •  
  • Com eles devemos correr
  • Dos lugares importantes
  • Não mais vamos eleger
  • Estes tristes meliantes

  • fernando ramos
publicado por Fernando Ramos às 19:06

seu blog é muito bom! Eu não leio Português bem, mas eu amo o que você escreve!
tradizioni spagnole a 3 de Maio de 2010 às 12:51

Janeiro 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

13

22
23

25
26
28

31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO