Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

FERNANDO RAMOS

Minha Poesia

FERNANDO RAMOS

Minha Poesia

12 - A REAL ÀGUIA

Fernando Ramos, 27.06.16

 


 


A REAL ÀGUIA

 

O fato vermelho e branco vestiu

E as botas de cores calçou

Foi jogar p’lo resultado, que lhe mentiu

À vitória que a dignidade fuzilou

E naquela vil e triste batota

A injuria ganhou algum espaço

Incrédula, a razão lágrimas brota

Amargurada por tão mau pedaço

 

Os Atletas do encarnado manto

Olham pró céu da Águia sagrada

Pedem ao altíssimo num belo canto

A verdade mais uma vez escapada         

E os adeptos sussurram ansiosamente

Que os infiéis da honra partam

P’ra lugares onde glorias não consentem

Mais mentiras que tantos fartam

 

E o clube da Real Águia espera

Que os ultrajantes não mais regressem

A verdade amada virá sincera

Prós Estádios que dela padecem

E as más nuvens deixam de andar à deriva

Em palcos onde joga o glorioso Benfica

A vitória não mais se sentirá perdida

E a Águia deslumbrante, de felicidade brinca

 

12-Fernando Ramos

2 comentários

Comentar post