Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

FERNANDO RAMOS

Minha Poesia


26.06.24

 

1018.jpg

 

 

JARDINS CINZENTOS

 Já rimos e sonhámos juntos

Enquanto a primavera entrava
Passeávamos p’los seus jardins
E tão juntos ficávamos
Saboreado a quentura do sol
Que confortava nosso amor

 

Eram tempos
E que tempos
Em que nossos sonhos
Nos levava além do futuro

Em nosso peito
Se abriam janelas
Onde observávamos
Para lá das montanhas
As avezinhas que voavam
Mais altas que as nuvens

 

Riamos de tanta alegria
Quando uma ave atrevida
Pousava no galho da árvore
Que expunha nossos corações
Como um sábio poema à união
E nós, o murmurávamos de cor
Que felizes éramos!

 

Hoje as janelas do nosso peito
Se encontram encerradas
As montanhas desapareceram
E a separação incompreensível
Surgiu nos nossos jardins
Agora tão cinzentos como o céu
Dum Outono feio e frio

De: Fernando Ramos
 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D