Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

FERNANDO RAMOS

Minha Poesia

FERNANDO RAMOS

Minha Poesia

982 - MALA VAZIA

20
Ago19

 

982.jpg

 

  •  MALA VAZIA
  •  
  • Devíamos todos ser totalmente livres
  • E preocuparmos mais connosco     
  • E com os nossos semelhantes
  • Sentindo os aromas das boas ações
  • Devíamos complicar menos,
  • Magoar-nos menos neste celeiro do mundo
  • Acreditar mais, amar mais
  • Deixar a vaidade e o orgulho de lado
  • Que nos impedem de caminhar
  • Nos nossos sonhos graciosos de paisagens
  • No sentido da liberdade
  • Damos valor de mais ao que não tem valor
  • Devemos deixar de lado os medos
  • De apostar mais nos nossos sonhos
  • Porque senão um dia acontece
  • Como gente que é tão pobre tão pobre
  • Que a única coisa que têm é dinheiro
  • E essas... quando Deus as chamar
  • Certamente do seu bem
  • Que foram aproveitando na vida
  • Ou do que fizeram aos outros
  • Se calhar levam uma mala bem vazia
  •  
  • De: Fernando Ramos

981 - MINHAS LOUCURAS

18
Ago19

981.jpg

 

  • MINHAS LOUCURAS
  •  
  • Entre aís de abraços amei
  • Entre lençois tanto me perdi
  • Na luxúria de um beijo, deixei
  • Fugir teus suspiros de amor, por aí
  •  
  • P´lo olhar das luas eu sofri 
  • Por outros mais bem chorei
  • Sonhando encontrar em ti
  • O beijo que tanto procurei
  •  
  • E nesta minha loucura
  • Passei noites em orgias
  • Amando de forma louca
  • Entre corpos e fantasias
  • Sentindo teus beijos em outra boca
  •  
  • Tudo foi uma ilusão
  • Nada disso p´ra mim valia
  • Nada  fez bem ao coração
  • Porque eras tu que eu queria
  •  
  • Vivo num corpo sem alma
  • Sem apetecer uma guarida
  • Sou agora gelo do mar
  • Bem sofrido e livre de navegar
  • Porque sem ti não tenho vida
  •  
  • Jamais sentirei teus lábios de doce sorriso
    Por eles agora vivo cego sem teu amor         
    E cada lágrima de saudade não leva sumiço     
    Trazendo arrependimento das loucuras de dor      

    de: Fernando Ramos

980 - MINHA HERANÇA

17
Ago19

 

980.jpg

  •   MINHA HERANÇA
  •  
  • Prós loucos como eu
  • Deixo a vida mundana e farta
  • E o meu vadiar tardio
  • Terminado na miséria em que morri
  • Para o meu amigo da luta e do pão
  • Que diz que o Altíssimo não existe
  • Deixo a descrença em olhos seus
  • E o meu pedido de perdão
  • Por não lhe ter sabido falar de Deus
  •  
  • Prós ricos, mas pobres de amigos
  • Que o outro lado de mim conheceu   
  • Deixo-lhes os mendigos da rua
  • Que eles bem conheci       
  • P´ra que deixem de dormir ao frio e à chuva
  • Ou o seu caminhar no silencio da escuridão
  • Ao abrigo do olhar da lua
  •  
  • Aos meus amigos dos copos
  • Deixo as noites e as putas finas
  • Dos bairros velhos e tristes
  • Vagueando entre ruelas e esquinas
  • E ás virgens que não tive
  • Para elas, fica a minha pena
  • P´los  ais que nunca ouvi
  • Em camas de lençóis de seda
  •  
  • P´ra todos os meus amores
  • Deixo beijos de ternura
  • Salpicados de belas flores
  • Pintadas da minha verdade pura
  • E chorando poemas que não escrevi
  • Em seus corpos de formosura
  •  
  • De: Fernando Ramos

979 - OBJETIVOS

15
Ago19

 

979.jpg

  • 979 - OBJECTIVOS
  •  
  • P´lo rasto do tempo procuramos objectivos
  • Por caminhos que a gente acha
  • Vamos por desafios que enfrentamos
  • Durante noite e dia da vida
  • Que passo a passo percorremos
  • Somente por vagas horas
  • Em obediência á mente 
  • Tentamos buscar o melhor caminho
  • E pouco a pouco, o encontramos
  • E com o passar dos anos
  • Inventamos horizontes de saudade
  • Que vão aparecendo nesse caminho
  • Nós tentamos levar os objetivos
  • Com uma rosa no peito
  • Perfumando sonhos de desengano
  • Mas os sonhos, os nossos sonhos
  • Nem sempre se realizam
  • Fazendo chover a cântaros na nossa alma
  • gotas de pena que vão caindo na tristeza
  • E a saudade por vezes não desaparece
  • Para desencanto dos nossos objetivos
  • Voando num infinito de tudo ou nada
  •  
  • Nossa vida dá tantas voltas
  • E é tão misteriosa no seu decorrer
  • Que por vezes as coisas más da vida
  • Até podem vir a ser boas
  • Como as boas até podem vir a ser más
  • Só temos de ficar gratos e atentos
  • E olharmos para estas situações
  • E nos vergarmos ao bom valor
  • Que elas podem ter nos objectivos
  • Da história da nossa existência
  • Este é o nosso destino
  • Apenas temos de esperar
  • O dia de amanhã com alegria
  • E com aquela certeza que as pedras
  • Que aparecem no nosso caminho
  • São para se ultrapassarem
  • Sem os receios e os medos
  • Que nos rodeia no dia, a dia
  • Porque não se compram raios de sol
  • Nem gotas de chuva no inverno
  • Nem o nosso olhar para o futuro
  • Nada disso tem preço
  • Como não tem o destino
  •  
  • Esta será a vontade de Deus
  • para cada um de nós
  • Só temos que seguir os seus ojectivos
  • Na certeza que em cada dia,
  • Cada mes e cada ano
  • teremos de ser melhores
  • Para nós próprios
  • Bem como para com nosso o irmão
  • E aí o sol brilhará a cântaros
  • Nos objectivos em nosso coração
  •  
  • de: Fernando Ramos 
  •  

978 - FADO DE PAIXÃO

14
Ago19

 

978.jpg

 

 

FADO DE PAIXÃO

 

Do primeiro amor tenho saudade

Dos tempos que já não voltam      

Hoje num fado recordo com ansiedade

Nos poemas que as gargantas soltam     

 

E do Bairro Alto á Madragoa

De Alfama à Mouraria

Poetas do fado de Lisboa

Fazem poesia com alegria

 

Escrevem Lisboa a velha cidade

Do sol e da luz seu tesouro

E o Alfacinha leva a saudade

Quando parte p´ra ganhar seu ouro

 

Lisboa airosa, cidade bonita

Pró turista que encontra encantos mil

Há noite vai ao Bairro Alto

Até de manhã ao cantar do galo

 

Nos bairros de Alfama e Mouraria

Ouve-se fado de paixão

E o fadista sem fantasia

Canta a saudade, o amor e a traição

 

de: Fernando Ramos

977 - O FADO

12
Ago19

 

977.jpg

 

 

  • O FADO
  •  
  • O fado é a saudade na rua
  • É a intimidade fina
  • Nua e crua
  • Que os poetas escrevem  
  • Ser a nossa sina
  •  
  • Canta o destino de todos nós
  • Bem ou mal amados
  • É a pele na pele de cada um
  • É o sangue que corre
  • No corpo em dor
  • Ou de outro bem enlaçado
  •  
  • O fado é a guitarra que geme
  • É a poesia dos poetas inspirados
  • É o sal da tristeza ou da feliciade         
  • Ou a vida além da vida    
  •          
  • O fado é namorar Lisboa
  • E todo o país
  • É o amanhecer dos nosso olhos
  • E deslumbra-nos com a vista do amor
  • E sorrisos vestindo-nos de ternura
  •  
  • De: Fernando Ramos

976 - PALAVRAS DE BEIJOS

09
Ago19

 

976.jpg

 

 

PALAVRAS DE BEIJOS

 

Sonho que faço das palavras beijos

São beijos, de cada palavra que te escrevo

Deixo as letras se cruzarem em lampejos

Formando ideias num prazer que relevo

 

Sonho que a palavra é um grito desesperado

Deixando as outras palavras de serem minhas 

fazendo delas a ambição que é meu pecado

Quando já nada resta escreve-las entre linhas

 

E mesmo as palavras que não digo

Aquelas que nunca inventei

Essas não direi e não imagino.

Dize-las no silêncio das palavras da lei

 

Deixa que sejam os beijos, palavras de gozo

E que essas palavras se elevem em beijos do coração

Assim, com meus lábios tocarei teu corpo formoso

E nele mergulho meus sonhos com louca paixão

 

 De : Fernando Ramos

975 - LÁGRIMA CHORADA

08
Ago19

975.jpg

 

975 - LÁGRIMA CHORADA

 

Meu fado, é a luz do momento

Girando em palavras de carinho

É o símbolo do ardor e do lamento

Bebido p´la vida devagarinho

 

Ele é alegria e sofrimento

Ciúme, paixão e a lágrima chorada

É poesia elevada de alento

Escrita da imaginação abençoada

 

O meu fado é o abraço bem apertado

No sentimento e na formosura

É o desgosto não mais esperado

Por um coração rico de ternura

 

Ele é o princípio e o fim da alma

E as lembranças arquivadas na dor 

É o silencio na inspiração salva

Ele é simplesmente, a palavra amor

 

De: Fernando Ramos

974 - SURFAR

07
Ago19

974.jpg

 

974 - SURFAR

 Na crista da longa onda

Vejo o mundo do meu mar

Na Prancha de ponta redonda

Sinto o vento que me vai levar

 

P´la espuma da água

Deslizo ao sabor do vento

Num louco prazer que me faz valsar    

Até á rebentação a todo momento

 

Vou surfando com mestria

No meu mar de ondas brancas

Percorre em meu corpo a alegria

Da água salgada de gotas santas

 

Vou surfar num salgado mar

Sob o olhar do céu azul

Quando a onda bater na areia vou pensar 

Nas belas praias, de Norte e Sul

 

 de Fernando Ramos

973 - ANIVERSÁRIO DA MÃE

05
Ago19

973.jpg

 

  • 973 - ANIVERSÁRIO DA MÃE
  •  
  • MÃE
  • Hoje é um dia especial p´ra ti
  • E apesar de comemorares
  • Mais um aniversário
  • Para nós é sempre motivo de felicidade
  • Por isso te amamos do jeito que és
  • E eu e o pai, te oferecemos flores
  • E aqueles Beijos e abraços bem apertados
  • E o melhor deles é que te dizem palavras
  • Que representam eternamente
  • Tudo de bom que sentimos por ti
  • Sabendo tu que meu coração
  • Vai voando p´ra dentro do teu
  • Gritando baixinho todo o amor que te tenho 
  • Felicidades Mãe!
  •  
  • de Fernando Ramos
  • 16.10.2014