Minha Poesia

22
Out 20

126.jpg

  • 126 - O AMOR E A ONDA
  •  
  • A onda chega à praia
  • Onde o nosso amor assiste
  • Ao suave entardecer
  • Ele não pode ser mais fraco
  • Que a onde, porque ela o pode
  • destruir, e ele é indestrutivel
  •  
  • O amor tem de viver
  • E ganhar fulgor, e ser forte
  • Como o rochedo,
  • Porque ele não se destroi
  • e a tudo resiste,
  • Mesmo com o passar do tempo
  •  
  • E na praia, a onda
  • Quando chega, salpica
  • Teu olhar e teu sorriso
  • Espalhando o seu sal
  • Em teu corpo, abraçando-te
  • Com sua espuma
  •  
  • E em pensamento
  • Com meus dedos
  • Suavemente na areia
  • Desenharei teus lábios
  • E os acariciarei
  • Lembrando quentes beijos
  •  
  • Como eu gostava 
  • De ser tão forte
  • Como a onda
  • E como a rocha,
  • E também resistir
  • Semnpre, e sempre
  •  
  • de: fernando ramos
  • 10.8.2005
publicado por Fernando Ramos às 18:34

18
Out 20

 

O ARTISTA DE MARIONETES

 

Tento lembrar
das vezes que contigo
fui feliz
Raramente o consigo
porque uma pequena sombra
ainda aparece 
em minha memória 
mas só isso...
Sei que em tuas mãos 
não passei
de um simples boneco
que tu manobravas
a belo prazer 
Agora estou só
e não vivo iludido
com as tuas falsas 
esperanças
Minha vida  hoje

leva outro sentido
fugi de teus dedos que
me seguravam como
o artista de marionetes
manobra o seu fantoche

de: fernando ramos
10.8.2005

 

 

publicado por Fernando Ramos às 10:50

17
Out 20

124 - 1.jpg

124 - 2.jpg

SAXOFONE

 

Tocas saxofone só para mim

dizias tu entre algumas notas

Nunca acreditei...

 

Algumas vezes o ouvia 

em outra esquina

Agora o som de teu saxo 

por vezes vai com o vento

para junto do teu novo amor

para bem longe 

do meu pobre coração 

que espera e desespera

 

Como o posso ouvir-te

se tu não estás presa

em minha rédea louca

a galope no vento

Sei que teu saxo agora

vai na brisa suave 

para outro coração 

e p´ra ele vai tocando

 

Vem meu amor para junto

de mim, e traz o saxo

Teu tocar me faz falta

e quanto me é dificil 

passar sem ele

 

Ao ouvir-te naquela esquina

em que fico tão sem sossego

e onde nós nunca poderíamos amar

vão surgindo recordações 

dum passado ainda recente

Onde belas melodias  

me faziam vibrar

e sentimentos de amor 

meu peito guardava

 

Lembro-me das várias vezes

que voltavas para mim com o saxo

para nossa esquina, onde ali

nos amávamos sem preconceitos

 

Tocavas noite dentro

para minha alma 

E mergulhávamos em bonitas 

juras de amor eterno

 

Por favor volta

toca novamente

para meu coração, sem parares

preciso de te sentir 

Como nas noites

p´ra onde o som nos levava

junto de lugares 

de prazeres inimagináveis

 

de: fernando ramos

12.8.2005

 

publicado por Fernando Ramos às 22:21

15
Out 20

123 (1).jpg

123 - FADOS PARA COIMBRA

 

 Os fados de Coimbra
são a velha perdição
dos que cantam hoje
e os da outra geração

Zeca Afonso o cantou
e cantou mais alguém
Se a cidade tem muito encanto
os seus fados também

Onde se canta estes fados
sempre se lutou pela liberdade
e todos que lá passaram
trouxeram a eterna saudade

Muitos que cantaram e cantam
fadistas que de Coimbra não são
Mas ouvi-los todos gostam
quando cantados com emoção

Coimbra tem mais encanto
na hora da despedida
Mas os fadistas que a cantam
cantam poemas de muita vida

Fados e guitarradas
por lá sempre existiram
E na queima das fitas
os estudantes os ouviram

Grandes fadistas de Coimbra
cantaram fado em grandes jantares 
Hoje gostavam muito de ouvir um
cantado pelo Dr. Machado Soares

de: fernando ramos
09.8.2005

publicado por Fernando Ramos às 19:49

14
Out 20

122 1.jpg

 

122 - AMAR HOJE

 Hoje quero beijar-te perdidamente

Amar-te como se as recordações

Do tempo da curva da tristeza

Já não existissem

Como se tudo tivesse sido esquecido

Em momentos das nossas vidas

Quero amar-te loucamente agora

Como se o passado terminasse aqui

Hoje quero ouvir os murmúrios de teus ais    

Beijando teu corpo em ondulantes carícias

E nele construindo o nosso novo futuro

Que me fará estar sempre contigo

Em tua pele macia e nua p´las noites da vida 

Até chegar o sol radioso p'la manhã

Vem meu amor 

Vem amar-me num ofegante desassossego

Deixando o nosso ontem  

Perdendo-se na bruma dos tempos

 

de: Fernando Ramos

8.8.2005 

publicado por Fernando Ramos às 16:59

12
Out 20

 

121 - DESENCONTRO

 

Na leveza de tuas palavras

não encontrei a felicidade

Elas carregam frases roubadas

de lábios sofridos de saudade

 

Minha paixão arrebatadora

passou por tua candura

Ela não foi merecedora

Dos caminhos de tua formosura

 

Hoje sofro pela ingratidão

dessa noite tornada escura

A minha triste paixão

terminou numa má aventura

 

No teu ser não estava a razão

como a pura água cristalina

Para tudo há uma solução,

excepto para acção divina

 

Novo amor tens de encontrar

por causa dessa obstinação

Será que ele te fará mudar

o amor frio do teu coração

 

de: fernando ramos

08.08.2005 

publicado por Fernando Ramos às 11:38

11
Out 20

 

120 - EU CANTO

 

Canto prosas

Canto versos

Canto sonetos com fervor

 

Canto tudo que vem da alma

que é minha poesia de amor

 

Canto aos Deuses

Canto aos Anjos

Canto às Musas do poeta

 

Meu canto vem da alma

e a poesia do escritor

 

Canto à natureza 

Canto às mulheres

E canto ao meu amor também

 

É ele que me faz cantar

neste viver de vai e vem

 

de: fernando ramos

5.8.2005 

publicado por Fernando Ramos às 19:44

10
Out 20

119 - MAR E VENTO

 

Fiz-te esperar tanto tempo

mas acho que não foi demais

Perguntavas por mim ao vento

porque ele me leva ao cais

 

Ele me fará lá chegar

no meu barco que vai há vela

E aí, irei-te olhar

numa ternura singela

 

Por grandes mares naveguei

que não terminavam mais

A eles, do meu amor falei

que deixei aí no cais

 

O meu mar amigo

depressa me fez chegar

ele sabe que não consigo

outra mulher amar

 

Amigo vento também ajudou

com a fúria do seu assoprar

E agora que aqui estou

o meu amor já vou beijar

 

Ó mar e vento obrigado

por me trazerem ao meu lugar

Eu cheguei bem, e cansado

mas a tempo, de com ela casar

 

de: fernando ramos

5.8.2005 

publicado por Fernando Ramos às 15:11

09
Out 20

118.jpg

118 - ELA QUE PASSA

 Ela que passa 

por mim em boa hora

não entregando seu olhar

E eu no fundo de seus olhos

não posso ver

sua secreta sedução 

 

Ela que passa

Sem me ver

e eu triste estou

por mais um fracasso

da minha tentada

conquista

 

Nós, não nos vemos

pela falta

desse olhar 

são horas frias de solidão

e não consigo 

prender seu 

sentimento ao meu

 

E os dois no seu destino

vão incertos no tempo

mantendo os olhares

num desatino 

E eu sedento do seu olhar

Nem um alento vai 

ajudar curar minha dor   

 

Ela que passa

seu olhar não 

quer deixar

Vai seguir seu caminho

que não se cruza 

com o meu

 

E na minha insistência

vejo seu adeus

E triste fico

e a deixo partir

sem aquele olhar

p´ra outro ela cruzar 

 

de: fernando ramos

7.8.2005

 

publicado por Fernando Ramos às 11:53

08
Out 20

 

117 - PARA TI AMOR

 

Para ti o fogo do meu olhar

que me consome de paixão

São sinais tão ardentes

Pró calor de teu coração

 

Teu sorriso é como a flor

Perturbando minha razão

Em teus lábios beijos deixo

num tímido jogo de sedução 

 

Teu corpo me deslumbra

Em belas noites de amor

Nele vão caminhos de fantasias   

sonhadas com muito fervor

 

E teu olhar me beija

como se fosse tua boca

E meus lábios nos teus

me dá esperança louca

 

Acariciar teus seios

faço com grande doçura

São minha rota de carinho     

no nosso leito de loucura

 

Nossos beijos despertam

tantos suspiros sensuais

Fazendo nossos corpos

moverem-se cada vez mais

 

de: fernando Ramos

05.08.2005

 

 

publicado por Fernando Ramos às 20:41

Outubro 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

13
16

19
20
21
23
24

25
26
27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO