Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





626 - ESCUTAR

por Fernando Ramos, em 30.08.17

626 fr.jpg

 

 

 

  • ESCUTAR
  •  
  • Se eu escutasse os Anjos
    E não os homens maus
    Ouviria a voz de Deus
    Falando a meu coração
  •  
  • Se eu escutasse os mistérios da ciência
    Repletos de dom e sabedoria
    Adubaria de felicidade 
    O arco íris do meu aprender
  •  
  • Se eu escutasse da natureza
    O tanto que ela tem p’ra dizer
    Capinaria as ervas daninhas
    P´ra no caminho não esmorecer
  •  
  • Se eu escutasse o amor
    Não sofria sem razão
    Procurava a centelha da paixão 
    Que agora não me ilumina
  •  
  • Se eu escutasse 
    O murmúrio das ondas
    Não teria sede de Deus 
    Ele alagaria meu coração 
    De perfeita humildade
  •  
  • Se eu escutasse a alma
    Ouviria seus segredos
    Iluminando-me 
    O espírito de amor
  •  
  • Se eu escutasse a fé
    Vivia no meio de Deus 
    E não andaria cego
    E só na vida
  •  
  • Mas não, nunca escutei
    Sempre estive ausente
    E tenho a solidão, 
    Espinhos, e tristeza
    Como companheiras 
    Do meu infortúnio
  •  
  • De: Fernando Ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:21


625 - O GRITO DO VULCÃO

por Fernando Ramos, em 29.08.17

625.jpg

 

  • O GRITO DO VULCÃO
  •  
  • Tão profundo, é o grito do vulcão
    Explodindo lava pró infinito
    Dele, vem o sussurro ensurdecedor 
    em busca da paz, da sua paz
    Por entre cinzas, percebe-se 
    que a magma traz dor
    da rocha de intensa quentura
  •  
  • E naquela fornalha solta-se o ruído, 
    como se ele surgisse num peito 
    que anseia p’lo final do sofrimento
    Daquela ansiedade vulcânica 
    que eleva as impiedosas cinzas
  • levadas p’lo vento,
  • envolvendo a ilha, 
    da mansa ilusão do sossego
  •  
  • No prado que rodeia o vulcão, 
    vai irrompendo a generosa natureza
  • das pequenas pastagens,
  • ouvindo-se o canto dos pássaros
  • que lentamente regressam
  •  
  • O vulcão entra no absoluto silêncio
  • Adormecendo, até ao próximo grito
  • de raiva e desespero
  • Voltando a vulcânica ilha, 
    avivar a esplendorosa 
    beleza de Deus criador
  •  
  • De: Fernando Ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:37


624 - O MUNDO DE COLOMBO

por Fernando Ramos, em 28.08.17

624.jpg

 

  • O MUNDO DE COLOMBO
  •  
  • Enorme fatalidade, atroz
    Empesta o mundo de Colombo
    Em guerras feias, e contra nós
    Sofrendo a paz, enorme tombo
  •  
  • Bandeiras de países tristes
    Percorrem a miséria alheia
    Pobre soldado, um dia partistes
    P’ra guerra de causa feia
  •  
  • Colombo, América descobriu
    E não foi p'ra esta desgraça
    Do velho mundo ele partiu
    Concedendo-lhe Deus tal graça
  •  
  • De nada serve tanto progresso
    Nessa Pátria dita virtuosa
    Procuram guerras, sem regresso
    Que Colombo não acharia ditosa
  •  
  • E as Musas do mar de Colombo
    Nunca sonharam com tão triste acto
    Súplica de esperança leva rombo 
    Se paz, não se transformar num facto
  •  
  • Colombo, o grande descobridor
    Por mares tortuosos navegou
    Buscando na Nau, terras de amor
    Pró mundo novo que nem ele sonhou
  •  
  • De: Fernando Ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:30


623-POEMA DA NOITE AMADA

por Fernando Ramos, em 27.08.17

623.jpg

 

 

  • POEMA DA NOITE AMADA
  •  
  • Vejo gravado o teu fino corpo
    Numa rocha coberta de agua
    Fico pálido e um tanto tonto
    Beijando-a, sentindo mágoa
  •  
  • Foi um artista da pedra
    Quem na rocha o cinzelou
    Foi perfeito na sua regra
    Até ciúmes, bem me causou
  •  
  • E no brilho do entardecer
    A rocha esconde-se na onda chegada 
    Volto, a encontra-la no anoitecer
    Com a maré baixa já cansada
  •  
  • No clarão da estrela fugida
    Surge a brisa fresca da lua
    Percorre meus lábios em ferida
    Por tanto beijar, essa rocha tua
  •  
  • E uma rosa vermelha e louca
    Surge na rocha nesse amanhecer
    Vem de ti, junto da boca
    Filha de poesia de endoidecer
  •  
  • Ela é a rosa da beleza farta
    Nascida no poema da noite amada
    Tanto a beijo, na pedra amarga
    Nos lábios da tua boca desejada
  •  
  • De: fernando Ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:59


622 - NÃO ME PODES NEGAR

por Fernando Ramos, em 26.08.17

622.jpg

 

  • NÃO ME PODES NEGAR
  •  
  • Podes recusar-me o pão
    Que se esgueira p’la seara
    Podes me negar a luz
    Que se esconde na noite
    Podes recusar-me a água
    Que se perde no riacho
    Podes me negar a papoila
    Que não floriu na primavera
    Podes recusar-me a chuva
    Que neste inverno tarda aparecer
  • Podes negar-me muitas coisas
  •  
  • Agora o que não podes negar, 
    Mas não me podes recusar mesmo
    É o sorriso das crianças
    Porque então...
    Meu mundo desabava
  •  
  • De: Fernando Ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:37


621 - AMAR A BANDEIRA

por Fernando Ramos, em 25.08.17

 

621.jpg

 

 

  • AMAR A BANDEIRA
  •  
  • Pátria de poetas, e de bem receber
    Viver nela é uma alegria
    Quem vem cá, voltará com prazer
    Sabendo deste aconchego de simpatia
  •  
  • Terra de bom sol, comida e mar
    Apesar de pequena no seu tamanho
    Os turistas, dela vão sempre gostar
    E nas praias gozar deliciosos banho
  •  
  • Somos um bom povo acolhedor
    Que se dá-se bem com tanta gente
    Não é rico, mas distribui amor
    Tanto quanto, seu coração consente
  •  
  • Quem nos visita, nos quer sempre bem
    Ofertando-nos sua alegria com fervor
    São de outras pátrias, bonitas também
    E a eles retribuímos nosso calor
  •  
  • Cá, se ama em qualquer Raça
    Mostrando ao mundo nossa diferença
    Distribuímos amizade e a nossa graça
    E de todos respeitamos sua crença
  •  
  • Portugal sorri com a beleza natural
    Que a riqueza de tantos no mundo
    Terra de artistas, e Santos sem igual
    Inspirados num Deus de amor profundo
  •  
  • É no amar da sua bandeira
    Que o país recebe imensa magia
    Desfraldando paz, sua companheira 
    Entregando aos povos esta iguaria

    Neste Pátria linda de belas tradições
    Dos valentes heróis, guardamos memória
    Somos pequenos, mas de enormes corações
    E nos orgulhamos muito da nossa história
  •  
  • De: Fernando Ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:32


620 - ACOMPANHO O TEMPO

por Fernando Ramos, em 24.08.17

620 1.jpg

620 - 2.jpg

 

 

 

ACOMPANHO O TEMPO

 

Acompanho o tempo presente
Ouvindo o vento e olhando as nuvens
Sentindo a chuva em minha pele
Percebendo as horas da vida 
Que vão passando, na sua cadência certa 
Sem atrasos, sem falhar minuto algum

 

Acompanho o tempo presente
Vendo, o ódio, desprezo, a morte
Que me rodeia, neste mundo de injustiças,
Onde lágrimas turvas caiem no charco 
Da maldade, e da podridão,

como sonatas de más notas,

que certamente serão

linhas tortas do Divino

 

Acompanho o tempo presente,
Perguntando p´ra onde ele caminha,

P´ra onde caminha o planeta

E ele me quer dizer que gostaria
Que o meu olhar visse:
Novos, e velhos de mão dada, 
Jardins florindo, animais correndo, 
Searas cultivadas oferecendo o pão da vida 
Crianças brincando, saltando e sorrindo 
E no seu olhar trazendo a esperança
Mostrando a tudo isto,

Que o relógio não pára, não pode parar
É como, se este gesto fosse Deus
Escrevendo certo p’las tais linhas tortas

 

E o mundo gira, gira, gira, gira sobre 
Um tempo presente que se alonga  
P´lo seu percurso, sem se saber muito bem
Onde tudo isto vai parar


E eu, acompanho este tempo presente
Como meu destino, onde vou criando
Dia, a dia um novo degrau em minha vida
Este é o mundo de contrastes que anima 
E desespera alguns quem nele vive
Por isso... Siga a dança 
Que o mundo não pode parar

 

de: Fernando Ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:59


619 - ADORMECER NA NOITE

por Fernando Ramos, em 23.08.17

619 1 (1).jpg

619 - ADORMECER NA NOITE

Preciso de descansar meus olhos,
da forte luz que incide sobre páginas
de um livro que vou relendo pouco a pouco
Escrito em pequenas letras que me fazem
piscar em demasia minhas cansadas pálpebras
O vento entra por minha janela
trazendo a brisa gélida da escuridão
E eu, já em dificuldade de desfolhear
as paginas do meu livro,
me deixo adormecer
gozando o eterno sossego da noite

Lá fora, vai brilhando a lua cheia
Lua, de luz pura até doer,
que vai alumiando o prazer de casais
que a vão ofuscando de beleza com todas
as cores da paixão
Onde eles se vão possuindo no sublime gozo,
por baixo daquela claridade que é prelúdio
de uma bela história de amor
Eu, no sono dos justos, faço o meu percurso
de descanso, ficando nesta solidão
no adormecer da noite, que me levará
até ao aparecer do rei sol,
que acontecerá dentro de algumas horas

Depois da noite se esgueirar entre nuvens,
acordarei pronto p’ra começar
meu dia de labuta, ficando por ali até à noite,
onde novamente voltarei a desfolhear
mais uma vez o meu livro,
até ao embebedar do meu adormecer,
como uma rotina já imposta ao meu destino
E a lua lá estará grandiosa e faceira
no seu reinar, espreitando outros namorados
onde corações se vão saciar,
buscando a beleza do prazer eterno
da doce paixão

de: Fernando Ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:10


618 - S. JÕAO

por Fernando Ramos, em 06.08.17

 

 

618.jpg

 

  • S. JÕAO
  •  
  • Ó meu querido S. João
    O povo anda de tanga
    Ouve o grito da razão
    Tira-nos tão pesada canga
  •  
  • O povo pede-te socorro
    leva martelinhos e alho porro, na mão
    É tratado como mau cachorro
    Por políticos de ficção
  •  
  • O Zé, está a ficar farto
    Por isso espera sentença
    Ou se muda este mau trato
    Ou dá com o porro na cabeça
  •  
  • Vamos lá S. João
    Tudo isto mudar
    Senão morremos do coração
    Ou teremos de emigrar
  •  
  • De: Fernando Ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:42


617 - TOMA CUIDADO MENINA

por Fernando Ramos, em 04.08.17

617 1.jpg

 

 

  • TOMA CUIDADO MENINA
  •  
  • Toma cuidado menina
    Com a promessa que te vão fazer
    É traiçoeira, e não genuína
    Mil cuidados tu deves ter
  • Oferecem-te o céu e a lua
    Jóias, carros, e perfumes
    Depois abandonam-te na rua
    Triste e de tantos queixumes
  •  
  • Toma cuidado minha amiga
    Porque nem tudo o que parece, é
    Poderás sofrer e andar perdida
    E do futuro perderes a fé
  • Não sejas fácil de ceder
    O ouro não te vem parar à mão
    Serás tu que irás sofrer
    Chorando lágrimas do coração
  •  
  • Toma cuidado minha flor
    Não credites em promessas sem fim
    Aguarda pacientemente pelo amor
    Vais ver que aparece por aí
    Tua vida agora é um encanto
    Se não te iludires, nada vai acontecer
    Pede protecção a teu Sagrado Santo
    Não deites tudo a perder
  •  
  • De: Fernando Ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:28


Mais sobre mim

foto do autor


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Favoritos