Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





145 - AÇUCENAS DO TEU JARDIM

por Fernando Ramos, em 31.10.16

AÇUCENAS DO TEU JARDIM

 

Ele é doido, desgraçado

e até apaixonado

Vive de ilusões

por teu corpo desejar

Ele até poderá ser um safado

que continua enamorado,

pelo que a vida lhe oferece

Ele é doido, 

porque cheira as açucenas 

do teu jardim,

e com vontade de lá viver

Ele ama a natureza 

com sentido de pobreza

e adora lhe tocar

Ele, é até infeliz! 

Mas essa, eu não acredito

porque quem cheira 

as açucenas do teu jardim, 

a natureza beija, 

teu corpo deseja,

e o destino engana

Portanto... Não é doido 

nem desgraçado, 

e engana o destino 

numa esperança perdida

Ele é simplesmente 

o eterno apaixonado por ti

p'la natureza, e pelas belas 

açucenas do teu jardim

 

de: fernando ramos

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:41


144 - O GUARDA

por Fernando Ramos, em 31.10.16

O GUARDA

Sei bem quando estou a mais,
por isso saio
Mas fica tranquila,
que por ti zelarei sempre
mesmo quando pensas
que já não estou presente
Meu coração vai andar por aí,
a ti guardando à janela
do meu pensamento
derramando a lágrima mais triste
Na esperança de um dia
te poder guardar sempre
E dizer-te que não estás
só meu amor

 

de: Fernando Ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:39


143 - À FLOR DA PELE

por Fernando Ramos, em 31.10.16

 

À FLOR DA PELE


Venho pró quintal

da minha perdição 

mais uma vez cumprir um destino 

que me faz viver à flor da pele

Fumo meu cigarro

ouvindo o silencio da noite

olhando os arbustos que crescem 

desordenadamente 

em retorções de dor,

para me oferecerem raízes 

que irão nascer numa noite, 

talvez  de lua cheia, 

que chegará com a primavera

Sento-me num banco

e por detrás dos meus abrigos olhos

observo a solidão que me 

aconchega nesta noite mágica, 

onde vou viver mais 

uma vez em fuga

num patético manicómio

da minha invisivel máscara

Minha vida vai partida 

em pedaços incontáveis

Sou mulher de má vida,

que já não sente amor em mim,

e à noite recebo os clientes 

à porta do quintal de minha casa

Levando-os para meu quarto

onde os violo nas suas loucuras

de prazeres indefinidos 

E entre murmúrios 

soltam-se beijos perdidos 

e sem amor, 

mas no final, faço-os voltar sempre, 

e sempre ao meu recanto

Para mim resta seu pagamento, 

nada mais, e voltar para este quintal, 

fumar novo cigarro e esperar por outro

tão infeliz como eu, à sobra da noite

Sombra que faz parte de uma lista

de outras tantas, e tantas noites passadas 

deixando meu coração desesperado,

fazendo-me viver sempre, sempre

e sempre à flor da pele


de: Fernando Ramos


  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:22


142 - PARTIDA PARA A GUERRA

por Fernando Ramos, em 30.10.16

PARTIDA PARA A GUERRA


A guerra não tinha terminado

e pelo jovem soldado

seus camaradas de jornada

aguardam-no à porta de sua casa

Estão à espera!

Dizia o jovem combatente para sua mãe,

que naquela manhã de inverno escutava, 

o barulho da chuva que batia

copiosamente na janela

de sua velha casa

Tempos difíceis aqueles

Seu filho iria combater

numa guerra fratricida

A mãe sabia que muitos poucos 

tinham sobrevivido nos combates 

dos últimos dias

E com muita mágoa lhe disse

quase chorando:

Que zelaria por ele,

e estaria ali esperando para o embalar

como lhe fazia quando era criança

Ela continuava a fixar seu olhar 

nas vidraças, e pensando que era 

preferível fazer um pacto com o diabo

do que entregar seu filho 

aos senhores da guerra

E viu que lá fora o tempo continua 

invernoso como seu coração

Ela não faria pacto nenhum, 

porque ainda poderia residir

alguma esperança em seu intimo

O jovem despedindo-se,

lá partiu carregando seu fardo,

com os amigos de luta

Sua mãe ao dizer-lhe adeus

acabara de ter maus pressentimentos 

E na raiz do silencio

finalmente as lágrimas

soltaram-se como se fossem

as bátegas de água que lá fora

caíam sem parar

O tempo continuava tempestuoso,

como o coração da mãe


de: fernando ramos


Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:03


141 - O FADO NAS CARAVELAS

por Fernando Ramos, em 30.10.16

O FADO NAS CARAVELAS


Nas Caravelas quinhentistas

Já o fado era cantado

Lá, os poetas marinheiros escreviam

letras que deram vida ao fado


O amor que se tem por ele

muitos sabem que não é de agora

Já os nossos marinheiros o cantavam

nas Caravelas de outrora

Ali, os nossos heróis gostavam

de ouvir um bonito fado

Porque com ele nas Caravelas

não esqueciam Portugal amado


Naqueles mares nunca navegados

a saudade era a toda a hora

Cantava-se à desgarrada

para a tristeza ir embora 

Mas a tristeza não ia

e o fado continuavam a cantar

Para as puras donzelas amadas

que no Tejo sofriam de esperar


É na vida de solidão

que o fado ensina amar

Os marinheiros o cantavam 

até as Caravelas  aportar


de: fernando ramos

16.8.2005

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:30


140 - PERDIDO

por Fernando Ramos, em 30.10.16

PERDIDO

 

Não sei para onde vou

nem domar os meus sentidos

só sei que este não

é o caminho

que te vai encontrar

Não sei porque aqui estou

mas sei que te vim procurar

e não encontro meio

de te falar


Não vou por outro atalho

ou outro trilho serpententear

porque este não

é o meu destino

Deus me guie

ao teu encontro

porque por aqui

ando perdido

 

Poderá ser uma tragédia

até mais que dramático

tenho de te encontrar,

esse é o meu sentido


Não sei para onde vou

mas sei que não é por aqui,

minha alma não te vê

nesta imensa escuridão


De: fernando ramos

17.8.2005

 

 


 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:50


139 - TEMPO ESTRANHO

por Fernando Ramos, em 29.10.16

TEMPO ESTRANHO


Tudo em nosso redor

quase sempre

tem uma explicação,

ou não será bem assim!

O tempo é muitas vezes estranho

Umas vezes está muito quente

outras muito frio

outras até assim, assim


Umas vezes muito nublado.

outras de céu aberto

Umas vezes os dias são tristes

Outras muito alegres

Outras vezes os dias

estão muito claros

até outros muito escuros

Outras vezes

está muito sol de manhã

outras chove torrencialmente

à tarde


Outras vezes as noites

parecem longas 

até outras não

ou não será assim?

Ninguém percebe agora o tempo,

tudo anda estranho

Até nós por vezes estamos

como ele, e então tudo desatina


de: fernando ramos

17.8.2005

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:13


138 - LÁBIOS DOCES

por Fernando Ramos, em 29.10.16

LÁBIOS DOCES


Nascemos para amar, bem sei

dando beijos de muita ternura

Meu amor me encanta de mais,

Me ofertando momentos de loucura


Ela me cativa e seduz

com toda sua formosura

Seus beijos tão doces são

em minha boca uma doçura


Neles fico bem perdido

num clarão intenso de paixão

Quanto mais a beijo, mais quero

até que ela diga não


E meu amor nunca diz que não

e eu a continuo a beijar

Aquela mulher tão linda

por quem me fui apaixonar


Seus lábios são poemas

que escrevo ao entardecer

neles me perco de beijos

que me fazem enlouquecer


Óh Deus porque és tão generoso

por esta mulher me teres dado

Eu não sei quantas já tive

mas nenhuma assim me tinha beijado


Neste bem bom, eu quero estar

e nele toda a vida viver

por seus lábios serem tão doces

com ela fico até morrer 


Ao seu lado eu fico bem

beijando-a até mais não

Mais nenhuma quero amar

A ela entrego meu coração


de: fernando ramos

16.08.2005

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:40


137 - LISBOA DE SANTOS

por Fernando Ramos, em 29.10.16

LISBOA DE SANTOS


Lisboa cidade Santa

alguns ela tem

Uns estão na igreja

outros em marchas também


Os Santos da Capital

andam por letras de canções

Eles se vão cantando por aí

outros percorrem procissões


Lisboa de Santo António

padroeiro da cidade

casamenteiro és tu

meu santo da liberdade


Os santos desta cidade

todos tem vida boa

Alguns polulam nas festas 

desta velha Lisboa


Há por aí em Lisboa

uns bonitos lugares

Grandes festas lá se fazem

nos Santos populares


Lisboa minha cidade

tens Santos de muita idade

Santo António em primeiro

p´las festas da cidade


de: fernando ramos

16.8.2005

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:08


136 - O CÉU DOS FADISTAS

por Fernando Ramos, em 28.10.16

O CÉU DOS FADISTAS


Cantai, fadistas, cantai

que os Anjos vos vão ouvir

lá no céu para onde a gente vai

outros fados se vão pedir

Cantai, fadistas, cantai

que S.Pedro vai aplaudir   


Grandes fadista lá estão

desde o verão à primavera   

Comendo azeitonas e pão

ouvindo fados da Severa

E montado no seu alazão

está Deus à vossa espera


Fazem dos Anjos fadistas 

todos aqueles que lá estão

Eles são grandes artistas

com seus fados de sedução 

Até cantam fados bairristas

à desgarrada com S. João 


Cantai, fadistas, cantai

os fados de muito amar  

Óh povo, por eles chorai

que no céu se vai cantar

Cantai, fadistas, cantai

Porque Deus está a gostar


O Marceneiro canta tão bem

com a Hermínia acompanhar

Amália canta também

de fazer o povo chorar

Cantai, fadistas cantai

que todos vós, vamos recordar


de: fernando ramos 

15.08.2005 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:37


135 - AMOR INTENSO

por Fernando Ramos, em 28.10.16

AMOR INTENSO

 

O amor cria saudades,

desertos, tristezas

Ele habita em nós

desde que nascemos,

segue-nos para sempre

e por vezes encontra

sua alma gémea

Com ela troca 

cumplicidades eternas

que nos dá momentos

de prazer

O amor, procura amar

sempre a quem nós

queremos trocar murmúrios

em noites sem fim

O amor cria alegria,

ausências, dependência

e paixões que nos sufocam

O amor é a chama

que nunca se apaga,

mas em alguns

momentos sofre

e desatina,

o amor é a vida e a esperança

dum lugar tão verde

que amamos sempre, 

sempre

 

de: fernando ramos

15.8.2005 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:34


134 - DINHEIRO

por Fernando Ramos, em 28.10.16

 

 

 

 

DINHEIRO


Dinheiro, dinheiro, dinheiro

é sempre o dinheiro

que é o primeiro

Dinheiro para aqui

dinheiro para ali

é que, se não tiveres dinheiro,

não és o maior, 

e não vais a lado nenhum

Dinheiro para compras,

dinheiro para guardar,

guardar! Isso é que era bom!

Para guardar quando

nem há dinheiro para

o menino sustentar

Com ele eu compro

barcos, se calhar

até vou ás estrelas

e até ponho o cangalheiro

assobiar num funeral,

ou o senhor dos Jornais

a fazer piruetas, 

até o cão do meu vizinho

a comer no restaurante

ou o Senhor dos Aneis

a cantar o fado 

Maldito dinheiro, 

com ele muito novos amigos

vou arranjar

Mas para que queremos

o malandro do dinheiro?

Bom...

Se não tiveres algum 

também não vives.

Se morrermos ele fica cá todo.

Pois é amigo, 

olha em teu redor

e vê se realmente

precisas de muito dinheiro!

Com ele não se compra

uma boa amizade, 

aquelas do coração, 

e essa tu precisas,

essas amizades querem

lá saber do dinheiro!

Não compras o amor,

sim o amor,

para que serve teres 

dinheiro para amar? 

O Amor quando aparece,

o verdadeiro amor

também não quer saber 

nada do dinheiro

O dinheiro é bom

de se gastar,

e o amor...

é bom para ficar


de: fernando ramos

15.8.2005</em> 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:09


133 - É BOM LEMBRAR

por Fernando Ramos, em 27.10.16

É BOM LEMBRAR...

 

É bom lembrar que temos família 

E temos de dar mais atenção a ela

É bom lembrar que fazes anos em Outubro 

De qualquer ano, e não me posso esquecer

De pelo menos dar-te uma flor


É bom lembrar que tenho alguns 

Amigos (poucos, eu sei),

Que merecem pelo menos 

Um olá de vez enquanto

 

É bom lembrar que a minha 

Filha está uma mulher 

Merecendo todo o meu amor e carinho

É bom lembrar que tenho coisas 

Muito importantes na vida

Como passear num jardim 

De mão dada com a minha mulher

 

É bom lembrar que não vivemos 

Para sempre, e aproveitar 

Todos os minutos 

P´ra estar com aqueles 

Que mais gostamos


É bom lembrar que é importante 

Ter saúde,e ir evitando disparates 

Porque é muito bom andar por aqui


É bom lembrar que existe 

Gente que precisa de nós

E devemos a qualquer momento 

Contar com eles, esquecendo  

O nosso egoísmo


É bom lembrar que se deve viver 

Um dia de cada vez, 

Como se fosse sempre o primeiro


É bom lembrar que se deve sorrir

Sempre quando o nosso 

Clube marca um golo


É bom lembrar sempre

E sempre lembrar,

que se deve proteger

A natureza e os animais

E que as pessoas 

É o que há de mais importante

E são para se amar, e não para usar


de: fernando ramos

14.8.2005

  



 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:33


132 TEU REGRESSO

por Fernando Ramos, em 27.10.16

TEU REGRESSO


Teu corpo é a beleza 

Da minha inspiração

Onde me perco

Na intuição vadia

Torneada de malicia

Nele vou esquecer 

Todo tempo que perdi

P´ra te encontrar

E agora ao ver-te

Recordo tua voz

Que nesta ausência

Minha memória preservava

Bem como o aroma 

Delicado de teu perfume


Onde andaste meu amor

Todo este tempo

Perdido sem sentido

E eu à muito que queria

Esse doce olhar e o gentil

Sorriso de teus lábios

Que os meus tanto anseiam


Viajei por oceanos

E tempestades desafiei

P´ra te encontrar

No fim nelas quase

Me afoguei por amor

Em oceanos sem fim

Por ti cantei melodias

Em noites de boémia

Entregando-me 

Ás recordações de teus

Suaves abraços


Saber por onde andaste

Pouco interessa agora

O importante, é que 

És o prado mais lindo

Da minha suave planície

Que vai dar a tranquilidade

Ao meu adormecer a teu lado


de: fernando Ramos

14.8.2005

 


 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:15


130 - A VITÓRIA

por Fernando Ramos, em 27.10.16

 

A VITÓRIA


Hoje fui ao estádio 

ver a minha equipa jogar

tinha um adversário bom

mas acabou por ganhar


Foram dois golos sem resposta

marcados com a cabeça

o jogador que os fez

nem se quer pediu licença


Dois a zero é muito bom

e nem foi um jogo a doer

o adversário era difícil

mas acabámos por vencer


Marcar o golo é um orgasmo

dizem para aí nos jornais 

Dois, o prazer é maior

e como seria se fossem mais


Ir ao estádio e ganhar

é óptimo se acontecer

a nossa equipa é muito forte

e os jogos são para vencer


Foi bom ir ao futebol

e assistir a uma bela vitória

a equipa jogou bem

num jogo de pouca história


Os jogos deviam de ser assim

com jogadores bem cansados

e o árbitro nem inventou

pénaltis, e golos anulados


Os jogos são uma festa

se houver honestidade, senhores

porque o desporto é bem bonito

havendo respeito p´los espectadores


de: fernando ramos

13.8.2005

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


129 - NOSSOS CAMINHOS

por Fernando Ramos, em 26.10.16

 

NOSSOS CAMINHOS

 

Vou a teu lado

seguindo teu caminho

e vendo outros que por nós

se cruzam

Indo pelos seus, também 

que os levarão a algum lugar

Não quero que vás sozinha

por isso te acompanho sempre 

e sempre te seguirei

no mesmo rumo da vida

Nossos caminhos se encontraram

já lá vão muitos anos

e fieis nos mantivemos 

à nossa primeira jura de amor

Te seguirei meu amor 

e teu caminho será o meu 

até que Deus ache que chegou 

a hora da minha separação

Outros, seguirão seus caminhos

se calhar mais tortuosos

que tem sido este doce caminhar

E neste nosso longo passeio

te ofereço rosas 

brotando cheiros 

que nos seguirão

perfumando para sempre

nossa vida

E juntamente com elas 

te darei beijos quentes

de poesia, deste poeta

que não de perde

por teu caminho


de: fernando ramos

12.8.2005



 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:


1079 - LISBOA, MEU BOM BOM

por Fernando Ramos, em 26.10.16

1079.jpg

1079 - LISBOA, MEU BOM BOM

 

Bela iguaria é a minha cidade

Que ao despertar pela manhã

Nos enche a alma com sua claridade

Oferecendo-nos a Natureza, vida sã

 

Por locais de Lisboa se ouvia o pregão   

Em tempos que a Varina roliça e airosa

Vendia Peixe, seu ganha pão

Aos alfacinhas da Cidade vaidosa

 

E do Bairro Alto à Madragoa

De Alfama à Mouraria

Poetas e Pintores de Lisboa

Descrevem a Cidade com alegria

  

E o Elétrico amarelo embeleza a cidade

Por bairros históricos num bem bom      

Cheio de Turistas admirando em Liberdade

A Lisboa, meu bom bom

 

De: Fernando Ramos

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:43


128 - EU GOSTAVA DE TE VER

por Fernando Ramos, em 26.10.16

EU GOSTAVA DE TE VER

  

Eu gostava de te ver,

e dizer-te que és a luz

que me alumia nas noites

que me seduzes


Eu gostava de te ver

e ser uma pomba para poder

voar pelo céu infinito

e nas tuas mãos pousar 


Eu gostava de te ver

e ser uma boa onda

onde teu corpo

eu pudesse molhar

e na espuma salgada

Teus seios acariciar


Eu gostava de te ver

e ser o sol, e meus raios

te oferecerem todo o calor

que vai no meu peito 


Eu gostava de te ver

sentir teus lábios 

e baixinho te dizer

como te amo


de: fernando ramos 

12.8.2005  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:37


127 - O SONO DO MUNDO

por Fernando Ramos, em 26.10.16

127 (1).jpg

 

127 - O SONO DO MUNDO

 O mundo dorme de um sono profundo 
e nada o faz acordar

Em cada três segundos 
morre uma criança de fome
como se fosse uma
causa natural

Como é possível o egoísmo
do homem chegar a este ponto
não vendo ele
dentro das trevas 
da sua própria loucura
o mal que vai fazendo

Mundo para onde vais
quando permites tão grande atrocidade?

É a pura degradação humana
enquanto gasta tanto, e tanto dinheiro 
em guerras estúpidas e sem sentido

A paranóia chegou para lá da vergonha
quando deixa o seu semelhante 
desaparecer em condições tão trágicas

Acorda mundo, 
não podes dormir... 
Não podes dormir!

de: fernando ramos
11.8.2006

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:23


125 - O ARTISTA DE MARIONETES

por Fernando Ramos, em 26.10.16

 

O ARTISTA DE MARIONETES

 

Tento lembrar
das vezes que contigo
fui feliz
Raramente o consigo
porque uma pequena sombra
ainda aparece 
em minha memória 
mas só isso...
Sei que em tuas mãos 
não passei
de um simples boneco
que tu manobravas
a belo prazer 
Agora estou só
e não vivo iludido
com as tuas falsas 
esperanças
Minha vida  hoje

leva outro sentido
fugi de teus dedos que
me seguravam como
o artista de marionetes
manobra o seu fantoche

de: fernando ramos
10.8.2005


 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:50


124 - SAXOFONE

por Fernando Ramos, em 25.10.16

124 - 1 (1).jpg

124 - 2 (1).jpg

 

 

SAXOFONE


Tocas saxofone só para mim

dizias tu entre algumas notas

Nunca acreditei...


Algumas vezes o ouvia 

em outra esquina

Agora o som de teu saxo 

por vezes vai com o vento

para junto do teu novo amor

para bem longe 

do meu pobre coração 

que espera e desespera


Como o posso ouvir-te

se tu não estás presa

em minha rédea louca

a galope no vento

Sei que teu saxo agora

vai na brisa suave 

para outro coração 

e p´ra ele vai tocando


Vem meu amor para junto

de mim, e traz o saxo

Teu tocar me faz falta

e quanto me é dificil 

passar sem ele


Ao ouvir-te naquela esquina

em que fico tão sem sossego

e onde nós nunca poderíamos amar

vão surgindo recordações 

dum passado ainda recente

Onde belas melodias  

me faziam vibrar

e sentimentos de amor 

meu peito guardava


Lembro-me das várias vezes

que voltavas para mim com o saxo

para nossa esquina, onde ali

nos amávamos sem preconceitos


Tocavas noite dentro

para minha alma 

E mergulhávamos em bonitas 

juras de amor eterno


Por favor volta

toca novamente

para meu coração, sem parares

preciso de te sentir 

Como nas noites

p´ra onde o som nos levava

junto de lugares 

de prazeres inimagináveis


de: fernando ramos

12.8.2005

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:21


122 - AMAR HOJE

por Fernando Ramos, em 25.10.16

122 1 (1).jpg

 

122 - AMAR HOJE

 

Hoje quero beijar-te perdidamente

Amar-te como se as recordações

Do tempo da curva da tristeza

Já não existissem

Como se tudo tivesse sido esquecido

Em momentos das nossas vidas

Quero amar-te loucamente agora

Como se o passado terminasse aqui

Hoje quero ouvir os murmúrios de teus ais    

Beijando teu corpo em ondulantes carícias

E nele construindo o nosso novo futuro

Que me fará estar sempre contigo

Em tua pele macia e nua p´las noites da vida 

Até chegar o sol radioso p'la manhã

Vem meu amor 

Vem amar-me num ofegante desassossego

Deixando o nosso ontem  

Perdendo-se na bruma dos tempos

 

de: Fernando Ramos

8.8.2005 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:59


1076 - FINAL DE TARDE

por Fernando Ramos, em 25.10.16

 

 

1076.jpg

 

FINAL DE TARDE

 

A tarde termina sua aventura

E no entardecer a noite vai começar

Irá para gente que a noite segura

Com rios de amor para dar

 

E numa hora a noite se ajeita

E aprende a ser paciente

Para uma aurora perfeita

Ou um rumor de ventania quente

 

Nova manhã surgirá sem medo

Outro dia longo se inicia

A tarde ainda será um segredo

Para um mundo que a vigia

 

Nova noite irá cair bruscamente

E todos nós vamos pró nosso cantinho

Para de manhã acordar docemente

Pró novo dia ser um perfeito caminho

 

Deveriam ser quase sempre assim

Os nossos tempos dum viver afectuoso

Mas a vida nem sempre vai por aí

E para alguns, o final da tarde é bem perigoso     

 

De: Fernando Ramos

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:55


121 - DESENCONTRO

por Fernando Ramos, em 25.10.16

 

121 - DESENCONTRO

 

Na leveza de tuas palavras

não encontrei a felicidade

Elas carregam frases roubadas

de lábios sofridos de saudade

 

Minha paixão arrebatadora

passou por tua candura

Ela não foi merecedora

Dos caminhos de tua formosura

 

Hoje sofro pela ingratidão

dessa noite tornada escura

A minha triste paixão

terminou numa má aventura

 

No teu ser não estava a razão

como a pura água cristalina

Para tudo há uma solução,

excepto para acção divina

 

Novo amor tens de encontrar

por causa dessa obstinação

Será que ele te fará mudar

o amor frio do teu coração

 

de: fernando ramos

08.08.2005 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:38


120 - EU CANTO

por Fernando Ramos, em 24.10.16

 

120 - EU CANTO


Canto prosas

Canto versos

Canto sonetos com fervor


Canto tudo que vem da alma

que é minha poesia de amor


Canto aos Deuses

Canto aos Anjos

Canto às Musas do poeta


Meu canto vem da alma

e a poesia do escritor


Canto à natureza 

Canto às mulheres

E canto ao meu amor também


É ele que me faz cantar

neste viver de vai e vem


de: fernando ramos

5.8.2005 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:44


119 - MAR E VENTO

por Fernando Ramos, em 24.10.16

119 - MAR E VENTO


Fiz-te esperar tanto tempo

mas acho que não foi demais

Perguntavas por mim ao vento

porque ele me leva ao cais


Ele me fará lá chegar

no meu barco que vai há vela

E aí, irei-te olhar

numa ternura singela


Por grandes mares naveguei

que não terminavam mais

A eles, do meu amor falei

que deixei aí no cais


O meu mar amigo

depressa me fez chegar

ele sabe que não consigo

outra mulher amar


Amigo vento também ajudou

com a fúria do seu assoprar

E agora que aqui estou

o meu amor já vou beijar


Ó mar e vento obrigado

por me trazerem ao meu lugar

Eu cheguei bem, e cansado

mas a tempo, de com ela casar


de: fernando ramos

5.8.2005 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:11


118 - ELA QUE PASSA

por Fernando Ramos, em 24.10.16

118 (1).jpg

 

118 - ELA QUE PASSA

 

Ela que passa 

por mim em boa hora

não entregando seu olhar

E eu no fundo de seus olhos

não posso ver

sua secreta sedução 

 

Ela que passa

Sem me ver

e eu triste estou

por mais um fracasso

da minha tentada

conquista

 

Nós, não nos vemos

pela falta

desse olhar 

são horas frias de solidão

e não consigo 

prender seu 

sentimento ao meu

 

E os dois no seu destino

vão incertos no tempo

mantendo os olhares

num desatino 

E eu sedento do seu olhar

Nem um alento vai 

ajudar curar minha dor   

 

Ela que passa

seu olhar não 

quer deixar

Vai seguir seu caminho

que não se cruza 

com o meu

 

E na minha insistência

vejo seu adeus

E triste fico

e a deixo partir

sem aquele olhar

p´ra outro ela cruzar 

 

de: fernando ramos

7.8.2005

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:53


117 - PARA TI AMOR

por Fernando Ramos, em 23.10.16

 

117 - PARA TI AMOR


Para ti o fogo do meu olhar

que me consome de paixão

São sinais tão ardentes

Pró calor de teu coração


Teu sorriso é como a flor

Perturbando minha razão

Em teus lábios beijos deixo

num tímido jogo de sedução 


Teu corpo me deslumbra

Em belas noites de amor

Nele vão caminhos de fantasias   

sonhadas com muito fervor


E teu olhar me beija

como se fosse tua boca

E meus lábios nos teus

me dá esperança louca


Acariciar teus seios

faço com grande doçura

São minha rota de carinho     

no nosso leito de loucura


Nossos beijos despertam

tantos suspiros sensuais

Fazendo nossos corpos

moverem-se cada vez mais


de: fernando Ramos

05.08.2005

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:41


116 - VIDA COLORIDA

por Fernando Ramos, em 23.10.16

116 - VIDA COLORIDA


A vida todos os dias

nos ensina que o passado

por muito duro que seja

nunca é igual para todos

Para uns é muito colorido

para outros...

é a preto e branco

Prós coloridos,

tudo se torna mais fácil

boas recordações existem

de algo maravilhoso

que se calhar ainda 

não está muito distante 

Talvez caia uma lágrima

de saudade por lembrar

belos momentos vividos

junto de família e amigos

Para os outros...

Bem...

Para esses, 

talvez seja melhor 

nem lembrar o passado!


de: fernando ramos

5.8.2005

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:52


115 - NUVENS CINZENTAS

por Fernando Ramos, em 23.10.16

115 - NUVENS CINZENTAS


Uma nuvem cinzenta aqui passou

muita tristeza deixou ficar

Será que o tempo se alterou

ou alguém de mim se vai afastar


Espero que o sol apareça

para esta dúvida tirar

Que chova, antes que aconteça

meu destino de sonho a nuvem mudar


E o sol lá apareceu

em todo seu esplendor

A nuvem fria esmoreceu

e à minha vida voltou o calor


E ela, lá foi embora com frieza

para outras mentes atormentar

Com a nuvem foi a tristeza

Desta nova chance estou a gostar


Não é que eu seja pessimista

mas aqui o cizento não deve mais passar

Até é melhor que não se lhe resista

p´ra na nossa vida a nuvem não pousar    


Nuvens cinzentas adeus para sempre

nunca mais aqui vos quero ver

Preciso que meu amor fique contente

Prós caminhos de ternura, sempre ter   


de: fernando ramos

5.8.2005

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


114 POETA DA NET

por Fernando Ramos, em 22.10.16

114 - POETA DA NET


Sou um poeta da net

que escreve até se fartar

Ela tanto me diverte

e a ti faz gozar 


Aqui venho todos os dias

com alegria e prazer

Diz lá se tu não lias

uma prosa que irei escrever


Escrevo com muita lisura

meus poemas de brincar

Na net os deixo com ternura

para meu amor se deliciar


A net é uma paixão

para nós que aqui andamos

Foi uma óptima invenção

que dela todos gostamos


Digam lá senhores do mundo,

se na net não é melhor andar

A natureza não vai ao fundo

e as pessoas, não se vão matar


Deixem-se de guerras de morrer

e a natureza descansar

As pessoas precisam de bem viver

venham mas é à net todos teclar


de; fernando ramos

4.8.2005 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:20


113 - NA ESTRADA

por Fernando Ramos, em 22.10.16

113 - NA ESTRADA

 

Soltaram os loucos

da estrada, 

que ao volante 

de seus carros

se julgam os poderosos 

do universo

E alguns a seu belo prazer 

vão roubando vidas

desencontradas das suas

 

Soltaram os cães raivosos

que perseguem suas presas

Sentados ao volante

de viaturas assassinas

parecendo ter como objectivo 

terminar com uma vida inocente

que se cruza num olhar 

onde o fim para ela

se encontra bem próximo 

 

Soltaram os odiosos conscientes

que em alta velocidade

vão pela estrada fora 

destruindo o bem 

que é a vida humana

que se encontra bem perto 

do quilómetro que vai 

marcar o fim da sua existência

 

Chega de loucos do asfalto 

de cães raivosos

e de Odiosos conscientes

Basta de tanta, e tanta morte

em caminhos de alcatrão

A vida é para ser vivida 

e não destruída por imbecis 

que não passam de animais sem lei 

desprezando o seu semelhante

 

de: fernando ramos

04.8.2005

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:47


112 - OS POLÍTICOS CORRUPTOS

por Fernando Ramos, em 22.10.16

112 - OS POLÍTICOS CORRUPTOS

Há por aí políticos Doutores

que se julgam Patriarcas

Fazem muitas trapalhadas

nos lugares de Autarcas


Até há um, que fugiu para o Brasil

e pelo que temos cá lido

foi novamente a eleições, 

com um processo de Arguido


E há por aí mais alguns deles,

que do povo se andaram aproveitar

Depois vão às televisões dizer

que a vida lhes querem estragar


São uns Anjinhos estes ilustres

que nos andam a enganar   

Depois vem, vão-se queixar

que o povo os quer mal tratar


Temos tanta pena deles

que se algum for acusado

Dizemos já à justiça,

que ninguém foi roubado


Ouçam lá seus artistas

deixem-se da triste lamúria

Vocês estão todos ricos

e o povo na penúria


Eles são tão viajados

que vão do Brasil à Suíça

Levam o nosso dinheirinho

e vão pedir perdão na missa


Vamos ver no que isto vai dar

porque o povo anda desconfiado

Óh muito nos enganamos,

ou o povinho vai ser lixado


Nós só pedimos justiça

para estes enganadores  

Vamos lá julgar esta gente,

para acabar com reles senhores


São políticos sem ética

devem sofrer de alguma tara

Candidatam-se novamente às Câmaras

sem nenhuma vergonha na cara


de: fernando ramos

04.8.2005 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:06


111 - A JANELA DA MENINA

por Fernando Ramos, em 21.10.16

111 - A JANELA DA MENINA


Menina estás à janela

esperando p´lo teu amor

Mas enganaste nela

volta para dentro por favor


Não vês que essa é do corral

a outra é bem diferente

Vai depressa menina

para a janela da frente


Tens a certeza menina

que já é hora de ele chegar

Deves estar enganada

porque já começa a tardar


Tão depressa as horas passaram

e ele tem é outro amor

vai para dentro menina

não sofras mais essa dor


Mas afinal tu tens razão

a janela é a do corral

O teu amor é um Cavalo

não passa de um animal


Fez-te esperar tanto tempo

acho que tempo de mais

Vai para a outra janela

para junto dos animais


Lá é que ele deve estar

por deixar teu coração só

Não se faz isso à menina

o dele, é um coração sem dó


de: fernando ramos

02.8.2005



 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:15


110 - O COLIBRI

por Fernando Ramos, em 21.10.16

110 - O COLIBRI


Meu pequeno Colibri

que voas parado no ar

teu tamanho faz de ti

uma ave de se admirar  


Tu és muito pequena

minha ave de picar 

A minha planta açucena

por ti se está apaixonar


Um milhão de vezes, dás

batidas de asas no ar

Também voas para trás

isso é algo de espantar


És tão leve meu colibri

E de inteligência dás ares

Nas florestas dizem de ti

Que só falta falares


Minha avezinha colorida

tanta água tu bebes

Fazes minha vida florida

de tristezas leves


Sem ti já não sei viver

por causa da tua alegria

para mim é sempre um prazer

ter-te na minha companhia


de: fernando ramos

3.8.2005

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:56


109 - OLHARES DA NOITE

por Fernando Ramos, em 21.10.16

109 - OLHARES DA NOITE


O brilho dos olhos teus

Beijam-me nas noites de luar

Caiem lágrimas em versos meus

Quando p´ra ti estou a declamar


À noite vejo no teu olhar

Quando de mim estás a fugir

Corro para ti, até te alcançar

Porque teus olhos não sabem mentir


Quando beijas a minha pele

Sou incapaz de dizer que não

À noite teus beijos sabem a mel

Perturbando o olhar de meu coração


E se a noite for escura

Mesmo assim vou ver esse olhar

Ele vai me levar à loucura,

Até meu coração se incendiar


Na noite em meus olhares

Belos poemas vêem de ti

Depois ao te deitares

És perfeita poesia p´ra mim


É uma noite de impaciente nervura   

Com tantos ais de amor

Damos beijos de muita doçura

E trocamos olhares de tanta cor


de: Fernando Ramos

03.8.2005

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:18


108 - SEXO

por Fernando Ramos, em 21.10.16

108 - SEXO


Fazer sexo é muito bom

e é uma bela proposta

Dizem...

Falar dele não é bom tom 

mas toda gente, o faz e gosta


Vou amar minha mulher

como ela me ama a mim

Fazemos muito bom sexo

a vida é mesmo assim


Gosto tanto de o fazer,

e ela também diz que sim

O sexo é um doce prazer

para ela e para mim


É de louca perdição

seja de noite ou de dia

Quando é feito do coração

é a perfeição da melodia


Sexo é bom e tem sabor

não valerá a pena negar

Feito com muito amor

ainda mais vamos gostar


Porque se anda a esconder

algo que toda a gente faz

Não é crime se fazer

tanto sexo, se for capaz


Porque se faz dele um tabu

se é parte da nossa vida

Dele, nasci eu e nasceste tu

duma grande paixão vivida


de: Fernando Ramos

02.8.2005

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:32


107 - ONDE ESTÁS

por Fernando Ramos, em 20.10.16

ONDE ESTÁS


Em algum lugar tu andarás

Olhando para as estrelas

Atirando sonhos ao ar

Na esperança de obteres

Respostas da longa noite 

Que tardam chegar

Tu não és fruto da minha imaginação

E ao meu coração não mintas

Quando na minha viagem

Te encontrar e falar sobre 

As fronteiras que imaginaste

P´ra chegares tão longe


Em algum lugar tu andarás

E quantos montes e vales terei mais

De percorrer p´ra chegar até a ti

Quanto terei de esperar para te vêr

E ouvir de tua voz que tudo terminou 

E que será em vão esta minha viagem

E eu não encontro 

Os caminhos que levaste 

Para fugires de meu coração

Que chora de arrependimento

Por não ter partido contigo


Onde estás meu amor

Vais ocultando teus segredos 

Do universo, e eu nem consigo

Sentir o cheiro embriagante de teus

Perfumes que me levaria até a ti

Em algum lugar tu andarás!


de: fernando ramos

02.08.2005


 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:02


106 - ESSE OLHAR

por Fernando Ramos, em 20.10.16

  • 106 - ESSE OLHAR

  • A luz dos olhos meus
  • Procura teu doce olhar
  • Brotam lágrimas por versos teus
  • por tarde eu o encontrar

  • À noite com teu olhar quero estar
  • Em pensamentos de amor
  • O meu só irá alcançar
  • P´ra me amares com rigor 

  • Esse olhar é da minha carne 
  • Quando te amo no chão
  • Teu amor tem muita arte
  • Porque nem diz sim, nem não

  • E na noite tornada escura
  • Me prendes no teu olhar
  • Ele me leva à loucura
  • Até meu peito se incendiar

  • Enquanto meu olhar te cerca
  • Dizes que passas ao lado
  • Deus queira que nunca me perca
  • Num triste grito calado

  • No dia que for dono desse olhar
  • Vou içar ao vento minhas velas
  • Meu barco irá navegar
  • Nas águas revoltas das caravelas

  • E nesse mar de tanto sal
  • Vai meu barco até ao cais
  • Próximo de teu olhar fica o areal
  • Onde o meu não brinca mais

  • No barco, ao chegar ao cais
  • teu olhar voltei a ver
  • O mar não deu tempo
  • ao que o meu, tem p´ra dizer

  • de: fernando ramos

02.8.2005 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:31


105 - OS ARTISTAS DO OLIMPO

por Fernando Ramos, em 20.10.16

105 (1).jpg

 

105 - OS ARTISTAS NO OLIMPO 


No Olimpo convivem os Deuses

E outros, ainda mais

Deus, tem lá artistas seus

Mais importantes que Generais


Muita gente boa por ali está

Que jamais, irão sair

Se Deus os chamou p’ra lá

Foi prós ouvir, e ver sorrir


E eles, lá estão com Deus

Na sua longa eternidade

Amália e Hermínia nos fados seus

Entretendo tantos de felicidade


Ao Sinatra e à Marlene Diertrich

Mais outros artistas mundiais

O céu ilumina-os sem fetiche

P’ra suas festas celestiais


Dos tangos, tem lá o Gardel

Que, com Anjos anda dançar

Mas o que há por ali a granel

São trovadores e fadistas a cantar


E outros mais, por lá há...

Como Mozartt, ao piano improvisando 

O Miller do Jazz, também lá está

Mais a Severa, sublimes fados cantando


Já não falando do poeta Camões

Com suas Musas e Sereias

Ou Stº. António escrevendo sermões

Mais o Cousteau, estudando as baleias


E se no Olimpo, há tão bom viver

Com as pessoas bonitas que lá estão

Um dia ficaremos todos a saber

Que não são só génios, que p´ra lá vão


E se vamos por esse caminho fora

Em outros talentos, falar eu devia

No Charles Darwin que também lá mora 

Terminando no William Shakespeare


E se Shakespeare lá escrever

Suas obras os vão maravilhar

Santos, e Anjos irão ver

Poemas dele, Amália cantar


E Deus ilumina esses espíritos bons

Que dançam num verso solidário

Acolhendo seus filhos de belos tons

Nesse Paraíso celeste extraordinário 


de: Fernando Ramos

01.08.2005   

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:32


104 - AMAR INTENSAMENTE

por Fernando Ramos, em 19.10.16

104 - AMAR INTENSAMENTE


Quem comigo anda a dormir

só eu sei e não vou dizer

Porque ela me pode fugir

e a paixão fica a perder


É segredo que não vai sair

do nosso leito de bom viver

Meu amor contigo quero ir

às noites de bem querer


É uma mulher de tanto amor

e meus sentimentos se perdem nela

Amamo-nos com tanto calor

que grande mulher aquela


Damos beijos de doce sabor

que um deles é de canela

Nossos corpos amam sem dor

como eu gosto do amar dela


Tanto amar leva-nos à loucura

enrolados nesta paixão 

A ela tenho tanta ternura

que nem sofro de solidão


De manhã pela frescura

trocamos olhares de emoção

Para mim não há mulher tão pura

a que vive em meu coração


de: fernando ramos

01.08.2005

  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:30


103 - UMA BRISA

por Fernando Ramos, em 19.10.16

 

 UMA BRISA


Esta noite 

sentimos a brisa do mar

que por nossa janela entrava

Bem fria era essa aragem

e tu meu amor

deslizando num mar de razão

na suavidade dum doce toque 

aconchegaste teu corpo ao meu

Num laço eterno de doce amar

confortando-nos o calor do prazer

e sem palavras nos beijámos

Sentindo um pouco de mim em ti


Esse pequeno gesto fez-nos

vibrar em ardente desejo

prolongado no silêncio dos amantes

E abraçados iniciámos o tímido 

jogo de sedução, 

E amamo-nos como tantas

e tantas vezes o fazemos

E num pulsar nossos corpos 

em colunas de fogo iniciam

a sua viagem estonteante


Suspirámos de prazer e paixão

num frenesim de movimentos

de avanços e recuos 

alcançando o sublime prazer 

que alimenta o silencio

da nossa poesia de amor 


Que felizes estávamos 

como nos contos de amor

na noite de farto festim

agradecendo a uma brisa 

que pela janela entrou


de: fernando ramos

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:54


102 - SER OU NÃO SER

por Fernando Ramos, em 19.10.16

102 - SER OU NÃO SER


Forte e génio não serei

sou aquilo que tenho de ser

Há quem não goste 

dizem que são mais de cem 

desses quero lá saber

  

Para mim está tudo bem

desde que não compliquem

Quem está mal pode sair, também

os outros então que fiquem


Parece muito confuso

mas é fácil de resolver

Ou se gosta, ou não se dá uso

assim não é difícil perceber

 

Não me meto em confusões

nem digo palavras singelas

Fujo sempre de más situações

porque estou bem longe delas  


Sei até onde posso ir

nunca vou mais além

não me façam lá ir

que por mim está tudo bem


E vos digo que sou assim

e já nem vou mudar

Gosto de coisas simples p´ra mim

mas há quem queira complicar 


Ser ou não ser, fácil é

mas vão ver que não é bem assim

todos acabamos por complicar

até eu me complico a mim


de: fernando ramos

01.08.2005</em>

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:25


1077 - UM POEMA P´RA MINHA NETA

por Fernando Ramos, em 19.10.16

1077.jpg

 

 

 

UM POEMA P´RA MINHA NETA

 

Leonor,

Se o amor de teus pais

É um presente de Deus

Enorme, Santo e puro

E uma das páginas mais bonita

Das suas vidas

O dos teu avós é igualmente tão puro

E tão açucarado

E apesar da distancia que o mar nos separa

Nossos lábios te beijarão sempre

Ouvindo a voz do teu coração

E deixando nós cair a lágrima

No silêncio da emoção

Ela é um poema que chora a saudade

Semeando todo nosso amor por ti

Despido de vaidades nas palavras

De felicidade que eternamente

Te dedicaremos p´la nossa vida fora

Querida neta, e amiga Leonor

 

de: Fernando Ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:58


101 - OLHANDO PARA TI

por Fernando Ramos, em 18.10.16

101 - OLHANDO PARA TI


Ao ver-te nessa janela

recordo como te amei

de forma perfeita  

quasa louca de sentimentos

gravados em poemas meus 

que voavam como bátegas

de cristal por teus cabelos 

Procurando um horizonte

de palavras ingénuas ditas

que terminavam num tempo

acabado em teus lábios

Perdidos de beijos meus

entre murmúrios de promessas 

p´ra toda a nossa eternidade


Agora ao ver-te aí à janela

penso nas loucuras 

que trocámos sem sabermos

onde nos levava os abraços

que enlaçava

os meus e teus sorrisos

E só o amor nos obrigava

a procurar refugio dentro 

dessas mesmas loucuras

Hoje isso tudo faz parte 

do nosso passado 

como uma tremenda

saudade minha


Ao olhar para ti

Na na nossa janela

não posso sequer pensar

em me aproximar

meu amor

Porque os Anjos Arcanjos

que me protegem

nesta minha 

nova vida de espíritos

não permitem nosso encontro

São agora eles os guardiões 

da minha eternidade 

adormecida em meu olhar


de: fernando ramos

31.7.2005 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:31


100 - MINHA NOSSA SENHORA

por Fernando Ramos, em 18.10.16

100 - MINHA NOSSA SENHORA 


Nossa Senhora de muita fé

tantos milagres te pedimos

Não deixes a guerra ficar de pé

e traz paz aos peregrinos


Ajuda todos nós

na tua Santa paz

Acaba com a guerra atroz

já que o homem não é capaz


Te pedimos com muito fervor

e por ti nós rezamos

Traz harmonia e muito amor

a todos que muito te amamos


Senhora de Fátima te pedimos

milagres para os doentes

Saúde para todos, queríamos

e protege os teus crentes


Faz para todos um mundo melhor

porque bem andamos a precisar

O mundo cada vez está pior

por isso todos devemos rezar


Eu por ti rezo sempre

para nos ajudares

E peço-te piamente,

para os povos libertares



de: fernando ramos

31.7.2005

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:39


99 - PARA TI ORQUÍDEAS

por Fernando Ramos, em 18.10.16

99 (1).jpg

 

99 - PARA TI, ORQUÍDEAS

 

Minha orquídea de várias cores

que bonita és tu

Fazes nascer tantos amores

e o meu será mais um


Orquídea, tu és tão bela

és menina exótica de sentimentos

Tuas pétalas amarelas

me oferece bons momentos


Dei hoje ao meu amor

orquídeas de muitas cores

Em troca me deu sem temor

beijos carregadinhos de sabores


Meu jardim é uma festa

de tantas orquídeas terem

Faço dele uma floresta

para elas, lá bem viverem


Deus foi tão generoso

as orquídeas nos dar

Mas ainda foi mais bondoso

fazer o meu amor, me amar


E as orquídeas amarelas

No amor são rainhas de rara beleza

Suas pétalas são singelas

Não entrando nele a tristeza


E os artistas apaixonados

orquídeas vão sempre oferecer

Mas seus amores desencontrados

Por vezes recusam receber


Para ti, orquídeas amarelas e brancas

Salpicadas em beijos de mel

Com suaves lembranças brandas

nas nossas vidas de carrossel


de: fernando ramos

31.7.2005

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:31


1075 - DIA FELIZ

por Fernando Ramos, em 18.10.16

 

 

1075.jpg

 

 DIA FELIZ

 

P’la manhã de bom dia, o sol aparece

Da Natureza com seu ar de espanto

E perto da noite, p´las nuvens desce 

Guardado p’lo mocho empoleirado num canto

Abrigando-se da escuridão até ser dia

 

Vem nova manhã, bonita e pura

Correndo o povo buscando seu ouro

Sobre um céu azul de paz segura

Guardada por tantos como um tesouro

Que por outros lugares muito se procura     

Onde maus senhores sem coração

Se julgam donos de muitos horrores

Soluçando a paz p´lo choro da emoção 

Na triste noite minada de dores

 

Mas novo dia feliz surgirá como um beijo

Nascido em céu de tanto calor

Vem dar vida, que é um ensejo 

Caprichado de esperança e de tanto amor

Que prós homens bons é um doce desejo

 

E belos dias nascerão na frescura da manhã

Carregadinhos de ternura do bom Mestre

Lançando raios de amor pela montanha

Estendendo-se p’los campos de flores silvestres

Que a natureza oferece depois de noite sã

 

De: fernando ramos

14.8.2007

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:26


98 - SENHORA DE FÁTIMA

por Fernando Ramos, em 17.10.16

98.jpg

 

98 - SENHORA DE FÁTIMA

 

Senhora de Fátima, nos encantas

És a nossa mãe Celestial

Aos doentes dai-lhes curas Santas

P´ra acabar com todo seu mal

Teus milagres a todos espantas

P´ra nós és a Santa especial

 

O mundo por ti tanto chora

Com sua fé e emoção

Perdoa-nos a todos sem demora

Os pecados sem coração

Cá na terra muito se ora

P´ra que tragas amor e razão

 

És a nossa Santa mãe

Todos te agradecemos por isso

Pede por nós a Deus também

Até ao dia do nosso juízo

Com teu amor e paz que é um bem

Neste pobre mundo submisso

 

de: fernando ramos

31.7.2005

 

  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:11


1074 - AURA PERFUMADA

por Fernando Ramos, em 17.10.16

 

1074.jpg

AURA PERFUMADA

 

Solta-se a dor na emoção
Na pobre garganta ferida
Um fado à aura dá razão
E boa cor na alma sentida

 

Desse destino não vai ilusão
Mas boa esperança vindoura
São laços que apertam o coração
Dando o nó na aura duradoura

 

Ò povo que fado tanto escutais
Sorri para tua aura perfumada
Ela é a cor de teus ais

 

E a imaginação bem sonhada
Numa vida cheia de bem saber
Onde a aura num fado rodeia teu viver

 

De: Fernando Ramos

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:00


97 - O FADO É O AMOR DO FADISTA

por Fernando Ramos, em 17.10.16

97 (1).jpg

 

97 - O FADO É O AMOR DO FADISTA


O fado velhinho é o meu amor

Que não me deixa magoado

Canto-o com devoto fervor

E de felicidade me deixa cansado

Meu coração palpita em seu fogo

Impedindo que seja pecado          


E se ele é mesmo o amor

A melancolia nunca chega                                               

Fazendo-me um grande favor

Não deixar a noite ser negra

Porque se no cantar vier a dor     

Cairá da lua a lágrima de seda   


O fado é a minha alegria

E não me levará a uma cilada       

Sem ele certamente seria 

A minha vida desencontrada 

E eu ao fado tudo daria

P´ra não a ter desesperada


Cantai-o eternos fadistas

Com vossa alegria sem igual

Nem que seja nas revistas

Porque ninguém vos leva a mal

E p´lo fado um dia vão morrer

Cantadores fadistas de Portugal!


de: fernando ramos

30.7.2005  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:42


96 - O VELHO PIANO

por Fernando Ramos, em 17.10.16

96 (1).jpg

 

96 - O VELHO PIANO


No meu velho piano

toco melodias de poetas

Que outrora se escreveram

com suas penas de artistas

Cantadas foram por trovadores

apaixonados por donzelas

Que os escutavam nas suas janelas 

em noites que não terminavam


Melodias de amor

toco com muito sentimento

Cujas notas fazem vibrar 

este piano já gasto pelo tempo

Onde magicas notas deslizam

por dedos velhos

E cansados, que ainda

percorrem teu corpo


Os anos vão passando por nós 

mas ficam recordações

De outras músicas 

por mim tocadas só para ti

E naquelas madrugadas

que nos beijávamos carinhosamente,

Sentíamos a inspirada poesia 

de poetas tão loucos como nós


Para ti toco com a mesma

paixão, nem que seja

A última melodia de minha vida

Mas para ti toco


de: fernando Ramos

30.7.2005 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:33


95 - SEMPRE SOUBESTE

por Fernando Ramos, em 16.10.16

SEMPRE SOUBESTE


Sempre soubeste apaziguar

o turbilhão de sentimentos

E se a esperança chegar

não podem existir lamentos


Sempre soubeste ouvir

minha voz quando querias

Dela ficavas a rir

de todas as minhas tontarias


Sempre soubeste manter

o amor quando estava distante

Meu coração só queria ter 

o teu tão radiante


Sempre soubeste sorrir

quando eu regressava

Nunca me irias mentir

quando esse sorriso falava


Sempre soubeste esperar

por aquele momento certo

Demorou mais a chegar 

por eu não estar por perto


Obrigado meu amor

p´lo carinho e persistência

Tu deste algum sabor

à minha estranha resistência


de: fernando ramos

30.7.2005

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:00


1073 - AMOR ENGANADO

por Fernando Ramos, em 16.10.16

1073.jpg

 

 AMOR ENGANADO

 

Na simples fresca sala de fado
Sentados em velhas cadeiras
Ouve-se o fadista ousado
Em poemas que são fogueiras

 

Arde o artista na emoção
Ev ocando a vida descuidada
Oferecendo-lhe golpes ao coração
Vindos de sua mulher amada

 

Ao cantor corre-lhe em pranto
Correntes lagrimas da vida
Todos comovem-se com seu canto
Desse fado de dor vencida

 

Ao lado do homem sofrido
Há quem o ouve com paixão
Sentem-lhe um amor traído
Deixando-os em consternação

 

Seu amor está tão longe
Nos lados onde sol vem
Já pensou em ser monge
Mas sua vocação não tem

 

Nesse fado de fogo infinito
Dum amor não correspondido
O artista solta seu grito
Num soluço bem fugido

 

O povo na sala se agita
P’la frieza da traição
Ninguém ali mais acredita
Que esta vida conceda perdão

 

Ela traiu um grande amor
Numa atitude grosseira
Deu ao coração a dor
E um olhar que se incendeia

 

O fadista cala sua voz
Não mais vai cantar o fado
Vive em sofrimento atroz
Por um amor o ter enganado

 

E bem antes do sol nascer
A sala ficou triste e vazia
Escravo do amor vai ser
O fadista da nostalgia

 

De: Fernando Ramos

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:00


94 - MENINA DEPOIS MULHER

por Fernando Ramos, em 16.10.16

94.jpg

 

MENINA DEPOIS MULHER


Menina que vais na rua,

vais bonita e graciosa
Olha bem para a luz da lua
porque ela é preciosa

 

À sua luz és uma fada
e deixas homens sem respirarem
Adoravam que fosses sua amada
p´ra nas noites contigo suspirarem

 

Alguns olhos te vêem nua
muito esbelta, e carinhosa.
Muitos te criam sua
p´ra noite bem amorosa

 

Menina tem cuidado, tem
porque os homens não são de fiar
Mas olha, p´ra eles muito bem
é que um dia vais casar

 

Depois, não olhas p´ra mais ninguém
só pró que te vai amar
Com ele, tu vais também
na bela noite, te deitar

 

Deixaste de ser menina mimada
porque casaste esta semana
Agora que és uma mulher casada
passaste a ser a bela Dama

 

Já não és menina nem fada
tens um homem que te ama
Serás sempre mulher amada
na tua vida de boa chama

 

de: fernando ramos

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:23


93 - A NOSSA RUA

por Fernando Ramos, em 16.10.16

93 (1).jpg

 

 A NOSSA RUA


Partiste da nossa rua

sem motivo e razão

Foi numa noite à luz da lua

que despedaças-te meu coração


Meu amor, meu doce enlevo

minha vida de ti padece

Nesta rua de alto relevo

esta espera por ti enlouquece


Na rua da nossa amargura

trocamos suspiros sensuais

Amamo-nos com tanta ternura

fizemos promessas fatais


Acabaste por ir embora

e as promessas se perderam

Não sei o que vou dizer agora

aqueles que te conheceram


À nossa rua vou subir

na esperança de te encontrar

nela eu te deixei ir

e agora não queres voltar


Porque será meu amor

que à nossa rua não queres vir

Diz-me lá por favor

senão irei também partir


E daquela rua fui embora

de todos me despedi

Adeus meu amor, por agora

pode ser que voltes por aí


de: fernando ramos

29.7.2005 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:09


92 - O FADO E O MEU EMIGRANTE

por Fernando Ramos, em 15.10.16

O FADO E O MEU EMIGRANTE

 

O fado, eu canto agora

foi para ele que nasci

Canto pelo mundo fora

A vida que já vivi

 

O emigrante gosta do fado

E p´ra ele ando por aí a cantar

As recordações deixam-no calado

Porque essa vida o faz pensar

 

Enquanto cantava o fado

Um amor fui encontrar

Hoje é o meu homem amado

E com ele fui casar

 

Ao cantar para os emigrantes

No meio deles, lá estava o meu 

Sou mais feliz do que antes

Com o homem que Deus me deu

 

No fado aconteceu esta paixão

Que me anda a encantar

Esta é uma pura razão

Que para ele irei sempre cantar

 

Paixões de sonho, jamais terei 

Como esta de enlouquecer

Não sei, se um dia a perderei         

Mas ao fado irei agradecer

 

Quanto tempo irá durar

Isso agora não me importa

Por ela irei bem lutar  

Nem que ao céu bate à porta

 

Sou feliz por ser fadista

E a todo o lado irei cantar

Poderá ser no teatro de revista

E o meu homem terá de lá estar

 

Também é pró emigrante que canto

Na diáspora que lhes convém             

Lá o fado cantarei tanto

Que até meu amor, ache bem

 

de: fernando ramos

29.7.2005 

  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:40


1072 - ESTE É O NOSSO MUNDO

por Fernando Ramos, em 15.10.16

1072.jpg

 

ESTE É O NOSSO MUNDO


O mundo é uma bola de cristal
Lá dentro gira as peripécias da vida
De forma insegura tão natural
Como uma lei à muito consentida

 

Este mundo, é o nosso mundo
Feito de actos, sorrisos e dor
Tornando-se tanto imundo
Quando nele se grita o horror

 

É um mundo de hipocrisia
Também de bom senso, e intolerância
E do egoísmo que vidas silencia
Quando prevalece a ganância

 

Este é um mundo do homem e mulher
Alguns mascarados de verdades
Que numa má oportunidade qualquer
Terminam com seu futuro nas grades

 

Em prisões nojentas e repletas, de se ver
Seres que nunca deveriam ter nascido
Destroem e assassinam com prazer
Neste mundo que não lhes é merecido

 

Mas este é o mundo onde vivemos
Cá também existe um céu de amor
E gostosamente o merecemos
Quando se ama outros com esplendor

 

De: Fernando Ramos

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:21


91 - AMOR DE PORTUGAL E BRASIL

por Fernando Ramos, em 15.10.16

AMOR DE PORTUGAL E BRASIL

 

Portugueses e Brasileiros

irmãos, sempre seremos

Sonhamos o mesmo ideal

amar Brasil e Portugal

 

Óh senhor, meu Deus

fazei de nós eternos irmãos

Somos todos filhos teus

por ti daremos as mãos

 

Rezamos por Portugal

Oramos pelo Brasil

Deus nos ama por igual

neste mundo de problemas mil

 

Dai a paz Senhor

nestes países de bela história

Contigo caminharemos sem dor

na chama imensa da tua gloria

 

A ti, iremos sempre amar

em nossos países do coração

Brasil e Portugal

são a nossa abençoada emoção

 

de: fernando ramos

29.7.2005

  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:59


90 - AS PEDRAS DO MEU MAR

por Fernando Ramos, em 15.10.16

90 - fr.jpg

 

 AS PEDRAS DO MEU MAR


As pedras do meu mar

p´la areia rolarão

Por favor não as pisar

de lá elas são


Tantas pedras belas

as que chegam à areia

De muitas cores, são elas

até alguma pedra feia


Com algumas eu vou brincar

e a outras, não sei que faça

Devolvo umas tantas ao mar

e várias levo para casa


De vários tamanhos são

as pedras que chegam do mar

Não as deito fora, não

porque um dia podem acabar


Umas são pretas e amarelas

as pedras que eu tenho

Umas feias, outras belas

e são de qualquer tamanho


Do mar eu vou sair

e as pedras vou deixar

Nas ondas as deixo ir

pró seu mar regressar


de: fernando ramos

29.7.2005


 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:16


89 - AMAMOS A NATUREZA

por Fernando Ramos, em 14.10.16

 AMAMOS A NATUREZA

 

Abraçamos a Natureza

que briosamente teima em existir

Apesar de alguma tristeza          

a destruição não vai conseguir        


Amamos a natureza,

e alguém a quer destruir

Nós mantemos sua beleza

num lutar, num persistir


Acariciamos as ondas do mar

banhando a nossa mão

elas, nós vamos guardar

bem dentro do coração  


Beijamos seus raios de sol

que dão brilho, a toda ela

E dá-nos muitos frutos

alguns sabendo a canela

 

O cheiro das suas flores

transmitem bons sentimentos

A natureza e os seus odores

propiciam belos momentos


Oiçam lá senhores do mundo

não estraguem o nosso mar

ele tem riquezas no fundo

e muitas pessoas para o amar


Por tudo de bom que ela dá

a natureza não pode morrer

Porque muitos no mundo, há

que com ela iriam desaparecer

 

A natureza não é destruída

porque nós não vamos deixar

apesar estar bastante ferida

connosco pode sempre contar


de: fernando ramos

29.7.2005


  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:38


1071 - DEPOIS DOS CINQUENTA

por Fernando Ramos, em 14.10.16

1071.jpg

 

 DEPOIS DOS CINQUENTA

 

Depois dos cinquenta anos
Já se percorreu todas as estradas
Esquinas e encruzilhadas
Com pouco, ou muito
Amor pela vida
Que todo esse tempo
Nos ofertou em várias direcções

 

Durante meio século passado
Tanto aconteceu, tanto se viveu
E tanto para trás ficou...
Já se errou nas atitudes
Noutras até se acertou
Talvez nestas menos!

 

Já nos perdemos de amor
Naquelas noites e dias
Que são só nossas
Já nos perdemos na vaidade
Talvez por egoísmo
Já caminhamos por tanta
Turbulência, e alguma Bonança
Já tivemos o brilhozinho nos olhos
Nos momentos intensos de paixão
E até nos pequenos detalhes
Sentimos os mesmos doces
Momentos da primeira vez
A nossa primeira vez

 

Nunca foram demais esses
Nossos tempos
Antes dos cinquenta
Como nunca irão ser demais
Os pedaços amargurados ou não
Que nos falta viver

 

E de mansinho os iremos
Contemplar, como quem
Olha o sol pela manhã
E nós sorriremos sempre
Mas sempre à saudade
Que nos presenteia

 

Agora depois dos cinquenta anos
Mais suavemente
Sentimos o esplendor da vida
Em toda a sua plenitude
Mais tranquila, mais doce
E aqui e ali, talvez uma rebeldia
Que ainda teimosamente vem
de antes dos cinquenta

 

De: Fernando Ramos

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:24


88 MINHA ESPERA

por Fernando Ramos, em 14.10.16

 

MINHA ESPERA


Espero-te à minha janela

e não há meio de chegares

Por ti anda o coração 

ansioso por voltares


Foste embora por pouco tempo

mas os dias vão passando

Eu aqui à tua espera

e meus olhos por ti chorando


Tens outra, bem sei

essa é a tua perdição

foste para ela, amor

abandonaste meu coração


Fui tua por algum tempo

nunca pensei que fosse assim

Eu, perdou tua traição

vem depressa para mim


Fui louca ao te amar

e por ti estou a sofrer

volta depressa por favor

senão por ti, irei morrer


de: fernando ramos

28-7-2005

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:55


87 MINHA VIAGEM

por Fernando Ramos, em 14.10.16

 MINHA VIAGEM


Mundo este em que vivo

brevemente o deixarei

se saudades dele irei ter

só depois saberei


Outro mundo irei encontrar

só Deus, me o ditará

Outra jornada de novo farei

Por essa altura logo se verá


Se para cá serenamente voltar

Deus me dirá como vai ser

Certamente que serei outro

Ele é o único que deve saber


Seja como seu carinho quiser

farei o que ele entender

Espero vir em época boa

para de novo aprender


Quando no outro mundo estiver

muitos por lá vou encontrar

será que serão alguns de vós

ou serei eu, só a lá estar


Não parece que vá estar sozinho

num mundo de céu novo que morar

Todos nós suavemente lá estaremos 

e de bem com tantos espero ficar


de: fernando ramos

28.7.2005 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:00


86 - O GUARDIÃO DA AURORA

por Fernando Ramos, em 13.10.16

 O GUARDIÃO DA AURORA

 

Sou o guardião da aurora

que cresce muito cedinho

espero por ela a noite fora

até chegar de mansinho


Ela vem ao fim das noites

nos acordares brilhantes

vem bonita e formosa

p´ra manhãs radiantes


E é, ao romper da aurora

que meu amor vou amar

Amamo-nos bem cedinho

para do dia desfrutar


Ao vê-la no horizonte

muito contente me deixa

aquela aurora diária

que meu rosto beija


Quando bondosa se aproxima

sinto a leve frescura

fico radiante por a ver

depois de noite escura


São tão lindas as auroras

banhando a vida de amor

O sol que vem com elas

traz raios de calor


De manhã rompem sempre

porque Deus assim o quis

quando chegam trazem beijos

e o mundo fica feliz


de: fernando ramos

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:54


1070 - RUA DO VICIO

por Fernando Ramos, em 13.10.16

1070.jpg

 

 

1070 - RUA DO VICIO

 

Estranho é este puro amor
Que não me deixa virar a esquina
Sem olhar tua sombra

 

Lá na teia dos enganos
Que te amassa e pisa
Tu a sobes e desces como
Fazendo parte desse lugar
Levando-te ao bordel da vida
Que nas madrugadas
Por suas portas entras
Acompanhada pelo estranho
Que te aborda
Na rua do pecado

 

E eu vejo esse quadro
E sofro, sofro perdidamente
Dum ciúme sem explicação

 

Frequentas as rua do bairro
E elas percorres na ânsia
De ganhares para saciares
O maldito vicio
Que vai consumindo tua dignidade

 

E eu aqui com pena de mim
Por teu sofrimento
Sim pena de mim...
Tu já não sabes o que é amar
E eu loucamente de coração partido
Vejo tua miséria desvairada p'la droga
Nossa miséria...

 

Teu vicio é uma cilada de mentiras
E meu deserto na paixão arrebatada
Que sofre nas labaredas de teu destino

Este é o teu fado, o meu também
Tudo em ti é meu sofrimento
Mas porquê meu Deus este sofrimento
Que vive no grito do medo
Caminhando por ruelas do bairro
Seguindo o teu futuro, a tua solidão
Perdoa-me amor, mas já não consigo
Ver-te perder no sofrimento
Já não suporto as tuas pegadas
P’la rua do vicio

     De: Fernando Ramos

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:09


85 - MUNDO MELHOR PARA TODOS

por Fernando Ramos, em 13.10.16

 MUNDO MELHOR PARA TODOS


 Senão perdermos a razão

 teremos o mundo na mão

 basta sermos solidários

 murmurando nas madrugadas

 P´lo amor aos outros no coração

Nosso mundo é importante

 mas o deles também o é

 e entre jardins de lirios brancos

 Respeitarmos uns aos outros

 especialmente a sua fé

 

 Porque isto da religião

 é um clamor de paz e amor

 e cada um de nós tem a sua

 Se a minha é importante

 é tal e qual, a tua

 Mundo bom poderemos ter

 se houver paz e amor

 Mas vamos lá todos perceber   

 que vivemos num mundo de dor

  

Mundo melhor é tão bom

 e que não seja só para mim

 Eu tenho direito a ele

 e penso o mesmo para ti

 

 Teremos Todos de entender

 para que haja harmonia

 e subindo a razão da alma

 nada há de melhor

 que um mundo de alegria

  

Vamos todos dar as mãos

 para este mundo melhorar

 começando por dar amor

 para a paz a gente abraçar

  Isto é fácil de dizer

 mas o pior é fazer

 Se fosse assim tão simples

 mudar o mundo era um prazer

   de: fernando ramos

27.7.2005

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:31


84 GENTIL

por Fernando Ramos, em 13.10.16

84 - GENTIL


Esse teu gentil sorriso

é alegria cintilante de meu olhar

e desperta-me desejos ocultos

no meu universo de amor

levando sentimentos

que por ti vão esvoaçar


Esse teu gentil olhar

mais parece cristais brilhantes

rolando por meus lábios

deixando beijos de amor

pedindo aromas delicados

que neles se perdem


Esse teu gentil beijar

são estrelas que alumiam

as noites do meu ser 

Sinto que é na tua beleza

onde me inspiro na poesia

para alegria do meu viver


Esse teu gentil namorar

é o pão que me alimenta

em noites sem fim

rendidas ao jogo da nossa

sedução que suavemente

nos deixam perdidamente amar          


de: fernando ramos

27.7.2005

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:33


83 - POLÍTICOS ENGANADORES

por Fernando Ramos, em 12.10.16

POLÍTICOS ENGANADORES

 

Os políticos enganadores

São quase todos doutores

Eles governam a Nação

E se julgam bons sabedores

 

Todos fazem belos discursos

Com promessas mais de mil

Pró povo conquistar

Neste País de Abril

 

E lá ganham as eleições

Com votos direitinhos a eles  

Grandes esperanças tem o povo 

Quando abraços recebem deles

 

Agora é que vai ser bom 

Isto vai tudo mudar 

Assim pensa o povinho

Esperando algo ganhar

 

Pouco depois é que são elas

E lá começa a batota

É o povo a ser enganado

Continuando com vida torta

 

Aos políticos cresce o nariz

A governarem para uns quantos

Que vão sendo sempre os mesmos

Acrescentando mais uns tantos

 

E o povo na sua sabedoria

Trama logo estas gentes 

Manda o voto para o lixo

E eles, não ficam contentes

   

O povo nos seus protestos

Chama-lhes nomes curiosos 

Vai de vigaristas para cima

Até cambada de mentirosos

 

Não há nada a fazer

Vivemos num mundo de ilusão

É sempre a mesma coisa

Diz o povinho, e com razão

 

Nós já estamos habituados

E as mesmas promessas vão começar

Para novas eleições

Com os políticos a divagar 

 

E muitos vão nisto

Numa autêntica roda viva

São os enganadores do costume 

Que pouco fazem p´la nossa vida

 

Aí estão eles seguramente

Com novos rumos prometendo

Ao coitado do zé povo

Que de "Camelo" vai fazendo

 

de: fernando ramos

26.7.2005 

 

  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:00


1069 - BEBER À FONTE DA SAUDADE

por Fernando Ramos, em 12.10.16

1069.jpg

 

1069 - BEBER À FONTE DA SAUDADE

 

Na rua velhinha de Alfama
Na tasca que já vendeu o pecado
Manuel, o dono pede em voz branda
Silencio porque se vai cantar o fado

 

A fadista castiça de voz doce
Que vai beber à fonte da saudade
Canta um fado que o coração trouxe
De lugares que são eternidade

 

Aquela tasca tantos deslumbra
Porque o ambiente assim o quer
Não perturbando de maneira alguma
A voz quente da graciosa mulher

 

A fadista seu corpo ajeita
Puxando o xaile para si
Canta um fado de desfeita
De um amor encontrado ali

 

Há algo mágico que atrai
Tanto povo à tasca antiga
Manuel diz: ninguém sai
Sem ouvirem o fado maravilha

 

E naquele aconchego de bem viver
Pede-se vinho, sopa e azeitonas
P´ra mesa de madeira, e pequena
Com toalha das cores do amazonas

 

E as guitarras vão trinando
P´ra felicidade dos amigos presentes
O dono da casa vai entregando
Iscas pedidas p’los clientes

 

Que bem se está por ali
O fado vadio faz o sentimento
Todos o cantam chamando a si
A emoção feliz do momento

 

Ali ri-se, bebe-se e come-se
Num ambiente bem consensual
A tristeza que vagueia some-se
Na voz da fadista tradicional

 De: Fernando Ramos

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:06


82 - AMÁLIA POEMAS PARA UMA DEUSA

por Fernando Ramos, em 12.10.16

82 (1).jpg

 

  AMÁLIA - POEMAS PARA UMA DEUSA

Com tua voz encantavas

os teus admiradores

Os poemas que cantavas

também cantam trovadores

 

Cantavas o fado com paixão

e o povo na rua te ouvia

Ninguém mais canta como tu

os fados da velha telefonia

 

Amália, és do povo

gritam tantos e com razão

Tu estás no Olimpo

e no povo, no coração

 

Eras uma fadista magnífica

todos nós isso sabemos

Ninguém mais te substituiu

dizem os fadistas serenos

 

Deixaste os teus amigos

numa tristeza de enlouquecer

a falta que lhes fazes

tu, bem no céu estás a ver

 

Amália, reza por eles

e dá-lhes todo o teu saber

Um dia, quando aí chegarem

com Deus os irás receber

 

Poetas escreveram poemas

para esta fadista de boa memória

Ninguém a vai esquecer

será sempre da nossa história

 

Poemas para uma Deusa

eu escrevo com muito amor

Neles deixo meu pobre saber

graças ao nosso criador

 

A Julia florista

cantas-te tu um dia

O povo jamais se esquece

dessa enorme alegria

 

Até breve amiga do povo

que todos rezam por ti

Um dia, ao se encontrarem

no céu será um festim

                   de: fernando ramos

25.7.2005 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:00


81 - AS CASAS DE ENCANTAR

por Fernando Ramos, em 12.10.16

 

81 - AS CASA DE ENCANTAR


As casas de encantar

estão na minha cidade

elas são tão bonitas

e dão muita felicidade


Quem lá mora, mora bem

e tem gosto em ali estar

as pessoas de lá não saem

algumas vão, até lá casar  


Muito sol, p´las janelas entra

de manhã até à tardinha

eu nelas vou estar sempre

desde a aurora à noitinha


O sol brilha lá tanto

e faz muito calor

Todos nós gostamos de estar

somos gentes de rostos de amor        


Bonitas casas, são

até é difícil não as amar

muita gente de paz quer lá viver

na bonaça das casas de encantar


de: fernando ramos 

25.7.2005

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:46


80 - CINQUENTA E CINCO

por Fernando Ramos, em 11.10.16

 

CINQUENTA E CINCO


Já fiz cinquenta e cinco anos

que poderia deixar-me de rastos

mas velho é que não sou

porque velhos são os trapos


Digam lá, óh jovens

se não gostavam de aqui chegar

hoje em dia é tão difícil

tantos anos juntar


Foram anos bem vividos

estes todos que passaram

com altos e baixos na vida

que de mim eles se cansaram


Todos nós, que aqui chegamos

muito temos para contar

precisamos é de saúde

para todos os males passar


Óh mundo estás tão perigoso

que a mim, já dás medo

é que os anos que já passei

deram para não morrer cedo

 

Vê lá, vamos a ter calma

para nós vivermos sem ais

Já que sem esbanjar cheguei,

deixa-me estar uns anos mais


A vida está difícil

e os anos já não são poucos

Mas já que aqui estou

os próximos que não sejam de loucos


Só peço saúde a Deus

e isso é que é importante

o resto logo se verá

porque a ter é gratificante


Cinquenta e cinco já fiz,

alguns mais me devem faltar

Seja o que Deus quiser,

eu quero é da família desfrutar


de: fernando ramos

22.6.2005


 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:21


79 - O MENINO RI

por Fernando Ramos, em 11.10.16

79 (3) (1).jpg

 

 O MENINO RI

 

O menino ri, no meio

de suas brincadeiras

Mas ri de quê?

Interroga-se sua mãe

que ternuramente vai olhando

para ele, enviando beijos

que voam nas asas de borboletas

direitas a seu rosto

O menino que estava rindo 

deixa de brincar 

e corre para o seu colo

beijando-a como retribuindo 

aqueles doces mimos 

O menino volta a rir

por sua mãe o embalar

sorrindo ela de felicidade

para o seu menino que ri

 

de: fernando ramos

25.7.2005 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:49


1068 - MORREU UM HOMEM VELHO

por Fernando Ramos, em 11.10.16

1068.jpg

 

1068 - MORREU UM HOMEM VELHO

 

Hoje morreu um homem velho
Um homem como tu, como eu
Só que ele morreu
Morreu só
Todos se afastaram
Só porque era velho
Vê o que nos vai acontecer
Meu amigo
Vai-nos acontecer o mais triste
Da nossa existência, a SOLIDÃO
O mundo não está preparado
Para acabar com este triste final
Hoje morreu um homem velho
E o mundo pouco se importa
O mundo corre, corre loucamente
Para que cada vez se morra mais só
Mas correr para quê?
Para a morte, que é mais que certa
Calma amigo
Hoje morreu um homem velho
Mas amanhã...
Nesta correria desenfreada
Irás ouvir dizer nessa altura
Que hoje não morreu um homem velho
Por ser só velho
Irás ouvir dizer que hoje morreu
Um homem novo
Só, triste, injustiçado e abandonado
Porque neste mundo também corria
Não se sabendo bem para quê!

 

De: Fernando Ramos

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:02


78 - OS AMIGOS

por Fernando Ramos, em 11.10.16

78 (1).jpg

 

 OS AMIGOS


Amizade quando aparece

Vem em luz muito bela

sabe bem tê-la connosco

não se vá precisar dela


Quando nós precisamos

com o amigo vamos ter

às vezes até acontece

ele não nos poder receber 


Mas depois lá aparece ele

sempre pronto ajudar

nós contente ficamos

p´la preciosa forma de estar 

 

Os amigos são para as ocasiões

sempre ouvi o povo dizer

mas para este novo amigo

as ocasiões são um prazer


É sempre bom ter alguns amigos

às vezes até os deixamos de ver

mas quando é preciso

lá estão prontos p´ra aparecer


Destes amigos assim 

todos nós devíamos ter

é sempre bom contar com eles

se algo de mal nos acontecer 


de: fernando ramos

24.7.2005 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:27


77 - OS INCENDIOS

por Fernando Ramos, em 10.10.16

 

77 (1).jpg

 

77 - OS INCENDIOS

 

 Vem o fogo traiçoeiro

alguns bens roubar

Tantos olham com indignação

para as labaredas

que se vão espalhar

 

É uma impotência total

ver a mata arder

Ninguém põe os incendiários

na ordem, e ainda comentam

"nada mais há a fazer"

Diz-se que é fogo posto

e está difícil apanhar alguém

O incendiário sempre escapa

e outros fogos vai atear

 

As populações gritam bem alto

por justiça que está a tardar

Depois será a desgraça, porque

um dia alguém vai aparecer

na fogueira que andou atear

Depois virão por aí dizer

que esta justiça 

não se deve aceitar

levando o povo a desconfiar

em quem se deve acreditar 

 

Não é uma justiça correcta

todos nós sabemos isso

Mas o incendiário pela certa

estava a pedir tal juizo 

e foi chamuscado como chouriço

Até pode servir de lição

para muitos que por aí andam

E tão cansado anda o povo 

Que já não mais aguenta

a inércia dos que mandam

 

de: fernando ramos
24.7.2005

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:50


1067 - MINHA BELA DAMA

por Fernando Ramos, em 10.10.16

 

1067.jpg

 

1067 - MINHA BELA DAMA
 

Airosa e tão formosa é minha Dama
Que desfruto no nosso leito de amor
Dessa ternura meu coração emana
Chamas límpidas e puras de esplendor

 

Bela Dama é toda a minha vida
É um fruto tão rico de sabor
Se a perco, esta paixão é destruída
Bem como a semente de seu calor

 

Seu corpo em meu olhar é poema
Para minha mente repleta de desejos
Que se aconchega em sua pele morena

 

Quando acaricio seus belos seios
Que a poesia tão bem descreve
P’ra Dama que é meu verso breve

 

De: Fernando Ramos

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:08


76 - A PONTE

por Fernando Ramos, em 10.10.16

 

76 (1).jpg

 

  • A PONTE
  • A ponte do nosso rio
  • todos temos de atravessar
  • vamos ter algum cuidado
  • para nela não tropeçar
  • A pé eu atravesso
  • se tiver algum tempo
  • pressa não posso ter
  • É que depois não aguento
  • Nesta ponte onde vou
  • onde há muita aragem,
  • grande pressa tenho eu
  • de chegar à outra margem
  • Minha ponte bonita és
  • e que vais de um lado ao outro,
  • da janela eu te vejo
  • nesta linda cidade do Porto
  • Minha vida é como a ponte
  • que nela caminharei
  • Atenção terei de ter
  • se não, nela me perderei
  • de: fernando ramos
    22.7.2005
  •  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:49


75 - O BARCO VELHO

por Fernando Ramos, em 10.10.16

 

75 (2) (1).jpg

 

 

75 - O BARCO VELHO

 

 Sou marinheiro 

de um barco velho

e tenho aquilo

que sou

Mas não aparento

aquilo que tenho

porque um dia 

este marinheiro

pró mar fundo e largo

zarpou

 

Nele, 

vou por oceanos navegando

na boa esperança 

de bom porto encontrar

Sou um marinheiro velho

tão velho, como este barco

que a bom lugar me irá levar

Cansado, saudades tenho

de alguém que no cais deixei ficar

 

Navegando por bom mar

o farol eu vou encontrar 

Lá meu amor lá me espera 

com alegria de eu chegar

e levando aquilo que sou

 

E este barco velho

tão velho como

o marinheiro que sou

num dia quando arraiar

O farol desse porto 

ele vai encontrar 

E então quando chegar 

meu barco vai atracar

e pró meu amor

serei, o marinheiro que so

 

de: fernando ramos
23.7.2005

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:46


74 - ERICEIRA

por Fernando Ramos, em 09.10.16

 

 

74 (2) (1).jpg

 

ERICEIRA

 

 Na linda  Vila da Ericeira 

de muito sol e mar

há pessoas muito simpáticas

que sua vida é pescar 

 

Gente simples e honesta

que na Ericeira vivem 

tem os turistas como amigos

que aquela terra vão comer

 

E lá, se volta sempre

quando a vontade aparece

é sempre bom por ali andar

a locais que agente conhece

 

Alguns turistas, à praia vão

nesse paraiso de muito mar

muitos tomam o seu banho

e depois, por lá vão passear

 

Muita gente lá vai

aos Domingos almoçar

e na volta p'ra suas casas

uns pãezinhos vão comprar

 

Quando da Ericeira saírem

ao Sobreiro vão passar

entram na loja do João Franco

p'ra suas artes visitar

 

E a caminho de Lisboa

na Malveira acabam por parar

visitam alguns cafés

p'ra algumas trouxas degusta

 

De fernando ramos
20.7.2005

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:44


1066 - O MUNDO É DA LUA

por Fernando Ramos, em 09.10.16

1066.jpg

 

1066 - O MUNDO É DA LUA

 

Os olhos do mundo à Lua estão presos
Onde bem alto habita, e nos vigia
Até um casal de passarinhos travessos
Na noite quente com seu luar se guia

 

Entre estrelas a Lua se sente abrigada
Das noites escuras como breu
E aos raios do dia se mostra grata
Ao sol que a protege, como filho seu

 

Tantos olhos fitam a generosa Lua
Que vai girando pelo firmamento
Uma guitarra chora, chora tristeza sua
Num poema à noite sem atrevimento

 

O olhar do mundo à lua não resiste
Da vigilância buliçosa e constante
Sua curiosidade até a deixa triste
Por ver na terra a felicidade distante

 

Lua cristalina seu luar jamais cansa
Às vidas de povos que padecem de fome
Ela é eterna, e a fonte de esperança
Na bela Terra que à milénios se consome

 

De: Fernando Ramos

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:25


73 - SEU CASTIGO

por Fernando Ramos, em 09.10.16

 

73 (1).jpg

 

 

MEU CASTIGO

 

Ser mulher de má vida

é um destino traçado

Deus assim o quis

que vivesse em pecado

 

Esta vida de mil perigos

a tantas, ela foi dada

não merecem tal castigo

De tal vida desgraçada

 

Só Deus sabe porque merecem

esta triste má sorte

Fazer mulher da vida

até à sua hora da morte

 

Nasceram na podridão 

e que culpa elas tem

A vida para lá as levou

que infeliz castigo seu

 

É uma maldição muito grande

nas suas vidas tão curtas

que mal fizeram a Deus

para terem vidas de lutas

 

Desde muito novas

levam má vida sem razão

Por todos os seus pecados

a Deus pedem perdão

 

de: fernando ramos
22.7.2005

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:39


72 - FADISTAS DA MINHA JUVENTUDE E DE AGORA

por Fernando Ramos, em 09.10.16

72 (1).jpg

 

 FADISTAS DA MINHA JUVENTUDE E DE AGORA

Fadistas de antigamente,
que bem que eles cantavam
Há, alguns que eu mais gosto
e outros, que menos encantavam
Para vos dizer a verdade
era pouco apreciador de fados
Mas sempre me habituei a ouvi-los
nos meus recantos pedaços
E nas tabernas bem antigas
cantava-se e bebia-se vinho
Os fados que menos gostava
eram os de traição e choradinho
Meu pai dos fados, era um fã
que na rádio, todos dias se tocavam
Daí que conheço alguns fadistas
e do jeito que tão bem cantavam
Eles eram o Fernando Farinha,
o Armandinho e o Marceneiro 
O Carlos Ramos, que era sublime
e o Tony que não era o primeiro
E havia a Cecília do Carmo
a Berta, a Ercília e a Maria Alice
E outras que já não me lembro
que hoje ouvi-las, ainda é a doidice 
Nas rádios, os fados se ouviam
e o povo cantarolava
e houve um imortalizado
"Quando o Hilário Cantava"
Também havia o Bettencourt
que era lá do Funchal
que, com o Torga escreviam 
bonitos fados de Portugal
Da Madeira ele era 
mas em Coimbra se instalou
Cantava, e escrevia bem
até que o Zeca o cantou
Dizem que Amália era a maior
e por isso lhe chamam a Diva
Eu gostava muito da Hermínia Silva
que pena, que já não seja viva
Ela falava no Pacheco
em tons de brincadeira,
como eu adorava ouvi-la
para mim era a primeira
Na casa de fado da Hermínia 
comia-se azeitonas e pão seco
bebia-se um bom vinho 
e ela começava com: "Anda Pacheco"
Também se falava na Severa
mas essa eu nunca ouvi
Diziam que era a Rainha,
mas a Hermínia, é que eu vi
Não esquecendo o Fernando Maurício
que era bastante afamado
Dizem que, era amigo de todos
e que bem ele cantava o fado
Temos aí outra fadista
que canta até que a voz lhe doa
é a Maria da Fé
que encanta as noites de Lisboa
E o nosso Carlos do Carmo
fadista de eleição
Com ele, todos devem aprender
a beber a nossa canção
É o grande Mestre
de todos fadistas de agora
Carlos do Carmo, vai fazer parte
da janela da elite de outrora

Hoje também há bons fadistas
a Mafalfa, Camané, Marisa, e outros mais 
Os antigos eram muito bons
mas todos são, fadistas fatais

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:56


71 - O INCENDIÁRIO

por Fernando Ramos, em 08.10.16

71 (2) (1).jpg

 

O INCENDIÁRIO
 
O que leva o incendiário
a cometer tão grande desgraça,
ver a mata arder
podem crer que não tem graça
Estes fogos malditos
que aparecem aqui, e al
São por causa dos incendiários
que vegetam por aí
É preciso uma grande loucura
e tamanha desfaçatez
Queimar a Natureza
que para todos, Deus fez
Os incendiários são loucos
por as matas atearem,
mas vejam lá se a loucura
lhes dá, para nelas se queimarem
Aos bombeiros, nossos heróis
os loucos não os deixam descansar
Todos os anos é a mesma sina
muitos fogos têm de apagar
As pessoas, tanto choram 
por ver seus bens arder
no fogo perdem tudo
nada lhes resta para comer
Vejam lá se acabam os fogos
grita o povo e com razão
Justiça do nosso país
metam os incendiários na prisão
As labaredas malditas,
que tudo vai queimar
Deus ajude os Bombeiros
os fogos apagar
 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:53


70 - A SITUAÇÃO VAI PIORAR

por Fernando Ramos, em 08.10.16

70 (1).jpg

 

 A SITUAÇÃO VAI PIORAR

A situação vai piorar
diz o povo sem agressão
andam por aí a brincar
com esta linda Nação
A situação vai piorar
gritamos todos na rua
já ninguém se entende
anda tudo é na lua
A situação vai piorar
informam órgãos de informação
eles raramente se enganam
quase sempre têm razão
A situação vai piorar
digo eu, e dizes tu
vamos lá tentar resolver
este problema bem comum
A situação vai piorar
nesta terra pessimista
já ninguém acredita
na mudança capitalista
A situação vai piorar
e o petróleo aumentar
vamos p´rás novas energias
ou o mundo vai acabar
A situação vai piorar
e já não é de agora
como toda a gente sabe
é o mesmo lá fora
A situação vai piorar
já diziam os nossos avós
os problemas são os mesmos
só que agora somos nós
A situação vai piorar,
esperemos pela melhora
há que ter esperança
senão a vida só piora
A situação vai piorar,
eu começo a achar que não
isto já está tão mal
agora era só tirar o pão

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:53


1065 - AMIGOS PUROS

por Fernando Ramos, em 08.10.16

 

1065.jpg

 

1065 - AMIGOS PUROS

 

Tive amigos que já foram puros
Não se vendiam por qualquer dinheiro
Hoje não são amigos, nem seguros
Escolheram a ilusão por companheiro

 

Andam por aí com ousadia
Num meio que se diz de bem
Corrompem-se por covardia
Ao vil metal, sua mãe

 

São cães de fila de rebanhos
De outros tais de muito tostão
Cometem crimes de tamanhos
Porque cega é, sua ambição

 

Já há tão poucos amigos puros
Que nos valem na caminhada
Perdem-se no meio dos impuros
Vivem na mentira descarada

 

Era tão rico com amigos puros
Hoje por eles estou envergonhado
Seus futuros são tão inseguros
São soldados de caracter confiscado

 

Moram na feira de vaidades
Sua honra vive empobrecida
Não habitam no seio das verdades
São a esperteza bem esclarecida

 

Sorriem no meio da tristeza
Como os olho com desdém
Vivem sós com sua baixeza
E eu na honestidade fico bem

 

Mas o que lhes aconteceu
Pergunto na minha ignorância
Foi o diabo que lhes prometeu
Amigos fáceis de abastança

 

Amizade é um rico dom
Ganha na subtil pureza
Ter amigos é de bom tom
Os verdadeiros são fortaleza

De: Fernando Ramos

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:29


69 - A ESQUINA DO MEDO

por Fernando Ramos, em 08.10.16

69 (1).jpg

 

69 - A ESQUINA DO MEDO


Maria, era o nome da prostituta 
que frequentava aquela esquina 
Do medo como era conhecida
Exibia suas longas pernas 
a todos que passavam por lá 
na esperança que um cliente a salvasse 
daquela noite, para que seu chulo 
lhe desse a dose de heroína 
e não lhe batesse como era seu hábito 
sempre que ela não fazia dinheiro 
na esquina do medo
Maria vivia na vergonha das cicatrizes 
de seu rosto e por isso as tentava disfarçar, 
elas eram as marcas da desgraça 
devido às tareias que seu homem lhe dava 
Mas ela mesmo assim o amava apesar de tudo, 
e comentava com as amigas de destino: 
Que triste é ser puta e gostar 
de um homem como o meu, 
que triste sorte de ter que voltar 
para esta vida todas as noites
Maria lamentava-se, mas não conseguia 
dizer adeus à perversidade que carregava, 
nem a quem a mal tratava 
Também não conseguia procurar 
outros caminhos menos penosos 
devido ao vicio que seu corpo andava mergulhado 
Até que um dia Maria, cansada da má sorte 
resolveu parar seu destino 
E numa dose fatal de heroína para ela 
tudo tinha terminado 
Suas bonitas e longas pernas 
deixaram de ser vistas naquela esquina do medo


      de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:05


68 - MEU CANTO

por Fernando Ramos, em 07.10.16

68 (1) (1).jpg

 

MEU CANTO

Canto a minha liberdade
em poemas de paz e amor
inspirados por poetas
que encorajam meu fervor
Canto à saudade vivida
de tempos atrás passados
Onde lembranças gravaram 
Todos os meus pecados

Canto à natureza
que me dá alento p'ra viver
Sabendo que ela um dia
me irá deixar morrer
Canto ao meu destino
porque ele me faz amar
Quem na minha vida
segue o meu cantar
Canto à alegria
que vai por meu peito,
ela me deixa exuberante 
Com a paixão que me deito
de: fernando ramos 
20.07.2005

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:39


1064 - ARTESÃO

por Fernando Ramos, em 07.10.16

 

1064.jpg

 

1064 - ARTESÃO

 

Escrevo p´ra ti com sentimentos de ternura

Palavras que levam vida, amor e liberdade

Sou apenas um artesão das palavras

Que voam nas asas do pensamento

E cada uma delas pode ser uma epopeia

De belas insinuações

Que deixo em meu tempo breve e maravilhoso

O doce sabor de escrever meus poemas

Que não os escondo na emoção

Das lágrimas de tristeza ou de felicidade

Ou no silêncio dum tempo colorido de flores

Ou na imensidão da terra de ninguém

Eu sou assim, apenas um artesão

No meu oásis de imaginação

Que não ousa despertar as estrelas

Que brilham de poesia p´ra mim e p´ra ti

 

de: Fernando Ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:54


67 - VAMOS MUDAR O MUNDO

por Fernando Ramos, em 07.10.16

 

67 (1).jpg

 

 VAMOS MUDAR O MUNDO

 

Mudar o mundo é difícil
mas alguém tem de o fazer,
neste deserto de ideias
um dia tem de acontecer
É preciso tudo mudar
porque assim não se vai lá,
se lá longe não se entendem
o mesmo acontece cá

Ó mundo, vê lá se paras
com estas guerras atroz,
a natureza esta a mudar
e quem sofre somos nós
Vê mundo p´ra onde vais
com o comércio global
Os países mais pequenos
precisam de apoio total
Que achas tu mundo
das desgraças que por aí vão,
muita fome e muita guerra
como nas terras do Sudão
Houve lá as minhas preces
que as faço com fervor,
eu só peço ao meu Anjo
paz no mundo, e muito amor
Dá um sorriso mundo,
nem tudo são más esperanças
também temos coisas boas
como a gargalhada das crianças
 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:53


66 - A NOITE DOS SÁBIOS

por Fernando Ramos, em 07.10.16

 

66 (1).jpg

 


 A NOITE DOS SÁBIOS

Hoje é a noite de todos os sábios, 

daqueles que tudo sabem
Como: 
Construir, destruir, conservar 
e até criar amores, e desamores, 
e quem sabe... Acabar com a guerra

Hoje é a noite dos saberes do aprender, 

da ilusão e também da desilusão, 
da gargalhada feliz e da lágrima rolante

Hoje é a noite, 

em que os sábios nos vão dizer 
porque é que a terra é redonda, 
e o sol não é a luz da vida

Hoje é a noite de soltarem as loucuras, 

a poesia, os cantos de Camões 
e os sábios também
Esta noite chove prata 
e vai ser inesquecível, 
é a noite das noites, 
porque os sábios, vão andar por aí...

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:32


1063 - MEU SORRISO

por Fernando Ramos, em 06.10.16

 

1063.jpg

 

 1063 MEU SORRISO

 

Tenho de amar mais
Viver mais, e mais saber
Olhar todas as auroras brutais
Ver a felicidade do sol nascer

 

Sou eu, sou eu, sou eu
Que sonho com o mundo em paz
Ambiciono a paixão do Romeu
E amar com seu romantismo, ser capaz

 

Na vida devo brincar mais
Com sua melodia que me rodeia
Oferecer muito aos outros iguais
E à natureza que me incendeia

 

Sei que o destino me vai proteger
Fazendo que me importe menos
Com algumas pedras que vão aparecer
Em problemas simples e pequenos

 

Sou eu, sou eu, sou eu
Que sonho com o mundo em paz
Ambiciono a paixão do Romeu
E amar com seu romantismo, ser capaz

 

Quero a liberdade de fazer
Da vida um lindo paraíso
Apenas a solidão preciso vencer
Distribuindo por aí, meu sorriso

 

De: Fernando Ramos

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:21


65 - O TACHO

por Fernando Ramos, em 06.10.16

65 (1).jpg

 

 O TACHO
O tacho serve para tudo
Também para cozinhar
Dele, alguns se vão aproveitar
Para sua vida engordar
O tacho, até dá empregos
A muita gente incompetente
Que se aproveitam de lugares
Com estatuto permanente
Quem paga a estes senhores
É sempre o Zé povinho
E eles só lá estão a ganhar
O nosso rico dinheirinho
Contem lá senhores Políticos
Esta história engraçada
De salários com as reformas
Que dá grande caldeirada
Hoje há tachos para tudo
Desde que se ganhe algum
Bons lugares para Presidentes
Que não são para qualquer um
O tacho, é coisa boa
Que veio para ficar
Ele nunca se irá embora
Nem os políticos iriam deixar
E quem paga estes tachos
Digam lá meus senhores
Se o povo não tem razão
De estar farto de tais doutores

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:47


64 - LEMBRAR

por Fernando Ramos, em 06.10.16

64 (1).jpg

 

64 LEMBRAR


Deixa-me lembrar
Os beijos que ficaram Por dar
Dos sonhos que tivemos
E do que não conseguimos Falar
Deixa-me lembrar
Das noites que passaram
Em que nossos corpos
Colados ficavam Suspirando de amor
Deixa-me lembrar
Da tua longa ausência
Que me trazem noites
Cheias de nada
Deixa-me lembrar
Dos sonhos Que não se realizaram
Porque a vida assim deseja
Deixa-me lembrar
Do tempo que espero, e desespero
Por saber Que já não vens mais
Deixa-me lembrar
Da tristeza, Que se passeia
Por meu coração
Só por não estares
Deixa-me lembrar
Da janela aberta
De teus olhos que hoje
Só olhariam pedaços de mim
Deixa-me lembrar
Dos bons momentos que tivemos
Desses... Jamais irei esquecer
Meu amor

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:12


63 - FALAR DE LISBOA

por Fernando Ramos, em 05.10.16

 

63 (1).jpg

 

 FALAR DE LISBOA


Falar de ti ó cidade
é sempre muito agradável
tanta coisa para dizer
da Lisboa de liberdade

Cidade de altos e baixos
sete colinas, ela tem
Jardins, praças e Museus
existem, nela também

E o parque das Nações
Junto ao rio da Cidade
é a parte nova de Lisboa
que nos enche de felicidade

Belas Ruas e avenidas, há
de Alvalade a Belém,
E temos o Oceanário
que é muito bonito também

Passeando pela cidade
alguns jardins encontramos
Um Campo Grande muito verdinho
para os lados de Entre-Campos

E a nossa Baixa antiga
há lá uma zona bem bonita
é a Praça da Figueira
onde o Castelo se avista

Lisboa é conhecida
pelos seus raios solares
mas o que a faz tão alegre
são os seus belos cantares

Os eléctricos amarelos
são transportes de Lisboa
os turistas viajam neles
que dizem ser coisa boa

Esta cidade de Marinheiros
é das mais bonitas do mundo
tem um povo muito simpático
e o rio Tejo bem ao fundo

E na Lisboa antiga
o fado é às desgarradas
o povo anda na rua
e os turistas nas noitadas

E nos Santos populares
quem vai nas marchas muito sua
é o povo que vai nelas
com as suas cantigas da rua

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:47


1062 - LÁGRIMAS DA NATUREZA

por Fernando Ramos, em 05.10.16

1062.jpg

 

1062 - LÁGRIMAS DA NATUREZA

 

A natureza grita, grita zangada

Em prantos, chora por tristeza
A vida humana para si sagrada
Consome a maravilhosa beleza

 

Suas nascentes estão secando
A floresta some-se ardendo sem parar
Num mar de socorro se vai agitando
Porque o homem com ela quer acabar
A Terra gira sob o sol escaldante
Criando brasas, consumindo água
Tornando a vida num inferno de Dante
Sobrevivendo apenas a dor e mágoa

 

Ó brutal inconsciência desmedida
Tanto mal tu estás a fazer
Deixas a nossa terra destruída
Na tua ganância de enriquecer
Retiras deste paraíso de mais
E suas entranhas sacodes
Vulcões gemem em tantos ais
Com tua ambição os explodes

 

O Ambiente está sofrendo
Por tanta maldade cruel
O Deserto seu caminho vai fazendo
Perdendo a vida humana seu mel
A Natureza clama, grita e soluça
Tu não a ouves, nem dás teu olhar
Estás a torna-la fraca e tão confusa
E talvez a perderes seu amar

 

Neste clima feio e descontrolado
Onde todos estamos a viver
O planeta vai girando revoltado
E a vida humana a se perder
As lágrimas da natureza são a insensatez
De tão horrenda tristeza humana
Que vai mergulhando em sua estupidez
No meio da ambição que não engana

 

Secam lagos, cascatas e rios
E até mares outrora conquistados
Surgem furacões destruidores e frios
É a mãe natureza morrendo aos pedaços
Desaparecem Aves, peixes e a flora
Entre calores e frios nunca imaginados
A criança assiste e por tudo isto chora
Ao colo da mãe de olhos envergonhados

 

Ela clama para a não vêr mais sofrer
Exigindo que pare tanta ignorância
Surgirá o dia onde tudo se irá perder
Não restando mais fé, e a esperança

 

De: Fernando Ramos

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:23


62 - HÁ PROSAS

por Fernando Ramos, em 05.10.16

 

62 (1).jpg

 

HÁ PROSAS


Há prosas que falam de amor
Há Prosas que falam do céu
Há prosas que falam das cidades
Há prosas que falam dos rios
Há prosas que falam de crianças
Há prosas que falam das estrelas
Há prosas que falam dos animais
Há prosas que falam dos livros
Há prosas que falam da guerra
Há prosas que falam da paz

Mas para mim, boas prosas são,
as que falam de ti, mulher

Há prosas que falam de ti
Há prosas que falam de teu corpo
Há prosas que falam de teus lábios
Há prosas que falam de teus olhos
Há prosas que falam de teus cabelos
Há prosas...

Mas as melhores prosas são,
as que falam do nosso amor

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:40


61 - MÁ VIDA

por Fernando Ramos, em 05.10.16

61 (1).jpg

 

MÁ VIDA

Passear em certas ruas
da minha cidade à noite
é por vezes uma aventura
Encontramos sombras,
as sombras do medo
E mulheres de má vida 
vagueiam por aí
no meio da silenciosa sombra
em algumas esquinas,
a quem a sociedade 
displicentemente 
chama de local das "putas"
Elas que vão andando 
por lá, em zonas
mais ou menos escuras
onde muito poucos
talvez enfrentando
o tal medo, aí passam
Os bares de alterne 
que há em alguns locais
tem mulheres e homens 
que são empregados,
ou mesmo proprietários,
que à porta vão convidando 
quem passa, a penetrarem 
nos seus antros mais recônditos
Lá dentro, prostitutas
de pernas sinuosas vão mostrando 
seu corpo, esperando por um
cliente de última hora, que
teima em não entrar
Algumas delas, vê-se pelos seus
olhares, o medo que as cerca
pela presença, por perto de
seus chulos, que se dizem 
protectores, mas mais
não fazem do que explorá-las
Não tendo algumas, qualquer
meio de abandonarem essa vida
por se encontrarem ‘agarradas’ 
Umas por dificuldades económicas
outras mesmo, à droga que as
vai matando pouco, a pouco
mantendo-as como preciosas
companheiras das sombras 
do seu mau destino
Pobre sociedade esta 
onde vivemos, 
que não protege seus filhos, 
e os obriga a vidas,
que muito poucos entendem
ou não querem entender
      de: Fernando Ramos


Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:54


60 - AMOR NO ESQUECIMENTO

por Fernando Ramos, em 04.10.16

60 (1).jpg

 

 AMOR NO ESQUECIMENTO


Enviei pró esquecimento o amor
que sentia por ti
não sei se será por pouco tempo
ou não será, tão breve assim
Quero fugir deste braseiro
que consome meu peito
e não o tenho conseguido
Já enviei o amor desfeito
para um lugar de esquecimento
Minha paixão não pode ser de nada,
tem de ser de tudo
por isso coloquei lá este meu pobre amor
Não posso ser só eu amar
guardando a tua imagem em meu ser,
que sofre pela tua indiferença
A ti pouco importa meu desespero
e eu não posso mais
e enviei este amor para o esquecimento
Talvez não seja seu local exacto
mas tenho de te esquecer
Não faz mais sentido
sofrer tanto assim

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:15


1061 - QUE IMPORTA É SABER

por Fernando Ramos, em 04.10.16

1061.jpg

 

1061 - QUE IMPORTA É SABER

 

O que importa é ser artista
Seja da pedra, ou do que for
Das letras, do canto, do Desporto
Da arte seja ela fado ou lirica
Da musica, do teatro ou do cinema

 

O que importa é esse conforto
Artista, é ser mais, é ser alguém
Neste mundo de pressão, e egoísmo
E de espiritualidade, também
Sem códigos nem racismo

 

Que importa ser escultor
Cinzelar modelos na pedra fria
Ser poeta, escrever de alma
Os momentos do passado
Do presente e do futuro
E escrever, e rescrever
O amor, sempre o amor

 

O que importa, é saber e aprender
Passar o conhecimento
Através da historia
O que importa é ser artista
E dar-se ao acontecimento
Ser operário da arte
Dar o seu melhor com elegância
E com os outros reparte

 

Ser artista, é ser homem ou mulher
De todas as cores, e feitios
De todo o mundo, e crenças
Viver sem preconceitos
E saber dar, dar a outros o talento

O que importa, é gravarem
O seu saber, dum passado
Com futuro

 

de: Fernando Ramos

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:40


59 - POBRE POVO

por Fernando Ramos, em 04.10.16

59 (1).jpg

 

POBRE POVO

 

Neste pobre país

aconsciência moral 
parece estar afastada
daqueles que têm obrigações
perante quem os elegeu
A corrupção em determinados
sectores da sociedade
vai acontecendo
Em que políticos, ou pessoas
sem vínculo político
mas ligadas a diversas actividades
de grandes responsabilidades
se passeiam por cidades 
aldeias e vilas
como de heróis, se tratassem
Alguns, têm a justiça há volta deles
com processo onde são arguidos
mas a justiça mal funciona por 
causa de uma máquina pesada
e mantida por outros políticos
incompetentes, e se calhar por 
interesses diversos
Os julgamentos levam anos 
a fazer-se, e com isso
permitindo-se tudo, ou quase tudo
Temos casos de alguns desses 
políticos Autarcas, se darem ao luxo
de voltarem a concorrer 
Para os mesmos lugares
Onde desviaram dinheiros públicos 
para proveito próprio
Políticos sem vergonha 
que voltam a enganar o povo 
pedindo o seu voto
com promessas de benesses
que quase sempre
não são cumpridas 
E se forem terão sempre
algum interesse pessoal
Povo ingénuo
Que se deixa enganar
por 'trinta dinheiros' e volta
a votar nestes 'figurões'
e por vezes elegendo-os 
para lugares importantes
Pobre país este
para onde vais
com um povo assim!

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:57


58 - PENSAMENTO OCULTO

por Fernando Ramos, em 04.10.16

58 (1).jpg

 

PENSAMENTO OCULTO
 
Tenho pensamentos 
que andam 
à muito ocultos
Agora estão surgindo
em minha mente
E vejo-te, como há muito
não acontecia
Tudo me parece um fardo
que carreguei tempo de mais
pela ânsia de não te sentir
ou não te ver
Passou demasiado tempo
que tua imagem não aparecia 
E sem saber de teu espírito
que por mim antes esvoaçava
Tive de dar como perdido e deixar ir
para um local de esquecimento.
E por teres ido para o lado
oculto de meu ser
talvez a mágoa, 
também tenha ido
Ainda por vezes, 
meus pensamentos me atraiçoam
e tu apareces como hoje
Mas é bom esta tua
fugaz presença, 
e eu, fico surpreendido
por ainda te amar

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:18


1060 - NOITES DE AFAGOS

por Fernando Ramos, em 03.10.16

 

1060.jpg

 

1060 - NOITES DE AFAGOS

 

Um feliz e denso mistério 

Rodeado de espesso sossego
Leva-me ao jardim
Dos meus passeios costumeiros
Lá vou recordando anos
De tanto passado
E dos olhares gulosos
Da própria juventude

 

Em meus subterrâneos pensamentos
Vejo cada ano, cada década
Que pelo meu hoje fraco corpo
Paulatinamente passaram
Já os escrevi e rescrevi como contos
Vividos não há assim tanto tempo
Dentro da liberdade possível
Mas de amor cegamente interiorizado

 

E vem-me à memória
A rapariga que conheci
Hoje a mulher que me acompanha
Neste cansaço da vida
E lembro as calmas noites de afagos
Noites de intensa paixão
As noites das chamas que nos levavam
Ás labaredas da loucura
Como hoje refastelado na idade
Lembro todos esses tempos
Que me vão acompanhar até à partida
Para o meu infinito
E não choro por esses momentos
por andarem perto do final
Mas dou um sorriso feliz
Um sorriso bem maroto
Por eles terem existido

 

Como bom tem sido
Todo este caminho toda esta vida
Como bom é ainda hoje
Em meu pensamento correr
Esses momento ternos de felicidade
Como bom é ainda puder lembrar
A soberania de seu olhar
E a doçura cheia de graça
De seu sorriso que continua
A ser meu desejo e ternura
E um farol no meu horizonte

 

De. Fernando Ramos

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:50


57 - A VIDA

por Fernando Ramos, em 03.10.16

 

57 (1).jpg

 

57 - A VIDA


No fim de tantos desafios
e também de alguns disparates
que vamos fazendo pela vida fora
Finalmente percebemos a grande lição!
A vida só pode ter beleza e amor,
quando atingimos o ponto
em que amamos tanto os outros
como a nós próprios
Assim conseguiremos colocar
o sofrimento num velho baú lá de casa,
e continuar nosso caminho
Com isso conseguiremos olhar
a vida, e os outros de frente,
sem grandes medos, e velhos preconceitos
Como a indiferença o egoísmo,
e o racismo que ainda existem
na nossa sociedade que se diz globalizada
e que não é mais, do que fechada em si própria
Temos sempre de ter força e ir à luta,
na certeza que solidários uns com os outros
poderemos vencer E com isso viver cada dia
da nossa vida com mais liberdade,
como se do último dia tratasse
Temos de dar atenção a todos os pormenores
que nos rodeiam, e perceber o encanto
que tem as pequenas coisas,
que sempre julgámos menos importantes,
e que a natureza generosamente nos vai oferecendo
Como as pessoas, o mar os animais,
o amor e sempre o amor pelos outros também

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:28


56 - CORAÇÃO SEM AMOR

por Fernando Ramos, em 03.10.16

56 (1).jpg

 

CORAÇAO SEM AMOR
Vou domar o meu amor
De coração sereno e contido
Sem deixar que ele sofra
No teu mundo perdido
E como então, acalmá-lo
Com teu amor de pouco ardor
Se tu por ele não sentes
A mesma poesia de amor
Canto poemas para ti
Parece-me que de nada serve
Meu coração te ama de mais
E só ele, só ele é que perde
Poemas de amor eu escrevo
Para teu coração acordar
O meu não quer ficar só
E precisa do teu p'ra amar

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:41


55 - O MEDO

por Fernando Ramos, em 03.10.16

55 (1).jpg

 

55 - O MEDO


Andamos a ser dominados pela violência,
que traz terror, infelicidade e desconfiança
Ela persegue a humanidade
com a sua actuação rápida e traiçoeira,
em locais que não se espera
Onde terroristas bastardos
tudo destroem sem dó
Parece que o medo está a ganhar
e tem tudo para continuar na vingança,
na morte e destruição
Ele segue o caminho onde a paz
é podre e impossível
Os povos não estão seguros
temos de enfrentar este receio
que nos enlouquece, persegue-nos, e mata
O medo não pode chegar
de forma alguma em primeiro nós
não podemos deixar que ele nos vença
Temos de ser fortes persistentes
e audazes para o enfrentar de peito aberto

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:47


54 - OS ELECTRICOS DA CIDADE

por Fernando Ramos, em 02.10.16

 

 

54 (1).jpg

 

54 . OS ELECTRICOS DA CARRIS


Nos elétricos, da carris
Viajar é coisa boa
Percorrem ruas e avenidas
Colorindo a menina Lisboa~

Na carreira vinte e oito
Que dos Prazeres à Baixa, vai
Está sempre tão chainho
Mas dele, ninguém sai

Simpáticas viagens se fazem
Da Praça da Figueira a Belém
Bem juntinhos ao rio Tejo
Numa viagem de vai e vem

E nas viagens pró Castelo
Vão turistas encantados
Alguns não tem este transporte
Que cá, os deixa maravilhados

Digam lá senhores estrangeiros
Se as viagens não são bonitas
Vê-se Lisboa dos Eléctricos
Nos passeios p'ra turistas

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:39


53 - EU ESCREVO

por Fernando Ramos, em 02.10.16

 

53 (1).jpg

 

EU ESCREVO

Escrevo, e não sei
se sou escritor ou poeta
mas é sobre o amor
ou de outras coisas mais


Talvez seja uma necessidade escrever
frases mais ou menos profundas
de sofrimento, ou até de brincadeiras
Escrevo das noites, dos dias, de sexo
política, até do sol e do mar
e outras vezes do vento
e até da chuva
mas escrevo, mal ou bem

Ás vezes sobre desejos, sonhos
e outros temas mais


Escrevo devagar, ou mais depressa
mas sempre com sentimento
Sei que caminhando se faz a vida
e escrever se fazem desejos
se forem profundos
é a vida no seu melhor
Então eu vou por aí
Posso escrever muito, ou pouco
e outras vezes nada
mas sempre vou escrevendo

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:31


1059 - ABRIL DE CRAVOS

por Fernando Ramos, em 02.10.16

 

1059.jpg

 

1059 - ABRIL DE CRAVOS

 

Poetas apareceram p’la tarde
Músicos e tantos cantantes
Chegou a chama da felicidade
Num Abril de cravos flamejantes

 

As gentes riam chorando
P’ra felicidade de tantos
Nas Igrejas se foi orando
Sorriram fieis e os Santos

 

E por aquele Abril novo
Muitos, muitos lutaram
Nas prisões apareceu o povo
Libertando os que sonharam

 

Vários Sois por Abril já passaram
E algum povo ainda acredita
Mas corações já se desgastaram
Neles a esperança já não habita

 

Que fizeram ao nosso acreditar
Gentes de pouca vergonha
O cravo não consegue medrar
E o povo de agora já não sonha

 

A revolução dos homens se vai
Na crista da onda da esperança
O belo sonho cambaleando, cai
No puder que pouco, a pouco avança

 

Desaparece o sorriso na gente boa
A liberdade está emudecendo
De mansinho outros hoje vão na proa
E o Abril de cravos vai entristecendo

 

Era o Abril na história duma vida
Que tarde o bem fez chegar
A bandeira desfraldada vai sumida
Na Pátria que o povo quer acreditar

 

De. Fernando Ramos

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:36


52 - PALAVRAS AO VENTO

por Fernando Ramos, em 02.10.16

52 (1).jpg

 

PALAVRAS AO VENTO
Algumas palavras se dizem
que não partem do coração
Mas elas magoam tanto 
e são ditas sem razão
Vamos, as esquecer depressa
más palavras, levas o vento
E essas não voltam mais
para o nosso contentamento
Vamos ter muito cuidado,
para não as dizermos mais
Elas são ditas sem nexo
São palavras tristes e fatais 

Por elas o vento vai esperando
porque não as queríamos dizer
não foram ditas com emoção
nem por nosso belo prazer
As palavras saem tão rápido
como se fosse um sopro na pena
não deviam ser ditas assim
nem da maneira mais serena
Vamos todos lá pensar
nas palavras a dizer
para evitar dissabores
e depois, nada há a fazer
O vento é nosso amigo
por as más palavras levar
temos de lhe agradecer
por nunca as deixar ficar

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:56


51 - ADEUS FADISTA

por Fernando Ramos, em 01.10.16

51 (1).jpg

 

51 - ADEUS FADISTA

Desapareceu o nosso fadista
Mas ficou sua arte de cantar
Com ele foi embora a vida
Que soube tão bem amar
Adeus fadista do país
Da nossa liberdade
Agora que tu partiste
Resta apenas a saudade
O fado ficou mais pobre
Com esta tua saída
Deixaste todos nós
E não cantaste na despedida
Cantavas o poema Português
Com a guitarra a se emocionar
Chorava o pobre, e o Burguês
com tua voz de aconchegar
Cantaste nos becos, o fado 
Nas vielas e na rua
Cantaste em todo lado
Até quase cantaste na lua
Mas porquê amigo fadista
Ires para outro lado cantar
Eras aqui o grande artista 
Do povo que te quer escutar
Com esta tua partida
Fica a nossa saudade
Mas teu fado vai continuar 
Para bem da liberdade
Adeus bom eterno fadista
De ti iremos sempre falar
Pelos anos que te ouvimos
A lágrima vamos deitar
Não penses que ao ires embora
De ti não vamos mais lembrar
Estas enganado meu amigo
Para nós vais sempre cantar

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:33


50 - FADISTAS E GUITARRADAS

por Fernando Ramos, em 01.10.16

50 (1).jpg

 

50 - FADISTAS E GUITARRADAS
Cantadores e cantadeiras
do meu belo Portugal
bonitos fados cantam 
Para esta terra sem igual
Tocai, guitarristas tocai
para as nossas gentes alegrar
faça-se ouvir as guitarras
e as vozes acompanhar
É sempre bom ouvir o fado
em ambiente de muita calma
Os nossos fadistas lá cantam
bonitos fados, com raça e alma
Suas gargantas se fazem ouvir
em muitas noites de calor
Ouvem-se fados à desgarrada
cantados com muito fervor
Grandes fadistas por aí andam
E muitos cantam sem pecado
Outros por aí se ouvem
Nas simpáticas casas de fado
E tivemos a Severa, e a Amália
Temos a Marisa e o Camané
Tantos mais por ai há
Cantando de pura fé
As guitarras tocam baixinho
Já dizia o saudoso poeta
E quando as guitarras tocam
Não tocam de forma discreta
Os fados vadios se ouvem
Pelos becos e ruas de Lisboa
Há algumas gargantas desafinadas
Mas uma ou outra, é muito boa

Cantai, fadistas cantai
Pró país e os artistas 
porque o povo gosta muito
Que tanto grita "HÁ FADISTAS"


de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:02


1058 - CHEGAR DEPRESSA

por Fernando Ramos, em 01.10.16

1058.jpg

 

 

1058 - CHEGAR DEPRESSA

 

Na noite negra que bem chovia
No dormir daquela hora
Para mim, minha paixão dizia:
“Acorda amor, tens de ir embora!
Deixa lá o teu soninho
Tens de te levantar agora!

 

Então... Levantei-me devagarinho
Deixei a alcova nosso ninho
E meu amor beijei rapidinho
Mas ao abrir a minha porta
Um friozinho bateu meu rosto
Pensei “está uma aragem que corta”

 

Mesmo assim me fiz a caminho
Para o trabalho esperado
Mas no leito estava tão quentinho
Agora vou num passo apressado
Metido em férteis pensamentos
Levando meu coração agitado

 

E nas trevas da cansada noite
Com muito frio em meu peito
Me esperava um patrão sem açoite
Para mais um dia de canseira
Num trabalho de magro salário
Tido numa profissão rotineira

 

Tão depressa me fui embora
Para minha casa a correr
Meu amor me aguarda agora
E eu aqui tanto a sofrer
Com ânsia de bem chegar
E de frio quase a morrer

 

O temporal continuava
Todo tempo sem cessar
Meu corpo vai bem molhar
Ate ao doce lar onde cheguei
Meu amor feliz me recebeu
E com ela de novo me deitei

 

De: Fernando Ramos
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:38


49 - É NECESSÁRIO

por Fernando Ramos, em 01.10.16

49 (1).jpg

 

49 - É NECESSÁRO

 

É necessário amar
sempre, sempre
e perdidamente
É necessário observar 
As estrelas
em noites de luar
É necessário não usar a crueldade
olhares infinitos, lamentos 
e cair no silêncio
É necessário reinventar 
novas formas de vida
amar loucamente
E criar lírios no jardim
É necessário dar beijos 
abraços, e olhares 
de amor
É necessário a paz,
e os sussurros do vento
nas noites de inverno
É necessário passear no campo 
de mãos dadas
amar os animais e a natureza
É necessário dar longos beijos 
com ternura, paixão
e ter longas noites de amor
É necessário voltares 
sempre para mim
e dizeres que me amas
É sempre necessário
sempre, sempre
 

de: fernando ramos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:20


Mais sobre mim

foto do autor


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Favoritos